domingo, 18 de maio de 2014

Hoje estamos em festa por aqui!





18/05/2011.

Não foi nada planejado ou programado.

A dor era grande, me sentei diante do computador... Como tantas que aqui chegaram, eu não havia encontrado nada além de teorias. Eu precisava conversar, expor o que estava sentindo naquele momento, diante de mais uma recaída do meu esposo.

Um blog. Um diário virtual para registrar meus pensamentos, sentimentos e atitudes vivendo ao lado de um adicto, para que eu mesma pudesse aprender e crescer com esses registros. Foi difícil ter coragem para começar, pois eu sabia que não seria fácil me encarar assim. E não foi. E não é.

Nesses três anos, a transparência foi a marca desse blog. Nunca fiz tipo, ou falei coisas para agradar aos leitores ou à sociedade em geral. Não.

Quando eu estava mal, eu dizia que estava mal. Quando eu errava, não escondia. Quando ele recaía, eu narrava os fatos. Quando eu me sentia bem, também compartilhava com todos.

No início, eu contava tudo em detalhes, pois o blog era bem menos visitado.

Com o tempo, e com o aumento das visitas ao blog, além das palavras de carinho, passaram a chegar a mim palavras agressivas também. Chegavam em minoria, mas machucavam. “Burra”, “mau exemplo”, “doente”, “personagem irreal”, foram alguns dos títulos que recebi por esses.

Algumas vezes insultaram ao meu esposo, e em outras, desejaram o fim da nossa família.

Diante disso, pensei várias vezes em parar com o blog. Não bastasse os desafios da vida, ainda ter que tolerar esse tipo de coisa, me fez realmente querer parar.

Mas, todas (exatamente todas!) as vezes que pensei em parar, alguma coisa acontecia para me motivar novamente. Algumas vezes, eram e-mails recebidos com relatos do quanto o Blog estava ajudando, e outras vezes, convites para palestrar ou dar entrevista. E eu recebia isso como um sinal para continuar.

Continuei. E aqui estamos nós. Três anos!!!

Mais de 301.200 visitas ao Blog nesse período.

Mais de 310 seguidores.

Mais de 800 e-mails, com pedidos de ajuda.

Mais de 600 postagens (algumas foram deletadas, e incluídas no livro, para não expor demasiadamente a nossa vida).

E mais de 2.780 comentários.

A página no facebook hoje tem mais de 2.360 participantes, e um alcance médio de 6.000 pessoas por semana.

Mais de 500 pessoas leram o livro Amando um Dependente Químico.

Sei que por trás de cada 1 constante nesses números, existe uma história, uma vida... E poder, de alguma forma, colaborar para que essa história seja mais feliz, não tem preço.

Deixarei, abaixo, nos comentários, alguns dos relatos que recebi, falando sobre a importância do blog em suas vidas. Lindos... Muito obrigada!

Além do “mundo virtual”, Deus abriu as portas para que no “mundo real”, eu também levasse essa mensagem de amor, fé e esperança.

Dezenas de palestras ministradas em comunidades terapêuticas, faculdade, órgão público, e nos cursos aos familiares da SEJUS-DF.

Pude colaborar na idealização de um projeto governamental aos familiares de dependentes químicos, bem como em sua implantação.

E nesse projeto, que recebeu o nome de Ame, mas não sofra!, já foram atendidas mais de 500 famílias.

Quando olho para tudo isso, sinto muita gratidão a Deus!

Há quatro anos, eu era um monte de cacos espalhados. Como era dolorosa a minha vida. Aos 31 anos, me sentia totalmente sem esperança, sem alegria, sem força.

E ao olhar para essa Polyanna de hoje... Só posso agradecer a Deus!

Ajudar aos meus iguais me faz realizada. Além disso, cada vez que posto nesse Blog, ou que dou uma palestra, estou falando primeiramente para mim mesma, para que eu nunca me esqueça de onde saí.

Também gosto de contar a minha história para vocês, afinal, se eu consegui sair daquele buraco, qualquer um consegue. E olha que o buraco era bem fundo, viu?

Leia o livro, e conheça...

Bom, agora tenho novos projetos!

O livro O Diário de Francine Deschamps será lançado em breve.

Continuo na busca por um contrato com uma Editora comercial, a fim de ver o livro Amando um Dependente Químico em todas as livrarias, acessível a todas as famílias. Já recebi um “não” da Editora Rocco e da Editora Gente, mas não tem nada não, como podem perceber, EU NÃO DESISTO!

Quero, neste ano, juntamente com a equipe, executar o Ame, mas não sofra!, em Brasília, da melhor forma possível.

Mas, mesmo em meio a tudo isso, o Blog vai continuar. Eu amo esse cantinho, e preciso dele! Mesmo sem poder vir aqui com a frequência que gostaria.

Já foram muitas horas da minha vida aqui. Me lembro de postar com o barrigão da gravidez, e outras vezes, amamentando o bebê... Era hilário...

Muitas madrugadas...

Esse Blog faz parte da minha vida... Vocês fazem parte da minha vida!

Agradeço a todos vocês que me fazem companhia diariamente.

Agradeço pelos amigos queridos que fiz aqui.

Agradeço pelo carinho e pelas orações de vocês.

“Eu seguro a minha mão na sua, e uno o meu coração ao seu, para que juntos possamos fazer o que sozinha eu não consigo...”

E como prometi, enviarei de presente o livro Amando um Dependente Químico para a Cris (DCC), a JS (JL) e para a JA, que foram as primeiras a enviar os relatos.

Então, três livros pelos três anos!

Meninas, entrarei em contato por e-mail. Muito obrigada!

Vejam alguns dos relatos, abaixo, nos comentários.

11 comentários:

  1. Tenho acompanhado suas postagens no blog e hj estou feliz pq to conseguindo ver as coisas duma forma totalmente diferente da que eu via ha tempos atrás. Creio que estou me curando da co-dependencia. Realmente ela te amarra na plateía e vc deixa de contemplar as coisas boas que Deus te traz como tem q ser feito. Hj consigo ser eu por eu msm, sem esperar q meu marido mude pra eu ser feliz...Hj consigo fazer as coisas q Eu gosto, q Eu tenho vontade..e ele tem visto essa mudança como algo positivo em mim. Sinto as minhas forças voltando aos poucos sabe...Isso é mto bom!!! (A.G.)

    ResponderExcluir
  2. É tão bom sentar na frente do computador e ler seus relatos... Eu nunca mais me senti sozinha depois que descobri seu blog.
    Namoro um dependente químico há quase seis anos, e desde o começo do seu blog eu tenho acompanhado e confesso que hoje sou uma pessoa mais realista em relação ao problema da dependência química.
    Antes eu vivia nas trevas da codependência, na escuridão desta doença sem se quer ter noção de que ela me consumia, de como ela é tão doída e sofrida quanto à dependência química. Me sentia na obrigação de tentar curar o meu namorado. Depois de descobrir seu blog, passei a ver a luz das respostas que eu não conseguia obter e hoje posso te dizer, sou uma pessoa mais tranquila, feliz, vivo com os pés no chão: a cura da doença do meu namorado depende exclusivamente dele, e não de mim.
    Hoje só tenho a te agradecer Polly, e peço a Deus que sempre derrame bênçãos na sua vida e que você continue ajudando tantas pessoas, que assim como eu, viviam e ainda vivem na escuridão, sem saber como agir com o familiar dependente. Parabéns!!! (N.M.)

    ResponderExcluir
  3. Adoro seu blog e estou indicando para todos na reunião de sala q eu participo, muito bom mesmo. Obrigada que DeUS abençoe vc é sua família (F.Z.)

    ResponderExcluir
  4. Tenho certeza de que esse blog foi um instrumento de Deus na minha vida! Chegou na hora certa, e através dele, eu tive várias certezas: inclusive a de que eu precisava estar bem, cuidar da minha doença, trabalhar na minha recuperação, se quisesse a recuperação do meu amado adicto, mas eu deveria fazer isso mais por mim do que por ele.
    Eu chorava por horas e horas, aquele desespero, aquela auto piedade, eu queria que as pessoas cuidassem de mim, afinal, eu tão jovem e sonhadora estava envolvida com um dependente químico, e isso me fazia sofrer, isso dilacerava os meus sonhos... mas eu estava cega, e não percebia que estava doente, muito doente, minha vida girando em torno dele, meu humor, minhas esperanças, o norte de tudo, era ele... se ele estava bem eu estava ótima, feliz, cheia de vida, cheia de força... se ele estava mal eu estava pior ainda... as recaídas dele doíam cada vez mais em mim, principalmente porque eu tinha certeza que "se ele me amasse de verdade, lutaria mais..." ou que "se eu mudasse o jeito de tratá-lo, ou se eu o fizesse se sentir mais e mais amado, ele não precisaria das drogas...", e ia me enchendo de ilusões, esperando de fora a força que só existia dentro de mim. Deus foi muito bom comigo em tudo... não me permitiu maiores insanidades em nome desse amor, e logo conheci o blog, e tudo foi ficando claro para mim... a cada palavra da Poly, a cada e-mail respondido, e as palavras tão sábias dela, me acolhiam... era incrível, aliás, é incrível, ela tão longe geograficamente de mim, mas ao mesmo tempo tão perto do coração, alguém que realmente conhecia EXATAMENTE a minha dor... (D.C.C.)

    ResponderExcluir
  5. Foi na primeira reunião de Nar-Anom que fui com ele que alguém me disse que eu também estava doente. Eu não conseguia sequer dizer meu nome sem começar a chorar. E lá me disseram que eu também deveria procurar ajuda pra mim. Foi numa outra recaída dele que encontrei o blog Amando um Dependente Quimico. Ele estava sumido a 3 dias e eu a 3 dias sem comer e sem conseguir dormir. Me lembro que foi no dia 26 de março, dia que fui demitida do meu emprego, devido a tantas faltas. Suas palavras, Poly, me fizeram ver como eu estava realmente doente. Todos os sintomas da codependência que você postava, eu me identificava com cada um deles. Me dei conta de tantas loucuras que fiz, pensando estar ajudando.
    Eu fui atrás dele nas bocas, eu tentei prendê-lo dentro de casa, eu levei ao psiquiatra e paguei uma fortuna em remédios, eu me afoguei em dívidas com empréstimos pra pagar as dívidas com traficantes, levei na igreja quando ele colocou na cabeça que sua doença era obra de "trabalhos" contra ele, aturei os demônios que o "perseguiam", eu xinguei e briguei, eu dei amor e compreensão, mesmo com o coração partido, chorei, ameacei me matar. Só não consegui abandoná-lo. E tudo isso me custou muito tempo, muito dinheiro, e alguns amigos.
    Hoje, graças ao seu blog, eu conheço a codependência.
    Graças ao seu blog eu conheço as ferramentas que posso usar para me fortalecer.
    Graças ao seu blog eu não carrego mais o peso da culpa do vício dele.
    Graças ao seu blog eu entendi que o adicto só vai parar se quiser parar, não importa o que eu faça.
    Graças ao seu blog, compreendi o conceito de "Só por hoje" e "Viva, e deixe viver".
    (J.L. autora do blog http://recuperacaoepossivel.blogspot.com.br.)

    ResponderExcluir
  6. Com certeza nesses três anos o blog ajudou a curar muitas insanidades inclusive a minha.
    A 6 meses apenas que conheço o blog, mas ele juntamente com o Amor Exigente que frequento toda semana, com livros que li sobre o assunto foram essenciais para o meu entendimento da doença e maior conhecimento de mim mesma.
    Mas o que mais aprendi com você e o blog foi:
    A tirar dos meus ombros um peso que não era meu, através do conhecimento da doença da adicção e da codependência.
    Aprendi a trocar a dor e o desespero por ESPERANÇA de dias melhores; o ressentimento por PERDÃO; a dor por GRATIDÃO;(jogo do contente), a autopiedade por COMPREENSÃO.
    Enfim hoje sou uma pessoa mais feliz e equilibrada, graças as ferramentas encontradas em seu blog.
    Obrigada por tudo.
    Que Jesus continue a lhe abençoar em sua linda missão de levar conforto onde há desespero. (J.A.)

    ResponderExcluir
  7. Resolvi pensar em mim, e comecei a pesquisar sobre minhas angustias e sobre minhas ações, queria ir a um psicólogo (nunca fui) e encontrei um nome na internet chamado co-dependente e cada coisa que lia lá eu me via (impressionante como demorei a saber tudo isso). Então fui a uma consulta de co-dependentes nem me lembro onde , só sei que lá os familiares a maioria mãe estava descobrindo que seus filhos fumavam maconha e lá não havia ninguém além da psicólogo que conseguisse me mostrar os erros e a forma correta de agir com nossos conflitosVoltei a sala de Naranom e mais uma vez me vi na sala com famílias que haviam acabado de internar seus dp em clinicas e estavam lá por exigência da clinica , e as partilhas eram muito focadas neles e nada em nós. Co dependente.
    Então comecei a pesquisar mais e mais e me deparei com seu blog em junho. Poly li seu Blog em 1 dia e chorei, ri ,rezei ,fiquei Feliz e entrei em recuperação. Com certeza eu encontrei tudo que procurava. Você vivenciou o que eu vivencio e no blog consegui enxergar o que eu nunca tinha visto dentro de mim, consegui ver como posso agir diferente .Como tenho que me colocar em primeiro lugar sem precisar esquecer e apagar a quem amo nessa vida.
    Você me levou para dentro de mim . Todas nós passamos por situações muito parecidas e você conta o seu problema, analisa sua ação mostra seus erros e depois diz qual a forma correta de agir. Eu não fui a uma psicóloga (até hoje rs) mas me amo cada dia mais, com vc aprendo diariamente, como mudei minhas ações, como estou me colocando em primeiro lugar, como analiso minha vida antes do blog e depois do blog. Poly ainda estou aprendendo, absorvendo tudo que aprendi aqui com você. Coloquei em pratica tudo comigo e agora está chegando a hora de colocar em pratica com ele ao meu lado. Os medos ainda existem, mas posso afirmar que são controláveis porque não estou sozinha. (AP)

    ResponderExcluir
  8. Foi no seu blog que conheci minha madrinha Janete que salvou minha vida....no inicio há uns dois anos atrás realmente eu não concordava com muitas coisas que escrevia....e foi por ai que me achei pois vc era tudo que eu não queria ser....assim consegui sair do buraco....o tempo passou e vc amadureceu demais...vc realmente aprendeu a se amar e a levar a mensagem de que se é possivel ser feliz independente dos outros...vc mudou e seu mundo mudou com vc....parabéns que continue a levar a mensagem a cada dia mais longe força fé e esperança

    ResponderExcluir
  9. Você foi minha fonte de inspiração, sabe disso, né?

    Poly, você leva a mensagem de uma maneira linda e cheia de amor, como sugere o programa.

    Assim como a Kel, no início eu pensava que você era tudo que eu não queria ser, pois, aos meus olhos, você estava andando em círculos. Mal sabia eu que já estava no mesmo círculo que você.
    Rsrsrsrs...

    Ver você amadurecer me deu forças para lutar também.
    Você é linda, em todos os sentidos.

    Gratidão, é apalavra que tenho pra lhe dizer.

    Paz e serenidade.
    Beijos no coração!

    ResponderExcluir
  10. Parabéns vc é uma guereira. Deus abençoe sua familia

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pela iniciativa e parabéns a nós tbm por nos abrirmos a partilha e busca pela cura através da sua semente.
    Também conheci a co dependência, este mal que eu combatia as escuras, por não saber do que se tratava. Hoje reconheço uma atitude proveniente dela e luto para que ela não prevaleça sobre mim.
    Vi que haviam mais pessoas passando pelo mesmo problema e o mais importante buscando tratamento.
    Muito obrigada por apontar caminhos, endereços, trazer informação e acolhimento.
    Cada um tem seu trajeto de cura, mas é bom saber que não estamos sós.
    Paz na alma.

    ResponderExcluir