segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Por onde ando...



Boa tarde, queridas(os)!

Quanto tempo, não é mesmo?!

Minha vida anda tão corrida e tão normal, que quase não tenho mais passado por aqui...

Como vocês sabem, ele recaiu no dia 27/08... Doeu, mas passou.

E graças a Deus, não saí dos trilhos juntamente com ele... Nem parei... Nem voltei... Apenas segui, como acho que deve ser.

Ele agora está bem...

Continuo recebendo tantos e-mails com tantas perguntas, mas queridas(os), eu não tenho as respostas...

Durante mais de dois anos, fiz registros diários da minha vida e aprendizados... Me expus, expus minha família, fui abraçada e criticada, mas no fim, valeu a pena, pois nasceu um livro lindo e rico, sob o título Amando um Dependente Químico (clique aqui).

Hoje não sinto mais tanta vontade de postar.

Estou trabalhando na prevenção às drogas e no apoio às famílias de dependentes químicos.

Minhas energias estão todas voltadas para isso, afinal, em janeiro que vem, o governo estará em transição, e sequer temos a certeza de que o projeto continuará, então quero aproveitar ao máximo esse tempo em que estou aqui.

Tenho minha consciência muito tranquila quando vejo que tenho dado o melhor de mim nesse trabalho.

Quando postava no blog, dava o meu melhor, fazia com o coração e muita sinceridade... E agora, nessa fase diferente da minha vida, quero continuar respeitando os meus princípios e dando o meu melhor...

Se conseguir ajudar a uma única pessoa, já terá valido muito a pena, afinal, uma vida é muito!!!

Alguns dizem que trabalho demais, outros dizem que eu devia levar o trabalho de forma mais leve, mas eles não entendem que não é um trabalho, é uma realização.

A cada mãe desesperada que atendo, vejo minha avó... A cada adicto em busca de tratamento, vejo os meus dois familiares adictos.

Vai além, muito além de um trabalho!

Na semana que vem, teremos um evento para mais de 700 crianças e adolescentes (em situação de risco) de prevenção ao uso de drogas, e quando penso que podemos sim ajuda-los a fazerem boas escolhas para suas vidas, me sinto realmente envolvida.

Em novembro, o Projeto Ame, mas não sofra!, de apoio às famílias, completará 01 ano!

Até hoje, foram formados mais de 600 multiplicadores, e mais de 1000 famílias foram abraçadas por esse Projeto...

Só posso mesmo agradecer a Deus por essa oportunidade de viver o que estou vivendo...

Se vou continuar nessa área, ainda não sei, mas sei que só por hoje, quero continuar dando o melhor de mim a quem precisa.

Vou postar algumas fotos para que vejam o que ando fazendo da vida:

V I V E N D O !!!


Palestra na Semana da Saúde IFB.

 No aniversário do CAPS Ad.

Andando de patins pela primeira vez!!!


Escalada!

Palestrando no 1º dia do 5º Curso de Multiplicadores.




E, claro, gasto muuuito tempo com meus filhotes, curto muito, beijo muito, aperto muito... Canso muito! Risos.

A dica que dou, queridas(os), é a seguinte: tenha um tempo para se ouvir, aprenda a se aceitar, e cultive um amor sincero por si mesma(o)... E a paz e a felicidade automaticamente chegarão, e os outros bons frutos também, por meio das suas novas escolhas.

Amo vocês!

Força, fé e esperança a todas(os)!!!

Fiquem com Deus!




OBS: Até hoje não consegui encaminhar, via correio, os três livros sorteados no aniversário do Blog, pois estou em busca de “patrocínio”. Peço 1000 desculpas às sorteadas, e quando menos esperarem, os livros chegarão em suas casas...


15 comentários:

  1. Sinto saudades das suas postagens no blog, poste mais pois é somente aqui aonde tiro minha inspiração.. Moro muito longe - Praia Grande / SP e sofro com esse mesmo problema..
    Que Deus dê força a você a sua família, e a seu esposo para que não tenha recaídas!!!

    ResponderExcluir
  2. Polly... muito muito bom! Parabéns!
    Muita luz no seu caminho e da sua família e muito obrigada por seu exemplo de pessoa, sempre empenhada em ajudar ao próximo!
    bjss

    ResponderExcluir
  3. Ja fala o dia todo de codependência né...chegar em casa e escrever mais cansa...kkk..felicidades pra vcs...bjus

    ResponderExcluir
  4. A gente se diverte tanto às vezes com as nossas bobagens que até esqueço da sua luta diária! Mas nada como um dia de cada vez, né? Tamo junto seja pra rir, pra chorar ou pra chorar de tanto rir! E não esquece aquelas minhas dicas... Vai que da certo!

    ResponderExcluir
  5. Nossa... todas vez que me pego lendo seu blog, ou o meu... ou de algumas companheiras de longa data... Me pego a pensar em 2008... e falo pra mim mesma : Vocês conseguiram! rs... Felicidades nega!

    ResponderExcluir
  6. Poly...já que seus leitores andam pedindo ajuda e tu ta ai na correria do dia a dia...levando a mensagem através de seu trabalho...fiz um post...se puder divulga ai..bjus http://dependenciaecodependencia.blogspot.com.br/2014/09/vida-financeira.html#comment-form

    ResponderExcluir
  7. Querida, acabei de decobrir seu blog e já lhe parabenizo pelo trabalho, pelo altruismo de compartilhar sua vida e se dedicar tão afundo aos problemas alheios. Vou continuar lendo suas postagens antigas pq já me senti tão ajudada com pouca leitura. Que Deus lhe abençoe e proteja sua familia. Que vc possa continuar nos presenteando com seu dom da escrita. Valeu!!!

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, teria como você me mandar seu e-mail? Estou precisando conversar com alguém com tanta experiência nesse assunto. Abraços

    ResponderExcluir
  9. Por favor me ajude a divulgar. Muito obrigada e parabéns. E como adquiro seu livro?

    http://amandoumdependentequimicotambem.blogspot.com.br/2014/09/amando-um-dependente-quimico-tambem.html

    ResponderExcluir
  10. Há tempos encontrei o teu blog, primeiramente quero te parabenizar pela garra que tens! És um exemplo para muitas de nós, mulheres que amam um dependente químico. Há semanas eu descobri o teu blog, chorei a cada post, me identifiquei muito contigo, nas noites em claro, lágrimas caindo dia e noite, principalmente com a força que buscamos para fingir muitas vezes que tudo está bem... a única diferença entre nós é que eu ñ tenho filhos.. Sou esposa de um dependente químico há muitos anos. Inicialmente era apenas cocaína, passei muitas noites em claro chorando, em silêncio para conseguir escutar o motor do carro entrando na garagem.. o coração destruído, sabia que envolvia drogas, bebidas e garotas de programa. ele mesmo admitiu "que os amigos" assim faziam... a minha auto estima caída junto ao chão.. até chegar o crack.. de súbito parei a minha vida, pedi demissão do emprego, abandonei a faculdade, deixei minha familia de lado, minha mãezinha doente para dar total atenção a ele.. na primeira vez superado sem ajuda de clínica, com o apoio dos familiares, a superação foi tão incrível que ele se dedicou ao tão sonhado concurso público e conquistou com muito esforço o emprego dos sonhos, a remuneração era baixa mas a superação e alegria em poder exercer um cargo que justamente combate o uso de drogas era maior que tudo : Policial. Chorei muito de alegria junto a ele, cada passo era uma conquista! A tão sonhada academia de policia, o dia da formatura, e finalmente a posse do cargo! Perdi minha mãe, nesse meio tempo, minha vó e meu tio.. só restou um irmão em outro estado.. me vi sozinha, dependente total do amor e apoio dele e de sua familia. Ele teve muitas recaídas, sempre uso de cocaína e noitadas..

    ResponderExcluir
  11. Pensava que o pior já havia passado, quando exatamente há um ano, ele deixou a nossa casa por causa de outra, colega de profissão.. me senti um lixo. Tirando a morte dos meus familiares, isso foi um dos piores momentos da minha vida.. ainda estava muito abalada com a perda da minha mãe, tive que levantar sozinha dessa.. sem ajuda de ngm, nem amigos nem parentes. Em dois meses ele noivou e ja deu inicio aos preparativos do casamento deles, tudo da melhor qualidade, vendeu o carro, moto e tudo mais que poderia para bancar a festa deles. O engraçado é que ele tb fazia noitadas com essa outra e vivia batendo na minha porta de ressaca chorando e dizendo que me amava. Meu coração destruido toda vez que isso acontecia, sempre amei muito ele... Inicio de fevereiro deste ano ele teve outra recaída das feias, quase perdeu o cargo.. a outra deixou ele, sem nem ao menos se preocupar em ajudar. Simplesmente virou as costas e nunca mais procurou nem ligou para ele. A imprensa caiu em cima, ele entrou em uma forte depressão.. foi afastado temporariamente do cargo. Ñ precisa nem adivinhar a primeira pessoa que ele procurou.. Eu. Mais uma vez me vi diante de um pesadelo, desta vez municiada, muito mais fria por tudo que ele me fez passar. Então vieram as crises de uso seguido as crises de depressão pós uso.. desenvolveu uma forte tendência ao suicídio.. em uma noite na casa da mãe dele, após ele passar o dia inteiro de uso de cocaína, com a arma na mão, ele pediu para que eu fosse embora pq daquele dia ñ iria passar o pesadelo dele. Estava vendo o amor da minha vida dizendo que ali tudo ia terminar, que eu ñ teria mais o abraço, o colinho que tanto me acolheu nos dias de tristezas e alegrias... a dor, o medo e a tristeza tomou conta de mim, juntei forças ñ sei da onde para segurar a mão dele e pegar a arma.. corri em direção a porta chamando pela mãe dele, que rapidamente veio correndo para pegar a arma e dizer que se ele quisesse se matar ia ter que matar ela primeiro. Ele caiu em lágrimas, pediu desculpas a nós duas.Tomou vários remédios e caiu no sono.. e assim novamente, passei algumas outras vezes.. tentamos um tratamento em casa com ajuda de um psiquiatra e medicação.. com o tempo ele foi melhorando, o uso se tornou muito menos frequente, eu retomei minha vida, retornei a minha área trabalhista..

    ResponderExcluir
  12. há pouco mais de um mês, notei muitas coisas estranhas, me remeteu ao tempo q ele usou crack. A suspeita tornou-se fato, em dois dias ele gastou todo o salário, sem dinheiro, foi vendendo quase todas as roupas de marca. Pouca coisa sobrou na casa da mãe dele. Passou a beber quase todos os dias, na noite passada, dia 26.09.14, ele admitiu novamente para todos que era usuário de crack e cocaína e que ñ iria de jeito nenhum se internar em uma clínica, caso isso acontecesse ele iria se matar. ontem a noite, ele mais uma vez pediu para que eu fosse embora (estávamos na casa da mãe dele) pq ele ñ queria mais viver e que a tempestade estava se aproximando. Eu aos prantos pedi para que ele parasse de falar aquilo, que todos estavam ali para ajudar ele, que essa atitude dele era uma ofensa a todos que o amam. Ele então tomou dois remédios (rivotril) e caiu no sono; Eu adormeci chorando, acordei várias vezes só para ver se ele estava ali dormindo ao meu lado. Hoje pela manhã ele implorou que eu ñ fosse trabalhar pq ele precisava muito de mim.. Lembrei de ti, Polyanna, ao permanecer firme quando ele te pedia para ficar. E assim segui o meu caminho. Fui para o trabalho em lágrimas, com medo que o telefone tocasse a qualquer momento e me dessem uma má notícia dele. No meio da tarde ele me ligou para dizer que me amava e que não poderia ir me buscar mas que estaria me esperando retornar para casa. Outro detalhe é que ngm no meu trabalho sabe deste problema dele, sabem apenas que estamos tentando reconciliação. Pensam que ele é um cafajeste por me deixar muitas noites sozinha. Enfim, no retorno do trabalho, liguei para ele para saber se ele, o celular estava desligado. Liguei para casa dele, ngm atendeu, então ao ligar para a mãe dele, ela me diz que estava dando uma volta com ele mas ñ quis dizer onde era. Subitamente me passou a internação compulsória na cabeça, após muitas tentativas ela me passou o telefone para ele, ele então me falou q estava aguardando em um local aguardando atendimento, mas que jamais era para eu esquece-lo. Após isso, ñ tive mais contato com ele. Agora há pouco a mãe dele me liga dizendo que ele ficou na clínica por livre e espontânea vontade, no inicio saiu correndo mas depois retornou e aceitou a internação. Eu estou desconfiada que ela fez uma internação involuntária, mas de qualquer forma, fiquei muito preocupada pq ela me omite muita coisa. Mal me informou o nome da clinica. Ao pesquisar no google, descobri que por falha dos funcionários e monitores, em 2011 um paciente cometeu suicídio dentro desta clinica; Ao informar isso pra ela, a única coisa que escuto é que é tudo lorota dele. Que quem quer se matar ñ avisa, que ñ vê a necessidade de se preocupar com isso, tampouco se deu o trabalho de informar isso ao médico. Agora são 01:25 da madrugada, eu estou aqui em lágrimas, chuva caindo lá fora aumenta mais ainda a saudade dele. ñ pude nem me despedir, nem dizer o quanto o amava e que sempre estarei ao lado dele.. Torço para que tudo fique bem! Peço desculpa a todos pelo desabafo, trago isso dentro de mim há muito tempo.. grata pela atenção! Ass. Clara

    ResponderExcluir
  13. Oi Poly,
    Gostaria que me ajudasse a divulgar o meu post, já que seu blog tem bastante visualizações! Faço um trabalho de evangelismo e hoje me deparei com uma moça, dependente de crack , que nos pediu ajuda para uma clinica.Leia no post:

    http://1diadecada.blogspot.com.br/2014_09_01_archive.html

    E me ajude a divulgar, para ver se alguém pode doar esse tratamento para ela (São Paulo).

    ResponderExcluir
  14. Nesse momento estou sozinha olhando pra minha filha de 1ano, pensando q preciso dormir pra suportar o dia de amanha. Meu marida acabou de ter alta , deveria voltar ao trabalho amanha. Mas cheguei em casa e ja tinha sumido. Moramos com meus pais q definitivamente nao querem saber disso , briga, discussao pesada. Querem q apodreca numa clinica.
    Nao tenho pra onde ir , nao sei o q fazer qdo chegar pedindo pra entrar. Amo quero ele, mas esta insuportavel carregar tanta gente nas costas, so deus e as palavras q encontrei aqui me consolam

    ResponderExcluir
  15. Hoje ao acordar, olhei pro lado da cama e vi o homem que eu amo dormindo como uma criança,logo me veio uma junção de sentimentos,pena,medo de perde-lo,insegurança, enfim não sei descrever,pelo quarto ainda havia vestigios da praga que está matando meu marido,e acabando com nossos sonhos,foi mais uma noite de delírios,de medo,de insônia...Respirei fundo mergulhei embaixo do chuveiro na busca de me fortalecer pra enfrentar mais um dia...Não consigo aceitar que essa maldita esteja levando a pessoa que mais amo pro fundo do poço,e as vezes me sinto tão impotente diante de uma situação que não posso mudar,não posso ver a pessoa que me faz sorrir,que por vezes já me fez chorar,mas que me da alegria descendo ladeira abaixo, da uma vontade de gritar pro mundo ouvir de destruir com minhas próprias mãos,expelir do planeta essa droga maldita,gritar socorro, alguém faça alguma coisa...minha luta é diária,persistência,perseverança,não vou desistir,não posso deixar ela vencer,o meu amor é maior,e ela não vai conseguir tirar de mim o amor da minha vida...
    RNA

    ResponderExcluir