segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Impotente!



Bom dia, queridas(os)!

Como foi o fim de semana de vocês?

Comigo e minha família vai tudo bem, graças a Deus.

Meu esposo segue limpo há 26 dias. Espero que realmente tenha sido apenas um “lapso” e não uma “recaída”. Para os que não sabem, lapso é um ato isolado de uso, e recaída é voltar ao uso compulsivo.

O meu papel em relação ao meu esposo e sua adicção tem sido cada vez menor: o amo, mas deixo claros os meus limites, não aceito o seu uso de drogas, mas o aceito como ele é. Então não há muito o que dizer sobre isso.

Não fico martelando: “e se ele recair, o que vou fazer?” “será que ele está pensando em usar?” “será que ele está em recuperação?” ou coisas assim. Esses assuntos dizem respeito a ele, e não a mim.

Só por hoje, ele está limpo. Está seguindo na direção correta. Está cumprindo os seus papéis como esposo e pai. Ponto.

Meu foco está em mim. Em recuperar-me da minha codependência. Do meu desejo de controle sobre o outro. Dos meus pensamentos obsessivos em relação ao outro.

O Primeiro Passo é uma constância em minha vida. Vocês conhecem?

“Admitimos que éramos impotentes perante o adicto, e que nossas vidas tinham se tornado incontroláveis.”

Já percebi que TODAS as vezes que tentei controlar a vida do meu esposo, a minha ficou desgovernada. Por outro lado, quando estou focada na minha própria vida, não tenho tempo nem energia para tentar controlar a vida do meu esposo ou de quem quer que seja.

Dependentes químicos não precisam de alguém que os controle. Eles precisam de amor, compreensão e pulso forte (limites).

Sou uma pessoa cheia de problemas. Tenho os meus próprios desafios. E hoje não preciso mais empurrar meus próprios defeitos para debaixo do tapete, para evidenciar os defeitos do meu familiar adicto.

Repito para mim mesma:

Sou impotente perante o meu esposo e sua adicção...

Sou impotente perante a ausência do meu pai...

Sou impotente perante a saudade da minha mãe...

Sou impotente perante o medo que as vezes bate...

Sou impotente perante o vermelho da minha vida financeira...

Sou impotente perante a irresponsabilidade da babá dos meus filhos...

Sou impotente perante os sentimentos e pensamentos dos outros...

São tantas as coisas que me incomodam e machucam, mas hoje entendo e aceito a minha impotência perante elas. Então como não posso muda-las, simplesmente entrego para Deus, Aquele que é infinitamente maior do que eu, e me desligo.

Por outro lado, posso mudar a minha postura diante dessa lista acima. Posso ser assertiva com meu esposo. Posso perdoar meu pai. Posso aproveitar os minutos de ligação da minha mãe. Posso trocar o medo por fé. Posso continuar trabalhando, economizando, e reduzindo as contas. Posso encerrar o contrato com a babá. Posso aceitar os outros como eles são, procurando ver o melhor de cada um... 

Ou seja, só posso mudar a mim mesma. E isso é muito!

O caos em minha vida acontecia quando eu teimava em mudar o que era para simplesmente aceitar (os outros) e em aceitar o que era para mudar (eu mesma)...

Desejo a vocês uma ótima semana!

Beijos.

4 comentários:

  1. Você é uma linda, Poly!!

    E como disse a Kel, foco na gente, gatona....

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Belas palavras para começar a semana e que Deus possar ser sempre a nossa fortaleza para que mesmo estando fracos sejamos fortes para enfrentar o que há de vir,bjos e ótima semana a todas!!!

    ResponderExcluir
  3. É tudo muito novo pra mim, em junho deste ano descobri a doença do homem que amo, e foi tudo muito tumultuado, muito confuso, ele e com a ajuda de sua mãe escondiam sua adicção , e quando fiquei sabendo ele já estava de malas prontas pra se internar, talvez ato por medo de me perder. Sofri muito depois de 3 meses de internação ele saiu e estava seguindo com o tratamento, estava muito bem até que ontem prestes a completar 6 meses limpo ele teve um lapso, e meu mundo caiu novamente por alguns minutos, pois, graças a esse blog e a tudo que leio aqui me reergui, não me permiti cair como faria antes e sim de ser forte, pois ele precisa do meu apoio, pois acredito na sua vontade de querer mudar de vida!
    Ler esse texto só me fez mais forte, pois eu não sou responsável pela adicção dele, muito menos por lapso de ontem, e só o que me resta é amá-lo e encoraja-lo a não desistir, pois hj ele voltou a ser o meu namorado de sempre, só por hj nós estamos bem, só por hj eu estou bem! Te agradeço de todo meu coração Polynna, por nos proporcionar esse cantinho de reflexão e refúgio!!

    ResponderExcluir