domingo, 2 de junho de 2013

Como se não houvesse amanhã!



Bom dia! Tudo bem com vocês?

Por aqui, tudo bem!

No ultimo dia 29, quarta-feira, meu esposo estava de plantão, e combinei uma surpresa com as colegas de trabalho e a chefe dele. Elas compraram um bolo, e lhe cantaram os parabéns. Ele não esperava. Emocionou-se. Muitas não entenderam, acharam “fofo”, mas em casa, ele desabafou: “Só eu sei o preço que paguei (e pago) para estar recebendo os parabéns no meu ambiente de trabalho, exercendo a profissão que tanto amo.”

Quem acompanha o blog sabe quanto tempo ele ficou afastado pelo INSS, para se tratar.

Ao final do dia, ele chorou ao ler a postagem Amar pelo prazer de amar.

No dia 30/05, seu aniversário de 38 anos, foi feriado, e passamos o dia com as crianças. Almoçamos em um shopping. Dia tranqüilo. Muito frio e muita chuvinha por aqui.

Desta vez, não o percebi deprimido, como é costume em seus aniversários. Na maioria das vezes ele se deixa levar pelo pensamento: “quanto tempo perdi por causa das drogas...” Mas, neste ano, ele estava bem. Logo cedo, quando o abracei e parabenizei, ele exclamou: “Hoje é um dos aniversários mais felizes da minha vida. Hoje consigo ver o horizonte. Vejo possibilidades de ser realmente feliz!”

No dia 31, tiramos o dia só para nós dois. Um chalézinho em meio a muito verde. Ele e eu. Perfeito!

E então, chegou o mês de junho. E em seu primeiro dia, ontem, fomos ao zoológico com as crianças. À tardezinha, meu esposo assou uma carninha pra nós, em casa. Um dia tranqüilo. Sereno. 

Hoje ele saiu cedinho para o trabalho.

Tudo perfeito. Certo?

Errado.

Antes de ontem, ele se sentiu muito mal. Tremores. Tonturas. Estou preocupada com ele. Não sei se são apenas sintomas de abstinência, ou seqüelas pelo tempo continuado de uso.

Tive pesadelos com ele tendo uma recaída.

Além disso, ele está tendo picos de irritabilidade, do nada. Não dou muita atenção, daí logo passa.

E, sobretudo, o medo. Sim, o medo ainda está aqui dentro de mim. Quanto melhores são os nossos dias juntos, mais o medo quer chegar e se alojar aqui. Medo de que se acabe. Medo de viver aquelas dores novamente... Medo...

Ele está limpo há 68 dias. Seria tão bom se tivéssemos garantias. Não é mesmo? Mas, infelizmente, amar um dependente químico, é viver uma vida sem garantias. Por isso, ou colocamos o foco em nós mesmos, ou enlouquecemos.

Nessas horas, me volto aos aprendizados que recebi nos grupos de apoio.

Polyanna, viva um dia de cada vez, como se não houvesse amanhã.

Preocupar-me com o que talvez aconteça no futuro, acaba roubando minha paz e serenidade de hoje. Não vale a pena. E não resolve nada. O melhor a fazer é confiar em Deus. Entregar a Ele o que não posso controlar.

Benjamin Franklin disse o seguinte: “não antecipe problemas ou se preocupe com coisas que talvez nunca aconteçam. Mantenha-se sob a luz do sol.”

Boas palavras! Só por hoje, escolho manter-me sob a luz do sol. Sem nuvens de medo. Sem ansiedades. Sem precipitações...

Posso escolher isso!

Já percebi que, desde a minha infância, perdi muito por viver pensando no futuro. Sempre fui ansiosa. Quando viajava para a casa do meu pai e avós, não aproveitava a estrada, pensando em como seria a chegada. Na escola, ficava ansiosa com as provas, e depois ansiosa pelos resultados, e em seguida ansiosa pelas férias... E a vida foi passando, e nem percebi.

Adulta, continuo ansiosa. Mas, tenho lutado contra isso. Já percebi que quando penso ansiosamente no futuro, me esqueço do presente, me esqueço de vivê-lo como ele merece ser vivido.

Se hoje minha vida está cercada de coisas boas, maravilha! É hora de agradecer e ser feliz!

E quando chegarem pensamentos do tipo “será que ele vai voltar bem do trabalho hoje?”, “quanto tempo durará essa paz e felicidade?”, “será que dessa vez vai dar certo?”, o melhor a fazer é entregar esses medos a Deus em oração.

Não permitamos que esse medo se aloje em nossas mentes. Ele pode até passar rapidinho, mas fazer morada, não!

Só por hoje, escolho a paz, a esperança, e a gratidão para a minha vida!


“Minha mente ocupa-se das minhas atividades, dos meus sonhos, do que me faz bem, e não mais da rotina dele. Se tenho medo dele recair? Sim, tenho muito medo. Não quero que ele recaia nunca mais. Entretanto, entrego isso nas mãos de Deus e busco descansar, confiar. Hoje sei que nada do que eu fizer irá interferir na decisão dele. Por isso resolvi deixar a decisão de ficar longe das drogas a quem cabe: a ele, somente a ele...

Se me perco por um minuto pensando no que poderá dar errado no amanhã, ou nas dores sofridas ontem, me sinto atormentada, desperto o medo. Concentrar-me no hoje é minha garantia de serenidade.” (Livro Amando um Dependente Químico – Dias de Recuperação).


Beijos.


7 comentários:

  1. Ótimo post Poly! Obrigada por sempre partilhar palavras de fé e esperança conosco! Obrigada por sempre nos mostrar que com amor é possível colher frutos!
    Um bom mês de junho pra todas nós!
    Renata T.

    ResponderExcluir
  2. A estrada é tão longa... Como estou vivendo o começo de tudo, quando ele está bem ainda me encho de esperanças e até esqueço que ele é dependente químico, e por vezes faço cobranças que faria a um namorado que não tem esse problema. Não o ajudo e o pressiono de uma forma que faz mal a ele. Quando ele recai (e nesse momento está recaído), meu mundo desaba, brigo com ele, digo que está tudo acabado, deixo bem claro todos os estragos que ele está fazendo em nossa vida. Não o ajudo dessa forma também. Me sinto tão perdida, porque há um turbilhão de anseios e medos dentro de mim e também um amor intenso, querendo ser vivido em paz. Preciso amadurecer rapidamente para lidar com essa situação. Espero que Deus me ajude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto o mesmo Amanda e é terrível, cobro muuuito e com frequencia exagero, as vezes parece que estou enlouquecendo pois, a sensação que tenho é que este tipo de adrenalina tem alimentado a doença que desenvolvi! Tive uma educação controladora, minha mãe foi assim comigo, com meus irmãos, e com meu pai... parece que esta é minha unica forma de amar e, com o dependente quimico que me apaixonei, encontrei tudo que precisava para exercer este controle... minha vida esta um turbilhão! Bjs e boa sorte pra ti!

      Excluir
  3. Olá Polyanna , tudo bem ?
    Meu nome ė Ludmilla e estou vivendo um momento como de muitas mulheres que compartilham de manter um relacionamento com um dependente químico . Estávamos juntos há 7 anos . Tenho um bebê de 8 meses . Semana passada ele resolveu ir embora . Já não suportava o fato de ficar falando em seus ouvidos cada vez que sumia , cada vez que eu chegava em casa e ele estava bêbado ... Enfim e todas aquelas histórias que se repetem igualmente com todas nós . Entrei em vários blogs e uma pergunta me aflige . Será que a codependente nunca se cura? Mulheres dais quais não estão mais em um relacionando mas continuam sofrendo , sentindo saudades e tendo de usar o sobpor hoje para continuarem sua jornada . Estou sofrendo muito . Muito mesmo . Não consigo imaginar minha vida sem ele. Ele saiu de casa depois de 2 dias do meu aniversario e fez uma carta linda dizendo que eu o amor da vida dele , o que é isso . Mas uma mentira . Estou desesperada , sem chão .

    ResponderExcluir
  4. Meu nome é Patricia, eu tambem amo um depemdente quimico que está em periodo de reabilitaçao há 69 dias e, Vivo tambem esse medo da recaída do meu marido. Vivo com a sombra desse medo. Mas eu tenho fé em Deus e no poder superior que ele vai se manter limpo. E muito obrigado por todas as suas palavras.. Me ajuds e me conforta muito. Um beijo, Patricia -RJ

    ResponderExcluir
  5. sinceramente admiro muito sua luta e seu amor pelo seu esposo ... eu infelizmente não aguentei e estou em processo de separação ... a falta de segurança não me deixa mais conviver com ele e seu vício .... te admiro muito , tentei muito mas eu estou jogando a toalha !

    ResponderExcluir
  6. amar ao próximo como a TI MESMO meninas, nem a mais nem a menos..SIMPLES ASSIM...comecem tentando entender...o pq de tanto sofrimento, quando vcs começarem a descobrir que sofrem pq se permitem sofrer, saberão escolher o melhor caminho pra vcs...TAMU JUNTO!!

    ResponderExcluir