domingo, 23 de março de 2014

Uma questão de fé!



Recuperação é possível, basta querer de verdade!
(Odilon Santos, Pastor, limpo há 17 anos)


O jovem, e o adolescente, é muito dinâmico. E eu passei por uma fase na minha vida de muita curiosidade, por ter nascido em um lar evangélico, dentro da igreja. Então ouvia os amigos dizerem “eu fiz isso, fiz aquilo”, e a curiosidade começou a brotar dentro de mim. Ninguém me apresentou nada, foi uma curiosidade que nasceu, e eu dei uma brecha. A Bíblia diz que o Diabo está ao nosso redor, tramando como um leão. E então, pela curiosidade, fui me aproximando de pessoas que não deveria me aproximar. E quando fui ver, eu já estava enrolado, entrelaçado, e no fundo do poço. Durante onze anos fui escravizado pela cocaína e pela maconha, mesmo sendo um filho de pastor.

Cheguei a pedir para ser internado. Eu havia me tornado um dependente químico, e não conseguia ficar nenhum dia sem usar droga. Eu já estava em uma situação muito complicada, ao ponto de fazer coisas terríveis para adquirir a droga.

Em Salmos 119 diz: “Escondi a Tua palavra no meu coração, para não pecar contra Ti”. Fui liberto através de Jesus, e através da Palavra. A Palavra é lâmpada para os meus pés, e luz para o meu caminho. Jesus é Aquele que liberta por completo. E foi assim que voltei a viver de novo.

O viciado em drogas é um escravo. Ele não consegue usufruir as coisas boas da vida. Não consegue, por exemplo, ir a uma praia, sem pensar em levar um baseado. Ou seja, não consegue usufruir nada do que Deus nos deixou, sem usar a droga. Então quando Jesus te liberta, você consegue voltar a viver, e a curtir tudo o que Deus nos deixou. E essa libertação veio a mim por meio da Palavra de Deus, e também de muito esforço. É preciso fazer uma aliança com Deus e com a Sua Palavra, e buscar uma igreja.

Hoje estou livre há mais de 17 anos, e ajudo outras pessoas que passam por isso.

Minha esposa foi um presente de Deus na minha vida. Ela é minha esposa, minha amiga, minha companheira. Me emociono ao falar dela porque, realmente, ela foi um presente. Se fosse outra pessoa, acho que não aguentaria, porque no início do nosso casamento, tive uma recaída muito grande, permanecendo durante um ano. E ela não desistiu. Ela sempre creu em um Deus que tudo pode. Eu mesmo cheguei a falar para ela: “Querida, vou lhe dar um conselho. Pegue a sua roupa, faça a mala, e volte para a casa de seus pais. Porque eu não tenho mais jeito. Já tentei de todas as formas, e não consigo. Então vou continuar usando, e você não merece passar por isso.” Nesse dia, ela falou palavras de fé a mim, e eu ri. Eu não acreditava.

Entretanto, hoje, estamos casados há 18 anos. Estou livre das drogas há 17 anos. Ela canta, eu prego, e juntos levamos a Palavra de Deus.


Relato da Esposa de Odilon Santos

Nos casamos no dia 9 de dezembro de 1995. Desta data até completar um ano de casada, chorei todas as noites. Logo quando nos casamos ele disse: “Já tentei sair das drogas, tentei, e não vou conseguir sair nunca. Então você decide ficar casada com um viciado ou se separa. Não vou largar as drogas. Eu gosto e me sinto bem. Tanta gente no meio artístico consegue continuar vivendo assim, então, vamos conseguir.”

Ouvir isso foi a pior afronta que já recebi na minha vida! Era como se o Diabo estivesse falando comigo. Então, percebi que a minha luta não era contra o meu marido, mas contra o Diabo. Precisava usar armas mais poderosas do que brigar e argumentar, precisava fazer uso da oração.

As pessoas percebiam que algo estava errado, mas não comentavam nada sobre o assunto.

No meio de tudo isso, recebi o convite de gravar meu primeiro CD. Uma das músicas que estaria no novo CD seria a canção “Tira-me do vale”. Então fui ao banheiro da gravadora e disse a Deus: “Como eu vou cantar essa música se ela ainda não é verdade na minha vida? Como vou cantar essa canção se eu tenho vivido no vale desde o início do meu casamento? Dá-me um sinal de que há esperança. Eu não aguento mais!”

Depois de ter cantado a música, senti que Deus faria algo. Então cheguei em casa de madrugada e ele novamente não estava (geralmente estava no morro neste horário). Mesmo não o vendo no nosso lar, senti uma confiança no coração. Deus havia me consolado de uma forma especial durante a minha oração. O Espírito Santo me tocou para orar pela vida dele.

Fiquei em oração por ele. Quando deu três horas da manhã, ouvi o barulho do carro chegando no estacionamento. Ele havia chegado totalmente atordoado. Havia tido um problema no “morro” e estava decidido a morrer. Saiu de lá com o carro em alta velocidade. Então, ele entrou no quarto e ajoelhou ao lado da minha cama e disse: “Ore por mim. É para você orar pedindo a Deus para me levar ou me libertar, porque do jeito que estou, eu não aguento mais.”

Então, fiz essa oração de entrega. Foi horrível porque eu não queria que Deus o levasse, mas fiz como ele havia pedido. Depois desse incidente, ele foi para um retiro espiritual e eu fiz uma viagem para Macapá. O local onde meu marido estava não tinha telefone, então não tinha como me comunicar com ele, sendo assim, ficamos quatro dias sem nos falar.

Fiquei todo esse tempo em oração. Fiquei receosa se no momento em que chegasse o encontraria morto porque ele poderia fugir do sítio e voltar para o morro.

Em uma das noites do congresso em Macapá, uma mulher se levantou, colocou as mãos na minha cabeça e disse: “Por que se preocupa com quem você deixou em casa? Quando você voltar terá uma grande surpresa e Deus os usará muito!” Naquele momento percebi que realmente era Deus que estava no controle e que não podia fazer nada.

Quando voltei para casa, vi que meu marido não estava em casa. Meu coração estava acelerado, porque mesmo tendo uma palavra de Deus, tinha receio dele estar no morro. Fui até a casa de sua mãe, e vi que estavam todos reunidos. Havia muita alegria e presença de Deus na casa. Olhei para o meu marido, e ele parecia outra pessoa. Havia sido renovado no Espírito Santo e liberto.

Ele nunca mais usou drogas, já faz 17 anos. Foi consagrado a diácono, posteriormente a pastor. Nossa vida foi transformada e tivemos dois filhos. 

Hoje ele dirige uma filial da igreja e eu o ajudo com o trabalho ministerial.

Gravei recentemente a música “Profetiza”, do CD “Jesus, o Brasil te adora” como homenagem aos pais do meu marido, que sofreram tudo isso durante o período em que ele usava drogas. Faz referência também a todas as famílias que têm sofrido esse dilema diariamente.


Odilon, Eyshila e seus dois filhos.

***

A história de hoje é de um casal muito conhecido no meio cristão: Odilon Santos e sua esposa Eyshila.

Sempre gostei das canções da Eyshila. Mas, não sabia da sua história ao lado do seu esposo. Conheci essa história por meio de uma leitora do Blog, que me enviou um e-mail, fiquei realmente emocionada com o relato, mas ainda não havia encontrado o momento de postá-lo aqui no blog.

E é com essa história que termino essa série Recuperação é possível, basta querer de verdade!.

Nessa série vimos a história de uma ex-usuária de merla que encontrou a recuperação em uma internação, e no N.A. (clique aqui); a história de um ex-usuário de crack que encontrou a recuperação, sem internação, indo ao N.A. todos os dias durante três anos (clique aqui); a história de um ex-usuário de álcool e drogas, que encontrou a recuperação em uma sala de A.A. (clique aqui); a história de um ex-usuário de cocaína que encontrou a recuperação na internação em uma comunidade terapêutica (clique aqui); e por fim, um ex-usuário de cocaína e maconha, que encontrou a recuperação em um retiro da igreja.

E todos eles, sem exceção, em seus relatos falam da necessidade de uma decisão, de um grande esforço, e sobretudo, de ter Deus em suas vidas, para que essa recuperação dê certo.

Espero que tenham gostado...

Quanto a mim, sigo acreditando!

Grande beijo!

5 comentários:

  1. Deus sempre nos dá uma chance de mudar, basta querer e cd um procurar a que mais lhe convem, não tem desculpa, quem quer de vdd encontra um jeito de parar.

    ResponderExcluir
  2. fé...somente ela e Deus para agir em causas "impossíveis", tenhamos cuidado pra não deixar nossa fé nos cegar e nos enganar, fazendo com que passemos a justificar nossos erros para com nós mesmos...um bom dia

    ResponderExcluir
  3. Nossa amei ..estou emocionada....eu creio no Deus que quando todos dizem nao uma voz me encoraja a prosseguir......o mesmo Deus que liberto esta familia da dor é o mesmo que vai operar milagres, basta crer e entregar em suas maos...bjusss
    a vitória é nossa em nome de Jesus ! Damares

    ResponderExcluir
  4. OI Pollyana, por favor queria uma dica, ou outras pessoas que souberem para me indicar.
    Estou a procura de uma clinica de recuperaçao evangelica, no Df ou em Goiás. POr favor se souberem telefone, site, e procedencia, me escrevam aqui mesmo no blog. Tenho um familiar que quer ajuda, porém estamos de maos atadas sem saber aonde recorrer, muito obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Precisando de ajuda?
    A Clínica Aliance Prime através de terapias específicas leva o paciente a ter prazer em estar sem drogas e assim proporciona harmonia e bem estar social, familiar e espiritual mostrando que existe vida após as drogas.

    End: Rod D. Pedro I - Km 41 Nazaré Paulista - São Paulo

    Entre em contato
    11-96257-3474 para mais informações.

    Contamos com o serviço de remoção forçada através de nossos profissionais altamente qualificados.

    ResponderExcluir