terça-feira, 18 de novembro de 2014

Os Primeiros Dez Dias!



Bom dia!

Tudo bem com vocês?

Por aqui, está tudo bem, na medida do possível...

Como disse na última postagem, meu (ex)esposo saiu de casa no domingo, dia 09, levando todas as suas coisas. Alugou um lugar para si, e foi...

Ele estava tão arrogante, tão cheio de si, tão confiante, que por alguns instantes me esqueci que ele tem uma doença, e até acreditei que ele realmente estaria melhor sem nós.

Os primeiros três dias foram os piores... Ter que conversar com as crianças, ver meus filhos pequenos chamando pelo papai, me adaptar com a ausência dele, mas enfim, com o passar das horas, me apegando a Deus, e usando como fuga o trabalho e os meus filhos, tudo foi se ajeitando.

Como uma boa codependente, andei dando umas olhadinhas no extrato bancário dele, pela internet, para me assegurar de que estava tudo bem.

Pelo que vi, ele se manteve firme até na quinta-feira, dia 13, quando se afundou de vez no uso.

O primeiro telefonema desde a separação, aconteceu na sexta (14), pela manhã. Ele ligou em meu trabalho, dizendo que estava bem. Mas, como a Sherlock Holmes já havia visto seu extrato, sabia que ele havia passado a noite na ativa. Foram poucas palavras trocadas. Ele disse que estava bem, eu também e pronto.

Mas, de sexta a domingo, ele realmente mergulhou na droga. Foi angustiante acompanhar seus passos pelos extratos. (Por que fazemos isso conosco, né?!)

Entretanto sei que não posso ajuda-lo se ele mesmo não quiser se ajudar. E a cada dia vou me cuidando para não me sentir responsável pelas escolhas do outro...

Não nos vimos nesses dias, e nos falamos apenas três vezes em rápidas ligações que ele me fez.

Todo o dinheiro que ele levou já foi gasto, e o celular também foi trocado.

Ontem, antes das sete da manhã, ele ligou aqui em casa, e disse que queria ajuda. Eu disse que poderia ajuda-lo a se internar... À noite, ele ligou novamente dizendo que havia procurado ajuda médica, e havia sido encaminhado ao CAPS, e que estava voltando para o NA (grupo Narcóticos Anônimos).

Se é verdade ou não, se vai dar certo ou não, somente o tempo dirá... Fico na torcida por ele!!!

É muito triste saber que ele voltou para aquele mesmo ponto onde esteve há alguns anos atrás. Mas, como o especialista Jorge Jaber disse certa vez: “O familiar que deseja ver seu ente livre das drogas, deve estar preparado para vê-lo sofrer, pois o caminho (da “cura”) é pelo sofrimento...”

Enquanto nos mantemos ali como escudos, arcando com todas as consequências do uso de drogas deles, é muito difícil eles sentirem a necessidade de parar.

Não estou dizendo que todos devem se afastar de seus adictos, não. Estou dizendo que a família deve deixar de ser facilitadora do uso de drogas do outro, e deve se cuidar para não cair nas manipulações do adicto que está na ativa.

Quanto a mim, querem saber o que fiz nesses primeiros 10 dias de “solteirice”? Risos.

Primeiro, vivi o meu luto. Isso é importante! Chorei, me lastimei, fiquei um tempo comigo mesma...

Segundo, me apeguei mais ainda a Deus, ouvindo músicas com mensagens cristãs e orando sempre que a dor aumentava... Queria ter ido à igreja, mas não deu...

Terceiro, foquei nos meus filhos ainda mais. Brincando com eles, conversando, vendo desenho, comendo pipoca juntos... Eles me ajudam demais!!

Acreditam que meu filho de 5 anos, dia desses, ao me ver sentada no sofá, me deu uma almofada e disse:

- Mamãe, coloca aí nas suas costas e fica bem quietinha.
- Filho, não precisa, já vou me levantar. – Respondi.
- Nada disso, mamãe, você vai descansar, porque agora eu sou o homem da casa, e vou cuidar de você...

Lindo demais, né?!!

Minha filha também tem sido muito presente nesse momento. Eles me dizem “eu te amo” tantas e tantas vezes... E ver todo esse cuidado e preocupação comigo, fez com que eu me levantasse rapidinho!

Em quarto, me aproximei de pessoas queridas. Passei o fim de semana na casa da minha irmã, recebi a visita de uma amiga na sexta, me aproximei ainda mais dos meus amigos de trabalho...

E por fim, mergulhei no trabalho! Não parei um minuto, ocupei minha cabeça, e isso também tem me ajudado.

Hoje, às 14 horas, começaremos a sexta edição do Curso de Multiplicadores de Ações de Apoio às Famílias. Esperamos mais de 400 inscritos! E hoje será a minha palestra. Confesso que por vezes pensei em mudar para outro palestrante, mas não farei isso. Por tanto tempo tenho falado da importância de seguirmos com nossas vidas adiante, mesmo quando nossos familiares adictos estão parados, e é isso que estou fazendo, seguindo adiante.

A dor está aqui dentro, claro que está. Não é uma dor de uma separação comum... É a dor do receio de que as coisas não terminem bem para ele, é a dor da impotência, a dor da frustração e dos sonhos perdidos...

Entretanto, essa dor não precisa ser e não será o centro da minha vida, e nem controlará minhas ações e sentimentos.

“A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional...”

Assim como ele é responsável por suas escolhas, eu sou responsável pelas minhas.

E eu escolho não me entregar a essa dor. Escolho cuidar bem de mim. Escolho viver. Escolho seguir de pé. Escolho me amar e me fazer bem...

Salãozinho daqui a pouco para mudar os cabelos! Isso também me fará bem! Risos.

E ontem, quando saía do trabalho, olhem o que Deus me deu de presente! Nunca havia visto um arco-íris tão forte, tão colorido e tão lindo! Foi incrível! Me deu uma sensação tão gostosa... Uma certeza de que Alguém está cuidando de mim, sempre!




Clique aqui, e ouça a entrevista dada à Rádio Nacional, nesta semana.


Grande beijo!
Fiquem com Deus!

24 comentários:

  1. Eu te admiro e te adoro, aprendo muito com vc.
    Bj no seu coração

    ResponderExcluir
  2. pois é a vida continua...e já que está passando por momentos de dor...faz favor de não se torturar olhando extratos de banco...rs...o que os olhos não vê o coração não sente...rs...vai passar...

    ResponderExcluir
  3. Forças querida... nada acontece sem que Deus permita! Hoje o caminhos nos nossos maridos é tortuoso, mas um dia as coisas mudam, se não mudarem, mudamos nós! Somos donas da nossa felicidade! É bem como vc falou, a dor é inevitável, mas não devemos fazer dela nosso centro de atenções! Oro por vc... Fique bem, vc é uma guerreira! bjss

    ResponderExcluir
  4. Sempre acompanhando a sua história... A minha não terminou bem, o meu marido faleceu, mataram ele à tiros no último dia 26, e o motivo ainda não sei. Só posso dizer que a separação 5 meses antes da morte, fez com que ele se entregasse cada vez mais à droga. É muito triste que tudo termine assim.

    ResponderExcluir
  5. Querida....

    Foi impossível não sorrir aqui desse lado.
    Lembra do que eu falo, né?
    As histórias se repetem...
    Tanto do lado deles, quanto do nosso lado!

    Pois bem, aqui, foi exatamente assim que as coisas aconteceram.
    Com exceção da parte dos filhos, tudo igual...
    Inclusive a parte da mudança dos cabelos.
    Estou de visual novo há duas semanas...
    Mudança radical!

    Você vai ficar bem.
    Sua dor é minha dor, e ela também está aqui, mas também não permiti que ela me dominasse.

    Estamos juntas, lindona...
    Até mesmo no trato do visual!

    Eu seguro a minha mão na sua e uno o meu coração ao seu...

    ResponderExcluir
  6. Lá venho eu com meu pitaco de novo.....caso ele peça ajuda e realmente queira, porque não tentar algo diferente, porque não tentar a ibogaina? Os resultados estão surpreendendo.

    Beijos,

    Janete

    ResponderExcluir
  7. Vdd Polly....o homi ta pensando em fazer tb....estamos tentando nos programar...quem sabe :)

    ResponderExcluir
  8. estou vivenciando uma separaçao muito dificil presente,nao pela droga mas por outra,eu aqui sentindo as vx ouvindo,eu aqui sem saber o que fazer,vivo um luto imenso .preciso de ajuda ! nao sei o que fazer !! lily

    ResponderExcluir
  9. "... é a dor da impotência, a dor da frustração e dos sonhos perdidos..." faço das tuas, minhas palavras. Hoje o pai dos meus dois filhos ( meu "amor" e/ou minha dependência tb) está preso por causa da maldita pedra, que de tanto consumi-lá "teve" que traficar para usar. Sua história é a minha!!! Parece até meu diário...

    ResponderExcluir
  10. Só por hoje eu escolho acreditar, me amar, me encontrar já que me sinto perdida as vezes

    ResponderExcluir
  11. Dizem que quando a mulher está decidida a dar a volta por cima, ela sempre começa pelos cabelos... Rsrsrs Polly, vc é uma mulher admirável, doce, inteligente e muito carismática. Da pra sentir pela sua voz. Confie, vai dar tudo certo! Beijos

    ResponderExcluir
  12. Hoje tive o prazer de participar do Projeto Ame, mas não Sofra gostaria de parabenizar a coodernadora Gianni por este trabalho tão lindo dizer que nada nessa vida é por caso foi preciso você passar por essas lutas para que você adquirisse força e conhecimento no que diz e no que faz para poder ajudar a tantas famílias que se encontram debilitadas. Parabéns ;*

    ResponderExcluir
  13. O único capaz de nos achar no meio desse tsunami que vivemos é o Senhor Jesus!
    Vamos acreditar que o amanha será melhor que hoje! Tamujuntas sempre!

    ResponderExcluir
  14. Fazia tempo que não acessava o teu blog...

    Assim que ví o arco-íris me lembrei:
    "Toda vez que o arco-íris estiver nas nuvens, olharei para ele e me lembra­rei da aliança eterna entre Deus e todos os seres vivos de todas as espécies que vivem na terra". GN 9,16

    Morando em cidades grandes e/ou poluídas, muitas vezes não desfrutamos da natureza e nem percebemos a presença de Deus nela.
    É maravilhoso que em meio as dificuldades seu olhar se mantenha sensível a beleza da vida.

    Muito lindo o que teu filho disse e todo este lar de amor que vc construiu.
    Continuem assim, cuidando uns dos outros. Apreciando a companhia de pessoas que te amam e te querem bem,
    E ah não acompanhe o extrato bancário, já que só vai trazer sofrimento e nenhuma solução.

    Paz.

    ResponderExcluir
  15. Choro ao ler suas postagens!!!!sinto a sua dor,é a minha dor...não sou boa com as palavras ... e preciso aprender a optar por não sofrer... assim como vc faz... não consigo...mas a partilha de vcs... renova o meu animo e me faz acreditar que sou capaz...

    ResponderExcluir
  16. Procuro ajuda sou 61 91505071 Brasília.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas as quintas, 20 horas, na EQS 303/304 (Igreja São Camilo) reune-se o Grupo Amor Exigente, que dá grande suporte nesse assunto aos familiares ou usuários. (Não tem conotação religiosa). Assista uma reunião que vc vai gostar e vai te ajudar!

      Excluir
  17. Queria ser forte, como vc, mas não posso me separar dela, afinal não sou o pai biológico da minha filha e se eu for embora quem cuida dela pra mim, mas confesso q a dor é terrível, maldita droga, hj na hora do almoço chegou o oficial de justiça com o pedido de reintegração de posse do nosso apartamento, e a tarde qnd cheguei em casa do trabalho "a droga já havia nos feito uma visita" briguei, ela como sempre ameaçou ir embora e não voltar, saiu e disse q voltaria logo, prometeu a nossa filha q ia trazer sorvete, até agora não voltou, por um descuido meu ela pegou o cartão de uma conta bancária q tem um dinheiro q nem é nosso! Só por intermédio de Jesus q tenho esperança q isso passe!

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde.
    Polyana,como posso falar com VC em particular?
    Tenho um marido dependente químico e preciso muito conversar.

    ResponderExcluir
  19. Polly...divulga ai sobre ibogaía, documentário cientifico http://youtu.be/eehkWrhozb4 Bjus

    ResponderExcluir
  20. Boa noite,tambem vivo a mesma historia..to sofrendo muito e nao seh o q fazer. e ajude a tomar essa decisao.

    ResponderExcluir
  21. Me ajudem...to me sentindo uma covarde

    ResponderExcluir
  22. Olá..a dias venho procurando um blog como o seu..e to feliz de encontrar...sou mãe de 3 lindos filhos..tenho uma vida dentro dos conformes, emprego fixo, familia companheira, 33 anos...adicta...isso me dói..minha impotência, fraqueza...e ngm sabe..me escondo dentro d ksa...e aki dentro..to morrendo enqto todoss dormem...choro todas as noites, imploro clemência á Deus...e não penso 2 vzs antes de começar tudo d novo...

    ResponderExcluir