quarta-feira, 4 de setembro de 2013

O herói sem nome!

Essa história mexeu tanto comigo, que mesmo tendo acontecido há 12 dias, vale a pena relatar...


Felipe, um jovem de 22 anos, portador de problemas psiquiátricos, desapareceu no dia 09 de agosto. Seria o seu primeiro dia de aula na faculdade de Educação Física, mas ele não voltou para casa. A família estava em desespero, pois o jovem precisava tomar seus remédios controlados. Era possível ver em todos os pontos de Brasília cartazes com a foto do rapaz e o telefone para contato.

O caso comoveu a cidade. Onde estaria Felipe?

No dia 22 de agosto, Felipe foi encontrado. A primeira reportagem que li sobre o caso dizia que ele havia sido encontrado por um “morador de rua”.

"Gente, mas por que não falaram o nome do rapaz, afinal, ele é um herói!” Indaguei.

Quem seria esse herói sem nome que encontrou Felipe?

Esse “morador de rua”, foi pedir uma informação para Felipe, que dormia em uma caixa de papelão, e o reconheceu. Então ele avisou aos funcionários de uma autoescola, próxima ao local, para que o rapaz não fugisse.

Ele foi até uma feira próxima, olhou a foto do rapaz no cartaz, e não teve dúvidas, era mesmo ele. Então, por meio de uma funcionária da autoescola, avisou à polícia e à família.

O final da história de Felipe havia sido feliz...


Felipe, ao lado da família.

Mas, quem era esse herói sem nome?

Seu nome é Adeilson Mota de Carvalho. Dependente químico.

Se a mãe de Felipe passou tristes noites sem notícias do filho por doze dias, a mãe de Adeilson, do Pará, já não sabia mais o que pensar, sem notícias do filho há cinco meses...

Adeilson não quis receber recompensa em dinheiro da família de Felipe, mas recebeu um presente muito mais valoroso: a oportunidade de se tratar.

Ele foi internado em uma Clínica, e está recebendo o apoio da família de Felipe para se recuperar.


O seu nome é Adeilson!

No telefonema à sua mãe, Adeilson, o herói, pergunta: “mãe, você está orgulhosa de mim?”

“Sim, filho, estou muito orgulhosa.”

Adeilson encontrou Felipe.

E a família de Felipe encontrou Adeilson.


E torço para que esse final seja feliz para todos. E que Adeilson nunca mais perca o seu nome, e nem se esqueça do que ele é capaz...

10 comentários:

  1. Adoro as suas postagens. Me transmitem muita ternura e paz. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente uma história linda!!!
    Que Deus abençoe o Adeilson!

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo e tocante.
    Que Deus abençoe ao Adeilson trazendo cura e resgate da auto-estima!
    Mesmo "invisível" aos olhos de muitos ele estava atento ao próximo.
    Muito amor!

    ResponderExcluir
  4. E o mundo continua sendo esse eterno "encontrar"...

    ResponderExcluir
  5. Soube dessa história tb. Maravilhoso o que ele fez.
    Ele (Adeilson) está na instituição Salve a Si, próxima a Cidade Ocidental - GO. Para quem precisar, eles tem site na internet. Parece ser uma ótima instituição.

    ResponderExcluir
  6. Essa história foi muito emocionante mesmo e teve um final feliz para todos. Mas, na boa, toda matéria que publicam na correria acaba faltando informações porque o jornal quer dar o furo antes dos outros. Esse caso eu acompanhei e a primeira noticia que vi foi no Correio Brazilienze, realmente era uma notícia bem curta que logo depois foi atualizada com mais informações. Não acho que "perderam" o nome dele porque ele era morador de rua, tanto que em outra noticia é falado que o rapaz também tinha sido visto por uma dona de casa e inicialmente se referiram a ela como "dona de casa" e não pelo nome. Logo depois das primeiras notícias falaram e falaram desse caso com todos os detalhes e sempre elogiando o Adeilson, então esse negócio de heroi sem nome não cabe nesse caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao foi o jornalista que "perdeu" o nome de Adeilson... Havia sido ele mesmo quem perdera seu nome, sua familia... sua identidade, em razao das drogas. De forma nenhuma esse post eh uma critica ao jornal... Abraços!

      Excluir
  7. Esta história é a prova real que existe uma "luz no fim do túnel", não devemos perder a esperança, amei o post bjs.

    ResponderExcluir