quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Conheci 126 milagres!

Essa casa da foto do banner é de Bill W., fundador do A.A.


Bom diaaa! Tudo bem com vocês?

Por aqui, tudo bem!

E hoje estou aqui para dizer a vocês que recuperação realmente existe!

Neste fim de semana, participei de um ciclo de estudo dos doze passos, de Alcóolicos Anônimos, e fiquei encantada!

Conheci um senhorzinho que viveu 35 anos de ativa, e hoje está há 22 anos em recuperação!

Na verdade, são vários... Eram 126 participantes, e muitos deles limpos há décadas!

Tive o prazer de conhecer pessoalmente o companheiro de Blog, Junior, autor do Blog Limpo Só por Hoje, que é um exemplo! O Junior entrou no mundo das drogas ainda criança, e logo cedo chegou ao fundo do poço: crimes, prisões, violência, desesperança... Esse amigo está limpo há 18 anos do álcool, e há 10 anos de outras drogas. E hoje, quem vê aquele rapaz de voz tranquila, falando sobre recuperação, nem imagina de onde ele saiu... Parabéns, amigo!


Companheiro Junior, adicto em recuperação!


Separei, com carinho, alguns relatos que ouvi no ciclo:

“Com o décimo passo, aprendi a não cobrar nada de ninguém. A dar o meu melhor, sem esperar nada em troca. Recordo que meu casamento estava péssimo, porque eu queria que minha esposa acompanhasse o meu crescimento espiritual. Mas, qual era o meu nível de crescimento espiritual? Nenhum, pois eu ainda esperava algo dos outros. Então fiz o meu inventário. Entreguei para Deus o que eu não podia mudar. E fui trabalhando o autodomínio...”

“O primeiro privilégio que Deus me deu foi o da vida. Criei várias situações em que poderia ter morrido, mas a Deus coube me manter aqui. Foram 20 anos de muito sofrimento, e também de muito esforço pessoal. Por isso, hoje agradeço a Deus pela minha sobriedade, pois sozinho eu não conseguiria. Foi uma árdua caminhada, que começou lá no boteco, e que me levou à “lata do lixo”. Eu vivia o sinônimo da dor. Mas, foi pelo caminho da dor que cheguei a uma sala de A.A.”

“Foram centenas de recaídas, talvez até milhares, até o momento em que disse a mim mesmo: CHEGA! E enquanto eu não atingi o meu fundo de poço, não consegui mudar, porque eu sou preguiçoso, eu gosto de protelar, de adiar as coisas. Mas, quando eu disse CHEGA, foi pra valer. Por mim mesmo eu nunca consegui parar, então só posso pensar que Alguém maior do que eu é quem me mantém sóbrio nesses anos todos...”

“Eu fui um péssimo diretor do show da minha vida. Não gostei do show que apresentei. Aliás, nem a plateia gostou. Ninguém gostou. Eu era um péssimo condutor da minha vida. Caía em todos os buracos. Então como sou um péssimo diretor, e um péssimo condutor da minha própria vida, decidi aceitar a minha impotência, e entregar para Deus...”

“Juntei tanto lixo emocional em minha vida. Tanta mágoa, ressentimentos. Eu precisava do perdão. Precisava me perdoar, e pedir perdão aos que causei danos. E digo uma coisa, ainda que o outro não te perdoe, não existe perdão mal sucedido. Quando você é perdoado, os dois são beneficiados. E quando você não é perdoado, ainda assim, um dos lados (você) é beneficiado. Não funcionou para o outro, mas funcionou para você...”

"Hoje, rogo a Deus pelo conhecimento da Sua vontade em relação a mim. Foi preciso uma preparação para que eu deixasse de levar a Deus apenas os meus pedidos, e passasse a escuta-Lo, e a entender a Sua vontade em minha vida...”

“Na minha recuperação, a humildade é essencial. Quando sou humilde, não me sinto ofendido, pois reconheço que nada é feito contra mim. Então, mesmo quando sou magoado, posso me ajoelhar diante de Deus, e gozar da calmaria, ainda que tudo ao redor seja tumulto...”

“É preciso ter um despertar espiritual. Não apenas parar com a droga, mas despertar. Alguns param, mas continuam adormecidos. E enquanto estamos adormecidos, não conseguimos enxergar essa mensagem tão óbvia...”

“Descobri que não são os conflitos que me incomodam, mas sim a forma como eu enxergo esses conflitos...”

“Estamos aqui para nos capacitar a viver longe da nossa droga de preferência. Aqui ninguém é melhor que ninguém. Tanto faz se é a primeira ou a trigésima vez que você está aqui...”

“Eu achava que bebia socialMENTE. Grande mentira isso! Mas, aqui encontrei o que eu procurava em um copo de cerveja. Os doze passos me trazem ao equilíbrio. E aqui tenho acolhimento, os olhares, as palavras que necessito...”

“No início dos Alcoólicos Anônimos, Psiquiatras descreveram as características de um alcoólico: somos infantis, emocionalmente sensíveis, narcisistas e cheios de mania de grandeza. Para trabalhar tudo isso aí, eu preciso dos 12 passos e das 12 tradições...”

“O despertar tem que ser contínuo. A vida não vai mudar. Coisas ruins continuam acontecendo. Mas, nós podemos suportar sem fugir para a droga...”


Gente, é isso aí. Me emocionei muito na reunião. Ao final fizemos um círculo gigante, e todo mundo junto fazendo a oração da serenidade, foi lindo. Muitos abraços, seguidos de “obrigado”, e muitas vezes de lágrimas. Lindo, lindo!

Embora eu não seja alcóolica, ou dependente de outras drogas, aprendi muito ali. Todas as palavras que escrevi aqui, servem de modelo para mim também, afinal, tenho tantos desafios a superar em mim mesma. Não sou melhor do que nenhum deles, não mesmo. E também preciso de tudo isso para vencer a minha codependência, o meu vício pelos “outros”, dentre outros defeitos.

Ao final do evento, tocou a música do Ivan Lins, Novo Tempo, que diz: “... no novo tempo, apesar dos castigos, estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos pra nos socorrer... No novo tempo, apesar dos perigos da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta pra sobreviver... Pra que nossa esperança seja mais que a vingança, seja sempre um caminho que se deixa de herança... No novo tempo, apesar dos castigos de toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga pra nos socorrer... No novo tempo, apesar dos perigos de todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados pra sobreviver... No novo tempo, apesar dos castigos, estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas pra nos socorrer...”


Mude! Você também pode!


Desejo a todos os nossos familiares adictos um novo tempo. Um tempo em que eles sejam movidos pelo “CHEGA”, pelo “BASTA”. Um tempo de recuperação. Um tempo de verdadeiro querer. Um tempo de algemas quebradas...

E desejo a nós, familiares, também um novo tempo. Em que estejamos marcados não só para sobreviver, mas para viver! Um tempo de força, e de verdadeira recuperação. E ainda que talvez o nosso familiar não esteja bem, que comece por mim e por você a mudança.

Acredite, existe recuperação... Pra eles, e pra nós!

Leitores de Brasília, CLIQUE AQUI, e conheçam o Projeto Ame, mas não sofra!, da Secretaria de Justiça do Distrito Federal, às famílias!


Beijos.
Poly.

4 comentários:

  1. Valeu, Poly!
    Foi simplesmente maravilhoso estar contigo esses dias.
    Agradeço, de coração, a gentileza pela qual fui recepcionado e pela atenção à mim dispensada.
    Espero que possamos viver outros bons momentos.
    Um grande abraço de quem muito lhe admira.
    TAMUJUNTU.

    ResponderExcluir
  2. me identifiquei demais com esse “Com o décimo passo, aprendi a não cobrar nada de ninguém. A dar o meu melhor, sem esperar nada em troca. Recordo que meu casamento estava péssimo, porque eu queria que minha esposa acompanhasse o meu crescimento espiritual. Mas, qual era o meu nível de crescimento espiritual? Nenhum, pois eu ainda esperava algo dos outros. Então fiz o meu inventário. Entreguei para Deus o que eu não podia mudar. E fui trabalhando o autodomínio...”

    ResponderExcluir
  3. Bom Olá
    Conheci o Blog hj pesquisando clínicas para meu namorado meu amor da minha vida ...
    Ele recaiu mais uma vez deve de estar na rua sem comer dormir vivendo nesse maldito mundo me doi muito saber q ele está nessa situação ... n sei oq fazer eu e sua mãe queremos muito ajuda lo ele é um cara maravilhoso trabalhador esforçado guerreiro inteligente é o cara q amo ...Mas é dependente químico queremos muito ajuda lo só ñ sabemos como...ele é adcto desdo 15anos o conheço a 2anos e sempre foi assim um tempo limpo e ñ durava 3meses mais uma recaída ...na minha ignorância de conhecimento sempre terminava o namoro....Mas o amo muito ñ qro ficar sem ele...

    ResponderExcluir