terça-feira, 26 de março de 2013

Fim... Começo...





Olá, companheiros(as)!

Achei que não ia sobreviver ao dia, mas sobrevivi... Rs. A gente sempre sobrevive, né? Eita mulherada forte essas esposas de DQs!

Ele passou mais uma noite na rua. Mais uma vez, senti falta de objetos em casa. Enfim, o filme se repete novamente.

Nesses 6 anos, 3 meses e 16 dias de casados, já vivi dias como o de hoje, várias vezes. Estou realmente cansada.

Busquei a chave do novo apartamento! Não vejo a hora de estar lá. Respirar novos ares!

Quanto a ele, decidiu se internar, e começar de novo seu processo de recuperação. (Graças a Deus!)

Jamais direi que ele é uma má pessoa ou coisa assim. Vejo nitidamente o quanto ele está doente e precisando de ajuda. Ele me deu o que tenho de mais precioso: meus filhos. E, além disso, vivemos sim uma linda história de amor verdadeiro.

Pensei que seria diferente, mas nem sempre as coisas saem como desejamos, principalmente quando se tem um dependente químico na história.

Torço para que ele consiga, mas dessa vez, estarei de longe. Preciso me afastar. Não consigo mais.

Perdoem-me se decepciono a algumas leitoras do blog, mas uma das coisas que aprendi no Nar-Anon foi o respeito aos meus limites.

Três filhos precisam de mim. E eu também preciso de mim.

Hoje foi um dia cansativo. Me senti deprimida. 

Aconteceu muita coisa em pouco tempo. Há exatamente uma semana, comemorávamos o aniversário de um aninho do nosso caçula, estava tudo bem. E em poucos dias, tanta dor... Desabou tudo. Minha ficha ainda nem caiu...

Mas, não tem nada não, a força para recomeçar virá de Deus, tenho certeza!

Não concordo com Vinicius de Moraes, em seu pensamento de que: “mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão...” Amor tem que compensar, tem que valer a pena. E por esses mais de seis anos posso dizer que valeu sim a pena!

Aprendi muito. Cresci muito. Fiz muitas descobertas. Me superei diversas vezes. Amei.

Agora é hora de seguir adiante.

Ainda acredito sim na recuperação de quem quer se recuperar da dependência química. E ainda continuarei a ajudar aos familiares de dependentes químicos, porque isso sou eu.

Sempre que possível, estarei por aqui. Mas, acho que entenderão se me ausentar por uns dias, não é mesmo?

E aguardem o segundo livro Amando um Dependente Químico, a ser lançado em 18/05/2013, quando este Blog fará dois anos!!!

Pena que o final da história não possa ser escolhido pela autora...

Com um abraço nos despedimos, pela manhã.
Se cuide. É melhor você me esquecer. – Foram suas palavras.
- Vá com Deus. – Respondi.
E ele se foi. E eu fiquei.
E os caminhos já não são mais os mesmos...

Deve existir vida lá fora...

48 comentários:

  1. Caramba, Poly! Muito chata essa fase, mas como todas nós já aprendemos, existe um Deus maior que tudo isso e está no controle e eu creio que vc será muito feliz.

    Força, sempre!
    E obrigada por partilhar conosco seus aprendizados.

    Beijos a todas,

    Samanta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Polyana, o seu testemunho é edificante,eu vejo o sua história do outro lado da moeda, eu fui dependente química, graças a Deus eu venci o crack e "companhia", eu espero de coração que seu esposo se recupere e possa perceber que ele tem alguém por ele que luta e o ama a ponto de deixá-lo assumir suas responsabilidades, no meu caso as pessoas a minha volta não conseguiram ter sua atitude, não os culpo pois foi consequência dos meus hábitos, mas enfim, quero te dizer que Deus te recompensará, pois apesar de toda luta você está fazendo o seu melhor, que Deus continue te abençoando, bjs.

      Excluir
  2. infelizmente quando se é casada com um qd fica impossível fazer planos até a curto prazo..
    Eu não me conformava com esses tsunamis sabe... um dia tudo lindo e ai no dia seguinte a tempestade...

    força linda!

    ResponderExcluir
  3. Eu sinceramente não me conformo, como q a vontade de um adicto é maior do q o amor pela familia, q Deus possa te confortar Poly, "Tem dias que Deus caminha ao meu lado, eu sei. Tem outros que ele me pega no colo….eu sinto!"
    Sinta-se abraçada por mim, q Deus te ilumine, guie e proteja. Bjos

    ResponderExcluir
  4. Muita força e paz pra vc Polly, que Deus proteja e ilumine seu caminho pra que vc seja muito feliz! um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Sensação de que ela ganhou ... que horrível isso ... que revoltante ... meu Deus ... como pode?

    Te desejo sorte ... força ... de fato você tem razão ... seus filhos são prioridades ... você é prioridade ...

    Te agradeço imensamente por partilhar conosco toda sua experiência ... obrigada ... você é uma pessoa iluminada ... de Deus ... merece tempos de calmaria ... FELICIDADES MINHA QUERIDA!!!!

    Bjus
    Rizélia

    ResponderExcluir
  6. Que você e seus filhos sejam envolvidos por uma luz protetora, repleta de proteção, acolhimento, força, carinho, amor, muito amor! Sou imensamente agradecido por sua partilha no blog. Sou psicólogo do CAPS AD da minha cidade, filho de um alcoolista e irmão de um adicto (internado involuntariamente pela segunda vez há uma semana). Abração!

    ResponderExcluir
  7. Triste,muito triste, mas enfim a vida continua!! Deus que te abençoe e muito obrigada por tudo***

    ResponderExcluir
  8. Minha querida...vc foi uma lutadora, só quem acompanhou sua historia desde o inicio sabe disso, vc vai superar, o tempo vai passar, e a cada dia Deus vai te confortando, tenho certeza que ainda vou ler muitos posts cheio de coisas novas e boas! Deus é contigo sempre ! beijos no coração!

    ResponderExcluir
  9. Oooo mulher...q decepcionar alguém...imagina vc ta mostrando como as coisas são e não é fácil meeesssmmooo...vc cresceu muito como pessoa...realmente é triste demais tudo isso e não adianta fingir q não...mais vai passar nunca se esqueça vc não está sozinha, quantas mulheres de DQ sofrem o mesmo..Eu e varias Polyanas por ai a fora...e vc será sim feliz...pq vc escolheu ser feliz...e no mais lhe será revelado...Deus ta contigo e sua missão é linda..olha só seu projeto..pras familias de DQS da onde nasceu??...pq nasceu...?? vc será muito feliz...seremos muito felizes...bjus e um enorme abraço..não deixe de dar noticias de como anda a implantação do seu projeto...heim..bjuu

    ResponderExcluir
  10. éé Polly....não é fácil mesmo,eu consegui me ausentar da vida do meu esposo por apenas 1 semana...e já me doeu tanto ficar longe dele...voltei atrás e to na luta assim como vc lutou todos esses anos.....mas sei que meu limite está ''no limite'' rs, tenho um filho de 6 meses q precisa de mim...mas vc é forte e guerreira,tem um Deus no céu que tem te olhado e tem te sustentado nas mãos dEle, então não se sinta derrotada pela droga, sinta que vc é mais do q vencedora por tudo oq vc já passou,então siga, de cabeça erguida e cuide dos seus filhos q só tem á vc........que Deus te guarde e q guarde a ele também,e que Deus abra os olhos dele e o faça enxergar que a vida é muito mais do q um maldito pó branco que só destrói e nada acrescenta..........bjsss fica com Deus e força........medita no Salmo 121 tá.......bjsss

    ResponderExcluir
  11. Sua história me faz lembrar o "mito da caverna", numa adaptação que conheci.Saiba que há muita luz lá fora e que há também muita coisa boa. Vida. Também amo um dependente químico e conheço tudo isso Não são apenas mulheres nessa situação. De toda forma é preciso reconhecer que você é corajosa e forte Parabéns. Daqui de minha caverna continuo apegado às sombras como o melhor que há Por favor, venha nos contar as novidades lá de fora e quem sabe nos ajudar a conhecê-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Anônimo! querida Polly!
      Meu Deus! Eu fiz uma disciplina de filosofia e juro pra vocês, que após fazer a ligação entre a Dependencia quimica e a "alegoria da caverna" pude entender o real significado do que Sócrates dizia: Que enquanto nos enclausurarmos numa caverna sem ver tudo o que nos cerca, ficaremos nesse "mundinho" da codependencia... Temos que ver todo o mundo, todo esse vasto mundo que nos cerca, que nos traz toda essa diversidade, para então vermos que o mundo não se resume a só isto! só a DQ... temos muito deste mundo para usufruir! Polly, amo você por tudo o que você compartilha, você nem imagina o bem que você faz, pois assim sabemos que não somos as unicas nesse mundo sofrido! Obrigada!

      Excluir
  12. Compartilho da sua dor e com menos tempo que você (4 anos, 5 meses e 24 dias...) mas infelizmente não importa o qto lutemos e o qto os amemos, o qto nos esforçamos pra levar uma vida feliz e mostrar a eles que a vida é infinitamente melhor sem drogas...me parece que os finais sempre serão esses...frustrações pra nós mulheres de DQ...Eles sofrem com certeza mas quem encara tudo de "cara limpa" e fica pra trás pra reorganizar as coisas quando eles decidem por mais uma internação, somos sempre nós... E tenho notado que as internações no geral tem sua frequencia aumentada. A gente pensa q basta 1 ano numa instituição e pronto mas parece que pra eles é comum entrar e sair de instituições sem mudança verdadeira aqui fora, pois qdo saem não evitam o primeiro contato (são raros os casos de sucesso) INFELIZMENTE!
    Amo muito meu esposo e por vezes achei que não viveria sem ele e nessa quase perdi a minha própria vida e hj de longe acompanho sua 3º internação e não me permito mais criar expectativas...Ele hj está internado numa clínica mto boa, com lazer, terapias, piscina, sem trabalho pesado, a família tá ajudando, eu comecei a ser mau vista pela família q não entende como podemos nos manter ao lado...e eu aqui fora fiquei com os danos da doença dele e a minha (codependência) e o resultado é sempre perca dos bens, dos objetos de ksa, no meu caso refletiu nos meus melhores empregos tb e hj num sub-emprego e numa sub-vida que restou pra consertar...Muito trabalho!

    ResponderExcluir
  13. Não decepciona não! você esta cansada, carregando uma cruz muito forte, agora é hora de descançar, se não daqui a pouco vc não estará mais ai para cuidar de seus filhos!

    ResponderExcluir
  14. Vc e um exemplo de força e perseverança. O futuro a Deus pertence.Fique com a certeza q tudo tem um proposito. Que Deus possa t conduzir conforme os propositos dele, e que ele conduza o seu amado ao despertar desta situaçao.

    ResponderExcluir
  15. Poli, eu estou aqui me preparando para este momento também. De recomeçar, mas parece que nao vejo uma luz no fim do túnel.
    Não tenho filhos, estou em depressão, não me cuidei e fui para o fundo do poço junto com ele, mesmo sem perceber. Agora, to procurando as "escadas" para sair deste poço. Nem emprego eu tenho a 4 meses, tudo tá desabando, tudo q levei anos para conquistar, agora to vendo ruir! Força Poli, parabéns pela coragem, e eu espero que este momento chegue em breve para mim. Abraços. Renata P

    ResponderExcluir
  16. Polly, a vida segue o curso que deve seguir...

    Sempre torcemos pelo final feliz, mas o final feliz pode ser diferente daquilo que planejamos...
    Vc não está decepcionando ninguém, claro que não... Vc não tem como fazer as escolhas por ele, e também não pode ser culpada por ele escolher algo diferente do que vc e Deus planejaram!

    Fique bem, querida (sei que ficará).
    Descanse (ao menos tente)...
    Acalme seu coração e deixe nas mãos de Deus (sei que já deixa)...

    bjs
    Força e fé!

    ResponderExcluir
  17. Viver e deixar viver, é o que temos que fazer, é uma fase complicada, mas creio que Deus possa fazer infinitamente mais na sua vida e da sua família.... Viver um dia de cada vez e como eu aprendi às vezes a recaída ou a volta ao uso pode acontecer em um momento de euforia ou de tristeza, não se culpe, pois no fundo tudo dará certo. Também amo um dependente químico, sou casada com um que está em tratamento(está internado) e logo saíra de ressocialização, mas hoje vivo um dia por vez, e você tem me ajudado muito com as suas publicações. Tamu juntu!!! Um forte abraço Telma

    ResponderExcluir
  18. Querida Companheira,tem coisas que não dependem de nós, não adianta amarrar, trancar, carinho da mulher, dos filhos... nada disso adianta, quando DISPARA O GATILHO, pronto ... infelizmente eles só param, quando querem parar... esta clinica que ele retornou deveria trabalhar com os passos do NA, a programação tem salvado vidas Poly!
    porém, vejo que vc esta fazendo a programação sugerida do Nar-Anon, o DESLIGAMENTO, e mesmo assim sem expectativas, ne companheira .... torço por vc, vejo que realmente seus filhos precisam de um futuro diferente, são crianças ... graças ao Poder Superior, que para mim, é Deus, vc. está de pé para poder enfrentar mais uma etapa, saiba que Deus não dá mais do que os seus filhos podem suportar ! medo do futuro, ressentimentos fazem parte do triangulo da obsessão, faz a gente (codependente) recair também, fique firme, garrada com Deus, estamos juntas companheira, beijos, Thais

    ResponderExcluir
  19. O mais triste de tudo isso é que quando estamos no meio do tsunami, nós arrumamos força não sei de onde para dar um basta.
    Mais em seguida quando chega a calmaria, ou quando eles resolvem se internar, nós passamos acreditar novamente que tudo pode mudar e ser diferente.
    E muitas vezes não é o que acontece, após alguns meses la se vem o tsunami dinovo...e dinovo...
    Força querida, ainda continuo encontrando forças pra sobreviver através do seu blog.

    ResponderExcluir
  20. "O Que Semeia, O Que Planta e O Que Vai Colher:

    Hoje e sempre, eu quero: Tempo para pensar antes de falar; serenidade para agir depois de falar; perseverança para continuar agindo depois de começar; humildade para reconhecer que preciso de outras pessoas; sinceridade para falar o “não” que preciso falar; lealdade comigo mesmo,para não me comparar com ninguém; e fé na medida da razão, para eu continuar fazendo, sem esperar que qualquer coisa caia do céu sem o meu esforço.
    'Assim, podemos seguir confiantes, certos da vitória sobre nós mesmos, sobre as nossas dificuldades em entender, o porque de certas situações.'
    Quando não há resposta: deves seguir trabalhando, certos de que, no devido tempo, tudo será esclarecido, elucidado e concluído.
    Assim, compreender que a felicidade é a recompensa natural, dos que insistem em fazer tudo direito, mesmo quando todos insistem em fazer errado.
    'Somos os construtores dos nossos sonhos, responsáveis pelos nossos passos.'
    O que semeia, o que planta e o que vai colher.
    Por isso, semeie amor, por onde você for!"

    ....Paulo Roberto Gaefke....

    ResponderExcluir
  21. Poly, descobri o blog há poucos dias, tenho lido o seu e o da Kel, achei ambas mulheres FORTES, porque sobreviver ao tsunami que é viver ao lado de um DQ não é tarefa fácil... Minha história não é diferente de tantas outras que encontram nas suas palavras forças para suportar tudo isso. Porque eu pensava, antes de conhecer o Amor Exigente, que eu era uma FRACA, por "sujeitar" ás vontades de meu ex. Dia 11/02/13, decidi, definitivamente abandonar esssa "missão" de codependente, sei que não é fácil, vivemos 6 anos,9 meses e 19 dias juntos e eu CANSEI! DESISTI! ABANDONEI! Como cita acima uma pessoa,"O mito da caverna" descrito na filosofia: EXISTE VIDA LÀ FORA!
    Torço para que você encontre sua paz!!
    Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  22. Acredito que viver escrevendo sobre DQ... tratamento, recuperação.. enfim, é viver contornando o problema. Se eu fosse você se preocupava mais consigo mesma.. sabe, amor próprio. Não é ter raiva dele, que é está doente. Mas parar de "tampar o sol com a peneira", mts de nós se relaciona com um adicto e vive falando "estou me cuidando", estou indo a grupos, mas vive o problema o tempo inteiro. Quer fazer um blog para desabafar, ok! Mas ficar falando de DQ... é um meio de se manter perto o tempo todo da doença.. é uma forma de controle tb.. vc nunca supera... ao invés de cuidar dele, vc tá criando um blog e substituindo.. mas continua falando dele o tempo inteiro ou da adicção. Antes de se relacionar com um adicto, você fazia a mesma coisa??? Seus outros relacionamentos eram assim tb? Fazia blog para falar do carater deles? Ficava falando das suas neuras em blog..?? Td ia bem... "apesar de" qualquer dificuldade, aposto! Agora, só pq está se relacionando com um adicto tem que viver disso??? Estudar... fazer blog.. "ajudar" a outros o tempo inteiro sobre esta doença que não tem cura?? Por acaso vcs fariam um blog para ajudar as pessoas a cuidar de diabetes??? Ficariam o tempo inteiro estudando sobre isso? Comentando tudo qto é assunto referente a diabetes? Hipertensão?? Aposto que não.

    Tb já me relacionei com um adicto.. ainda estou envolvida, mas agora, eu realmente aprendi o que é adicção e a co-dependência. Então eu DECIDE que não quero viver a vida dele. Voltei a ter a minha vida, a me preocupar comigo. Ser egoista neste sentido? Sim, um pouco.. pq eu tenho que entender que sou IMPOTENTE perante a doença dele. Então... preciso voltar a levar a minha vida do jeito como eu fazia em outros relacionamento, antes de estar com um adicto.. claro, evitar certos ambientes, algumas mudanças, mas.. viver em função desta doença.. falando nisso, respirando em blog sobre isso.. vcs me desculpem... mas é mt co-dependência. Façam por vcs, não coloquem panos quentes num "blog" para dizer que quero ajudar outras... ou me tratar, pq sinceramente... parecem desculpas, já que não podem com eles.. ficam nas beiradas... "se iludindo" num pseudo auto-tratamento.. e nunca evoluem. Pode parecer rude o que estou falando.. mas se pararem para analisar, se perguntem se antes de viverem com o adicto vcs tinham o mesmo comportamento atual!? São eles que precisam mudar para viver conosco.. não o contrário! Pensem nisso, vivam mais a vida de vcs... saiam com suas amigas.. esqueçam um pouco deles... a doença não tem cura, ng aguenta essa vida.. e pelo que já li e mt sobre isso, e acompanhar alguns blogs.. vejo q no final.. td mundo fica o tempo td falando de adicção e sofrendo.. ninguém evolui.

    A partir do momento que identificaram que estão doentes e querem melhorar, tenham atitude, mude.. evolua. Senão, pra q identificar algo que vcs não querem mudar?? Auto aceitação é o começo agora, ATITUDE!!!! Mude...

    Deus seja contigo e te dê a força que precisa, mas saiba, ele faz a parte Dele, depois que fazemos a nossa. Se quer uma vida diferente, faça diferente. Nada muda se vc não mudar. E tem q ser uma mudança verdadeira, tem q fazer efeito pra vc e não pra ele. Pense nisso. Bj bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida, concordo quando voce diz que temos que mudar, mas não concordo quando diz que ficar lendo ou escrevendo sobre a adicção é algo prejudicial, não! Muitas de nós quando entramos num relacionamento com um DQ não temos noção que o buraco é bem mais embaixo, pq a maioria de nos só conhecíamos esse mundo pela TV, depois que estamos muito envolvidas sentimos um vazio tão grande, uma vontade de falar, mas como falar com parentes e amigos se eles não sabem de nada, e a vergonha ( querendo ou não há sim vergonha da nossa parte por estar envolvidas com um DQ) então encontrar um blog onde existam pessoas que passam pelo mesmo, trocam experiencias é um grande conforto, não para estacionarmos e deixarmos a vida passar enquanto sofremos, pelo contrario, o sofrimento parece ser dividido e não pesa tanto quanto antes, por que enfim descobrimos que não estamos sozinhas nessa luta, que podemos contar com pessoas que passam o mesmo e que ate talvez algo que pensamos em fazer alguem já tenha feito antes de fazermos já teremos os resultados, por que uma coisa eu vi no mundo dos DQ, são todos iguais no momento da fissura, as atitudes, as mentiras, o comportamento, o pensamento, tudo igual, as reaçoes tambem sao iguais.
      Então antes de criticar, olhe o fundamento pedagógico e psicológico da coisa, pra voce não serve, mas para outras sim, ou apenas não leia.

      Excluir
  23. Ah, me sentindo tão desesperançosa nesse momento! Vinha lendo esse blog há cerca de um mês, desde que meu marido admitiu (porque eu encontrei um papelote NO QUARTO DA NOSSA FILHA DE UM ANO E OITO MESES) que estava viciado em cocaína. Eu tinha um pouco mais de esperança antes, mas lendo tudo isso, tantas histórias de tantas mulheres sempre com o mesmo desfecho só consigo me perguntar: até quando? Eu sei que meu casamento está fadado a acabar, só não sei em que dia isso vai acontecer. Sempre fico postegando por causa dos filhos (1 ano e 8 meses e um menininho de apenas 8 meses) e do medo de sofrer. Mas e viver assim, me afundar na codependência, não é sofrimento ainda maior?
    Enfim, muito, muito triste por você, Polly. Mas ao mesmo tempo feliz. Tempos escuros virão agora, mas quando você menos esperar a luz voltará e sua vida certamente será BEM melhor.

    ResponderExcluir
  24. Flor, um de seus relatos me fez decidir lutar por meu dq, fico sem saber o que dizer neste momento de mudanças tão radicais. Que Deus possa conduzir os passos de cada um e que a vontade dEle seja feita na sua vida.

    Obrigada por me ajudar tanto, sem saber!

    bjs e muita paz!

    ResponderExcluir
  25. Amada, ja fiz isso mil vezes em cinco anos, e ainda estou tentando, ja nao vivemos na msm casa, mas como vc tenho uma filha de um ano e outro de 4 anos, e eles nao merece a vida q nos tivemos com os nossos pais. Forca e sucesso!

    ResponderExcluir
  26. Encontrei esse blog ontem. Tenho uma namorado DQ, que está internado desde dia 13/03. Fiquei muito triste com esse post. Fiquei imaginando meu futuro, com essas recaídas. Não sei se tenho saúde pra isso. Tô sofrendo pela saudade, e já sofri muito com dos desaparecimentos dele. Fora isso, ele é fantástico, o amor da minha vida. Mas tô com medo, tô com medo do futuro. Alguém está com um DQ em recuperação que não tenha recaído? Alguém teve sucesso na missão? Ou é certeza de fracasso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito na recuperação, se houver muita força de vontade. Vemos casos aí de pessoas que estão limpas há décadas. Mas 100% de certeza, não dá pra ter. É uma doença e ela pode voltar, tem q estar sempre cuidando dia a dia. Tenho um marido internado, primeira internaçao. Quero acreditar que será a última e que ele se manterá em recuperação. Juro que já comi o pão que o diabo amassou... Mas o amo. Vou tentar até quando meus limites me obrigarem a abandonar o barco. Pese na balança e veja se acha que vale a pena, pois a luta é árdua. Boa sorte.

      Excluir
    2. Poly, vc é uma pessoa admirável. Acompanhei sua luta, em nome desse amor tão forte e puro que vc tem em seu coração. Acredito que nada acontece por acaso, tudo aconteceu como devia acontecer, pois te fez ser uma pessoa melhor, mais tolerante, mais forte, tenho certeza. Estamos aqui nesse mundo para evoluir e deixar frutos. Vc já deixou o seu marco. Vc ensinou a todas nós que o amor sim vale a pena. Seu limite foi atingido e quem somos nós para te julgar. Vc merece ser feliz e vai ser, não tenho dúvidas. E pode ter certeza que vc deixou nesse homem uma marca tão linda, mas tão linda, que mesmo que não fiquem juntos, será eterna. Deus te ilumine. Boa sorte.

      Excluir
    3. carol, eu estava namorando um dp e foi o melhor e o pior momento da minha vida. Ele ficou limpo se dizia recuperado, é de família rica e não tinha motivos para recair. Recaiu uma vez comigo, mas foi leve, ele usou e voltou pra cass, ficou internado apenas 15 dias em uma clinica de desintoxicação pois ele esta a trabalhando, namorando, enfim esta a indo bem. Tudo estava lindo até que um mês depois ele ficou 29 horas desaparecido coisa que nunca tinha feito. Está internado agora e eu decidi terminar com ele, pois dei uma chance, mas de nada adiantou. Veja todas as histórias....são todas muito parecidas. Eu decidi terminar porque não acredito na recuperação, o fim de 99% deles a gente sabe qual é. Infelizmente é triste e difícil de aceitar, eu também o amava muito, fomos namorados na faculdade e voltamos depois de 15 anos. Mas a droga distorce a personalidade deles, elesm mentem, manipulam, fazem chantagem emocional. Não é sua missão salvar ele, nenhuma de nós temos esse poder, ele pode se curar se ele quiser, mas a droga é mais forte wque a vontade deles. Meu conselho é ame se em primeiro lugar, existem pessoas saudáveis por aí, outros amores e outras coisas boas para viver na vida.

      Excluir
    4. Querida colega... assim como vc leio o blog da nossa colega Poly há um tempo... e assim como vc eu tenho um namorado dq. Não sei até onde vc está acompanhando os dias e noite de uso... os dias de depressão... os dias de lucidez! Mas, te digo já passei por poucas e boas... já fui em "bocas", já virei noites, já sorri, já chorei, já ouvi choro, lamento, pedidos de perdão e pedidos de ajuda... minha familia quando soube parou de falar comigo, me criticavam etc... etc... a familia d meu namorado já exausta pelas inumeros acontecimentos que passaram, me tem como um anjo. Mas a verdade é que é uma vida cruel! altos e baixos... dias bem e dias mal... momentos em que vc não queria existir, momentos em que vc gostaria de sumir, de matar se pudesse, outros em que tem esperança, que vc ama e tem tanto carinho e zelo que se pudesse colocava em uma caixinha e guardava num local onde so vc pudesse ter acesso. E quem pode decidir se vc é capaz de ficar ao lado de alguem assim é vc... DQ não tem cura isso é fato! Meu namorado está na primeira internação, estamos colocando nas mãos de Deus e cremos que ele vai sair e não ter recaidas. Mas ninguem ode afirmar nada! não somos Deus! não podemos prever o futuro. Mas como falei só vc pode definir se quer isso ou não... eu optei por ficar... ajudar... acreditar, apoiar... virei um codepedente sem querer... e é essa é a realidade de nós guerreiras que decidimos ficar... vivemos a vida que os dependentes vive, ou seja... dormimos a hora em que eles dormem, comemos a hora em que eles comem, estamos felizes e esperançosas quando estao lucidos, quando começam a ficar euforicos já nos arrepiamos... eles usam nós os odiamos, no dia seguintes quando eles descansam nos conseguimos descansar... e depois na depressão choramos juntos, queremos morrer juntos... é assim... e te digo... p ficar vc tem que ser forte... porque sua familia vai se revoltar, vc vai virar um co-zumbi... vai viver a vida que eles vivem - repito! e eles se apega em nos, viramos tabua de apoio... e nossa energia tem que ser suficiente pra nós e pra eles... mas isso tudo cansa... e cansa mesmo... e muitas e muitos caem fora... vão viver e não estão errados não... estão certos! Mas quem fica tbm está certo, pois todos somos humanos e merecemos chances na vida... Deus mandou seu filho na terra para ser pisoteado e crucificado, porque nós reles mortais não podemos estender a mão a quem amamos? Mas para isso, para ficar... vc precisa ler... entender, da doença, de pscologia... ser forte pra ajudar mas ser forte pra dizer não quando vc chegar no limite... minha familia voltou a falar comigo depois que meu namorado se internou... ainda não fechou um mes... e por enquanto ele está bem, foi por conta propria, espero que continue assim... eu faço sessoes de terapia com uma pscologa... leio muito... e sei que tenho que ser forte p quando ele voltar... pois tera que ser tudo diferente... lugares, amigos... vai ser o começo de uma nova luta... e é assim... umas historias mais chocantes outras nem tanto, mas todas muito parecidas no sofrimento e no amor... e escolha cabe só a vc!
      Abraço

      Excluir
  27. Vem cá me responde uma coisa...todo o seu discurso de que é possivel viver com um DQ, cuidando da nossa propria vida, da NOSSA recuperação, que podemos encontrar alegria..e seguir com os nossos sonhos etc...só servi quando o seu adicto ta limpo???e quando ele usa droga ai o discurso muda..não aguento mais, preciso me afastar, eu tenho tres filhos...ai quando o cara se interna (claro ele não tem outra OPÇÃO) ja que a familia mora longe e perder vc significa deixar de ter uma mulher, casa, cimida, estabilidade etc...ai quando elese interna o discurso eh ..ainda te amo...e acretido na sua recuperação se assim vc quiser..ai daqui a pouco o discurso vai ser...nós teos uma HISTORIA de amor..ele me ama eu sei, eu o amo mesmo ele sendo um DQ (DETALHE SO ATE ELE USAR NOVAMENTE) h Polly, eu não sou ninguem pra falar nada, nem comento nada do seu blog, mas chega né...sempre o mesmo circulo, a mesma historia, sempre do mesmo jeito..Separação pra mim é assim: MESMO QUE ELE PARA DE USAR DROGA EU NÃO VOLTO MAIS! agora vc fala de recuperação, mas joga td pro alto cada vez que o cara tem uma recaida, e joga ele contra a parede, sempre com a separação, ai ele interna e vc só elogios pro caracter dele...Pra mim viver em recuperação é mesmo que ele esteja na ativa, vc não ameace separar (ja que depois que ele tiver internado vc VAI voltar) é ele sair pra usar droga, e vc pega seus filhos ir no cinema, no MC, ele chegar e vc tratar ele normal..afinal o uso dele não afeta sua vida..é da beijinho, abraçar e td certo...bom mas essa é a minha opinião....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo ao meu esposo, e estou fazendo o que considero o melhor para mim e para minha família... Nesse momento, o melhor é a separação, uma separação definitiva, até que me provem o contrário.
      Todos temos o direito de escolher o que achamos ser o melhor, e inclusive de mudar de atitudes quando queremos. Me desculpe se te decepciono com meus "discursos", mas a minha intenção nesse blog não é a de passar uma imagem perfeita de uma esposa de DQ, ao contrário, é justamente de mostrar nossos conflitos internos.
      Lembre-se amar não tem nada a ver com aceitar coisas que nos machucam, e muito menos em nos anular...
      Cuide-se! E obrigada por sua opinião.

      Excluir
  28. Polly, esqueci de escrever pra você. Nem preciso dizer o quanto me identifiquei com a sua história. Ainda não consegui ler tudo, mas li vários posts. Teve alguns que me trouxeram a memória emocional do que eu passei, e aí fiquei acelerada, coração batendo na garganta, aquela ansiedade, como num dia de sumiço dele. Graças a Deus ele está internado. E pensar que eu tentei evitar a internação. Eu não sabia nada sobre dependência. Aff! Desejo muita força, muita sabedoria... Deus sabe o que faz. Confie no caminho que a vida lhe reserva! Tudo passa, tudo é transitório. Inclusive a dor.

    ResponderExcluir
  29. Tô pensando em escrever um livro, ou criar um blog. Meu caso tem alguns detalhes a mais, é bem complicado. Vai ser muito bom compartilhar isso, me sinto uma iniciante. Tá mexendo muito com a minha cabeça, tá me fazendo olhar pra dentro de mim, algo que agora eu vejo que evitei tanto... Não é fácil. Eu sou tão defeituosa quanto meu namorado. Ou mais.

    ResponderExcluir
  30. Eu pensava em ter um filho com meu namorado. Não agora, claro... Mas hoje me parece uma loucura. Como foi esse processo pra você?
    Meu namorado quer casar depois que sair da clínica. Eu fico em dúvida, porque, além de todo o resto (casar com um DQ e todos seus problemas), tenho medo que o próprio casamento sirva como um "motivo" pra recaída.
    Por que ele tinha que ser tão maravilhoso? Ele me fez tão bem! Tirando, é claro, os dias de crise, em que ele não era ele. Eu não consigo pensar em dividir a vida com mais ninguém. Mas quando penso no sofrimento que ele pode me causar... Deus, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

    ResponderExcluir
  31. Carol... minha historia é muito parecida com a sua e com tantas outras é claro...
    Meu namorado está em uma clinica e assim que ele sair, vamos morar juntos, mudar de cidade claro, porque mesmo lugares e amigos vai ser impossivel... mas temos os mesmo medos... medos das recaidas... de que as coisas piorem ainda mais do que aquilo que ja vimos e ouvimos... Mas Deus é maior e vamos ser vitoriosas... fé em Deus!

    ResponderExcluir
  32. Poly... leio seus posts há um tempo... parabéns pela força e coragem! não se culpe por nada, vc deu o melhor de si! Fez o possivel o impossivel e oque deveria ser feito. Se agora acha que deve tomar um novo caminho... que Deus a ilumine! Nada acontece sem que Deus permita... talvez seja com o novo caminho que vc planeja que seu marido ou ex... repense a vida e queira sair de cabeça e corpo e alma desse poço chamado drogas! E talvez o futuro lhes reservem muitas felicidades juntos, por que não? Boa sorte! E parabens por tudo... vc é uma guerreira

    ResponderExcluir
  33. Sha, como eh dificil, nao?! Minha cabeca gira, gira... Em alguns dias estou bem, em outros so quero dormir. Falta uma semana pra minha primeira visita. Eu nao estou aguentando de ansiedade. Preciso ver, sentir como ele esta. Se ele esta bem, se esta comprometido com a recuperacao, se esta querendo mesmo viver uma nova vida. Eu vou tentar. Vou fazer minha parte e torcer pra que ele faca a dele. Depois, se nao der certo, pelo menos nao vou me arrepender por nao ter tentado. Mas eu acredito que vai dar. Tem que dar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol. Confie em Deus e no amor de vcs. Meu marido entrará no terceiro mês de internação. Sinto que ele está consciente como nunca esteve a respeito da doença e de tudo o que precisa fazer para entrar em recuperaçao. Entao, to me apegando a isso. Estou tentando viver o "só por hoje", sem antecipar o futuro. Entendo sua ansiedade, mas tenha certeza de que ele está melhor do que estava aqui fora. Vamos confiar que a sementinha da consciência ja está no coraçao dele. Depois relate pra nós como foi. E se cuide, viu? Pensa em vc. Bjs

      Excluir
    2. Oi, Karina! Obrigada por me responder. Eu estou sentindo falta de noticias. So recebi uma carta ate agora, eu nao tenho como ter noticias direta dela (so pela familia). Entao isso me deixa ansiosa. E tb todas as descobertas que fiz, sobre a doenca, sobre a minha doenca (co-dependencia), e mais um monte de outras coisas... Esta sendo um mes de revolucao na minha vida, e tem horas que fica dificil lidar com isso, sem ninguem pra dividir. Eu tenho ido no Amor Exigente, mas eh tao pouco tempo pra falar... Enfim...

      Excluir
    3. Nossa, Carol. Esta fase realmente é um turbilhão de emoçoes. Descobrir o quanto estamos doentes também assusta, né? Eu vou ao Nar-Anon e gosto bastante. Preferi ao Amor Exigente. Mas estou procurando uma psicóloga, acho que vale a pena, pq a essa altura, depois de vivermos tanto a vida deles, temos que juntar os cacos e nos reencontrar, né? Temos que nos tratar com muito cuidado...a sua primeira visita deve ser por agora, ne? Boa sorte, fique firme. Se quiser me escrever se sinta a vontade! Bjs

      Excluir
  34. Lendo essas história percebi que preciso urgentemente procurar o NA, tenho dois anos de casada, e no ínicio era tudo tão diferente, de uns 3 meses pra cá ele tem se drogado todos os dias, gasta todo o salário dele com drogas, e eu tô tão cansada de tudo isso, não sei até quando vou suportar a dor que estou sentindo.

    ResponderExcluir
  35. Polly,

    Já partilhei, com vocês minha história. Não suportando tamanha dor de ver mmeu marido sendo consumido pelo alcool me afastei dele em julho de 2012. Na verdade "fui arrancada" do meu lar pelos meus irmãos, vendo que eu também já estava doente. Sou muito grata a todos da minha família que me resgataram a tempo. Hoje sou viúva porque ele se entregou ao vício e não quis se tratar. Estou me recuperando e tentando seguir minha vida junto com meu filhinho. Espero que sua história tenha um final diferente da minha e que sejam felizes.

    ResponderExcluir
  36. FICO MUITO TRISTE MESMO..MAS CREIO QUE SEMPRE NO FIM DO TUNEL HA UMA ESPERANÇA E CREIO QUE AQUILO QUE O HOMEM NAO FAZ JESUS FAZ POR MIM O MEU REDENTOR VIVE E CREIO QUE TUDO VAI DAR CERTO....

    ResponderExcluir
  37. São tantas histórias, todas envolvendo a maldita droga, tanto sofrimento...tenho 21 anos, estou com meu esposo a 2 anos e meio, e já sofri tanto nesse tempo, as vezes fico pensando em largar ele, sou nova, tenho a vida inteira pela frente, mas o amor que eu tenho por ele não me deixa fazer isso, eu não sei de onde vem esse amor, que não me permite terminar, eu penso: vai doer, mas vai passar, mas não adianta, não consigo, ele é o meu tudo, é a minha vida, não posso imaginar minha vida, minha casa sem ele. Sofri muito quando ele foi internado em agosto de 2012, o mês que completaria 1 ano de casados, invês de estarmos comemorando juntos, estavamos separados, eu aqui fora e ele internado numa clinica por causa da "maldita", mas ele se recuperou, ficou mais de 1 ano limpo e agora veio a ter a tal recaída.....Grazi Cosmorama - SP

    ResponderExcluir