terça-feira, 11 de junho de 2013

Ciumentas? Imagina...


Bom dia, queridas(os)!

Tudo bem?

Dia dos namorados chegando, e resolvi escrever sobre um assunto que, muitas vezes, foi tema de desabafo das namoradas, noivas e esposas de adictos: o ciúme!

Em um determinado nível, o ciúme é um sentimento comum, e até mesmo normal, que faz parte das relações humanas. Quem nunca ouviu o famoso: “quem ama, cuida!”?

Parece que a gente já nasce sentindo ciúmes, né?

Meu filhote de 04 anos teve (e ainda tem) muito ciúme do caçula de 1 aninho. E o caçula, por sua vez, dá sua birrinha, quando vê o papai ou a mamãe com o maiorzinho no colo. E vocês acham que a filhota de 13 anos também não sente ciúmes dos pequenos?

Sentimos ciúmes pelo medo de perder. É como se algo que nos pertence, estivesse sendo ameaçado de ser roubado por outra pessoa.

Até certo ponto, sentir ciúme é normal, principalmente quando surge em resposta a uma situação real, e durante um curto período de tempo. Mas, se o ciúme começa a se prolongar e a crescer, cuidado! Cuidado com o ciúme patológico e com a obsessão.

Por que codependentes são tão ciumentos?

Acho que o fato dos adictos, quando na ativa, terem um lado de sua vida que não é compartilhado conosco, acaba alimentando a insegurança.

Além disso, a falta de amor próprio, e/ou a baixa autoestima nos fazem pensar que qualquer um é melhor do que nós, portanto, na nossa mente, estamos sempre sofrendo o risco de perder o ser amado.

E outro fator é que a codependência é a doença do controle. É uma necessidade de controlar o outro, seus passos, suas decisões, suas amizades. E isso acaba gerando sentimentos negativos, inclusive o ciúme, quando percebemos que a vida do outro não está sob o nosso controle.

Eu poderia contar várias histórias hilárias aqui, geradas pelo ciúme...

Certa noite, no início do nosso casamento, eu estava na cozinha, e percebi meu esposo meio estranho, com uma carinha de quem estava aprontando. Fiquei grilada. Enquanto eu me arrumava, ele fazia algo na cozinha. E comecei a imaginar mil coisas (nada relacionado a drogas). No fim das contas, quando fui tomar o café, vi um pequeno papel aparecendo pelo bolso de sua calça, como se fosse um bilhete, e o forcei a me entregar. Eu já estava estressada! E quando ele me entregou, fiquei como um pimentão, era um bilhete com o qual ele me faria uma surpresa, mas meu ciúme, insegurança e vontade de controlar não permitiram.

Confesso, sou ciumenta. Não sou uma ciumenta patológica, mas preciso de constante vigilância contra a minha insegurança.

É engraçado que vejo mulheres bem sucedidas profissionalmente, bonitas, conheço uma companheira que tem doutorado, mas ainda assim, inseguras, com medo de perder.

Queridas, a solução do nosso problema é simples, e já falei sobre ele várias vezes: amor próprio!

Quando a gente se ama, não tem medo de perder, porque sabe que quem vai perder se pisar na bola, é ele.

Quando a gente se ama, se ocupa com nossas próprias coisas, e não dá tempo de ficar imaginando coisas mirabolantes sobre o ser amado.

Quando a gente se ama, a codependência enfraquece e o ciúme também.

Se seu companheiro te trai, ele não te merece... Simples assim.

E se ele não te trai, então não se traia vivendo no sofrimento que o ciúme e a insegurança geram.

Amanhã é dia dos namorados. Cuide bem do seu amor! Cuide bem do seu amor próprio, pois ele é a chave para um relacionamento saudável e feliz!

Decida ter um 12 de junho feliz e se permita a isso!

Mesmo que seu relacionamento tenha terminado, e você esteja sozinha. Mesmo que ele esteja em uma clínica, se recuperando. Mesmo que ele esteja na ativa. Mesmo que ele não seja romântico. Mesmo que nem tudo seja perfeito, se permita ser feliz, e ter um dia feliz na companhia do seu grande amor: você mesma!

Agradeço a Deus por, só por hoje, estar com o meu amorzão do lado, limpo há 77 dias!

P.S.: Te amo, meu bem!


7 comentários:

  1. Polly e exatamente assim!!
    Vamos nos amar mais!
    E parabéns por sua força, seu amor e garra.
    Feliz dia dos namorados p vcs.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. um traço da codependencia q não me pertence o ciumes...sempre pensei..se me trair azar quem perdeu foi ele..por isso não perdoo traição...e se fez não foi pq edram em cima mais pq quis fazer ...:)

    ResponderExcluir
  3. To meio tristinha, pq em nosso primeiro dia dos namorados ele está numa clínica incomunicável... mas tentarei ter um dia feliz amanhã! Grata pelas palavras querida!

    ResponderExcluir
  4. Já tive ciume mas faz tempo que "me curei" desse mal,rsrs...
    Desde que comecei a olhar mais para mim e acreditar nas minhas capacidades fui deixando o pouco de ciumes que tinha de lado.
    Meu marido que sempre foi ciumento e agora,graças a Deus e a sua auto confiança reconquistada(está limpo e muuuuito bem há 9 meses),ele também já não tem mais tanto ciumes.
    Beijos,Poly,e um feliz Dia dos Namorados com muito amor para vocês!!!

    ResponderExcluir
  5. meu marido e dependente quimico em recuperaçao numa clinica mas aqui fora ele tem tanta auto estima baixa que me induz a ter ciume pra se sentir valorizado sofro demais pois sua familia me acusa de ser ciumenta e pertubar ele por isso vai pro crack.mas sei quem sou e o que sou na vida dele nao me abala mais .obrigado

    ResponderExcluir
  6. Eu não sou ciumenta! ah vai...confesso só um pouquinho rsrs, mas o ciumentão é ele, mas como não posso muda-lo, então mudei minhas taticas, tento trabalhar isso em nosso relacionamento sem que ele mesmo perceba, e tem funcionado rs

    ResponderExcluir
  7. Pois é...
    Nunca fui ciumenta, pelo menos nunca fantasiei coisas...
    Mas de uns tempos pra cá... Putz!
    Ninguém merece! E esse tem sido um dos motivos para as frequentes brigas. (o que é uma lástima)
    Tô atenta para não cair na
    Mas estou atenta a isso para não cair na obsessão.
    Bjs, lindona.
    TMJ,

    ResponderExcluir