terça-feira, 19 de novembro de 2013

1º Dia do Curso de Multiplicadores: Codependência e Resiliência!


Bom dia, queridas(os)!

Acordei cedinho para vir aqui contar sobre o primeiro dia do I Curso de Multiplicadores de Ações de Apoio às Famílias.

Gente, um grupo de cem pessoas, alguns profissionais, e algumas autoridades falando sobre as famílias de dependentes químicos, sobre a codependência e sobre como levar informação de qualidade a essas famílias, foi demais! Emocionante!

Vira e mexe, eu olhava para aquele auditório lotado e pensava: "isso está realmente acontecendo?"

A abertura foi realizada pelo Sr. Secretário de Justiça, e Coordenador do Plano de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, Alírio Neto e também pelo Subsecretário de Políticas sobre Drogas e Psiquiatra Especialista em Dependência Química, Dr. Leonardo Moreira.




O Secretário falou sobre o seu trabalho na luta contra as drogas, e também sobre a sua experiência pessoal ao conviver com um familiar adicto, o seu pai.

O Subsecretário falou sobre o Projeto Ame, mas não sofra!, às famílias.

Após a abertura, foi dada a primeira palestra, pelo Sr. Roberto Vieira, representante do Amor Exigente. Ele falou um pouco da história desse grupo que tem ajudado a tantas famílias, falou sobre os 12 Princípios, e sobre a necessidade de mudança comportamental das famílias. Ao final de sua palestra, ele convidou a D. Ana Lucia para dar algumas palavras. Ela foi a responsável pela vinda do grupo Amor Exigente ao Distrito Federal. Um doce de pessoa!

D. Ana Lúcia!


Na sequência, houve um intervalo com coffe break, onde pudemos nos conhecer melhor, e trocar experiências.

Coffe-Break!


O segundo palestrante foi o Sr. Leonardo Martins, Terapeuta, com o tema Codependência e Resiliência. E anotei algumas frases-chaves para meditarmos:

“Codependência é o equívoco do controle do amor.”

“O codependente abre mão de suas necessidades, fazendo da necessidade do outro a sua prioridade.”

“O codependente se coloca em segundo plano. Esquece de si mesmo.”

“O codependente não se permite ter prazer. Seu prazer, por vezes, está delimitado ao fato do outro estar limpo há alguns dias.”

A palestra trouxe muitas informações, mas infelizmente não conseguirei relatar tudo a vocês.

Na sequência, ouvimos sobre resiliência, que é a capacidade de superação.

“O caminho resiliente é aquele em que a pessoa transforma experiências negativas em aprendizado e fortalecimento.”

“Temos em nós mesmos todos os recursos para sermos felizes, basta estarmos dispostos a viver dando prioridade às nossas necessidades...”

Por fim, quero deixar um texto para a reflexão de vocês:


Autobiografia em Cinco Capítulos
 (Sogyal Rinpoche)
 
1. Ando pela rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Eu caio...
Estou perdido... Sem esperança.
Não é culpa minha.
Leva uma eternidade para encontrar a saída.

2. Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Mas finjo não vê-lo.
Caio nele de novo.
Não posso acreditar que estou no mesmo lugar.
Mas não é culpa minha.
Ainda assim leva um tempão para sair.

3. Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Vejo que ele ali está.
Ainda assim caio... É um hábito.
Meus olhos se abrem.
Sei onde estou.
É minha culpa.
Saio imediatamente.

4. Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Dou a volta.

5. Ando por outra rua.




É realmente a minha autobiografia! Acho que outras leitoras irão se identificar também... Não é? Rs. Algumas de nós ainda estamos caindo, outras estão dando a volta, e outras andando por outra rua... Mas, o importante mesmo é o aprendizado que estamos adquirindo com as experiências vividas.

Amigas(os), é isso. Estou muito feliz com essa realização, e acreditando que é o início de uma mudança, acreditando que enfim começaram a enxergar e a compreender a problemática das famílias de dependentes químicos. Mas, é só o começo...

Hoje teremos uma palestra com um representante do Al-Anon, e uma palestra sobre o Papel da Família como Fator de Prevenção ao Uso de Drogas. #ansiosa!


Grande beijo!

5 comentários:

  1. Parabééééééééns....

    Muito feliz por você!
    Levando a mensagem... É assim mesmo que temos que fazer...

    Quanto a autobiografia...
    Tamujuntas...
    Tô caindo de vez em quando, mas quando percebo que tem muitos buracos na rua, tento mudar de caminho!

    bjooooo...

    Ah, e menina..., Búzios é mesmo um paraíso, e o melhor de tudo, nem é caro como a gente pensa... Se for na baixa temporada, então, é super tranquilo!
    Ano que vem vai ser lá no Beto Carrero. Bora??? rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Sou agente comunitaria e estou fazendo um curso chamado caminhos do cuidado gostarua de participar desses eventos porque tambem sou mae de um adicto

    ResponderExcluir
  3. Queria estar participando! Adorei ter encontrado esse blog!

    ResponderExcluir
  4. Ola...fui casada por 8 anos com um alcoolatra e usuario de cocaina e maconha...passei todos esses anos vivendo a base de mentiras de todos os tipos e iludida com tantas promessas. Sempre me deixava em casa para ficar no bar e aos fins de semana nunca tinha pique pra fazer nada com a familia. Temos 2 filhos e no começo deste ano tudo piorou muito, largou o emprego e ficava o tempo todo no bar, começou a ficar agressivo, quebrar as coisas dentro de casa, e se endividou muito nem sei com o que, mas sei que com rolos de trabalho chegou ate a ser ameaçado. Um dia chegou me dizendo pra irmos embora pra cuidar da casa de praia dos pais dele e eu disse q nao iria, ele disse q eu estava abandonando ele e que então nao queria mais ficar comigo q minha falta de confiança nele tinha feito ele deixar de ter qualquer sentimento por mim. No outro dia fui embora com meus filhos e desde então estou sofrendo tanto, e nao sei mais o q fazer pra me sentir melhor. Lutei por ele e esqueci de mim, e agora tenho medo dele encontrar outra pessoa...sei que é egoismo, mas me doi muito. Nossa desabo toda vez q ele fala com nosso filho, me ajuda por favor, como posso deixar esse sentimento longe d mim? Obrigada pela atençao!

    ResponderExcluir
  5. Amigaa sei oque sente fui cadada com um homen igual hoje sou viuva e mei filho mais velho tbm e dep quimico esta internado, procure por grupos de auto ajuda tipo naranon, mulheres que amam de mais (mada) coda ( codependencia) p se fortalecer la vc e contrara pessoas como nos e nao se sentira mais tao fragil se voce se fortalecer com novas atitudes ele muda tambem!

    ResponderExcluir