quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Vida Nova!!!



Boa tarde, queridas(os)!!!

Estamos a poucas horas do término deste ano de 2014!

Para mim, se por um lado este ano trouxe momentos difíceis que pensei não conseguir superar, por outro lado, ele me trouxe força, aprendizado e muitas boas realizações.

Sem dúvida, o fato de ter tido a oportunidade de trabalhar com familiares de dependentes químicos, por meio do Projeto Ame, mas não sofra!, recheou este ano de novas experiências, crescimento, surgimento de ideias e ampliação de horizontes.

Foi a concretização de um sonho, e agradeço a Deus por ter vivido isso!

Para o meu esposo foi um ano de grande conquista profissional, mas também foi um ano de muitas recaídas...

Entretanto, fechamos o ano com um tratamento que pensávamos não ter condições de fazer e que nos renovou sim as esperanças!

Espero que, a partir de 2015, ao me sentar nesse computador, eu venha falar dos meus aprendizados do passado, das minhas vivências, da minha superação da codependência, mas não mais do sofrimento do meu marido na luta contra as drogas, pois acredito sim que isso tenha ficado no passado...

Para vocês eu desejo um 2015 de muito amor, paz, serenidade, saúde, força, esperança e felicidade!!!

E hoje começarei a postar o diário que fiz durante o tratamento do meu esposo.

Vou postar apenas o primeiro dia porque o cheirinho da carne assando que o marido gaúcho está fazendo está me chamando... Risos.



DIÁRIO DE UM TRATAMENTO COM IBOGAÍNA



Primeiro Dia:

Hoje é dia 15 de dezembro de 2014. São exatamente 16h20min. Estou aqui, em um aconchegante quarto da pousada que fica ao lado da Clínica onde ele está realizando a primeira sessão do tratamento com ibogaína.

Decidimos optar por esse tratamento após uma recaída forte que ele teve, e que abalou até mesmo as estruturas do nosso casamento de oito anos.

Eu havia desistido dele, não por falta de amor, mas por cansaço... E me parecia que ele também havia desistido de si mesmo, e de nós.

Foi então que muitas pessoas leitoras do blog me perguntaram por que não tentávamos a ibogaína.

Ele conseguiu se reerguer, e com a ajuda do NA diariamente e do acompanhamento com Psiquiatra e Psicólogo, conseguiu se manter limpo nos últimos 29 dias.

Mas foram dias muito difíceis: irritação, instabilidade, agitação... Pai amado, por vezes pensei que eu fosse surtar, explodir!!

Mas, Deus foi me dando serenidade e sabedoria...

Decidimos tentar esse tratamento, pois ao ouvir os relatos de quem já o fez, mais parece um “milagre” ou aquela “luz no fim do túnel” que tanto buscamos.

O tratamento com ibogaína não é barato, mas é difícil mensurar quanto vale a vida de alguém a quem amamos, não é mesmo?

Por meio de um empréstimo bancário somado a uma indenização recebida, veio a oportunidade de fazer esse tratamento em São Paulo.

Uma semana antes de viajarmos para dar início ao tratamento, me senti triste.

Triste pelo valor a ser gasto, pelo medo de algo dar errado, por ter que ficar longe dos meus filhos (pela primeira vez), e por ver o comportamento dele.

Mesmo indo ao grupo, ele foi ficando, a cada dia, mais fechado e distante. Era o medo do novo, mas eu não conseguia entender.

Uma noite antes de viajarmos, meu caçula apresentou febre de mais de 38 graus, e tive vontade de desistir.

Eu não queria deixar o meu pequeno... Eu estava com medo do vôo (sim, eu tenho medo de avião!!!), mas na verdade, eu também estava com medo do novo!

Com a ajuda de amigos queridos, deu tudo certo, e conseguimos embarcar.




Apesar do atraso de mais de 30 minutos, o voo foi tranquilo, e chegamos em segurança.

Um funcionário da Clínica, muito atencioso, nos buscou no aeroporto e nos levou até à Pousada.

O dono da Pousada até parece um terapeuta disfarçado, muito simpático e sempre com palavras de motivação. E o tempero da sua esposa é uma delícia! Hoje comemos galinhada, e estava muito boa!!

Meu esposo passou por uma Psicóloga e por um Médico na Clínica, por cerca de uma hora, e saiu de lá visivelmente emocionado.

“São vinte anos. Chega! É hora de colocar um ponto final nesse ciclo!” Ele disse com os olhos marejados.

Percebi que ele sentia vontade de falar, desabafar, e eu o ouvi.

Após o almoço, descansamos um pouco, e ele foi para a sua primeira sessão com a ibogaína.

E eu estou aqui, pedindo a Deus que abençoe esse tratamento, para que viremos definitivamente essas páginas de dor das nossas vidas.

♥♥♥♥♥



Ele está limpo há 44 dias.

E sem fumar cigarro (nicotina) há 17 dias.

O mais incrível é que não há sinais de abstinência.

Perguntei a ele: “amor, resuma o que você está sentindo após esse tratamento”.

E a resposta foi: “paz de espírito”!

Depois postarei mais sobre o tratamento, porque foi uma loucura!!

Criei um e-mail para informações sobre a ibogaína, pois assim como eu, sei que muita gente se interessa no assunto. O e-mail é ibogaina.adq@gmail.com .

Agora vou curtir minha família...

Feliz ano novo a todos nós!!!
Fiquem com Deus!!!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Esperança... É Natal!



Bom dia, queridas(os)!

Tudo bem com vocês?

Tenho recebido muitos e-mails perguntando sobre o tratamento realizado pelo meu esposo.

Fiz um diário nos dias do tratamento, e em breve postarei, e darei todos os detalhes de informações que necessitarem.

Entretanto, prefiro aguardar mais alguns dias, até que ele se recupere totalmente.

O que posso dizer agora é que estamos sim com muita esperança!!

Em breve voltarei com notícias!

Desejo a todos vocês e familiares um FELIZ NATAL!!!

Que Jesus abençoe a todos!


Beijos.



segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

À espera de um milagre...



Quatorze dias que ele está limpo, ou seja, ele está no auge da síndrome de abstinência aguda.

Que loucura!!

Ele acorda reclamando dos sapatos, da casa, dos ônibus... Desce as escadas reclamando do tempo, do atraso... Volta pra casa reclamando do cansaço, do trabalho, do clima... De tudo!!

Apático, impaciente, isolado...

Está apresentando sintomas de síndrome do pânico e a mania de limpeza piorou.

Antes eu entrava na “pilha” dele e tentava mostrar que ele não tinha razão, o que acabava em discussão. Aliás, discussão é tudo o que um adicto precisa para tirar o foco de si mesmo, e encontrar um “motivo” para recair.

Mas não caio mais nessa. Agora opto por ficar calada, mesmo às vezes parecendo que vou explodir!!

Faço a oração da serenidade um milhão de vezes, e digo a mim mesma: não converse com a doença dele!!

Ele está indo ao grupo todos os dias. Iniciou um tratamento no CAPS, mas só passará por um Psiquiatra no dia 08! Pelo plano de saúde, só teria vaga em janeiro! Ou seja, vai ter que aguentar a fissura na garra mesmo, sem medicações!!

Dia 15/12, se Deus quiser, ele iniciará um novo tratamento, e tomara que seja milagroso mesmo, porque senão quem vai pirar sou eu!!

Bom, desabafo feito, vamos abrir o livro CEFE no dia de hoje, 1º de dezembro, o primeiro dia desse mês que gosto tanto...

E esse livro me fala hoje sobre GRATIDÃO.

“Aprendi que, mesmo nos momentos mais sombrios, sempre existe algo para sermos gratos, bastando para isso que prestemos atenção ao que nos cerca. Meus piores dias podem se tornar dias melhores. Poderei criar uma vida mais feliz, se pensar positivamente e não deixar que coisas negativas me dominem como antigamente...”

Caramba, eu precisava mesmo me lembrar disso... Será que tenho motivos para agradecer?!

Sim, tenho muitos!

A saúde dos meus filhos!
O trabalho que nos provém o sustento!
A chuvinha que cai!
Os amigos que me cercam!
A minha VIDA!

Nesse fim de semana, será a formatura do meu filho de cinco anos! No ano que vem, minha filhota de 15 será uma das representantes do Brasil de Ginástica Acrobática na Finlândia, na World Gymnaestrada 2015! E meu caçulinha acabou de aprender a fazer pipi e popô no vaso, e deixou as fraldas!

Sim, por vezes, ainda sou afetada pela insanidade do outro, mas já fiz isso no passado e sei o quanto não vale a pena.

Permiti que ele voltasse para casa para fazermos mais UMA tentativa.

Estou ansiosa, esperançosa, com medo...

Ontem ele me enviou uma mensagem que dizia: “Não esqueça que te amo. Meus momentos de guerra comigo mesmo estão com os dias contados... Estou acreditando com muita fé nesse verdadeiro milagre. Acredite em mim... Te amo.”

Quem acompanha o blog já deve ter percebido o meu cansaço, né?!

Estou exausta!!!

Filhos pequenos, sem família perto, marido instável... Momento de incertezas no trabalho, contas a pagar, roupas pra passar, casa pra arrumar... Leva filho pra escola, busca filho da escola, leva filha pra ginástica, trânsito, telefone, mochilas, escada...

Tem dia que quase surto por um pouco de suco derramado no chão pelos pequenos...

Orem por mim... Orem por nós!

Sei que nenhum tratamento faz milagre. Mas, também sei que o Deus no qual acredito faz do impossível algo simples...

Que Deus faça brotar dentro dele uma sementinha chamada DECISÃO!

E que Ele não permita que dentro de mim morra uma sementinha chamada FÉ!

Preciso de um milagre aqui em casa, porque realmente não aguento mais.