sábado, 16 de julho de 2016

Sou apenas um vaso rachado...


Boa tarde, queridas(os)!

Tudo bem com vocês?

Puxa, hoje é dia 16 de julho de 2016... ou seja, há exatos 10 anos atrás meu caminho se cruzaria com o caminho dele pela primeira vez...

Daí, fico pensando: Como seria se isso não tivesse acontecido? Quem seria eu hoje? Sim, me pergunto quem seria eu, porque certamente a experiência de conviver com um dependente químico nos faz diferentes. No meu caso, afirmo que me fez crescer como ser humano, me fez descobrir uma Polyanna que talvez não seria descoberta... Provavelmente eu teria outro trabalho hoje, você e eu não nos conheceríamos, eu não teria escrito o livro, esse blog não existiria... 

Interessante, né? Um pequeno movimento do Universo e tudo seria diferente. Destino? Coincidências? Acaso? Estava escrito? Deus?

Acredito que Deus esteja no comando da minha vida, mas não sei ao certo se Ele determina o que vai acontecer ou se isso se deve somente às minhas escolhas, então, deixarei as perguntas acima sem respostas, porque não as tenho.

Tenho recebido muitas mensagens perguntando sobre ele. Como ele está? Está limpo? Está bem?

Antes de falar dele, quero falar de mim, afinal, esse foi o meu maior aprendizado nessa jornada: me olhar, me amar e me cuidar...

Queridas(os), estou muito feliz com as experiências que estou vivenciando junto às famílias, no projeto “Ame, mas não sofra” do Governo de Brasília. E obviamente, esse trabalho tem me deixado mais ausente do blog e Facebook.

Olhem essa foto... que coisa gostosa que ela transmite!


Para esse grupo de famílias, na ultima quinta-feira, levamos uma roda de terapia comunitária, e na sequencia, pude partilhar àquelas famílias (que nunca haviam escutado falar da codependência) sobre livrar-nos da culpa, que dependência química é uma doença, e que a família precisa se cuidar, se fortalecer primeiro, para então ajudar ao seu ente adoecido pelas drogas.

Tantos abraços apertados. Tantas lágrimas. Tantas histórias.

Vejam o vídeo abaixo, que fala sobre essa ação.



Lindo isso, né? Só posso agradecer a Deus pela oportunidade de ajudar.

Quanto ao meu amadão, tenho boas notícias. 

Ele está limpo há 1 ano, 1 mês e 6 dias!!

Mas, ainda assim, já aprendi que minha recuperação e minha vida não podem se basear na recuperação dele ou em seus dias abstinente.

Claro que estou muito muito feliz por ele estar conseguindo, um dia de cada vez! Claro que isso traz muitos benefícios para a nossa casa! Mas ainda assim, não posso me esquecer que ainda que eu tenha fé e esperança de que esses dias durem para sempre, não coloco expectativa nisso. Entendem?

Por isso, a cada dia, tenho falado menos dele aqui no blog, e mais de mim. Porque é disso que nós, familiares, precisamos. Olhar para nós! Focar em nós!

Eu focando em mim e cuidando de mim, e ele focando nele e cuidando dele, ao final os dois teremos condições emocionais para cuidarmos do nosso relacionamento e fazermos dele uma união saudável...

Mas se eu voltar a focar na recuperação dele, aí peteca tudo!! Rs.

Bom, queridas(os), vou contar uma história para vocês que ouvi lá no grupo:

“Um carregador de água na Índia levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada ponta de uma vara a qual ele carregava atravessada em seu pescoço. Um dos potes tinha uma rachadura, enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada entre o poço e a casa do chefe. O pote rachado chegava apenas pela metade. 
Foi assim por dois anos, diariamente, o carregador entregando um pote e meio de água na casa de seu chefe. Claro, o pote perfeito estava orgulhoso de suas realizações.  Porém, o pote rachado estava envergonhado de sua imperfeição, e sentindo-se miserável por ser capaz de realizar apenas a metade do que havia sido designado a fazer.  
Após perceber que por dois anos havia sido uma falha amarga, o pote falou para o homem um dia, à beira do poço:  
- Estou envergonhado, quero pedir-lhe desculpas. 
- Por quê?, perguntou o homem. - De que você está envergonhado?
- Nesses dois anos eu fui capaz de entregar apenas metade da minha carga, porque essa rachadura no meu lado faz com que a água vaze por todo o caminho da casa de seu senhor. Por causa do meu defeito, você tem que fazer todo esse trabalho, e não ganha o salário completo dos seus esforços, disse o pote. 
O homem ficou triste pela situação do velho pote, e com compaixão falou:
- Quando retornarmos para a casa do meu senhor, quero que percebas as flores ao longo do caminho.  
De fato, à medida que eles subiam a montanha, o velho pote rachado notou flores selvagens ao lado do caminho, e isto lhe deu ânimo. Mas ao fim da estrada, o pote ainda se sentia mal porque tinha vazado a metade, e de novo pediu desculpas ao homem por sua falha. Disse o homem ao pote: 
- Você notou que pelo caminho só havia flores no seu lado do caminho??? Notou ainda que a cada dia, enquanto voltávamos do poço, você as regava??? Por dois anos eu pude colher flores para ornamentar a mesa do meu senhor. Sem você ser do jeito que você é, ele não poderia ter essa beleza para dar graça à sua casa.”

Chorei ao ouvir essa história, porque realmente me identifiquei com ela.

Minha vida não foi exatamente como eu idealizo que seria uma vida perfeita. 

Meu pai usou drogas durante minha concepção, nascimento, infância e adolescência, quando veio a falecer. Há dez anos, novamente, me vi diante da adicção de alguém muito amado. E essas experiências me marcaram. Vejo em mim uma mulher com traços da codependência. Alguém com com tantas "rachaduras". 

Mas, é tão gostoso quando olho para os relatos de vocês ou de pessoas como essa avó do vídeo, porque percebo "as flores ao lado do caminho".

Ei, não permita que ninguém diminua você por ter familiares adictos ou por ser um adicto. Não se esqueça que somente os "vasos rachados" produzem flores. Você é especial! Eu sou especial!

E, por ultimo, vou deixar aqui um link da minha “vaquinha”. Não gente, não virei fazendeira... Risos.

Vocês que acompanham o blog conhecem minha história, me conhecem, por isso dispensa justificativas. 

E na hora do desespero vale tudo, até deixar o orgulho de lado, né? E é isso que estou fazendo, e acreditando muito que dará certo e que, finalmente, me sentirei livre novamente para ter uma vida digna.

Clique aqui e entenda!

Sei que muitos leitores passam por situação parecida, mas peço que divulguem a vaquinha em seus grupos e páginas, se puderem.

Um lindo sábado a todos!
Fiquem com Deus!

8 comentários:

  1. Poly, que trabalho incrível, com certeza muitas pessoas foram e serão ajudadas, acolhidas e amadas, só por isso já valeram todas as suas "rachaduras" rs. Acompanho o seu blog há anos e dá orgulho ver a sua nítida evolução e amadurecimento, acima de tudo, sobre o controle da sua própria vida, parabéns! E claro, feliz pelo seu esposo, que Deus o ilumine na continuidade da caminhada. Gostaria de poder abraçá-la neste exato momento, tamanha a minha gratidão por esta e todas as outras leituras compartilhadas, um grande beijo. Juliana

    ResponderExcluir
  2. Poly, queria participar dos seus grupos de apoio aqui perto de mim. Preciso de ajuda e amparo.. Estou me sentindo um nada por não saber lidar direito com a codependencia. Há tres ano vivo isso. E nao sei ligar com " ele está bem, mas nao posso botar expectativa nisso"..Como lidar com isso sem sofrer?

    ResponderExcluir
  3. Oi Poly, me chamo Erica, sou de Fortaleza-ce encontrei seu blog e me identifico muito com todas historias que você relata é uma grande guerreira muita admiração por você. Sou namorada de um adicto e tenho muitas dificuldades como lhe dar com certas situações seu blog tem me ajudado muito. bjuss DEUS abencoes sua vida e de toda sua família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde depois de 4anos meu esposo teve uma recaída ...perdi meu chão não sei quem eu sou mais o que pode fazer por ele eu fiz vendeu tudo.o que ele tinha ..separamos e faz pouco voltamos primeiro pela vontade de Deus e depois de eu conhecer seu blog ...sei que o amo e quero muito ver ele curado depois de idas e vindas consegui colocar ele na casa de recuperação hj ja esta 5dias limpo mais não sei como será o amanhã estou tentando me erguer sustentar minha casa e minha filha estou passando a pior faze da minha vida ...mais creio q Deus tem o melhor pra mim ..devido a recaída dele minha família não aceita mais eu com ele ...nao sei como será o amanhã mais creio q serei alguém melhor igual a vc polly ...sei q estou longe mais sei o que vc passa não e fscil e quero aprender mas cm vc ..bjs

      Excluir
  4. Oi meninas, Poly parabens amo seu trabalho.
    Sou mulher de um adicto em recuperação que conhece o sofrimento e a alegria de viver na recuperação também.
    Quem quiser ajuda ou desabafar... querer AJUDAR Á SI MESMA. e talvez ter algumas respostas.
    Meu whats (65) 9 9242-6247
    Jéssica

    Já estive no lugar de quem precisa e fui ajudada.
    Ajudar nos Ajuda.

    ResponderExcluir
  5. Sou DEPENDENTE QUIMICO EM RECUPERAÇÃO E LIMPO e também traços de codependente.
    Tenho satisfação em ajudar quem precisa, família que tem duvidas, precisa de auxilio, entender oque fazer nos momentos horríveis.
    Não importa se seu parente dependente é criminoso ou morador de rua, isso não é motivo para se esconder e não se abrirem ou procurar ajuda, estou querendo ajudar de coração, podem entrar em contato comigo. não estou aqui para julgar ou passar a mão na cabeça de adicto mas sim de ajudar ambos se precisar.
    OBRIGADO!!!
    FELIPE WHATS (65) 9 9217-0248

    ResponderExcluir
  6. Sou DEPENDENTE QUIMICO EM RECUPERAÇÃO E LIMPO e também traços de codependente.
    Tenho satisfação em ajudar quem precisa, família que tem duvidas, precisa de auxilio, entender oque fazer nos momentos horríveis.
    Não importa se seu parente dependente é criminoso ou morador de rua, isso não é motivo para se esconder e não se abrirem ou procurar ajuda, estou querendo ajudar de coração, podem entrar em contato comigo. não estou aqui para julgar ou passar a mão na cabeça de adicto mas sim de ajudar ambos se precisar, sei como é dificil ser um adicto e ser codependente...
    OBRIGADO!!!
    quero ajudar você codependente, minha esposa é codependente e sei como é dificil essa vida...
    fiquem com seu poder superior, e vivem só por hoje meus amigos!
    FELIPE WHATS (65) 9 9217-0248

    ResponderExcluir