quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Vivendo!



Bom dia, queridas(os)!!

Que saudades desse nosso “cantinho”!!

Tudo bem com vocês?

Sempre recebo muitos e-mails e mensagens perguntando como minha família e eu estamos. Agradeço muito pelo carinho e preocupação, e aqui estou para dar notícias.


O AMOR



Meu esposo segue limpo há 57 dias! Isso é bom, não é mesmo?!! Além disso, desde o início deste mês está trabalhando em seu novo cargo, como servidor público, continuando na área da saúde, que é a sua paixão.

As coisas melhoraram bastante. Seu tempo fora de casa é muito menor, e o estresse no ambiente de trabalho também. Essa conquista melhorou, e muito, a sua autoestima!

Dentre as várias vantagens do novo emprego, está o plano de saúde para toda a família, algo que estava fazendo falta por aqui... E ele fica todo satisfeito por estar fornecendo coisas boas a nós.

Ou seja, ele tem vivido um momento muito bacana nessa área.

Entretanto, hoje não tenho mais a cabeça de alguns anos atrás... Em outros tempos, talvez eu estivesse imaginando (e me iludindo): “acho que ele nunca mais vai recair, porque agora tem um bom emprego...”

Hoje sei que a coisa não é bem assim...

Sim, ele está autoconfiante. Está feliz com a conquista. Está cheio de planos e metas. Mas, não está se tratando.

E quando eu digo “se tratando”, me refiro a buscar alguma ajuda, seja em um grupo de Narcóticos Anônimos, seja com Psiquiatras e Psicólogos, seja em uma igreja, ou outros.

Dependência química é uma DOENÇA física, psicológica e espiritual, e sei que um novo emprego não vai preencher as lacunas que existem dentro do meu familiar, assim como o casamento, ou os filhos não foram capazes de preencher...

Aos poucos, de leve, tento incentivá-lo a se tratar ANTES de uma nova recaída, mas nem sempre essa ideia é bem aceita.

E ao contrário do que vocês possam imaginar, ele não está vivendo dias de paz... Na maioria das vezes, está irritado, reclamando muito, por vezes distante. Na verdade, ele tem oscilado muito. Um dia, está super bem, e no outro “cuspindo marimbondos” a quem se aproxima.

Ele é um adicto. E os sintomas só se amenizam com TRATAMENTO. E o tratamento depende do QUERER dele.

É muito importante que nós, familiares, compreendamos isso. Demorei tanto a entender. Mas, quando essa ficha cai, conseguimos nos livrar da culpa e de uma responsabilidade que não nos pertencem... E o fardo fica mais leve.

Hoje não me culpo mais pelos seus estados de humor, pois compreendo o que acontece dentro do seu cérebro... É um processo complicado.

E eu? Como estou diante disso tudo?

Estou feliz com os seus dias limpo e com a sua conquista profissional. Às vezes, me canso de suas reclamações e rispidez sem motivos, mas prefiro não retribuir, busco ignorar, e me ocupar com outras atividades e pessoas, principalmente com meus filhos.

Não me sinto triste com isso, mas às vezes, me sinto só e cansada.

Entretanto, nos dias em que ele está bem, basta um abraço, para eu me esquecer de tudo...

Estou lendo o livro “O desafio de amar”, do filme À Prova de Fogo, e estou fazendo as atividades propostas. Ainda estou no quarto dia, e confesso que não está sendo fácil realizar as tarefas.

Seria falta de amor?

Sinceramente, penso que não... Mas, talvez um desgaste do amor...

Acredito no amor incondicional, acredito na aceitação, mas talvez eu ainda seja muito imperfeita para isso, e então por vezes me vejo com a seguinte pergunta: “e eu, onde fico nisso tudo?”

Em dezembro faremos oito anos de casados, e espero sinceramente que haja disposição de ambos os lados para que cuidemos desse amor tão bonito, para que ele volte a crescer e florescer...


O TRABALHO



Mudando de assunto, em relação ao “nosso candidato” que implantou o projeto às famílias, infelizmente, ele não entrou, mesmo com os quase 79.000 votos recebidos...

Tenho vivido dias ansiosos, sem saber se o Projeto continuará ou não, e tenho redobrado os meus esforços para que, quando o novo governo assumir, possa assimilar a necessidade de amparar as famílias que convivem com a dependência química de alguém próximo.

Ontem não consegui segurar... Enquanto tirava cópia de uns documentos, chorei. Havia acabado de atender uma mãe cujo filho está sendo maltratado na internação (FAMILIARES, CUIDADO COM AS INTERNAÇÕES!!! MUITAS CLÍNICAS SE APROVEITAM DO DESESPERO DA FAMILIA!!!). Consegui sentir a agonia daquela mãe e a sua dor...

E logo na sequência, ajudamos na internação de um rapaz, que queria muito o tratamento, e que estava ali com toda a sua família, inclusive com o seu bebezinho de três meses... Me vi naquela esposa, que por trás do sorriso simpático, trazia um olhar cansado e triste, e o medo dos próximos dias...

Meu Deus, como é dolorosa a convivência com a adicção!!! Sozinhos não conseguimos!!!

Famílias, busquem ajuda!!! Busquem os grupos de apoio!!! Busquem terapias e igrejas!!! Busquem convívios sociais!!! Pelo amor de Deus, parem um pouco de pensar no seu familiar adicto, e SE cuidem!!!

Se a família não estiver bem e inteira, as chances do dependente químico se recuperar serão mínimas...


A FAMÍLIA



Quanto aos meus filhotes está tudo bem, graças a Deus!!! 

Minha menina de 15 anos, conquistou o segundo lugar no torneio nacional de ginástica acrobática! 

Meu filhote de 05 anos já está lendo tudo, e continua tagarela como sempre! 

E o caçulinha de 02, está naquela fase de cada dia falar uma palavrinha errada nova, uma graça!  

Ah, e o Guto, nosso gatinho lindo, está aqui, completando a família, e se achando o dono do pedaço! 

Todos eles juntos, me mantêm com a cabeça e o tempo bem ocupados!

E é isso o que estou vivendo, queridas(os)!


Minha menina no torneio.


Peripécias do meu filho do meio.


Cheirinho no meu caçulinha.


Com o meu parceirinho, Guto.


Será que ele é folgado?! O lema dele é "Viva e Deixe Viver"... Risos!


Tenho tentado extrair o que tem de melhor em cada dia, agradecendo a Deus por essas dádivas diárias, e aquilo que não está como eu gostaria, e também os meus medos e anseios, entrego a Deus em oração, e tento não pensar tanto nisso... E daí, me sinto uma pessoa mais feliz!


PARA REFLETIR




Não tenha medo dos acontecimentos ruins.
As piores experiências que tive na minha vida, com o tempo, se tornaram chaves que abriam as melhores portas.
As dores mais profundas que senti, com o tempo, se tornaram remédios para aliviar as dores de outros, e as minhas próprias.
Meus maiores medos, com o tempo, me revestiram de coragem e ousadia.
Meus maiores fracassos, com o tempo, serviram de base para os grandes sucessos.
Não tenha medo dos acontecimentos ruins, apenas saiba esperar o tempo de Deus, e alimente a sua fé e a certeza de que dias melhores virão.
E mantenha os olhos abertos para não permitir que as boas oportunidades passem despercebidas por você...

(Poly P.)


Tenham um ótimo dia!
Beijos no ♥!



Votemos com consciência no domingo, e que Deus abençoe a nossa nação!

13 comentários:

  1. Querida amiga!!
    Lindo post!!
    É assim mesmo né? nossa vida segue e a cada dia vamos aprendendo(tentando)a viver melhor independente do estado do nosso adicto.
    Desde que comecei a estudar a dependência, sempre dizia, preciso dividir isso, ajudar mais, só que ia empurrando com a bariga, esta semana comecei, ...fiz blog eu um face pra falar sobre dependência espero q de certo e que eu possa ajudar muitas pessoas, assim como fui ajudada tbm através da telinha do computador.
    Face: https://www.facebook.com/adependenciaquimica
    Blog: adependenciaquimica.blogspot.com.br
    Beijo enorme no teu coração!

    ResponderExcluir
  2. é normal Poly em um relacionamento esperarmos algo em troca...senão não seria um relacionamento...apenas uma convivência...se relacionar é pura troca...amar incondicionalmente...amamos sim...eu amo o homi incondicionalmente, mas pra nos relacionarmos é preciso mais do que o amor incondicional é preciso a troca...engraçado escrevi exatamente sobre isso hoje no blog...rs...o que importa de verdade é sabermos que podemos ser feliz independente de...e isso vc aprendeu ...bons momentos...

    ResponderExcluir
  3. Li seu blog pela primeira vez num momento de desespero, onde me sentia perdia e sem saber como agir depois da 2ª recaída que aconteceu durante a ressocialização, após 2 meses internado...
    Ontem, após 3 meses limpo ele usou dentro do banheiro do nosso quarto... Tive um mix de vários sentimentos, raiva, dor, revolta, vergonha, dúvida se estou investindo em uma relação sem futuro, enfim acho que sabem bem como é.
    Hoje precisava "conversar" com alguém sobre isso, mas evito expô-lo e normalmente só converso com com o terapeuta dele, mas hoje precisava de uma amiga, alguém que soubesse o que me dizer...e vc tem sido uma grande amiga, Poly!! Obrigada por compartilhar suas experiências conosco.

    ResponderExcluir
  4. Oi Poly, lindo seu desabafo, mas meu marido ficou internado por dependência química por 9 meses recebeu alta em jan/2014 e teve a recaída por varias vezes hoje ele tem 76 dias limpo com ajuda da sala do NA, nós temos 8 anos de casados hoje eu sou mais informada da doença sei contornar a situação, quando ele saiu da clinica disse a ele que não aceitava a recaída, mas não é bem assim, temos que entender que eles são doentes e precisam de nossa ajuda que é a família (esposa e filhos) os que estão com eles diariamente e sabem o que andam fazendo, temos que acompanhar todos os passos deles, nós esposas somos coo dependentes, mas se queremos a felicidade de volta no lar temos que lutar juntos, como diz a programação Só Por Hoje. Continue assim escrevendo seu blog, pois assim vc está ajudando outras pessoas também. Bjos. Que Jesus os abençoe.
    Bruna

    ResponderExcluir
  5. Oi Polly,qta saudades da ,das suas postagens,sempre contando acontecimentos bons,outros ruins,entretanto ajudando muito,dando força,coragem,estímulos para quem esta sofrendo,venho contar a vc,lembra daquela moça aqui de Piracicaba que te mandei e-mael conversamos a respeito do meu filho ,que sou cabeleireira lembra?!então graças a Deus meu filho largou ja tem uns 2 anos ,não fez mais uso da cocaína ,segue limpo trabalhando,conseguiu comprar seu próprio carro,esta feliz esta namorando e agora vem o casamento ,ele casa em abril do ano que vem,nossa qdo olho pra traz nem acredito que passei por tudo aquilo,mas como Deus e bom,nas horas de desespero lia seu blog,chorava,junto,torcia e torço junto,com vc pode ter certeza,te agradeço muito,muito mesmo,pq muitas vezes era aqui que eu conseguia enxergar uma luz no fim desse túnel,era aqui que compartilhava minha dor,espero que muitas pessoas também consiga-o ser alcançadas por suas palavras assim como eu fui,e que Deus possa te ajudar em todos os momentos da sua vida,por tudo que vc fez e faz por essas famílias,e continuo acreditando assim como vc,na Vida no ,Amor que em todas as coisas somos mais que vencedores,em Cristo,que nos ajuda todos os dias,queria muito dividir com vc minha Felicidade e te contar que cada dia estamos vencendo mais e mais,obrigado minha linda!bjs!Joseane

    ResponderExcluir
  6. Olá, feliz por, por suas conquistas.
    Obg por compartilhar conosco!
    E que Deus abençoe vc, sua família, que seu casamento dure 80 x 8 anos e que se renove o amor sempre! Tudo são fases... cansada hoje, mas amanhã recebe um abraço e tudo passa! O mais importante vc ja faz ser feliz por si só não na dependência dele! bjsss

    ResponderExcluir
  7. Poly, querida...

    Que saudade de vir aqui postar...
    Estou acompanhando na correria, mas tem tempo que não deixo nada pra você!

    Querida...
    Com você aprendi a me conhecer a entender que vivemos altos e baixos, e quando estamos no "baixo" temos que nos fortalecer no grupo.
    Você parece estar um pouco cansada, e isso é normal quando eles não estão em recuperação.
    Normal a gente também balançar.
    Além de sermos humanas, somos mulheres, e mulheres são movidas a hormônios...

    Fique em paz.
    Aquele livrinho dos lemas é o que mais me ajuda quando estou saindo do eixo.

    Esse último fim de semana também me senti assim, exausta...
    Muitas coisas aconteceram.
    Encontros e desencontros que eu nem posso postar no blog.
    Somente ontem consegui voltar ao normal.
    Só por hoje estou em paz!

    Força, fé e a certeza de que nosso Poder Superior, amoroso e misericordioso, está cuidando da gente.
    bjs

    ResponderExcluir
  8. QUE SAUDADE!
    Muito feliz por vc estar bem, estar em paz, só nós sabemos quantas lutas até conseguir alcançar a paz... e quantas lutas para permanecer em paz... realmente não é fácil... realmente, todos os fracassos, todas as feridas, todos os acontecimentos ruins e as dores, tudo apenas contribuiu pra que eu me tornasse uma pessoa melhor hoje... eu nunca me canso de te agradecer, pois foi em um momento de muito escuridão na minha vida, na loucura da minha codependência, na ativa do meu ex, que encontrei esse nosso cantinho, e aqui encontrei tantos outros cantinhos, como o da Kel, da Flor... e eu não sei como seria se eu tivesse continuado meu caminho sozinha! Hoje eu estou feliz, estou bem, estou em paz, claaro, um dia de cada vez, afinal a doença não estava só nele, estava em mim... e isso eu tbm devo a muito a você! Muito obrigada! Desejo toda a felicidade desse mundo pra vc, oro por vc sempre, por vc e por sua família linda e abençoada!
    Força, mesmo no cansaço, é ai que podemos descansar no colo de Deus!
    Bjs, tamo junto SEMPRE!
    Cris

    ResponderExcluir
  9. olá!.. Se me permite gostaria de sugerir a você um site que contêm muita materia edificante para casais, familia, filhos e pais, adolescentes ,crianças. E de uma foma mto agradável pq além de leitura que pode ser acessada por download em PDF ou em áudio, tb possui, vídeos curtos para crianças lindos. Também videos mais longos e muito mais.
    Tomei a liberdade, porque sempre acompanho seu blog, tem me dado muitas orientações valiosas, e pensei em compartilhar com vc esse site. Espero que goste. Navegue no jw.org.br. Que a PAZ esteja com sua familia

    ResponderExcluir
  10. Vc tem a companhado a evolução dos tratamentos com ibogaína? Estou acompanhando vários pessoalmente e o sucesso me empolga.....

    Janete

    ResponderExcluir
  11. Passo pela mesma situação, meu marido também não quer se tratar. Assim como você, tento incentivar, mas ou ele diz que vai fazer e na hora nunca vai, ou simplesmente já fala que não vai mesmo. Só que temos agravantes. Ele está recaído faz tempo (deve ter mais de um mês), está empregado mas tem faltado mais do que ido e logo deve ser mandado embora por isso, além disso ele é jovem (27 anos) mas não tem profissão até hoje pois, apesar de ter tido oportunidade de estudar, jogou tudo fora por causa da droga e não se formou. Trabalha de peão, serviço pesado que ele odeia. Agora o enem está aí e eu tentando que ele faça a prova, para que tenha possibilidade de voltar a estudar (pois sem Fies, prouni ou bolsa ele não terá condições de pagar), mas como que faz uma prova como aquela com a cabeça cheia de droga? Aí eu penso, a pessoa tá toda fudida, diz que quer parar, mas tá vendo que não tem força, que não consegue sozinha. Porque raios que ela não procura ajuda? Só tem uma resposta: porque não quer parar. Se realmente tivesse intenção de parar, estaria desesperado com o fato de não estar conseguindo e tentaria toda e qualquer alternativa... Mas não... Prefere ir usar de novo. Sei que é uma doença complicada demais, mas mesmo em uso ou em períodos mais longos de abstinência como seu marido está agora (e o meu também teve a pouco tempo atrás, antes dessa última e atual recaída) com certeza eles tem momentos de consciência. Eles sabem o tamanho do problema deles, da dificuldade que é de ficar sem usar... São doentes mas não são inocentes. Se não procuram tratamento é porque não pretendem parar de vez. Tentam ficar bem por conta própria por um tempo, pelo maior tempo que conseguirem, mas não tem perspectiva de parar para sempre. Mas tentam ficar um bom tempo sem usar para enganar a eles mesmos e a nós, de que conseguem sozinhos. E claro, para não perderem de vez tudo que tem. Eles sabem que ninguém aguenta um usuário contínuo. Se eles não pararem, ficarem usando todo dia logo vão morrer, ou ser abandonados, virarem moradores de rua... Eles são viciados e adoram usar a droga mais do que tudo (e isso não é por maldade deles ou falta de amor por nós, mas pela doença que a droga causa no cérebro), mas não querem perder o conforto do lar, o carinho da família, etc... Não querem desfazer de tudo pela droga de uma vez, então o fazem aos poucos. No entanto não tem coragem nem vontade suficiente para tentar abandonar a droga de uma vez por todas da vida. Por isso evitam os tratamentos a todo custo. Dizem que não precisam, se enganam, mentem para si mesmos para não admitir que não querem de todo parar. E assim, ficam nesses autos e baixos da abstinência, piores que uma mulher de tpm (porque a tpm deles dura o mês todo, o ano todo), procurando apenas um motivo para usar de novo. E assim, qualquer discussão, decepção, desconforto, etc... qualquer coisa é "motivo" para uma recaída que já estava sendo "providenciada" a muito tempo.

    ResponderExcluir
  12. Cabe a nós pensar se vale a pena continuar ao lado de alguém assim. Sim, mesmo você que tem filhos e é casada e tal. Pois mesmo nos tratando para não sermos co dependentes, mesmo continuando a viver e não carregando-os nas costas, só no coração, mesmo assim como você falou: é solitário e cansativo. Por vezes só queremos desabafar, contar com eles, como as pessoas "normais" fazem com seus maridos. Mas não temos esse direito. Ou porque ele está em uso, ou porque está em abstinência e cuspindo marimbondos. Nós não preenchemos o vazio deles, nem os filhos preenchem...
    Não estou dizendo para você separar do seu marido. Pelo contrário, tenho horror de gente que quer nos dizer o que fazer. A sua vida é só sua e ninguém tem direito de te mandar fazer nada.
    Mas vivendo a mesma experiência que você, e muitas vezes agindo e pensando como você... mas agora analisando mais friamente as coisas, com a razão e não com o coração... Vejo que não estamos sendo inteligentes nessa escolha. Eles são doentes? Sim. Mas também são egoístas. Mesmo tendo uma família que os apoia eles não optam por parar. Não optam por levar a decisão de parar a sério, não buscam tratamento... Vão levando até onde der. O que vier é lucro. E nós somos esse lucro, nós sempre estamos lá haja o que houver. Isso os ajuda? Sim, até certo ponto. Nossa presença os dá força parar não usar só por hoje, para ficar 2, 3 meses limpo, 9 meses, sei lá... Mas não querem de fato parar. Nos usam para ficar um tempo limpo assim como nos usam para conseguir dinheiro para usar. Não estou dizendo que não nos amam. Até amam, mas não valorizam. Não lutam de verdade como deveriam.

    ResponderExcluir
  13. Já tinha visitado seu blog em um momento de desespero...
    Meu marido é adicto e esta a mais de 120 dias limpo,ele procurou tratamento com psicologo,psiquiatra e NA estava indo bem apesar das alterações de humor (isso eu ainda não consigo entender e em muitas ocasiões fico muito deprimida).
    Essa semana ele teve um surto achava que todo mundo estava conspirando contra ele,antes que ele tivesse uma recaída ele procurou ajuda e então decidiram internar ele,apesar de ficar feliz por ele não ter recaído estou extremamente triste porque é a primeira internação dele...
    Estou tão perdida sem saber oque fazer só não desisto de tudo porque temos um filho lindo que é uma benção e tem só 5 aninhos.
    Só quem passa ou passou por isso sabe como é dificil,tenho tanto medo de desistir...
    Já não sei mais oque fazer sinto que estou ficando fraca e perdendo a fé.

    ResponderExcluir