domingo, 1 de janeiro de 2017

2017 chegou, e agora?!



Bom diaaa!

Feliz ano novoooo!

Então chegamos a 2017, e agora? O que mudou?

Bom, querid@s, é bom que NÓS tenhamos mudado, e que nós HOJE estejamos adotando atitudes diferentes, caso contrário, tudo continuará exatamente igual. Não é mesmo?

Mas quero deixar aqui os meus votos a todos os familiares de dependentes químicos que chegam neste espaço em busca de alguma informação ou de um “abraço virtual”...

Meus votos são:

Que não estejamos tão ansiosos por MAIS em 2017, mas sim, por menos. Que tenhamos menos culpa, menos mal-humor, menos preocupações... Ei, já parou pra pensar que a vida é provisória e que ela está passando bem depressa? Então, querid@ leitor(a), leve menos coisas na bagagem...

Que conheçamos ao menos um lugar novo, aquele que você gostaria de ir, e nunca foi... Se o dinheiro está curto, não precisa ser uma ida a Veneza, mas por que não uma ida àquele parque da sua cidade? Um piquenique?

Que permitamos que pessoas novas entrem na nossa vida... Mas entrem mesmo... Não estou falando dessa coisa superficial de curtidas, cutucadas, corações ou Xzinhos não... Estou falando de chá da tarde, de conversa olhando no olho, de enxergar a alma do outro, de querer bem... Mas, cuidado, selecione quem realmente vale a pena entrar e ficar em sua vida...

Sim, desejo que seja um ano repleto de boas notícias, mas sobretudo, repleto de abraços, beijos, cafunés e afetos sinceros...

Que estejamos pront@s para aceitar o perdão e saber perdoar, retirando das costas o peso amargo das mágoas e decepções.

Que saibamos dizer “eu errei, me desculpe” sempre que for necessário, e que não nos falte força para seguir adiante, melhores e abertos a novos aprendizados.

Que sejamos um pouco menos teimosos... Mas só um pouco!

Que nos dediquemos a algo novo, algo que nunca fizemos antes: um novo idioma, um novo instrumento, um novo trabalho, um novo cabelo... Arrisque! Ouse!

Que não nos falte um coração resistente para aguentar as grandes boas surpresas que virão... Mas que também não falte a esse coração o desejo de criar surpresas agradáveis ao próximo...

Sei que é ano novo, e que só queremos falar de coisas boas, mas são 365 dias, e é bem provável que em alguns desses dias tenhamos que lidar com a tristeza... Então desejo que, quando a dor nos alcançar, não nos falte força para enfrentá-la. E ao nos depararmos com essa dor, que não nos alcance a dureza nem a desesperança, mas ao contrário, que sejamos ainda mais capazes de transformar dor em amor a quem passar por perto...

É isso.

Mais um ano se foi, e um novinho em folha chegou...

Pode parecer que são 24 horas exatamente iguais a tantas outras, e realmente serão, se não tomarmos ATITUDES diferentes...

Não esperemos que as coisas irão mudar apenas porque o calendário mudou... A mudança vem de nós!

Queremos um ano melhor? Então sejamos melhores! Melhores em nossos planejamentos, melhores em nossa dedicação, melhores em correr atrás de nossos sonhos, daquilo que realmente vale a pena! Melhores em sentir...

Que em 2017, desejemos mais, queiramos mais, vivamos mais, arrisquemos mais, nos entreguemos mais, sintamos mais, aproveitemos mais... Tudo isso só depende de nós!

Por fim, e na verdade, mais importante, desejo que estejamos mais pertinho de Deus, pois Dele virá a saúde que precisamos, e toda a força necessária para fazermos de 2017 o melhor ano de nossas vidas!!




Querid@s, recebo muitas mensagens perguntando sobre o meu familiar adicto... Informo que ele está bem. Está limpo há uns três meses. Seguindo sua jornada...

Sabe, estou lendo o livro Amando um Dependente Químico novamente, e vejo que ele foi escrito no momento exato. Eu vivia uma fase de transição, e os registros feitos diariamente são ricos para quem busca uma “luz no fim do túnel”. No entanto, o tempo passou... Cinco anos se passaram desde que ele foi escrito, e posso afirmar que eu mudei...

Hoje não consigo mais vir aqui fazer registros sobre o outro e sobre as suas dificuldades e vitórias... Só consigo falar de mim...

Agradeço de coração por mais um ano juntos, querid@s leitor@s!!

E vamos que vamos que 2017 já começou!!

37 comentários:

  1. Muita luz para sua família! Tenho fé que seu familiar irá prosseguir o caminho dele com mais amor à vida. Um beijo, pois é isto que desejo ao meu.

    ResponderExcluir
  2. Feliz ano novo, Poly!
    E, principalmente, feliz atitudes novas!
    Graças à vc eu me entreguei, verdadeiramente, a busca de ser uma pessoa melhor, de amar mais a mim mesma,aos outros e ao meu amado adicto. Estou no meio da tormenta neste momento. Sigo lendo, trabalhando, assistindo as minhas séries... Meio mais ou menos,meio superficial, meio apenas disfarçando. Mas aquela dor que me desesperava há pouco mais de um mês,não tem mas esse poder em mim. "A dor tem que ser sentida", mas o sofrimento é opcional.
    Já consegui até dar uma singela ajuda a uma irmã na mesma situação. Fiquei muito feliz. Devo isso à vc tbm.
    Obrigada por tudo!
    Beijo no coração!

    993685024
    Carol Matos

    ResponderExcluir
  3. Feliz 2017 Poly... eu também olho para trás e vejo quantas mudanças eu tive,antes só sabia falar ou reclamar do meu adicto, hoje não sinto vontade e nem necessidades de falar a respeito. O tempo passou, ele não mudou ainda continua na gangorra um dia "limpo" outro recaído... Já apesar de ainda estarmos juntos entreguei a liderança da vida dele nas suas próprias mãos. Estamos juntos mais não posso mudar o outro e hoje dou graças a Deus porque descobri que posso e estou conseguindo mudar a mim mesma. bjs Cristina Flor

    ResponderExcluir
  4. Ola
    Meu marido é um adicto.. estamos juntos a 4 anos temos uma filha de 2 anos... ele ja esteve muitas recaidas e a 2 dias foi para uma clinica de recuperação... no dia que ele recaiu falei no momento de raiva que ja estava cansada que ja não o queria mas que estava tudo acabado... nesse tempo todo não me caiu a ficha... agora ele esta la e eu aqui...Estou muito arrependida pois o Amo muito...

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Poly .
    Me identifiquei com seu post de 2011 onde vc fala sobre seu dia e de como ser casada com um dependente químico pode ser uma montanha russa . Me sinto assim .
    Meu nome é joice sou de cabo frio RJ
    Tenho 34 anos tenho 2 filhas, uma de 3 anos e a outra de um ano .
    Sou casada com dependente químico faz 4 anos e meio . Conheço meu marido a 11 anos . E sempre usou drogas . Sempre mentiu p mim sobre isso . Sempre me tratou super bem até então isso nunca tinha me atrapalhado, até ele começar a usar outro tipo de droga, q eu nunca aceitei. Nossas brigas são sempre as mesmas ele diz q sou louca q ele n muda nada q é coisa dá minha cabeça, ele sempre tentando me comprar com dinheiro e com coisas e me tratando sempre bem . Só q ele só usa essa outra droga quando eu n estou em casa, ele sempre aproveita a oportunidade de está sozinho p usar, ai pronto começa às neuras dele é sempre me ligando p me encher a paciência quando estou no trabalho. Deixo ele bem e quando chego ele está diferente cheio de paranóia sem falar comigo e eu fico muito chateada com isso . Eu comecei a notar essas mudanças nele quando eu comecei a trabalhar fora .Q ele ficava sozinho e me ligava sempre cheio de nóia . Eu cheguei. Pergunta p ele se ele estava usando outro tipo de droga e ele sempre negava dizendo q n , q era eu q estava louca . Até q ele depois de um ano assumiu q estava usando . Fiquei mal . Chorei muito .Ele sempre diz q vai parar , mas nunca para , sempre estraga tudo . Tenho meus limites com ele quando ele usa essa droga . Aí ele já sabendo disso ele nem chega perto de mim e tenta me ajudar em tudo em casa p compensa o estado q ele me deixou . Mas n adianta e falo sempre p ele q ficar na dele e me deixar quieta . Aí ja se perde mais um dia . No outro está tudo bem até ele falar q vai em algum lugar , se demora eu ja sei até. O q deu . Aí mais um dia se perde. Sei q se eu deixar frouxo aí q ele n vai nem tentar parar. Mas como boto limites no nosso relacionamento ele mede mais . Meu marido embarca tem 5 anos dou graças a Deus quando ele vai pq sei q. Preciso se preocupar com ele aq .E quando ele chega aí começa minhas preocupações. Quero mudar isso . N aguento ficar assim sempre nessa espectativa. Já passei por muita coisa já sai de depressão já parei de tomar remédios controlados graça as minhas filhas. Consegui melhorar muito . Agora ele n me ajuda nisso. Ele é ótimo com as meninas, elas adoram ele , eu tbm mas isso atrapalha muito . N sei mais oq faço. Preciso de ajuda , só estou com ele pq tenho esperança q ele irá parar
    Meu Facebook é Joice Oliveira cabo frio
    Caso queira me add p trocar informações.
    Hj ele desembarca e hj começo a ficar tensa .

    ResponderExcluir

  6. estou muito abafada, um no insuportável no peito, uma angustia terrivel.. estou no meu horário de almoço e sem forças para voltar ao expediente.

    Ao todo de relacionamento, temos 9 anos, e há 10 meses nos casamos, compramos nossa casa própria, tínhamos sonhos como todo casal. durante o namoro, sempre soube do seu uso, mas não tinha nocao da diemensao que era, apenas quando nos casamos pude presenciar de fato.

    Polly, há 3 dias que ele esta dormindo na casa dos pais , tivemos uma briga feia há 4 dias, quebrei 2 copos no chão, chorei, chorei , chorei, falei coisas muito pesadas pra ele, ele pegou uma faca, falei que nem para me matar ele servia. essa foi a menor que falei, e desde então , ele decicidiu se internar, procurar tratamento, falou que esta destruído e que para não nos matarmos, ele vai ficar na casa dos pais ate a internação. Polly estou sofrendo muito, pois ninguém sabe o que estou passando, eu nunca conto pra ninguém, choro a noite inteira, e no outro dia vou trabalhar como se nada tivesse acontecendo. ler o blog me ajudou muito.

    estou pesquisando clinicas de internação . você poderia me dar uma orientação?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Existe um Associaçao Religiosa chamada Lar São Francisco de Assis. A sede fica em Jaci interior de São Paulo. São varias casas de recuperação que essa entidade mantem. Espero ter ajudado.

      Excluir
  7. Meu zap gente . 22 999677906
    Polly estou passando por isso é n sei oq fazer . E muito complicado ver ele passando por isso.r as x acho q ele n quer mudar .Ele diz a eu e q sou problema. Mas sei q n é . Preciso de ajuda .Eu tenho duas filhas com ele uma de 3 anos e outra de 1 ano .
    Como já disse no outro comentario, ele é muito bom comigo e com as filhas .
    Ele tenta me comprar p cobrir a culpa ex: te trato bem , levo vcs p sair compro oq quiser , e o meu erro é só as drogas. E mais ou menos isso q acontece. Já disse p ele q é p ele se tratar, mas ele n aceita q está viciado , diz q consegue parar a hr q quiser.
    Mas n para .
    Acredito q ele vá parar de usar algum dia . Mas n sei quando . Isso me preocupa pq minhas filhas estão crescendo e eu n quero q elas vejam e achem normal, como p pai delas é normal.
    Ele tem maior cuidado sobre isso com elas . Mas n sei oq se passa na mente dele. As x acho q tem q acontece alguma coisa na vida dele p ele poder tomar a iniciativa de querer mudar .
    Acho a fica mais difícil p ele mudar isso, pois aq onde moramos os amigos dele todos usam .E ninguém ajuda sabe , s atrapalha. E ele é Maria vai com as outras acha q p se socializar tem q fazer igual. E eu q tenho a fama de braba .
    Se alguém q estiver lendo isso sabe ou passa oi já passou por isso é sabe como pode me ajudar ,ajudar meu psicológico me chama no zap . Pq ja n sei .Aos oq fazer. Já mudei minhas atitudes , mas parece q nada adianta. Sei q tem q partir dele a mudança. Queria fazer ele enxerga isso .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joice, eu aconselho a começar buscar ajuda pelos grupos de apoio a familiares, no meu caso eu frequento o Nar-Anon e vi que em Cabo Frio as reuniões são as quintas, 19h30. Entra no site e veja se fica próximo a sua residência. Experimente! Para mim, a primeira reunião foi um pouco difícil, mas o segredo está na próxima e eu continuei voltando às reuniões e hoje não me rendo a angústia que consumia antes. Existem outros grupos também, vc pode conhecê-los e sentir o que te deixa mais a vontade. Deus abençoe vc e sua família.

      Excluir
  8. Boa noite. Alguém pode me ajudar a acalmar meu coração? Namoro um adicto a 2 anos ele estava limpo a 9 meses quando eu o conheci, porém ele teve uma recaida ano passado e está hoje internado em uma clínica de recuperação, está trabalhando no quinto passo e vai fazer a primeira visita de ressocialização depois de 8 meses de internação e tanto eu como os pais dele não sabemos como trata-lo. Sem contar que a mãe dele AMA DEMAIS complicando no tratamento dele. Como posso agir de puderem me chamar no wats 44 9 97225304

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ideal seria você frequentarem um grupo de apoio para se prepararem pra essa volta. Nar-Anon ou Amor Exigente. Dá uma procurada na sua cidade ou por perto, é importante!

      Excluir
  9. Se tiverem um grupo no wats ou no face por favor me add wats 44 9 97225304
    Face: Daniele Fernandes Maringá Paraná

    ResponderExcluir
  10. Olá meninas...sigo o blog ja tem um tempo e sempre me ajudou muito! Eu me separei do meu companheiro há 9 meses e nesse tempo eu consegui botar minha vida nos trilhos, voltei a estudar, viajei... cuidei de mim sabe! Foi um longo caminho até eu tomar a decisão de me separar... mas passados esse 9 meses eu achei q já havia superado, mas ontem nos encontramos ( a pedido dele, pois me disse que tinha muita coisa a dizer, então pensei que depois de tantos anos casados devia isso a ele e a mim tbm) só que quando nos encontramos... é dificil quando você ama alguém mas tem que tomar uma atitude dura... enfim foi como se eu voltasse a ser adolescente, foi uma emoção tão grande revê lo! E ele me disse que está há 8 meses sem usar... ta trabalhando, comprou um carrinho... enfim fiquei totalmente abalada, confusa. Todas as minhas certezas de como eu tava vivendo tão bem sem ele caíram por terra!agora tô aqui... sem saber oq fazer... ele diz que quer voltar. Mas as marcas do passado ainda me assombram e minha família toda sabe do ocorrido e dificilmente vão aceitar. Eu tbm não sei se quero... ai meninas oq eu faço? Acabei dando uma esperança pq nós beijamos.... mas acho que o medo de passar por tudo de novo eh maior dos a vontade de tentar... me ajudem meninas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou há mais de 1 ano separada. Nunca mais o reencontrei com medo que isso aconteça comigo, pois ainda o amo, mas sei bem o que passei por longos 3 anos. Infelizmente tenho que dizer que minha fé não é tão grande a ponto de arriscar de novo.

      Excluir
    2. Olá!
      estou a 40 dias sem ver meu marido e tb não tenho coragem pois sei que qdo ele estiver bem...as chances de eu arriscar de novo são muito grandes...

      Excluir
  11. Olá meninas... bom eu me separei do meu companheiro (usuário de cocaina) há 9 meses... nesse tempo busquei forças pra reorganizar minha vida, no início doeu demais... mas a situação estava insustentável! Bom comecei a estudar, viajei e durante esses 9 meses não o vi, não sabia dele enfim... vivi pra mim e deixei ele de lado e ele nesse tempo não me procurou tbm! Mas nessa semana nos encontramos, a pedido dele, pois queria esclarecer as coisas e depois de anos casado senti que deveria ir e ouvir oq ele tinha a dizer! Mas quando eu cheguei no local combinado... todas as minhas certezas foram por água abaixo uma emoção me dominou e aquele sentimento de amor, de carinho... me invadiu totalmente... ele pediu perdão, disse que está ha 8 meses sem usar a droga... enfim pediu uma chance! Tô totalmente confusa... metade de mim quer ficar com ele... mas minha razão me lembra de todos momentos sofridos que eu passei... oq fazer meninas? Minha familia sabe de tudo e nao gosta dele... se eu quiser ficar com ele vou ter q enfrentar a tudo e a todos... não sei se estou disposta a arriscar tudo ppr ele... e se não der certo... ai meninas me ajudem... oq vcs fariam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc pediu minha opinião. Eu não voltaria.

      Excluir
    2. Querida, vc tem a resposta... Não se iluda, vc sab oq sofreut

      Excluir
    3. Não volte.... no meu caso dei todas as chances do mundo...e não adiantou...só me trouxe dor e frustração...

      Excluir
  12. Realmente é uma situação muito difícil! Ficamos entre a razão e a emoção! No momento passo por algo parecido! Uma dúvida que dói!Todos contra, o nosso próprio medo de tentar e sofrer tudo de novo, e um amor tão grande que parece que nunca viveremos outro igual! Realmente não sei te responder,mas saiba que tem gente passando o mesmo que você! Força e que Deus te ilumine! Nos ilumine :)

    ResponderExcluir
  13. Não há nada que os codependentes possam fazer se o adicto não quer ajuda. Não quer mudar. Nada que possa ser feito. A resposta dói.. mas é a única.. viva tua vida e deixe o adicto seguir na escolha dele.. livre arbítrio.

    ResponderExcluir
  14. Se conseguiu sair não caia na besteira de voltar, ame a si mesma! Pq ele não mudou enquanto vc estava com ele? Muito estranho 9 meses separados e 8 limpo. Cuidado para não acreditar em mais u.a mentira...

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde a todos ! Tenho 39 anos me u esposo tem 30 anos ,estamos juntos a 11 anos a 10 ele usa crack. Vivemos em altos e baixos . Nesse momento ele não está aqui saiu ontem a tarde aprontou mais uma comigo .Não sei mais o q faço ,trabalho não temos filhos juntos. Tenho minha vida ,mais não consigo deixado ,chego a ameaçar mais não vou até o fim , não sei mais o que faço meu Deus mim ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Se quiser conversar...vivo essa situação faz anos... bjs

      Excluir
    2. vc tem zap para conversarmos

      Excluir
  16. Ter uma pessoa adicta na família é algo muito difícil e inicialmente é doloroso, porém aprendemos a lidar com a situação e vemos que existe sim uma solução, e um exemplo de maior eficácia é o tratamento em clínica especializada!
    http://reabilitacaodedrogas.com.br/

    ResponderExcluir
  17. É de extrema importância cuidar da situação da dependência, e não medimos esforços quando se trata de uma pessoa que amamos. É interessante que hoje podemos realizar a internação voluntária, involuntária e compulsória, todas muito eficazes.
    http://grupodereabilitacao.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Evite preocupações e as angústias, e os pensamentos sobre o que pode acontecer depois. Não bagunce os meus planos, querendo impor suas ideias. Deixe-me ser Deus e atuar com liberdade. Abandone-se confiadamente em mim. Repouse em mim e deixe em minhas mãos o seu futuro. Diga-me frequentemente:

    Jesus, eu confio em Ti!

    ResponderExcluir
  19. Oi!! Estou desesperada. Cada dia q passa eu sinto que isso não vai acabar. Eu o amo demais. Estou com depressão, perdi muito peso, não consigo me alimentar. Estou me prejudicando no trabalho por viver em função dele e tudo que faço parece ser a toa. Ele me rejeita, brigamos muito e quando está normal me trata como se eu fosse uma rainha. Drogado se transforma num monstro e eu sempre estou com as maos estendidas para ajudar. Só que aos poucos tô perdendo minhas forças. Estou fraca doente, e não tenho ninguém para me apoiar. Eu mesmo sem forças apoio uma pessoa que só me faz mal. Um amor incondicional que nem eu sei explicar. Preciso de ajuda...

    ResponderExcluir
  20. Sou DQ e estou limpo há mais de 20 anos, pretendo me formar em conselheiro e gostaria muito que pudessem divulgar minha campanha para que eu possa fazer o curso de Conselheiro em DQ. Assim poderei estar ajudando sempre outros que estejam na mesma situação que eu e outros, já estivemos um dia.
    https://www.kickante.com.br/campanhas/curso-de-conselheiro-em-dependencia-quimica

    ResponderExcluir
  21. Oi meninas, tenho lido as postagens e parece que estou lendo a minha vida escrita por outras pessoas. Sou casada com um DA a 4 anos e estou vivendo todos esses dilemas. O estrago feito na minha vida foi grande. Estou desempregada com dificuldades para conseguir trabalho, ele mais uma vez dizendo que vai embora, eu sem saber o que fazer e a família dele se omitindo. Não tenho apoio de ninguém!!! Minha mãe está com 79 anos e com problemas mentais ou emocionais, não sei bem, mas termina piorando a situação pq tem um comportamento parecido com transtorno bipolar o que me deixa insegura e com medo por não ter apoio.
    Converso com meu marido sempre, mas ele permanece da mesma forma, usa pouco, fica dizendo que está parando e as coisas que todos eles falam, mas a culpa é sempre minha, ele é doente e eu sou cruel. Não estou mais aguentando esse peso nos meus ombros. Alto estima zero!! Tenho um filho com 14 anos de idade e que tem TDAH. A luta é muito grande. Não sei pra onde vou.
    As palavras de vocês tem me consolador e me feito refletir. Quem sabe ele está certo!
    Bjs
    Fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  22. Quais as instituições que procuro pra auxílio psicológico meu marido é dependente químico e está internado

    ResponderExcluir
  23. Polly querida, tenho acompanhado seu blog faz pouco tempo, meu namorado eh um adicto de cocaína há 1 ano, namoramos ha 6 anos. Ele diz que quer ajuda...implora minha ajuda, diz que quer parar...mas nada do que eu sugiro ele quer, psicologo...psiquiatra...clinica...médicos em geral...grupos de ajuda, ele naum aceita nada...diz que naum quer sair de casa pra nada. Me cobra atitude, diz que naum presto pra nada...que naum ajudo. Naum sei o que fazer.

    ResponderExcluir
  24. Entendam um dependente químico será eternamente um dependente químico.
    Ele pode ficar limpo alguns dias, meses e até anos, mas sempre estará sujeito a uma recaída.
    Agora cada um precisa colocar seu dependente na balança e saber se vale a pena carrega-lo em seus braços, digo que muitos valem sim, para aqueles que lutao contra a doença e mesmo tendo alguns períodos de lapsos "breve recaida" se levantam rápido e seguen sua vida, trabalhando, amando seu lar, sendo esposo e sendo pai, pois estes lapsos não devem ser frequente com aqueles que lutam, mas havera sim, este período.
    Agora como eu ja disse, cada um deve avaliar e saber se vale a pena.
    Agora aqueles que não aceitam e vivem em racaidas uma atrás da outra e não luta contra a doença, estes sinceramente penso que carrega-los é um preço muito alto.
    Refiro-me a lapso aqueles que recai e logo e seguida, após algumas horas ou dias se levantam novamente e voltan a sua normalidade, conheço muitas pessoas que tem estes lapsos uma vez por ano, outros a cada 3 meses, e outros a cada 6 meses, agora recai varios dias no mes, ai é recaída mesmo e nao lapsos.
    Ai esta minha humilde opinião, apenas penso assim.

    ResponderExcluir
  25. Querida...te acompanho faz muito tempo...mas desde o ano passado decidi compartilhar minha história... Deus te abenoe muito!
    beijão

    ResponderExcluir
  26. Olá meninas!!! Estou numa relação de 5 meses com um adicto. Era muito ingênua no começo, achava que ele "controlava" a droga. Ledo engano! No começo usava e ficava perto de mim, mas não demorou muito e os "perdidos" começaram. Não estou satisfeita, não estou feliz, dois dias não tenho notícias dele. Há alguns dias, voluntariamente, disse que quer se internar. Estou apoiando, claro! Li vários relatos de dependentes, familiares e sinceramente acho muito muito difícil a recuperação e no momento é um fardo maior do que eu posso carregar. Fico desacreditada às vezes e hoje vejo o quão complexa é a dependência química e o quão destruidora a droga é. O mais contraditório e irônico é a confusão que eles colocam em nossa mente e em nosso coração, como são carinhosos e afetuosas quando estão limpos e como são destruidores quando na ativa. Um beijo e um abraço a todas. Força, muita força!

    ResponderExcluir