quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

SEJA positivo!



Bom dia, queridas(os)!

Tudo bem com vocês?

Espero realmente que sim.

Estava lendo o livro Campo de Batalha da Mente, da Joyce Meyer, e analisando como foi importante para mim desenvolver pensamentos e atitudes positivas em minha vida.

Todo mundo passa por situações e momentos difíceis na vida. E nós, familiares de dependentes químicos, temos isso intensificado.

Então, no nosso dia a dia, a dor, a decepção, o medo, são sentimentos negativos que estão quase sempre presentes, em razão dos acontecimentos envolvendo o nosso ente que está adoecido pelas drogas.

Pelos relatos que recebo, sei que muitas pessoas ao visitarem este Blog, se sentem animadas, esperançosas de serem diferentes, mas depois, pouco a pouco, diante da dolorosa realidade, permitem que o seu sonho de mudança seja sufocado, e a sua mente volta ao estado anterior, confuso, cheio de ansiedade, angustiado, temeroso... negativo.

Vou contar um segredo para vocês.

Ser uma pessoa positiva, não é apenas esse sentimento que temos ao ler um livro de autoajuda, ou ao assistir aquela palestra ou filme bacana. Ser positivo é adotar uma nova postura diante da vida.

Ou seja, não é apenas sentimento, é alteração no comportamento. É identificar o bem-estar que vem de dentro, e não em decorrência do que está fora.

“Mas, como posso ser positiva, se meu filho está na rua há dias, usando crack?!”

“Como pensar positivo diante do comportamento inconstante do meu familiar adicto?”

Ser positivo é algo que depende exclusivamente de você. É uma questão de decisão.

Primeiramente, seja honesta(o) com você mesma(o). Identifique o seu papel diante da vida, e diante do seu familiar. Delimite quais são as suas responsabilidades. Tente cumprir as suas responsabilidades (e não as dele), da melhor forma possível. E fique em paz.

Se você errou, aprenda com o erro. Sujou? Limpe. Bagunçou? Reorganize. Magoou alguém? Perdoe-se e peça perdão.

Não adianta ficar se lastimando, isso só vai piorar as coisas em nossas casas.

Identifique as suas falhas, e comprometa-se com um novo jeito de agir diante da adicção de quem você ama. Claro que isso se dá pouco a pouco.

Aproveite os seus bons momentos! Tire da cabeça esse pensamento de “quanto tempo será que isso vai durar?” “e amanhã, será que ele vai recair?”

Vou ser sincera com você, e espero que os meu amigos dependentes químicos não leiam isso.

A grande maioria recai sim. A dependência química é uma doença muito complexa, que altera o cérebro do indivíduo. Mas, a questão é: “estou preparada para uma recaída dele?” “saberei ser assertiva quando isso acontecer (se acontecer)?”

Provavelmente não. Eu acho que não estou preparada. Mas, também não vivo pensando em recaídas. Não mesmo.

Mas, aprendi que até mesmo a dor que eu não queria sentir, acabou sendo um “professor” para mim. E as experiências que vivi em momentos de extrema dor, hoje aliviam a dor de outras pessoas que passam pela mesma situação que eu.

E se um dia tiver que passar por elas novamente, apenas peço que Deus esteja comigo, e que eu consiga agir melhor do que agi no passado.




Se a vida fosse feita apenas de bons momentos, pouco aprenderíamos. Não é mesmo?

Mas, é bom deixar bem claro que as recaídas fazem parte da doença, e não da recuperação. E conheço sim lindas histórias de adictos que estão limpos há muitos anos. Portanto, esperança sempre!

Entretanto, não quero que você PENSE positivo, diante da adicção do outro. Mas, sugiro que você SEJA positivo.

Ser positivo é reconhecer a grandeza da vida com o que ela traz a nós, em cada momento.

Maridão limpo? Amo e vivo sem reservas ao seu lado.

Recaiu? Vamos buscar ajuda no tratamento mais adequado à situação.

E, sobretudo, vamos aprender o que a vida quer nos ensinar, nos bons e nos maus momentos.

Ser positivo é se respeitar. Reconhecer os seus limites. Fazer escolhas sem culpas. Ser leve.

Ser positivo é, ainda, respeitar os outros como são.

Precisamos aprender a respeitar os nossos amados adictos como eles são. Entenda, estou dizendo para respeitarmos nossos familiares, e não a doença deles, há uma grande diferença.

Se ele vem manipular em nome da doença, não aceite. Mas, aceite o fato de ele estar doente. Ame-o. Ele tem algumas dificuldades que você não tem. E vice-versa.

E para sermos positivos, precisamos nos amar e nos cuidar. Quem se ama, acaba transbordando esse amor aos outros, sem esforço ou sacrifício.

Mas, quem ama ao outro, e esquece de si mesmo, adoece, e sofre demais.

Para sermos positivos, precisamos mudar o nosso foco. Tirar o foco da vida do outro, e coloca-lo em nossa própria vida. Tirar o foco do lado negativo, e escolher enxergar e ser o lado positivo.

Vale a pena essa mudança!

No entanto, respeito a individualidade de cada um. É você quem escolhe o que é melhor para você.

Mas, lembre-se que mentes positivas geram vidas positivas.




Por mais que você esteja machucada(o), não tenha medo de ter esperança.

Ser positivo é conseguir, no meio do caos, alimentar a fé, a autoconfiança, a confiança em Deus, a esperança e a alegria...

Geralmente, os dependentes químicos são negativos. Cabe a nós, familiares, entrar nessa onda de negativismo, ou mostrar com o nosso exemplo, que é possível ser feliz sem drogas, e em meio a dificuldades...

Vamos tentar ser positivos, só por hoje?

Podemos acreditar que coisas boas acontecerão em nossas vidas. E mesmo quando os momentos vividos não são bons, podemos acreditar que eles trarão aprendizados e consequências boas para nós.





Queridas(os) leitoras(es), faltam apenas 04 dias para o sorteio da nossa rifa! Não fique de fora! Adquira a sua, e ganhe um ebook! CLIQUE AQUI, e saiba mais.

Tenha Faça uma feliz quarta-feira!

Beijo.
Poly

Nenhum comentário:

Postar um comentário