quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Só por hoje eu não vou me machucar!



Bom dia!

Tudo bem com vocês?

Ontem foi um dia muito especial para mim... O projeto Ame, mas não sofra!, da SEJUS-DF, do qual sou Coordenadora, e fui uma das idealizadoras, completou um ano de ações.

Em um ano, formamos 602 Multiplicadores de Ações de Apoio às Famílias, por meio de cinco cursos, e prestamos acolhimento a mais de 870 famílias, por meio da Unidade de Atendimento...

Mais de 1.500 famílias puderam ser alcançadas nesse período.

O próximo curso acontecerá de 18 a 20/11, no auditório da Câmara Legislativa, e pretendemos fechar o ano com mais de 1.000 Multiplicadores Sociais formados. E que essa “corrente” de informação e acolhimento se alastre cada vez mais...

Ontem me lembrei de quando eu escrevia, todos os dias, de forma sagrada, no Blog. Quantas vezes pensei em parar, afinal, nem sabia por que estava aqui, registrando tudo. Por vezes me achava até meio “idiota” por ficar expondo minha vida assim...

Em dois anos, foram escritas as postagens que deram origem ao livro Amando um Dependente Químico. E tempos depois, esse livro cairia nas mãos do Secretário de Justiça do DF, e pouco tempo depois, por meio do Subsecretário de Políticas sobre Drogas, ele daria origem a esse projeto pioneiro, voltado para as famílias de dependentes químicos.

Só posso crer que tudo isso estava nos planos de Deus...

O dia ontem foi incrível! Ouvir autoridades falando sobre “codependência” e sobre a necessidade de cuidar das famílias que convivem com a adicção de alguém amado, foi lindo demais... Me deu aquele gostinho de “caramba, consegui levar a mensagem”.


 Secretária Adjunta de Justiça, Subsecretária de Políticas sobre Drogas e Presidente do CONEN-DF


Todo mundo sabe que a esmagadora maioria de nós, codependentes, tem baixa autoestima, e não valoriza muito as conquistas obtidas... E vivenciar tudo o que tenho vivenciado, tem colaborado ainda mais no processo de fazer com que “eu me apaixone, cada vez mais, por mim mesma”...

E não precisa ter um projeto para isso, nem um livro, nem um blog... Nem nada. Basta aprendermos a olhar para nós mesmos com carinho, entendendo nossas atitudes, valorizando nossas virtudes, aceitando nossas imperfeições, e nos querendo bem...

TODAS(os) nós merecemos que NOS amemos e NOS cuidemos bem!!

Após as falas da Secretária-Adjunta de Justiça, da Subsecretária de Políticas sobre Drogas e do Presidente do Conselho de Políticas sobre Drogas, discursei sobre a importância de cuidarmos das famílias, afinal, elas possuem um papel importantíssimo na prevenção do uso de drogas, e também na recuperação daqueles que estão adoecidos pelas drogas, entretanto muitas não conhecem esse papel ou não sabem como exercê-lo.



Vejam esse vídeo, abaixo, sobre o Projeto!




E por meio disso tudo, tive a oportunidade de conhecer uma mulher incrível: a D. Carminha Manfredini, mãe do cantor e compositor Renato Russo, do Legião Urbana.




Sou muuuuito fã das músicas dele, sempre achei que ninguém consegue escrever como ele escrevia, traduzindo tão bem o que sentimos...

Mas, deixando a tietagem de lado (risos), ontem a conheci, e ela encerrou o evento com o seu depoimento como mãe de um dependente químico (o Renato Russo). Falou da dor, da solidão, e da importância de projetos como esse para orientar e acolher as famílias que vivenciam isso...



Foi lindo, lindo!

E no final, foi exibido um clipe com fotos das ações do Projeto “Ame” ao som da música Monte Castelo, do Legião.

Não bastasse isso, à tarde, no setor onde trabalho, minha chefe me convocou para uma reunião às 14:30h... Todos reunidos em um círculo, ela falando algumas coisas sobre o trabalho, e de repente, eis que surge um bolo dedicado ao Projeto... Era uma surpresa!! Cantamos parabéns, agradeci, ouvi palavras lindas, e comemos o bolo que estava uma delícia!!




Para trabalhar com um projeto como esse, é preciso ter muito amor... E vejo essa equipe, verdadeiramente, como uma família... E sou muito grata por todos serem tão envolvidos e engajados nessa causa.




Salvei todas as fotos no pendrive para mostrar ao meu esposo, em casa, afinal ele é muito muito muito fã do Renato Russo, aliás ele tem a voz muito parecida com a dele... Queria partilhar com ele cada minuto desse dia tão feliz e especial em minha vida...

Mas, infelizmente, ele não estava, em razão de uma nova recaída...

É... as recaídas são assim... não escolhem dia, nem hora...

Dói, né?!

Foram 70 dias limpo, e agora novamente zerou os cronômetros... Como sabem, ele está resistente em procurar ajuda...

Vou terminar essa postagem com trechos de uma música do Renato Russo, que gosto muito, e que quero me lembrar neste dia, e vivenciar SÓ POR HOJE.


“Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu espero conseguir
Aceitar o que passou e o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz
Hoje eu já sei que sou tudo o que preciso ser
Não preciso me desculpar e nem te convencer...
... Aprendi a viver um dia de cada vez
Só por hoje eu não vou me machucar
Só por hoje eu não quero me esquecer...


"Obrigada, meu Deus, por tudo... Pelas coisas boas, e também pelas ruins, pois todas elas me servem de aprendizado..."
Beijos.
Poly.

9 comentários:

  1. polli tenho sofrido tanto alem de recaidas agora traiçao,minha vida se transformou em um inferno,tenho tentado ficar bem mas as circustancias me desmotiva,recem operada com problemas financeiros ,sem ninguem pra conversar,a dor e' tanta que nao cabe em mim as incertezas o medo ,nao sei se errei ,se DEUS ta me dando um novo rumo.sei que so por hoje estou tentando me erguer .obrigada por nao desistir de nos ajudar com suas postagens bjus!!

    ResponderExcluir
  2. Amada... essa é a nossa vida!
    Mas, é a de tanta gente... e de gente que nem tem contato com o mundo da dependência e co-dependência... que tem uma recompensa aqui uma luta, uma derrota ali!
    Um dia... ele meu marido e o de muitas outras pessoas caem na real que a drogadição é um mundo ilusório e que traz dor e sofrimento...
    Enquanto isso nós focamos em nós mesmas e aprendemos a sentir alegria por nós mesmas, agradecer ao papai do céu as conquistas diárias e pedimos ajuda a ele para iluminar o caminho dos nossos amados...
    E vamos seguindo...
    Bjs no coração e obrigada por compartilhar e por me ensinar tantas coisas bos Poly

    ResponderExcluir
  3. Eita mulher!!! Você é um grande exemplo pra mim sabe Polly, alguém que soube fazer das dores e das marcas que a vida foi deixando, um grande ninho de amor para outros que sofrem também... não é todo mundo que sabe transformar a dor em amor não... na grande maioria das vezes transformamos dor em ódio, amargura, rancor, cara fechada, grosseria, estupidez... ao contrário de você com esse sorriso lindo, e de bem com a vida, levando a mensagem a diante... eu sei que toda essa força não esteve sempre aí, e muitas vezes ainda não está... e que todas as suas conquistas de hoje, as profissionais e também as do seu interior, custaram também muito sofrimento, e por isso eu não desisti!
    Deus abençoe você e sua família querida! Há muita vida lá fora!
    Bjs
    Cris

    ResponderExcluir
  4. Buda quando tentava alcançar a iluminação e o "demônio" mandou duas filhas lindas, dançarem sensualmente pra lhe atentar...e ele percebia que não podia alimentar nem o apego e nem a repulsa, porque toda vez que ele alimentava um desses sentimentos ele caia, então ele buscou o caminho do meio...a indiferença, o nada, a serenidade e depois disso as mulheres desapareceram e ele alcançou a iluminação...hehehe...

    ResponderExcluir
  5. Vc e tao forte! Hj tb estou sozinha, cronometro zerado. Penso na minha filhinha, se vai crescer vendo isso, se vai sofrer. O q vc pensa disso polly , como faz com seus filhos? Nao desista de nos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida! Não sou forte, apenas aprendi a escolher... Aprendi que a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional... Querida, nossos filhos devem ser prioridade. Quando cheguei, e ele não estava, peguei meus três filhos e fomos fazer juntos um lanche para comemorar juntos... Tento ser o mais presente possível... Mas, como você disse, eles crescem... E isso realmente tem me feito pensar bastante em tomar novas condutas... Um grande beijo!

      Excluir
    2. 3 anos atras me fiz essa mesma pergunta..e minha filha???
      e por ela apenas por ela sai dessa situação, por que na época não tinha força para me separar..mas pensava muito em que tipo de filhos eu iria criar para o mundo, como seria a cabeça da minha filha em chegar em casa e saber que pai não estava pq tava na rua..se drogando..
      esto separada a 3 anos e não me arrependo..pois hj encontrei equilibrio..na epoca sofri tanto..me sentia a mulher mais solitaria do universo..mas hj passou..falar que não me doi em saber que ele continua estaria mentindo..doi anida..mas ficar do lado dele doia muito mais..sei que minha filha vai sofre em saber que o pai usa droga quando ela crescer..mas sei que iria doer muito mais em ve isso no dia a dia...bom se conselho fosse bom não se dava né..mas vou dar o meu..a MELHOR COISA QUE FIZ FOI IR EMBORA...mas isso cada pessoa que sabe o que é melhor..queridas..força e paz..

      Excluir
  6. Poly, descobri ontem que meu esposo é dependente químico. Ele usa há 11 anos e estamos juntos há 8 anos. Nunca desconfiei. Na verdade não quero acreditar. Não sei o que fazer, estou sem chão, sem rumo e sem ação. Temos um filho de 9 meses e essa é a minha maior preocupação. Estou dilacerada.

    ResponderExcluir
  7. Você é o máximo garota!! Nunca desista dessa missão de levar a experiência adiante. Todas nós precisamos disso!
    Também estou encarando algumas recaídas e tá sendo bem difícil.
    Mas hoje ele foi a uma reunião do grupo. Fui junto. E foi muito bom. Muito muito necessário.
    Tmj. Que Deus abençoe vc e sua família.
    Bjs

    ResponderExcluir