sábado, 21 de novembro de 2015

Posso chacoalhar você?!?


Era pra ser um dia feliz para aquele pai...
Seu aniversário de 76 anos!
Eu tentei felicitá-lo pela data...
E ele começou a recordar de quando seu único filho homem era um garoto, um adolescente...

“Eu tinha certeza que ele seria um médico. Tão inteligente, estudioso, de bom coração... Um menino sensacional...” Ele me disse, parecendo viajar no tempo.

“Mas, ‘aquela coisa’ acabou com a vida dele, e acabou com a minha vida também...”
‘Aquela coisa’ é a droga.



Era pra ela ser apenas uma filha. Trinta e poucos anos, dois filhos, casamento bacana...
Mas, ela incansavelmente busca melhores alternativas de tratamentos para a mãe, de 60, dependente química.
Em suas palavras é possível perceber o quanto ela se sente responsável por causar ou evitar recaídas da sua mãe...

São tantas histórias todos os dias. Histórias tão parecidas. Sentimentos tão parecidos.

A vontade que tenho é de chacoalhar esses familiares, e fazê-los compreender:

Ei, há muita vida pra ser vivida!! Pare de carregar o peso do outro sobre si!!
Você não é culpado, não pode controlar as escolhas do outro, e não pode curá-lo!!
Livre-se de tudo isso...

Sim, você deve amá-lo como ele é, mas isso não quer dizer que você deva se anular, se culpar, e aceitar todas as insanidades da dependência química. Não!

A droga não pode arruinar a sua vida, a não ser que você permita... 

Famílias, por favor, liberem um pouco de cuidado, amor e atenção a si mesmas!!

Eu sei o quanto é difícil... mas também sei o quanto é possível se buscarmos ajuda!!




Por falar em ajuda, nos dias 07 a 11 de dezembro, realizaremos o II Seminário de Multiplicadores Sociais de Ações de Apoio às Famílias, do programa “Ame, mas não sofra”, da Secretaria de Justiça do DF.

A intenção é levar informação e acolhimento às famílias de usuários de drogas, e também sensibilizar os profissionais para a necessidade de uma maior atenção a essas famílias. As inscrições não param de chegar!!

Essas ações me enchem de felicidade e gratidão a Deus, por poder levar adiante o que um dia recebi!!

Aproveito também para agradecer ao amigo Júnior, do blog Limpo só por hoje! , pelo convite para participar do seu programa na rádio São Francisco, de Bacabal, onde todas as quartas-feiras, ao meio-dia, fala-se sobre a recuperação da dependência química, e também da codependência emocional. Foi uma experiência fantástica poder ouvir o retorno dos ouvintes e leitores do blog! Muito obrigada!!

Queridos leitores, para curtir nossa nova página no Facebook CLIQUE AQUI! Como informei no post anterior, a página antiga foi desativada.

Grande beijo a todos!
E um fim de semana repleto de serenidade!

20 comentários:

  1. Se tem uma coisa que aprendi nesses 10 anos de convivência com a adicção é que, nós só podemos mostrar a porta, quem tem que passar por ela é a própria pessoa....isso cai como uma luva para dependentes químicos e codependentes

    Namastê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estava com saudades de você, Kel!!
      Você tem toda razão!
      Grande beijo!

      Excluir
    2. saudade?? uai vc me excluiu do face...rs

      Excluir
    3. Saudade sim!!
      Precisei excluir meu perfil por um tempo... e não tenho mais um perfil individual, por isso não tenho mais o pessoal do Blog.
      Mas sair do face não quer dizer que saiu do coração!!
      Bjs!

      Excluir
  2. Olá, Poly!
    Como sempre, alegria imensa em ler seus escritos.
    É tudo e mais um pouco que precisamos ouvir (ler).
    Parabéns pelo belíssimo trabalho que será realizado, que é o seminário. Aliás, acredito que esta data eu esteja no DF e se realmente eu estiver, quero ver a possibilidade de fazer-me presente. Ainda não tenho certeza, mas assim que souber direitinho a data de minha ida, já providencio minha inscrição. Espero ainda pegar vaga!
    Mais uma vez, agradeço pela participação conosco em nosso Programa "A Voz da Sobriedade" e tem bastante perguntinhas para você responder no próximo programa. De já, conto contigo,
    Abração, minha amiga!
    Bons momentos e TAMUJUNTU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, mais uma vez, eu que agradeço pela oportunidade de poder partilhar em seu programa, e ouvir tantos depoimentos lindos, isso me fortalece, sem dúvida!
      E quanto ao seminário, seria ótimo se pudesse estar aqui para conhecer esse evento tão lindo!!
      Muitas 24 horas de serenidade!!
      Abraços!!

      Excluir
  3. Polly, como vai? Eu amo o seu blog e tenho muita vontade de encabeçar projetos sobre a dependência química aqui em SP. Como fazemos para estender essas suas boas idéias até aqui ou quem mais se interessa em participar de algo do tipo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A primeira coisa importante você tem: a vontade!!
      Precisamos conversar melhor para saber exatamente o que imagina, e o que precisa...
      amemasnaosofra@sejus.df.gov.br

      Bjs!

      Excluir
    2. Olá poly!! Bom diaa, tem algum grupo no whats que eu possa estar pedindo conselhos de como lidar com um adicto?

      Excluir
  4. Temos um GRUPO DE APOIO NO WHATS para quem quiser conversar, partilhar, desabafar, pedir ajuda.... pra tudo! Quem quiser participar me mande um email: jessica_kanieski@hotmail.com
    Com o numero de celular e o ddd.
    #AMOTUDOAQUIPOLY

    ResponderExcluir
  5. Poly, me descobri codependente através de seu blog que ja acompanho há aproximadamente 1 ano. Meu namorado é adicto e qndo nos conhecemos ele estava limpo (sem usar a droga de identificação dele) há quase 2 dois anos porém teve recaidas e as coisas foram só piorando até chegar ao ponto de ter q se internar de novo (ele já havia sido internado em 2012, nessa época não nos conhecíamos). Ele nunca me escondeu a doença dele, porém eu é que não tinha dimensão da coisa. Hoje ele completa 3 meses de internação e até agora tem aceitado sua recuperação mt bem. O responsável pela comunidade terapeutica que ele está internado está dando a maior força pra que ele siga no ramo da prevenção da dependência química, q ele faça o curso oferecido pela FEBRACT para monitores de comunidades terapêuticas. Antes mesmo dele me falar eu ja estava pensando dele seguir esse caminho mesmo, pois pelo q vejo aqui e pelo q venho pesquisando o adicto precisa aceitar sua doença e se tratar o resto da vida, assim como uma diabetes, hipertensão, etc (doenças que não tem cura, mas tem tratamento) e uma das melhores formas dele permanecer em tratamento é trabalhando nessa área, pois estará diretamente e constantemente se tratando e ajudando quem precisa. Você que tem uma longa caminhada nessa área, o que acha disso?

    ResponderExcluir
  6. Oi Poly? Estou separada do meu marido adicto a 2 meses. Ele está morando com a mãe e já teve 3 recaídas depois disso. Lutei 2 anos e meio, tentei interná-lo, mas só ficou 15 dias. Tentei de tudo, remédios controlados, CAPS...Tudo. Mas ele não consegue ficar mais que um mês bem. É só receber o salário do mês que recai. Hoje, não sei bem o que sinto. Ainda não divorciei no papel. Não sei se ainda o Amo.. meu coração dói muito quando penso nele..Os poucos momentos bons que tivemos se misturam aos de tristeza que passamos por conta da dependência. Tenho muito receio de me relacionar novamente.É. Ainda tenho esperanças de ele se recuperar e agente voltar a ser feliz. Ao mesmo tempo tenho medo de que eu fique alimentando uma esperança que pode nunca ser alcançada. Ele pode nunca se recuperar. Ou pode. E se eu já estiver com outra pessoa quando isso acontecer? Pois é..essas são os muitos dilemas de nós codependentes. Tenho só 23 anos e já sofri demais pra não ter perspectiva de um relacionamento feliz! Diga Poly, o que você pensa sobre isso, afinal, você também se separou. Aguardo suas doces e acalmantes palavras. Abraço a todas.

    ResponderExcluir
  7. Olá Poly, não a conheço RS
    Mas hoje preciso de ajuda pra como lidar com um adicto, como lidar com essa doença, li algumas coisas no seu blog, algumas de 2 anos atrás, e gostaria q vcs me ajudassem!
    Tem algum grupo do whats ou até mesmo do face q eu possa conversar e pedir essa ajuda?
    Obrigado e amei suas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim...sou do blog dependenciaecodependencia.....entra em contato comigo pelo blog que te peço para add no grupo do face bjus

      Excluir
  8. Polly.
    A cada dia que vc escreve vc fortalece milhares de mulheres. Precisamos decaias palavras e seus depoimentos. Gostaria que vc me mandasse o nome dos seus livros-caixas onde posso comprar e gostaria de saber também se há algum grupo no whats App onde nos, co-dependentes, podemos nos comunicar.

    ResponderExcluir
  9. Olá Poly,
    Por favor me diga o nome dos seus livros e onde posso comprá-los.

    ResponderExcluir
  10. O que houve, sumiu??? Sentimos a sua falta Poly.

    ResponderExcluir
  11. Olá Poly, ja visito seu blog a um tempo. Hoje estou fazendo uma para mim. Conviver com um dependente não é fácil e estou buscando mais essa ferramenta de desabafo. Sou uma Naranon em recuperação e me identifico muito com suas postagens. O compartilhar é sempre necessário. Se puder me segue no blog. Um Bjo grande ! www.diariodeumanaranon.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Gostaria que vc conhece meu blog
    http://adependenciaquimica.blogspot.com/
    e ficaria mt contente se vc fizesse um post para o mesmo
    bj

    ResponderExcluir