sexta-feira, 12 de julho de 2013

A adicção não é contagiosa, mas é contagiante!



“Todo adicto na ativa é um prisioneiro do medo e os codependentes também.”

Adictos são escravos dos seus atos insanos e pensamentos repetitivos e controladores e codependentes também. Com o tempo, acabamos por nos acostumar com a dor do controle, porque existe nela uma segurança distorcida que nos é muito familiar. Por isso, é mais fácil permanecermos no falso caminho daquilo que achamos que já conhecemos, do que abrirmos mão de tudo em busca do novo e do desconhecido, para, enfim, decidirmos colocar um ponto final naquilo que nos machuca tanto. Só então a recuperação torna-se á possível para ambos.

Sabemos que a Codependência é a inabilidade de manter e nutrir relacionamentos saudáveis com os outros e consigo mesmo. Nos relacionamentos codependentes não existe a discussão direta dos problemas. Inexiste uma expressão aberta dos sentimentos e pensamentos, por que falta uma comunicação honesta e franca como um todo, e perecemos com expectativas irrealistas, falta de individualidade, desconfiança nos outros e em si mesmo.

Quem são eles? Onde vivem? O que fazem? Bem, isso parece uma chamada do programa Globo Repórter, mas não é. É difícil denominar um adicto ou um Codependente, porém, um fato absolutamente inegável, é que eles se chocam o tempo todo entre si, na família, no trabalho, e desculpe-me a sinceridade em dizer-lhes, ambos incomodam!

Existe algo que, obviamente não podemos negar: Adictos são odiosamente inesquecíveis, olhando pelo prisma da questão de uma maneira totalmente positiva. De fato, somos complicados, mas ao mesmo tempo, também somos encantadores quando queremos. Por outro lado, olhando-nos de uma maneira negativa, sabemos muito bem que somos os piores quando assim decidimos ser. Quando somos bons, somos ótimos, quando somos maus, somos absolutamente perversos. Mas temos muitas coisas boas adormecidas. Somos diamantes brutos a serem lapidados.

Adictos tornam-se inesquecíveis pelo trabalho que nos dão, ou pelo afeto e orientação que pretendíamos lhe dar e não podemos, por isso, nos frustramos tanto.

Um adicto na ativa atuando em nossas vidas é algo instigante e desestabilizador. Lidar com ele, realmente é uma loucura. Como diz a “hilária” Narcisa: Aí que loucura!

Adictos são complicados pelo frágil e descontrolado aspecto emocional e mental, mas mesmo assim, não conseguimos nos desvencilhar deles pelo simples fato de amá-los desmedidamente.

Ao aproximarmos-nos de um adicto, sempre correremos o risco de embarcarmos em uma aventura altamente perigosa e esgotante, onde seremos sugados, sem piedade, por um rodamoinho de emoções, se decidirmos acompanhá-los mais de perto.

O que de fato nunca poderemos negar é que sempre esbarraremos em adictos andando livremente por aí! Podemos lidar anos a fio com um adicto e só mais tarde percebermos o vasto estrago que ele faz há um bom tempo em suas vidas e nas nossas também...


Para ler mais sobre este texto no livro Inimigo Oculto, foco, força e fé. Acesse o site: www.darleazacharias.com.br .


Esse texto maravilhoso foi escrito por uma mulher que admiro muito, e que gentilmente me autorizou a publicá-lo no blog. A Darléa Zacharias é uma companheira que me inspira, e alimenta a minha esperança. Um exemplo de superação e de coração. Ela conheceu a fundo o submundo das drogas, e é uma adicta em recuperação há muitos anos, e a prova viva de que é possível mudar, e para isso, basta querer. Ela quis, ela decidiu, e hoje é alguém que tem feito a diferença na vida de muitos adictos e familiares. Parabéns, querida! 




19 comentários:

  1. Obrigada minha linda! Parabéns pelo seu trabalho! Um grande bj!

    ResponderExcluir
  2. lindo texto..é isso mesmo quem nos permitirmos ser...SIMPLES ASSIM!!..sem culpados ou vitimas...colhemos o que plantamos !!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por esse blog existir, descobri ele há pouco tempo, mais tem feito grande diferença pra mim.
    Também sou adicta e casada com um adicto, e apesar dos pesares, recaídas, término, brigas, disputas, quando tudo está bem, quando os dois começam a andar na mesma direção e com o mesmo propósito, não existe relação melhor, mais aberta, com mais companherismo, com mais sinceridade e intensidade, vale muito a pena ficarmos um do lado do outro nos tempos com mais dificuldade. Eu amo um adicto e sou amada por ele apesar de ser adicta.

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto! Parabens! Polly e Kel que bom ter vcs! A caminhada e puxada, mas compensa.
    Aprendi muito c vcs e c ctz se falo q compensa e pq tento todos os dias me amar mais, respeitar a opcao do meu noivo, dizer nao e aproveitar os momentos de paz!
    Aline me emocionei c suas poucas palavras!
    Tmj
    bjsss

    ResponderExcluir
  5. SIMPLISMENTE,UM TEXTO SIMPLES OBJETIVO E MUITO ASSERTIVO....
    ADOREI.
    ATENCIOSAMENTE
    SO POR HOJE

    ResponderExcluir
  6. Estou muito na dúvida e perdida em relação a este assunto. Tenho a opção de uma pessoa boa e tranquila na minha vida, mais estou apaixonada por um adicto e estou com medo, receios, do que minha familia vai dizer, de como eu devo lidar com essa situação. Quero ficar com ele mais isso nunca aconteceu antes, tenho medo de magoar ele e depois ser culpada por alguma recaída. me ajude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este texto é uma verdade! Namoro a dois anos com um adicto e realmente, quando eles querem, são as melhores pessoas do mundo, mas poder ser as piores também, em questão de segundos. Estou aprendendo muito com essa relação, tenho crescido bastante. É difícil, teve muitas vezes que eu pensei em desistir, ele já me magoou muito, já mentiu diversas vezes pra mim, e isso pra nós que não somos adictos é muito absurdo, mas pra eles é uma válvula de escape. Apesar de tudo isso, o amor que eu tenho por ele é incondicional, apesar de ele mentir tanto, me magoar tanto, eu consigo perdoar e dar suporte a ele. Eu acredito que nada acontece por acaso, Deus não me colocou na vida dele por acaso, e nem você na vida desse rapaz, tudo tem um propósito. Adictos não tem que ser julgados, e sim amados. É dificil, mas não é impossível! Vou ficar aqui na torcida por vocês. bjs

      Excluir
    2. Confira meu blog, só te peço isso.

      Excluir
  7. Bom, o que dizer... vivo com um adicto há sete anos e a um ano rivemos uma menina, se fosse dizer tudo que passei não caberia aqui e nem em muitas páginas, eu o amo é verdade, mas já não sei se ainda posso suportar, mesmo com tudo que passamos e tudo que ele me fez, me bateu, mentiu, me enganou e me abandonou grávida, me deixou sozinha pra usar drogas quando mais precisei e mesmo hoje depois que quebrei meu pé e que preciso da ajuda dele pra cuidar da nossa filha ele sempre me abandona, não sei até que ponto ser adicto te isenta das suas culpas, talvez eu não suporte mais essa guerra diária, já me sinto farta de tentar fazer o certo, ajudar, entender, confesso que hoje, exatamente agora esta quase que no fim, no meu fim, já pensei até em suicidio com tudo que passei, ele consegue ser o ser mais perverso, mais cruel e derepente consegue te olhar de volta como um anjo, não sei mais se suporto, até porque o cruel tem dominado muito mais...

    ResponderExcluir
  8. Como participar desse blog.Estou mim relacinando com um viciado em cocaina e não sei Como enfrentar essa situação sozinha preciso de ajuda

    ResponderExcluir
  9. Bom dia, sou casada com um adicto e o amo muito. Meu marido ficou internado por um mês e está a 3 dias aqui fora. Tenho muito medo sim de uma recaída, até porque ele está 36 dias limpo. Sou casada a 4 anos, tenho com ele um filhinho de 3 anos e descobri o vício das drogas no meu oitavo mês de gravidez. Foi partindo daí que minha luta, angustia, desespero, noites e noites em claro, desconfianças começaram... Desistir dele? Sim, já me aconselharam a desistir dele e tocar a minha vida, mas não consigo. Não nego que me passou seguir esses conselhos por muitas vezes, mas não consigo. Sei que terei que me limitar a muitas coisas, mas acredito em sua recuperação sei que podemos juntos que ele fique bem. eu o levo nas reuniões de N.A, estou tentando de todas as maneiras ser muito participativa na vida dele. Tenho Fé que Deus entrou no coração dele, ele diz que tem foco em se manter limpo, que quer mudar, eu tento com todas as minhas forças acreditar e ajudar, porém não nego que tenho medo sim de recaídas... Encontrei esse blog e estou muito feliz, pois já escutei tanto as pessoas me dizerem que sou louca de estar com meu marido, se isso for loucura existem muitas loucas como eu kkkkk, sabemos das dificuldades mas o que fazer se amamos um adicto?

    ResponderExcluir
  10. Meu nome e Beto Andrade terapeuta e conselheiro em dependência química e acho imprescindível a abordagem desse assunto hoje na sociedade principalmente a co dependência parabéns pelo texto brilhante

    ResponderExcluir
  11. Descobri hoje que minha sobrinha que tanto amo é uma adicta, ainda não sei como lidar, alguem pode me dar um conselho para iniciar?

    ResponderExcluir
  12. Meu adicto é meu marido. Além de adicto ele é bipolar e hiperativo. Estou a 7 anos com ele e temos uma menina de 10 meses. Ele sempre recai, vem a fase do vou mudar, arrependimento, tristeza e procura ajuda. Quando chega próximo aos 6 meses limpo já começa a parar de tomar o remédio, para de frequentar a N.A, começa a ficar irritado e recai novamente. Depois disso vem mentira atrás de mentira. Eu comecei a pouco tempo frequentar a Naranon, tem me feito bem, porém nao consigo ir em todas reunioes, geralmente vou 1 vez na semana. Descobri q nós codependente tbm temos recaidas e não nos seguramos qndo estao em crise. Eu me descontrolo e a cada ofensa que faço me alivia um pouco, até que ele explode e eu fico mal. É dificil eu entender o pq do buscar. Eu já conheço quando ele vai fumar e antes de sair ele inventa que vai p N.A e eu já começo a me desesperar e tento conversar com ele p nao sair e ele diz q estou sufocando ele e q dessa forma eu atrapalho o tratamento dele, que agora ele esta trabalhando seu espiritual. Não sei se tenho mais forças. Essa semana terminamos e tive que me humilhar msm sabendo q ele é o errado. Hoje em dia me sinto feia, desanimada e vivo por ele. Ja vai para 2 meses que ele esta recaido e nao tenho paz.

    ResponderExcluir
  13. Tenho uma união estável com um adicto de álcool e drogas. Há tempos meu amor por ele se foi. O que restou foi pena. Ele faz trabalhos esporádicos e não trabalha regularmente. Ou seja, ele mora na casa de minha propriedade e da minha irmã, come feito um louco e passa o dia assistindo TV. Só me dá despesas e ainda sustento o vício dele. Quero que ele vá pra o meio do inferno. Já fi de tudo para tentar tratá-lo e ele só me engana, não adere de vdd a nenhum tratamento. a família ( uma gentalha sem eira nem beira) não me avisou que ele tinha esse problema. Ele trata os familiares com toda a deferência e respeito, porém me trata aos trancos e barrancos; a família terceirizou o problema para mim (sabem e fazem de conta desconhecer o problema para não terem trabalho). Antes eu tentava salvá-lo e agora eu quero salvar a minha vida. Além dele ter me traído por três vezes, ele tentou meu bater uma vez. Mas sou uma lutadora de kung fu faixa preta segundo dan mestre; esquivei e ataquei derrubando o ombro dele e o mandando a ortopedia de um hospital aos gritos de dor (detalhe: o médico mandou ele ficar bem quieto e me deu razão kkkkk). Quero que ele saia da minha casa; já mandei ele embora, mas ele não vai. Aí fui ao DP e fiz o primeiro movimento para conseguir uma medida protetiva. Até agora, o juiz não deu parecer. Sinceramente, se ele morresse hoje de overdose eu daria uma grande festa. Sou financeiramente independente. Não dependo dele para nada. Não tenho amor mas nem piedade. A escolha é dele. Aliás se todos os adictos do mundo fossem exterminados seria uma limpeza, pois ajudaria bastante a acabar com o crime organizado. Sendo assim, pergunto? Como posso acelerar para que ele seja defenestrado da minha casa? Perdão, pelo meu depoimento chocante, mas é extremante sincero, de quem já sofreu muito e o quis salvar. Agora, quero me salvar e a minha irmã. E ele que vá para o inferno com a família dele.

    ResponderExcluir
  14. Linda mensagem. Só quem vive sabe.

    ResponderExcluir