sexta-feira, 19 de julho de 2013

Só por hoje, ele conseguiu... e eu também!



Bom dia, queridos!

Tudo bem?

Por aqui tudo em paz, graças a Deus.

Meu esposo está limpo há 3 meses e meio, e assim, as coisas ficam bem mais fáceis de se assentarem em seus lugares.

Nesses últimos dias, embora eu estivesse em paz, confesso que estava temendo uma recaída dele. Ele estava muito deprimido, oscilando de humor, sem disposição, isolado, e irritado. A gente sabe que esses sintomas não são bons sinais. Vez ou outra, tudo bem, mas quando são constantes, indicam sim que a doença da adicção está gritando.

Vejo ele se esforçando para ficar calmo, para se envolver nas coisas da família, mas de forma muito forçada, e não natural, como acontece quando ele está bem.

Tenho sido tolerante, afinal o vejo fazendo a sua parte, mantendo-se limpo, entretanto, ele e eu sabemos que manter-se limpo sozinho é muito mais difícil.

Antes de saber da minha própria doença e recuperação, eu ficava desesperada quando percebia esses sinais nele, e passava a fazer de tudo para que ele ficasse bem, como se esse papel fosse meu.

Hoje tenho consciência que não é meu. Fico triste sim, pois o amo, e quero que ele esteja bem, mas sei que isso depende apenas dele mesmo.

Então, na terça, ele me ligou do trabalho, e disse: "Amor, estou precisando de ajuda. A luz vermelha acendeu. Na verdade, já acenderam todas as luzes."

Eu respondi: "Estou preocupada com você. No que posso te ajudar? Que tal uma ida ao grupo hoje?"

Ele falou o que estava sentindo, eu o ouvi, mas não foi ao grupo.

Na quarta, em sua folga, ele passou boa parte do dia deitado. Logo ele que é uma pessoa tão disposta.

Pra complicar tudo, meu bebê estava doentinho, com falta de ar, o que me fez passar umas noites sem dormir.

Naquela manhã, fui ao mercado comprar ingredientes para uma sobremesa, e de repente, me vi chorando. Sensação de impotência. Medo. Cansaço.

Minha ultima postagem havia falado sobre os Doze Passos, e me lembrei que era uma boa hora de praticá-los.

Aceito minhas emoções e meus sentimentos, mas optar por confiar a Deus tudo o que não posso controlar me deixa mais livre, do que mergulhar no medo e na tristeza.

Foi quando me lembrei que não estou sozinha nessa. Então, recorri ao grupo virtual, em busca de alguma ajuda.

E realmente fui ajudada.

Cada um me falou de sua experiência e seus pensamentos do que poderia servir de ajuda ao meu esposo, e a mim também. E, refletindo nas palavras ditas, vi que Deus estava me dando a direção.

À tardezinha do mesmo dia, fomos a um parque com as crianças, mas o clima não estava bom. Uma distância sem razão entre nós.

Depois que voltamos para casa, após o banho e jantar das crianças, fui até a cozinha, onde ele estava:

“Amor, desde que você voltou da Instituição, tenho esperado uma atitude sua, para se ajudar, mas até agora você não tem feito nada. Você quer ficar bem, disse que a “luz” acendeu, mas não tem feito nada para se ajudar. Qual é o seu plano?”

Então ele começou a falar dos seus problemas: trabalho, família, cansaço e outros. E, enquanto o ouvia, me lembrei do que já li sobre o sentimento de vazio e insatisfação que a ausência da droga deixa.

“Amor, olhe ao seu redor, veja tudo o que Deus tem te dado, e você não tem conseguido enxergar. Não porque você não quer, mas porque você tem uma doença que começa nos seus pensamentos e sentimentos. Sozinho é quase impossível se recuperar. Eu te amo, mas se você insistir em não buscar ajuda, não quero estar aqui para ver tudo aquilo novamente acontecer...”

Após relutar um pouco, ele disse que iria ao grupo, e foi!

Peguei meu livro CEFE para ler, enquanto ele não estava, afinal, claro que tive medo dele "se desviar" pelo caminho. Após a leitura, fiz uma oração, pedindo que Deus o ajudasse a encontrar a paz que ele tanto busca.

Por volta de 21h30min, ele voltou. Estava sereno. Disse poucas palavras: “A reunião foi muito boa, ainda bem que fui!”

Ontem ele parecia outra pessoa. Animado novamente. Fazendo planos para irmos juntos a uma convenção que acontecerá em Goiás para adictos e familiares. Querendo convidar companheiros adictos em recuperação, para virem aqui em casa no fim de semana. Enfim, fazendo algo por sua própria recuperação.

Estou de férias nesses dias, e fico feliz em me ver viva, apesar dos conflitos internos do meu esposo. Fiz uma tarde de cachorro-quente para as amiguinhas da minha filha aqui em casa, tenho curtido os filhotes, e ontem tirei um dia só pra mim, com direito a repaginada no visual.

Ontem fomos todos buscar ao meu esposo no final do expediente, e foi muito agradável.

Como além de adicto e codependente, somos sobretudo um casal, ontem fiz luzes nos cabelos, vesti um vestidinho novo, me maquiei, e fui buscá-lo no trabalho. A intenção era a de fazê-lo olhar e perceber o que pode perder... Deu certo! Ele amou!

Ele veio conversando, interagindo com as crianças, tranqüilo no trânsito, ou seja, bons sinais!

Jantamos juntos, namoramos, conversamos, e agora é só continuar caminhando na direção certa.

Agradeço a Deus por ele ter escolhido pedir ajuda a mim, e não às drogas.

Agradeço a Deus pelas palavras da Rachel, Janete, Raiara, Diovana, Alice, Jenner, Patrícia, Márcia, Cinthia, Claudia, Gladys, Joyce, Tatiana, Kamila e Francyelly, que me ajudaram a agir de forma sábia com o maridão.

Agradeço a Deus porque, nesse momento, ele está em paz, com mente aberta, e dormindo na nossa cama quentinha.

E somente peço que Deus lhe dê forças para dar um passo de cada vez nessa jornada. E que Ele me dê serenidade, coragem e sabedoria para ajudar ao meu esposo, e para não me esquecer da minha própria caminhada nessa vida.

Beijão!

16 comentários:

  1. tmj nega..e emocionada..por ver como o PS age quando entregamos nas mãos dele...bjaum

    ResponderExcluir
  2. Glória a Deus Poly! que testemunho lindo da fé, amor e graça! Eu creio na restauração de seu marido, sua família, seu casamento...e segundo a bíblia, "restaurar" significa voltar à forma original que DEUS tinha para algo, de forma aumentada, multiplicada e melhorada!

    Eu creio!

    Um ótimo final de semana, e você ficou linda no novo visu!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Linda...

    Meu amor também estava assim, com essa distância, antes de recair.
    Eles insistem que podem dar conta sozinho, mesmo sabendo que não dá certo!
    Há mais ou menos 2 semanas ele chegou a me dizer que estava com muita vontade usar, mas que, pensando em nós, estava conseguindo segurar a onda.

    Mas infelizmente ele não pediu ajuda no domingo!

    Também estou conseguindo desviar o foco e cuidar e pensar em mim, graças a Deus.
    Fico feliz por nós duas e tantas outras, porque estamos aprendendo.
    Pode até ser em doses homeopáticas, mas o que importa é que aprendemos!

    Ahhh, e obrigada pelo carinho nos últimos momentos.

    Bjs,gatona!
    Você ficou gatona mesmo, vi a foto no face!

    ResponderExcluir
  4. Um dia de cada vez funciona! Parabéns pela vitória de ambos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Que bom, fico realmente feliz por vcs, sei o qto é difícil conviver com nossos adictos, que amamos tanto, na ativa. Que bom se meu marido tivesse pedido ajuda, se isso tivesse acontecido, hj ele não estaria internado a 5 dias. Ao menos sei que ele está bem, mas é muito difícil. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi Polly fico feliz por vcs,e eu queria te fazer uma pergunta,esse grupo que vc citou falando de ajuda online é o nar-anon? estou buscando ajuda online mais estou perdida ainda não sei onde encontrar gostaria que você me falasse buscar ajuda. obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se quiser participar do grupo, me add no face: https://www.facebook.com/polyanna.amandoumdq , e me envia uma mensagem solicitando que eu te adicione ao grupo... Bjão!

      Excluir
    2. Será muito bem-vinda! ♥

      Excluir
  7. Boa noite!! Polly parabéns! Fico muito feliz por vcs! TMJ bjs

    ResponderExcluir