quarta-feira, 9 de outubro de 2013

E se ele recair?



Bom dia, queridas(os)!

Muitos de nós ainda tememos a tal da recaída, não é mesmo?

Acompanho relatos dos familiares, e muitos pensam que, em caso de recaída, a única solução é a internação.

Bom, vamos lá, em primeiro lugar, precisamos saber se foi apenas uma recaída, ou se essa recaída desencadeou um período de ativa, onde a obsessão e a compulsão pela droga voltaram a dominar o nosso familiar.

Em segundo lugar, precisamos identificar para qual estágio motivacional o nosso familiar foi. Leia o post Sobre a Dependência Química e entenda melhor sobre os estágios e ações em cada estágio.

Ao contrário do que muitos pensam, a recaída de um dependente químico não significa que ele é incapaz de recuperar-se. Alguns encontram na recaída a motivação para seguir em abstinência, enquanto outros precisam sim reiniciar um tratamento. Portanto, é sempre bom lembrar que cada um é cada um.

Como convivemos com dependentes químicos, precisamos ter a consciência de que a recaída pode sim acontecer, e nos auto-enganar não resolverá nada, pelo contrário, nos trará despreparo para ajudar quando necessário.

Se, por um lado, a recaída faz parte da doença, por outro lado, ela não faz parte da recuperação. Ou seja, quem está de fato determinado a se manter limpo, não recai. Por isso, nada de pensar que é natural o dependente químico recair toda semana. Isso não é recaída, é ativa.

Entretanto, se o seu familiar tem o desejo de se manter limpo, mas não consegue, talvez seja hora de procurar uma ajuda médica também. O governo oferece atendimento nos CAPS, por exemplo.

Digo isso porque, muitas vezes, o uso de drogas é só a “ponta do iceberg”, ou seja, o dependente pode ter problemas como depressão, bipolaridade, hiperatividade, déficit de atenção, dentre outros, bem como problemas emocionais, que se não forem tratados, acabam por leva-lo a buscar a solução no lugar errado: na droga.

Se ele não gosta de psiquiatras ou psicólogos, talvez ele goste dos grupos de Narcóticos Anônimos, que ajudam o dependente não só a se livrar das drogas, mas também das consequências e causas do uso.

Mas, se ele não quer tratamento, não quer ir ao grupo, e não consegue se manter abstinente, talvez seja uma boa hora de conversar sobre a possibilidade de uma internação.

Não tem dinheiro? Se informe nos órgãos do governo. Leia sobre o cartão recomeço. Procure instituições ligadas às igrejas, algumas são gratuitas.

E, claro, muito cuidado ao escolher uma internação, pois sabemos que muitos se aproveitam do nosso desespero.

Na verdade, tanto para o adicto, como para a família, o caminho mais fácil é o de prevenção de recaídas. De um lado, temos o adicto, que precisa de mente aberta e boa vontade para mudar seus comportamentos aditivos. E, do outro lado, existe a família, que também precisa se tratar, para mudar seus comportamentos codependentes.

Amigas(os), também sou familiar de dependente químico, e sei exatamente o que vocês sentem: “puxa, eu queria que ele nunca mais recaísse!” Temos o direito de sonhar com isso, e de ter esperança, sempre. Mas, por outro lado, precisamos ter os pés no chão, e cuidar de nós, para, em caso de recaída, sabermos como agir, ajudando não somente ao adicto, mas também a família como um todo.

E se ele não quer ajuda?

Bom, nesse caso, cabe a você fazer suas próprias escolhas, e identificar o que você quer para a sua vida.

Eles podem fazer as escolhas deles. E nós podemos fazer as nossas. Sem culpa. Sem peso. Entretanto, se cada um de nós estiver atolado em sua doença, certamente faremos escolhas ruins, e arcaremos com as consequências dessas escolhas.

Então, famílias, vamos cuidar de nós? Que comece por nós!

Sei que muitos dependentes também acompanham esse Blog: “Ei, que tal cuidar de si mesmo? Ninguém pode fazer isso em seu lugar!”

Cada um cuidando de si mesmo, no fim dará tudo certo. 

Eu acredito na recuperação da dependência química! Eu acredito na recuperação da codependência! E eu acredito em uma família saudável e feliz!

E digo mais, eu só vou desistir do meu familiar, se um dia ele desistir de si mesmo...

Ah, e pra terminar, nada de viver pensando em recaídas. Ok? Nos preparamos para elas, mas vivemos cada dia como se elas não existissem. Portanto, seja feliz! Se permita isso.

E se você tem medo, use a melhor arma: a fé!

Beijos!



41 comentários:

  1. só pra complementar APRENDAM O QUE SIGNIFICA FACILITAÇÃO...não podemos ajudar quem não quer ser ajudado, mais podemos deixar com que eles percebam de verdade o buraco em que se meteram...SEM FACILITAR IMPONDO LIMITES..é fácil?..a mais não é mesmo..essa é a parte que leva nós familiares a buscar ajuda...pra conseguir ser assertiva, sem facilitar e sem nos prejudicar...boas escolhas é o q desejo a vocês..bjus

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Polly... consciência de tudo isso... mas forca 0 pra acreditar em um futuro melhor... marido na ativa e sem querer ajuda , continua achando que sozinho e capaz! Triste... bjs TMJ

    ResponderExcluir
  3. É isso mesmo, Kel! Na verdade, quando falo em nos cuidarmos para nos livrarmos de comportamentos codependentes, falo exatamente de comportamentos facilitadores, falta de limites, falta de amor próprio, etc. Bjão!

    E, querida Sha, estou contigo! Força! Acredite sim em um futuro melhor, mas para esse futuro melhor chegar, você precisa encontrar forças para agir, por você... Um beijo enorme no seu coração. E torço para que termine tudo bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim eu entendo Polly o que quer dizer, mais pra quem ta começando nesse mundo e mau sabe o que é codependência, vai a dica http://dependenciaecodependencia.blogspot.com.br/2013/10/facilitacao-cuidado-isso-pode-te.html#comment-form

      Excluir
  4. Obrigada pelo apoio... estou agindo... não como deveria talvez, mas estou me ajudando... estou indo no centro espírita, estamos recebendo auxílio, estou muito mais próxima de Deus, leio muito sobre dependência e co dependência... focando no meu trabalho... mas gostaria que fosse diferente! Gostaria que meu marido fizesse tudo diferente... TMJ bjs

    ResponderExcluir
  5. Meninas... acabo de ter uma notícia MARAVILHOSA! Estava aqui postando meu comentário, meu marido parou ao meu lado e pediu p ler... pedi que ele le-se o post da Polly pra entender sobre oque eu escrevia... e ele resolveu aceitar que sozinho não dá, que voltar ao NA vai ajudá-lo! Então Graças a Deus minhas orações foram atendidas... terça NA e eu Naranon e quinta igreja! Polly... vc me ajuda muito... e agora te agradeço muito mais! Vc é iluminada... bjss

    ResponderExcluir
  6. Polyanna, eu era como você, eu acreditava que as pessoas podiam melhorar, eu tinha uma inocência de pessoa humilde mesmo, mas tudo isso me foi tirado pq infelizmente me envolvi com uma pessoa que além de usuário de drogas não tem nenhuma noção de moral ou decência... Eu não consigo acreditar que deixei me levar por um sentimento e fiquei tão cega. Ele foi a pior pessoa que conheci na minha vida, eu nunca vi alguém ser tão ruim, ter um coração tão oco e cheio de maldade, cruel. Eu já conheci muita espécie de gente, mas essa pessoa realmente conseguiu me mostrar tudo o que um ser humano é capaz. Eu fiz tudo o que podia para ajudá-lo, aguentei os acessos frequentes de fúria dele, no qual ele quebrava tudo e gritava. Uma pessoa realmente doente em todos os sentidos e eu acreditava que com amor e carinho ele ia melhorar que era pq ele não tinha tido isso na infância. Mas, eu me enganei. Tudo o que eu fiz, toda preocupação que eu tinha sempre foram taxadas como se eu fosse a culpada da vida dele sendo assim, foram vários dias de grito e xingamento. Já fui xingada de tudo o que você possa imaginar nesta vida, tudo, todos os nomes e diversas vezes ele me mandou cuidar da minha vida, mandou eu ir atrás do que me fizesse feliz, mandou eu sair de casa, mandou eu ir fazer tudo enquanto é coisa e conforme os anos foram passando eu me perguntava se é isso mesmo que eu queria e passei à tentar me colocar pra cima, tentei parar de sentir dor, tentei existir como pessoa. Foram longos anos, longos mesmo e em todos os dias, foi sempre assim, sempre sendo xingada e humilhada e eu te pergunto. - Todo dependente é assim? Pq eu converso com outras pessoas que passam pelo mesmo problema e ninguém fala que é assim, ninguém diz isso, mas ele é assim, eu já entreguei duas casas (moro de aluguel) pq ele destruia tudo qdo ficava nervoso, quebrava portas, janelas, quebrava tudo, tudo e os proprietários me pediam o imóvel. Estou na terceira casa em 8 anos, esta também está toda quebrada. E todo final de semana ele me xinga, eu já cansei de falar que não quero mais isso, que é para ele parar de me xingar, que ele é grosso, e ele continua. A família dele é conivente com a situação,, não se importam nem um pouco. Tem dias que eu peço à Deus para que dê um jeito, pois eu não aguento mais essa situação. Como pode uma pessoa ser assim? Eu o ajudei, ajudei ele muito,muito mesmo. Ele não lembra de nada que fiz para ele, não lembra de nada e ainda quando fala diz que estou jogando na cara, que é só isso que sei fazer. Eu só queria entender, pq uma pessoa usuária de droga, não vê o que ela se torna, ou não sei se todos são assim, mas ele é uma pessoa TOTALMENTE RUIM. Quando ele era pequeno, nem a mãe quis ele e a impressão que dá é que é por que ela já sabia o que ele se tornaria pq ela não sente remorso algum por não tê-lo criado... Eu não consigo compreender como pode existir tanta ruindade em uma pessoa e é por isso que eu não acredito mais que um drogado para vir à ser alguém bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Andrea, é hora de cuidar de você. Certamente esses anos todos te adoeceram, te machucaram demais, e agora é hora de olhar para si mesma. Quanto ao que você perguntou, dependência química é uma doença que faz com que a pessoa sinta necessidade da droga, ou seja, obsessão e compulsão pela droga. Meu pai e meu esposo, embora dependentes químicos, nunca foram violentos, ou desrespeitosos. Cada um é cada um. Mas, o mais importante nesse momento, é você olhar para si mesma e se perguntar por que se sujeita a esse tipo de tratamento. Você tem escolhas, Andrea. Sugiro que vá a um grupo de apoio a familiares, pode ser um bom passo inicial para uma grande mudança em sua vida. E quanto a ele, ele pode mudar sim, mas somente se ele quiser, e esse querer não está relacionado a você. Certamente ele também precisa se cuidar, afinal, com esse histórico tão triste de rejeição, deve haver muitas dores dentro dele também. Mas, isso é com ele, e não com você. Cuide de você, querida. Grande beijo! Poly.

      Excluir
    2. Andrea, vc quer saber se os dqs são assim né, primeiro ele está na ativa? Se está é de se esperar comportamentos assim pra pior, a pessoa qdo está no uso perde a noção da moral e descencia, se não perdeu ainda, vai perder, pois é a doença do "se ainda", Nesse caso uma internação poderia ajuda-lo muito, mesmo que seja involuntaria já q ele esta fora de si. Vc precisa se proteger pois viver ao lado de uma pessoa agressiva assim é correr risco de vida, agora se ele não está mais no uso não era pra estar com esse comportamento, mas o uso abusivo de drogas pode deixar problemas psicologicos gravissimos, te digo cuide-se em primeiro lugar, já se passaram anos e ele não melhorou. Espero que vc faça o que for melhor pra sua vida! bjs

      Excluir
    3. Andréa ja passei por isso, se quiser leia: http://dependenciaecodependencia.blogspot.com.br/2013/03/desabafo-de-uma-esposa-de-um-dependente.html

      fique com Deus e saiba eu te amo incondicionalmente, vc tem garra, e vc tem o direito e será feliz ..tenho certeza

      Excluir
    4. Suas palavras "eu já cansei de falar que não quero mais isso..." Querida, falar com um dependente químico na ativa é a mesma coisa que falar com a parede, o que eles entendem é atitude, ação. Se você não quer mais isso, mude... temos dois lemas importantíssimos no Nar-Anon: Só podemos modificar a nós mesmos, aos outros apenas amar e Que comece por mim! Faça esse favor a você procure as salas, não temos as respostas mas podemos ajudar.

      Excluir
    5. PASSO POR UMA SITUAÇAO ASSIM SO QUE ELE É UMA PESSOA BOA SO NAO TEM FORÇAS JA FOI INTERNADO TAVA OTIMO E MUITO BEM MAIS TENHO MEDO PQ ACHO Q ELE TA USANDO ESCONDIDO AI EU VOU E BRIGO ELE FALA PRA ME QUE NAO QUER QUE TA CANSADO DE VIVER ASSIM QUE PRECISO DE DEUS NA VIDA DELE QUE SO DEUS PODE SALVAR ELE E NAO SEI COMO AGIR NESSA SITUAÇAO

      Excluir
  7. "Nos preparamos para elas, mas vivemos cada dia como se elas não existissem. Portanto, seja feliz! Se permita isso."
    SUPER bacana esse final. Obrigada, Polly. Você me ajuda muito!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Nossa eu ja estava quase enlouquecendo com meus pensamentos e resolvi então procurar um pedaço do meu amor e parando no google digitei amando um depende químico e o que vejo.... um livro vc e suas publicações. Logo eu que achava que ja tinha procurado tudo.
    Polly, eu escrevo um livro relatando esse lado sofrido de alguem que ama um dependente e se tornou co dependente. Sei que estou caminhando errado, mas esse sentimento é tão forte, não consigo deixar meu marido mesmo sabendo que ele mente que é discimulado. Ele esta em umas de suas recaidas e nas ruas pois ele ja esta naquele estagio que se torna mendigo. Fico noites e madrigadas acordada me culpando por deixa-lo na rua. Eu não o procuro mas me sinto culpada.
    Sei que preciso me tratar mas não vou e não consigo força para levantar, perdi meu emprego e meus filhos ja não suportam minha tristeza.
    não vivo com ele mas, não vivo sem ele tambem.

    ResponderExcluir
  9. Olá ! Inicialmente gostaria apenas de desabafar um pouco ,já fã. Algum tempo q lido com a mesma situação que vcs ,pois meu esposo é dependente químico e após muita luta ,muitos problemas com a polícia ele aceitou fazer o acompanhamento no caps...mas infelizmente a ponta do ice Berg dele encontra-se com seus parentes o pai alcoólatra está sempre rodeando ,oferecendo bebida e minha luta tirna-se cansativa e desgastante ...honestamente estou com vontade de desistir

    ResponderExcluir
  10. Olá, lendo os comentários me vi sem cada um em certas particularidades. Meu marido é dependente químico. Eu trabalho com esse público e o conheci no meu trabalho. Ajudei ele a se recuperar, a buscar tratamento e só depois q ele estava limpo foi q eu me apaixonei por ele. Tudo foi mto rápido e ligo nós fomos morar juntos. Meu marido é uma excelente pessoa, faz tratamento no CAPS,mas nesse 1 ano q estamos juntos ele já teve algumas recaídas. Está saído de uma agora. E essas recaídas São mto ruins, para ele e para mim. Ele me fala coisas horríveis, faz mtas coisas ruins. E eu sempre o perdoo... Mas não consigo esquecer as coisas q ele faz e fala. Isso é normal? Eu perdoo, mas não esqueço. E isso está me afetando... Morro de medo dele recair novamente, pois estou mto frágil com o q ele faz qdo bebe. Depois q ele volta ao normal, ele pede desculpas e marido excelente, mas sinto q essas recaídas dele estão me afetando mto. Eu o amo, mas não sei até qdo foi aguentar essas recaídas. Me sinto mto sozinha. Não sei como resolver isso na minha mente.

    ResponderExcluir
  11. Raquel, eu sei muito bem como é sentir a recaída. Não tem um mês que meu marido saiu da clínica e recaiu três vezes. Infelizmente com mentiras, conversas e sabemos como tudo ocorre de como a manipulação da mente deles envolvem em uma historia sem pé e nem cabeça..o que peço a ele é só que Deus o guie e cuide aonde ele for.
    Não está sendo fácil pois eu sei que é uma doença que não tem cura, meu marido não tem a confiança em se abrir e falar tudo o q se passa na cabeça dele e principalmente as drogas que ele vai atrás. A confiança é tudo mas hoje não existe entre nós. Muitas discussões, brigas, agressões..mágoas..tudo por causa dessa doença que corrompeu a família inteira.
    Fui lendo os depoimentos e percebi que não é somente eu que amo uma pessoa sem ver os defeitos e muitos defeitos de caráter e se submeter a viver uma vida que é uma escolha minha e de muitas que amam seus dependentes.
    Também não sei se irei aguentar a minha vida inteira essa rotina pois não vejo q meu marido quer ser ajudado, pois semanalmente vem ocorrendo essas recaídas. E ele fala com todas as palavras que me ama, e infelizmente amando o meu marido como o amo e aguentando tudo mas tudo que eu já enfrentei e aguentei..agora terei que tomar uma atitude pois não quero mais viver assim.
    Penso que irei amá-lo sempre, ele é e sempre vai será pessoa que eu amo e que enfrentaria tudo por ele, mas meu limite já estravasou..e irei viver minha vida de outra maneira sem ele..continuando a amá-lo...essa é a decisão que hoje eu tenho.

    ResponderExcluir
  12. Raquel, eu sei muito bem como é sentir a recaída. Não tem um mês que meu marido saiu da clínica e recaiu três vezes. Infelizmente com mentiras, conversas e sabemos como tudo ocorre de como a manipulação da mente deles envolvem em uma historia sem pé e nem cabeça..o que peço a ele é só que Deus o guie e cuide aonde ele for.
    Não está sendo fácil pois eu sei que é uma doença que não tem cura, meu marido não tem a confiança em se abrir e falar tudo o q se passa na cabeça dele e principalmente as drogas que ele vai atrás. A confiança é tudo mas hoje não existe entre nós. Muitas discussões, brigas, agressões..mágoas..tudo por causa dessa doença que corrompeu a família inteira.
    Fui lendo os depoimentos e percebi que não é somente eu que amo uma pessoa sem ver os defeitos e muitos defeitos de caráter e se submeter a viver uma vida que é uma escolha minha e de muitas que amam seus dependentes.
    Também não sei se irei aguentar a minha vida inteira essa rotina pois não vejo q meu marido quer ser ajudado, pois semanalmente vem ocorrendo essas recaídas. E ele fala com todas as palavras que me ama, e infelizmente amando o meu marido como o amo e aguentando tudo mas tudo que eu já enfrentei e aguentei..agora terei que tomar uma atitude pois não quero mais viver assim.
    Penso que irei amá-lo sempre, ele é e sempre vai será pessoa que eu amo e que enfrentaria tudo por ele, mas meu limite já estravasou..e irei viver minha vida de outra maneira sem ele..continuando a amá-lo...essa é a decisão que hoje eu tenho.

    ResponderExcluir
  13. Sou TW, tenho 51 anos e sou nova aqui. Esse blog me ajudou muito a entender no que eu estava me metendo, quais os "riscos", problemas, verdades nuas e cruas. Apaixonei-me por um DQ (engenehrio, mestrado, bonito, sarado, divertido, inteligente, meu numero...)numa fase na qual ele estava limpo pq se preparava para uma cirurgia. o 1o mes foi um sonho de namoro. MOravamos juntos de fim de semana na minha casa no interior, compartilhavamos dos mesmos interesses, festas mil em casa, comida no fogao a lenha, viagens, tudo de bom. Eu estava feliz, achei que havia encontrado meu companheiro. Ate que a cirurgia passou e as coisas comecaram a mudar. Como sou medica, percebi logo o que estava acontecendo, mas por natureza e profissao, nao julgo, sempre dou uma chance. ate que no natal ele extrapolou e apareceu com o nariz todo branco. nao havia mais o que esconder. ele nunca havia se internado e eu disse que essa seria a unica saida dele. ele ocncordou pela 1a vez em se internar. entre natal e ano novo a casa caiu e eu o mandei embora pq nao podia ser cumplice do modo de vida dele. procurei os irmaos e pedi ajuda par ainterna-lo. em 3 dias eu consegui a clinica de graca, e deveriamos ir numa entrevista. ele foi contrariado e se sentiu traido pq eu procurei os irmaos. ok. augntei o tranco. so que ele voltou para a ex mulher, que segundo a irma é alcoolatra. e essa volta com ela me parecia obvia pq afinal, é a zona de ocnforto ja que viveram 5 anos e ela aceitou a vida assim. OK. continuei fazendo tudo para a internaçao. um belo fim de semana, ele sumiu era carnaval. procurei a irma, que me ignoru e depois o irmao que acabou me falando que ele havia sido internado por ela havia 5 dias e que nao queria a visita de inguem. ok. passou 2 meses resolvi mandar uma bandeja de doces e um cartao. apos 1 semana liguie e falei com o "educador'que me disse que ele nao havia recebdo nada. liguei depois de 2 dias e o mesmo educador me disse que ee ficou muito bravo com o meu telefonema e que nao queria contato como mundo. ok. fiquie na minha e triste pq meu gesto era para o alegrar e mostrar que nao tenho raiva. essa semana faria 3 meses que ele estava internado, qual nao foi a minha surpresa quando me contaram que o viram final de semana passado , no sabado, estava num pesqueiro na cidadezinha de interior perto de casa, fumando, bebendo cerveja e cairpirinha gorodo, acomanhado da ex e de um casal. nao acreditei, liguie no local da internacao , disse que era uma prima e perguntei dele, me disseram que ele havia saido. dei uma de sonsa e perguntei se teve alta. disseramq ue nao, mas que eel esta otimo, pois conversaram muito com ele. Essa desqualidifcada da ex o buscou no local e forma direto "comemorar"bebendo. nao acreditei. enfim...essa linda historia de amor chegou ao seu fim. Ser DQ é uma doença, mas nao querer se tratar é uma escolha. e nessa escolha nao cabe a minha pessoa. eu o amo, mas nao estou disposta. depois de tudo que li aqui, da vida de gueirreira que voces todas levam, levaram...nao carece a essa altura da minha vida. obrigada por me "escutarem". o uqe mai sme entristece é que ele se internou com raiva de mim e saiu com raiva de mim acho que nao entendeu nada. se acha poderoso. ahca que controla a cocaina e o destilado. uma pena. bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá. Estou aqui lendo o relato de vcs e me identifiquei demais. Meus olhos estão inchados de tanto chorar, já é a terceira noite de recaída do meu esposo. Tos duas crianças de 6 e 4 anos, que mesmo eu fingindo e mentindo q está tudo bem, já começar a perceber. Acabo de fazer minha filha dormir e me cortou o coração como nunca ouvila orar e pedir que Deus trouxesse o pai de volta, e ainda me disse que estava com medo dele nunca mais voltar. Me senti culpada por ver a dor dos meus filhos e definitivamente preciso fazer alguma coisa. São 14 anos de relacionamento e nos últimos 5 minha vida se tornou um inferno. Já tentei de tudo... Briguei, bati, fui embora, voltei, perdoei, fui amorosa, compreensiva, serena e final.ente, percebi que nada posso fazer. Sempre quando ele recaí eu vou atrás, trago o carro ou moto pra ele não vender, escondo tudo q for pequeno, bloqueio os cartões e faço de tudo pra interromper A obcesão, faço isso pois sei q quanto mais ele usar menos chances eu tenho de que ele volte a si. Mas apesar de tudo sempre ouço ele dizer que não ia vender nada, q eu não precisava fazer nada e a culpa sempre cai pra mim denovo. A única vez q não impedirá, ele vendeu tudo em casa. Fogao, geladeira, computador, notboks, máquina de lavar, materiais de construção q agente tinha pra reforma da casa, sem contar objetos pessoais dele, meu celular... E muito dinheiro, deu até o carro, e foi parar numa internação compulsória pois foi a única maneira de para- lo. Desde então, me senti muito culpada por deixar ele chegar a esse ponto e venho me sacrificando em tudo por ele. Até o salário dele sou eu quem recebo. Mas entendi q não cabe a mim e sim a ele se cuidar. Sei onde ele esta, mas desta vez não fui busca-lo, não bloqueei os cartões nem fui buscar a moto, e como já disse já é a terceira noite. Depois de tanta droga, não sei se conseguirei traze- lo de volta pra realidade, estou com medo de perde-lo, mas ao mesmo tempo cansada demais pra lutar por ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ola querida, sou medica e ex-namorada de um DQ. Nao sinta culpa. DQ é uma doença e nao se escolhe, mas se tratar é uma escolha. Voce nao escolheu essa vida e nao vai tira-lo dela se ele nao quiser. Voce e suas crianças nao merecem isso. Deixe-o afundar-se e seguir os eu destino, por mais duro que isso seja e por mais cruel que pareca o que estou dizendo, Voce nao escolheu essa vida. Ele sim, Seus filhos merecem paz. acalme-se. Toque a sua vida. Nao viva a doença e a escolha dele. Pense nos seus filhos

      Excluir
    2. sou dq mais faz 5 anos que tou sem uso de bebidas naose entrege nas recaidas lute nao desista fe em deus vc vai cons que deus abençoe

      Excluir
  15. Bom dia...sou mãe de um " ex " usuário de maconha que por quase 6 anos fez uso da mesma, bebendo e no ultimo ano pediu ajuda para mim, levei a um pisquiatra e a uma piscóloga, iniciou um tratamento para transtorno de comportamento,a cada consulta no pisquiatra ele dizia que parava de beber mais de fumar nunca, pois dizia que a maconha o relaxava, e nós por falta de informação acabamos coniventes com a situação e fingiámos que não víamos ele fumar em dentro de uma edícula no fundo do quintal que ele dormia e fez de lá seu quarto, pois havia banheiro tb....depois de 9 meses tomando remédio, fazendo uso de alcool e maconha, deu thuthu...em janeiro deste ano o internamos, em uma clinica tipo um quartel...deixamos ele por quase 100 dias lá, mais acabei percebendo a cada visita que ele estava melhor e muito consciente e sempre nos agradecendo, apesar de reclamar da comida, dizia que seguia todas as regras do lugar para não ser punido, e nos contava absurdos do centro terapeutico onde estava,batiam nos meninos que tentavam fugir, trancavam em quartinhos quando dava a crise de abstinência, viu gente falando sozinha por conta do uso abuso da maconha, viu gente tendo crise de epelepcia por conta do uso do crak...enfim foi para o verdadeiro inferno...aceitou o tratamento , esqueci de dizer que a internação foi involuntária e ele foi de boa, tipo como ele mesmo dizia...já que não tenho saída melhor ir e ver no que vai dar ....nós os pais procuramos o amor exigente e começamos a nos tratar e entender melhor a dependência dele, e assim se passaram todo eeese tempo que parece pouco mais para nós foi uma eternidade, um filho lindo, inteligente, carinhoso que estava totalmente dominado...ficou agressivo com as palavras, pegava dinheiro pouco mais pegava, mentia, me enrolava direto...só que ele começou a ser assediado no local e conseguiu nos contar, e por ser homesexual, ficamos com medo e o retiramos de lá. ele já havia pedido misericirdia a Deus dizenso que se o tirasse de lá ele nunca mais usaria drogas e que tinha entendido que ele não pode nem passar perto...bom enfim ele está há quase 3 meses em casa, fizemos um quarto para ele dentro de casa, esta calmo, mudeou de amizades, frequenta um grupo de apoio da fazenda esperança que funciona no caps da minha cidade, faz tratamento no centro espírita tb , e ele gosta somos kardecista em aprendizagem...frequentamos palestras e por enquanto estamos controlando a situação...mais ainda existe a desconfiança....só que entendemos que já fizemos tudo que podíamos fazer por ele, e as escolhas daqui para frente são dele e não podemos modificar isso, está bem orientado, aprendeu sobre todos os tipos de drogas e seus efeitos, sabe o quanto o amamos e demonstramos esse amor a ele...só que não podemos viver por ele...agora estamos vivendo por nós tb....é verdade que mudamos algumas coisas em nossa casa e em nós....ele tb se esforça muito...sai muito pouco de casa...e quando sai ´´e só com o grupo novo que não faz uso de drogas....estamos confiando com um olho aberto outro fechado...mais não podemos e nem queremos abandoná-lo...a não ser que ele resolva sair da nossa casa com suas próprias pernas, empregado, com sua casa aí é outra história...mais asssim vamos vivendo com muita fé em Deus...que tudo já passou, foi uma fase muito difícil e que agora já temos armar para ajuda-lo a combater a sua adcção...espero poder ter ajudado algumas de vcs..há meu filho tem só 24 anos e muita lenha pra queimar ainda..eu 50 e meu marido 53 a. e mais dois filhos um de 27 e um de 2o...os quais tb nos deram muito apoio e uma netinha de 8 meses...estou procurando minha paz na religião e no amor que tenho por minha família....obrigado...abraços a todos e confiem em Deus...meu nome é Isabel.

    ResponderExcluir
  16. Bom dia, Isabel
    Meu esposo é DQ. Estou me sentindo tão perdida..
    Não sei o que faer e nem que decisão tomar.
    lucianasoarescica@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá...acho que vc deve tentar ajudá-lo se ele quiser...aprendi que um DPQ tem que querer mudar...para ele mudar temos que mudar primeiro...mudar nossas ações...tipo eu parei de fumar e de beber, evito festas...até para dar exemplo...eu sei que meu filho recaiu e esta fazendo uso de vez em quando da maconha e bebendo...de momento vc fica sem chão...depois percebi que se ele não quiser nada vai mudar....uma das mudanças radicais que fizemos, foi por ordem na nossa casa...se ele quiser usar...na nossa casa nunca mais vamos admitir e procuramos não facilitar as coisas pra ele...tipo dando dinheiro...até damos as vezes mais muito pouco, par um cigarro um lanche e um refri...agora ele vai começar a trabalhar e terminar as DPS da faculdade esse ano...estamos receosos pq ele terá dinheiro na mão...mas não podemos impedi-lo de nada...agora deixamos bem claro que a vida tem dois caminhos e a escolha será dele e que assuma as consequências..por isso trabalho meu coração para o bem e para o mal...e continuarei amando meu filho só que jamais aceitarei o que ele faz...apoio moral ele sempre terá e só...Acho que vc precisa se amar mais...coloque-se em primeiro lugar...quando ele quiser ajuda ele vai te pedir.Eles mentem d+ e com a maior cara de pau...meu filho recaiu e eu sei..e ele fala na cara dura que lamenta a recaída de fulano e ciclano que conheceu na clinica onde ficou....eu escuto e sinto pena..mais não posso mudar nada nele...ele tem que saber dos riscos que corre...já levou até batida da polícia..estavam fumando maconha com os novos amigos...fiquei sabendo pq tenho conhecidos na policia...e aí...eu aviso, converso muito..mais se acontecer o pior pelo menos a minha consci
      ência ficará em paz, fizemos o que tínhamos que fazer, colocamos ele de pé...agora é com ele...só oro a Deus para que tenha piedade dele e da gente tb...e pensamento positivo sempre...procure o Amor exigente mais próximo que eles te ajudarão e muito..se cuide..do contrário vc não conseguirá ajudar ninguém ..nem a si própria.Beijos e muita paz para vc e sua família.

      Excluir
  17. Ola! Descobri que meu namorado esta fazendo o uso de crack, quando descobri fiquei sem chão, larguei dele mas em seguida ele me procurou disse que iria parar e que queria a minha ajuda... então conversamos, ele me revelou que a 8 anos que conheceu a droga e que usa casualmente que fica 10 meses,1 ano, um mês, 3 mesese sem usar e assim vai, ele sabe o que esta fazendo, ele tem noção do perigo, ele trabalha, terminou os estudos ele sabe disfarçar bem, voltei pra ele estava tudo normal ele estava bem presente, mas desconfiei q ele tinha usado algumas vezes, perguntei ele negou, ate que um dia ele não aguentou e usou na minha frente, eu nunca tinha visto mas desta vez eu vi e mais uma vez perdi o chão, estou separada dele, penso se estando comigo ele fez isso então não adianta eu estar ao lado dele, ele não me respeitou, ele diz que agora que eu vi ele estar com muita vergonha e quer minha ajuda, mas eu acho q ser ele vendo que não estou do lado dele, que eu estou vivendo a minha vida, acho que ele vai sentir minha falta e querer mudar de vez, por que ele não tem muito apoio de familiares. se eu fico agora ele vai achar que eu já sabia da situação não tem por q eu ficar brava, estou sem saber se ficou ou se realmente dou um tempo pra ver se ele cai na real. o que eu faço gente ?

    ResponderExcluir
  18. Meu ex marido é um adicto estava 6 meses limpo. Nos separamos tem 2 dois meses, depois de tantas mentiras e histórias que destruíram nossa relação, ontem ele me ligou dizendo que me ama e estava afim de usar. Tentei conversar mostrar que ainda o amo e que estou ao lado dele. Hoje ele me ligou dizendo que recaiu estou despedaçada. Não sei como agir. Ainda o amo e quero o melhor pra ele. Ele me culpa, disse que foi pq falou comigo ontem e ficou mal pq não resolvemos nossa situação. Não quero mais viver a vida que tinha com ele. Não consigo mais me sinto culpada. Descobri que estou grávida e achei que isso seria um estimulo pra ele mudar. Mas ele é egoísta e mentiroso. A droga parece tirar o sentimento. Não transmite afeto. Desculpe o desabafo. Estou despedaçada. Não sei o que pensar como agir. Mas queria ajudá-lo.

    ResponderExcluir
  19. Sou DEPENDENTE QUIMICO EM RECUPERAÇÃO E LIMPO
    hoje ajudo e tenho satisfação em ajudar quem precisa, famíliares de dependente quimico em drogas e alcool, que tem duvidas, precisa de auxilio, entender oque fazer nos momentos horríveis, desabafar..
    Não importa se seu parente dependente é criminoso ou morador de rua, isso não é motivo para se esconder e não se abrirem ou procurar ajuda, estou querendo ajudar de coração, podem entrar em contato comigo. não estou aqui para julgar ou passar a mão na cabeça de adicto mas sim de ajudar ambos se precisar, sei como é dificil ser um adicto e ser codependente...
    OBRIGADO!!!

    fiquem com seu poder superior, e vivem só por hoje meus amigos!
    FELIPE WHATS (65) 9 9217-0248

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! É comum uma pessoa a 4 anos limpa ter uma recaísa?

      Excluir
  20. Olá tenho um pai adicto em tratamento, e me interessei pelo coordenador que é adicto mais faz anos que está limpo, porém minha mãe quer proibir o meu namoro não sei o que fazer gosto dele.. o que faço?

    ResponderExcluir
  21. Hoje ele voltou depois de 4 dias até fedendo eu chorei mais aceitei de volta depois que eu disse que não aceitaria !!! Eu não sei o que fazer não sei não sei !!!! Quero morrer por mim sentir assim!!!

    ResponderExcluir
  22. Bom dia pesquisando sobre achei esse blog e me senti a vontade para poder desabafar.. Estou a 2 anos noiva não tenho do que reclamar ele é uma pessoa maravilhosa. Quando me contou que era usuário de cocaina estávamos a 3 meses juntos, perdi meu chão e meu mundo desabou. Sofro de gastrite crônica emocional e nesse dia fui para o hospital.Perdi socorro e minha ajuda eu sempre fui contra mais resolvi dar uma segunda chance. Foi um ano e dez meses limpo e ontem ele teve uma recaida, não mentiu pra mim assim que aconteceu me avisou e falou que foi fraco. Amo ele demais e sei o quanto isso é difícil não só pra ele mais pra mim também, porque sofro junto e sim já sou uma coodependente. Sei do potencial dele e da força que tem e me orgulhei desse 1 ano e dez meses pois até conseguimos nos formar juntos no técnico. Porém tô com mt medo mas resolvi da uma última chance antes de larga td e ir viver minha vida. Hoje só sinto uma dor no coração por saber que existe esses vícios malditos e que eles destroem vidas e família, só peço a Deus força para mim e para ele.

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde, depois de ler vários depoimentos vim aqui desabafar com vocês sobre o meu caso. Namoro um rapaz adicto e depois de 1 ano e 6 meses ele teve uma recaida, onde me desmoronou totalmente. Ele sumiu de casa por 3 dias fui buscá-lo em um bar pois me ligou e pediu ajuda e que queria voltar pra casa, não passou 24h dentro de casa e sumiu novamente entao pediu ajuda para ser internado. Hoje ele se encontra internado, porém dando trabalho na clinica com a idéia de querer vir embora pois esta internado em uma clinica em outro estado. E de verdade não sei como agir a essa situação e nem como ajudá-lo quando retornar. Espero poder contar com ajuda de vocês e por amá-lo não quero deixar sozinho para nao se destruir mais ainda. Agora sei que tenho que saber lhe impor limites e me manter firme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei bem o que vc tá sentindo, mas aprendi que nada disso é culpa nossa. Assim como o seu o meu tbm foi forte e por um tempo conseguiram se manter limpo. Mas infelizmente a recaida nesses períodos são piores. Meu noivo hoje está a 15 dias limpo por enquanto não precisamos interna lo. Mas pra mim a cada novo dia tem sido difícil é tenho medo pois guardo esse segrego só pra mim e ele. Conversa com ele não deixa ele desistir agora. Sei que não é fácil pra ninguém, mas tbm não é impossível só basta ele realmente querer a mudança. Agora vc tem que está preparada se realmente quer está ao lado dele, pois não é fácil msm eu mesma já tive momento de querer larga tudo e larga ele mas não consigo pois o amo demais. Essa vai ser uma luta todos os dias para sempre. Pois o vicio é uma doença e tem que ser tratada para sempre. Mt luz para nossas vidas e de nossos adição. Fé em Deus

      Excluir
  24. A mae do meu namorado o internou involuntariamente numa clinica pra dependentes. E não deixa eu ter contato com ele na clinica, não posso ligar pra ele pois ela não autoriza. Então queria saber se isso pode mesmo acontecer? Nao me dou bem com a mae dele e ela tem ciúmes dele e não reconhece que só faço o bem pra ele. Então como fazer nessa situação ele tem 30 anos. Vc sabem tbm quanto tempo fica uma pessoa internada involuntariamente ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. A internação involuntária é de uns 5 a 6 meses. A mãe é responsável por ele. E é ela que decide quem pode ligar. É assim porque você só é namorada e só. Bom seria que vocês se unissem para ajudá- lo. Paciência! A vida dessa mãe com esse filho ter sido muito difícil. Mais do que você possa imaginar. Frequente o grupo AmorExigente. Força.

      Excluir
  25. Alguém aqui já teve algum caso de alguém a 4 anos limpo ecdepois teve uma recaída? Pois estou desconfiada de meu namorado.

    ResponderExcluir
  26. Olá...Conheci meu marido pela internet há dois anos atrás...e sem saber, tenho uma leve desconfiança que ele já usou drogas, acontece que estas suspeitas me ocorreram por dois incidentes desde que estamos juntos, um deles, foi no ano passado, chegou com o nariz sangrando, emagreceu, e acabou perdendo o emprego, e o outro mais recentemente um conhecido disse que viu ele fumando maconha enquanto estava indo ao trabalho.
    É o único horário que não estou com ele, ele não admite para mim, mas sei que está mentindo...ele passa todo o tempo dele comigo, mas neste horário não estou presente e tenho muito medo que ele se afunde...Não sei se ele é um ex recuperado, ou se não tem vício e usa esporadicamente, mas a questão é que meu orgulho é muito maior, e não saberei perdoá-lo se eu tiver certeza que realmente ele é usuário. E por ele mesmo saber disso, acho que não admite para mim, por isso...Preciso de ajuda para saber como lidar com a situação, não sei se devo dar um voto de confiança, até que no ano seguinte, mais alguém me conte alguma coisa, ou se acabo com o meu casamento, pois ao contrário de vocês, não teria essa estrutura psicológica para aceitar essa tortura, quase que diária de vocês.

    ResponderExcluir
  27. Bom sou casada com um adicto.Quando o conheci ele já estava limpo há dois anos. Nos casamos fazem 4 anos de casados contudo ele 7 anos limpo. Porém esse ano de 2017 foi o ano da recaída dele fiquei sem chão mais sempre o perdoei fui atrás dele na boca e busquei ele, não sei de onde vem tanta coragem da minha parte fico muito triste pois 7 anos limpo e recair assim? Me sinto afetada estou doente com ele não sei para onde correr...

    ResponderExcluir