segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Quando morre a esperança...

 
Bom dia, queridos(as)!
 
Eu estava aqui lendo umas mensagens recebidas, e me coloquei a pensar no quanto é triste a vida de quem perde a esperança.
 
Podemos perder tudo nessa vida, mas quando se guarda a esperança, ainda há muito... Entretanto, perdê-la, de certa forma, é deixar de viver.
 
O significado de esperança é: “sentimento de quem vê como possível a realização daquilo que deseja; confiança em coisa boa; ...”
 
Esperança é acreditar em um dia melhor, em uma vida melhor, no próprio crescimento, na felicidade e recuperação do dependente químico a quem amamos, e sobretudo na própria felicidade...
 
Talvez esse ciclo da dependência química tenha te deixado assim, mergulhado(a) na desesperança, sem fé e desanimado(a). Muitas vezes, somos tomados até mesmo pelo desespero, mergulhados naquele sentimento de que tudo foi em vão, de que tanto esforço e amor foram desperdiçados, e de que nada valeu a pena.
 
Já senti isso várias vezes, principalmente em momentos de recaída do meu esposo.
 
A sensação por dentro é de luto. E a dor é consumidora.
 
Queridos(as), não permitam que tudo isso mate a sua esperança...
 
Sim, você pode escolher se afastar. Você tem o direito de se proteger da devastação que é causada pela adicção ativa de alguém próximo. Você deve viver sua própria vida. Mas, nunca permita que sua esperança morra!
 
Acredite! Existe alguém tão superior a nós que está no comando de tudo: Deus. E tudo o que acontece em nossas vidas pode nos fazer crescer como seres humanos, se permitirmos isso.
 
Meu querido(a), ainda que a dor seja imensa (quase intolerável), ainda que tudo indique para a impossibilidade de uma recuperação de quem você ama, mesmo em meio ao desespero, lembre-se: “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã...”
 
Acredite!
 
Enquanto a recuperação de quem você ama não chega, viva. Cuide de si mesmo(a). Ame-se. E alimente sua esperança... Por favor, não a deixe morrer...
 
Só por hoje meu esposo está limpo há 97 dias. E só por hoje eu continuo acreditando...
 
Beijo no coração!
 
 

14 comentários:

  1. Concordo com vc Poly sobre ter esperança... em todos esses momentos aprendi a crescer espiritualmente, e, mesmo que meu marido não se recupere, eu não teria chegado tão perto de Deus não fosse o problema dele que me levou a essa condição. Só por hoje ele está limpo há 112 dias. Torço por vc e sua família! bjos

    ResponderExcluir
  2. A esperança é uma força que nos impulsiona...
    Sem esperança não há vida, nem sonhos...

    Bj grande, querida!

    ResponderExcluir
  3. vamos ver quando ele tiver sua próxima recaída,pois lembro muito bem de vc dizendo que nao suportava mais tudo isso e que seus filhos n poderiam ser obrigados a viver a vida que VC escolheu.
    Pq querendo ou n,nao adianta dizer que n afeta vc e sua vida. Pois esse negócio de n deixar q interfira na sua vida,na sua profissão n existe!
    Sei oq é co dependencia,leio,falo... mas na prática n é bem assim.
    Eu posso tentar ligar cm a situação,mas é IMPOSSIVEL viver e seguir em frente com um marido usando drogas dia e noite,os filhos sentindo falta do pai,vc sentindo dó deles,as coisas de casa sendo trocadas por drogas,a responsabilidades caindo todas em cima só de vc (ao inves de ser dividida).
    Viver cm um dependente em recuperação é fácil! Assim tbm fica mais fácil ainda ter esperanças... pórem as recaídas SEMPRE vão acontecer e lidar cm elas é viver no inferno e submeter seres inocentes q n tem escolhas a vivenciar isso tbm,pois logo eles crescem e começam a entender tudo.
    Eu olho pra minha flha e sinto vergonha de mim,por fazer ela viver isso. Me olho no espelho e sinto raiva pelo meu egoísmo,fraqueza e talvez obssessão.
    Só por hoje mas afim de que seja pra sempre eu decidi deixar o meu esposo,com dor no coração e o amando muito,mas ao olhor naqueles olhinhos inocentes e puros do meu bebe,n consegui pensar em prós e contras. Só quis tirar a minha filha daquele ambiente,só quis dá a ela a oportunidade de ter uma infancia normal,sem precisar assistir ao pai fumando crack dentro de casa e vendendo tudo que temos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, querida. E partilho da sua dor. Siga adiante com sua vida. Viva. Cuide da sua filhinha. Cuide de si mesma... E nunca deixe de ter esperança na vida... Um grande beijo!

      Excluir
    2. Vc deixou o seu marido pq não o ama o suficiente, pois só se acredita em amor de mãe por filho,parece que ninguém acredita em outro tipo de amor, prá mim a maioria das mães são seres extremamente egoístas,(exceto a minha)pois na época dela as coisas não são como hoje,essa "idolatria" por um filho,colocam acima de tudo, até de Deus,quem dirá do marido,qdo deviam se lembrar que foi através dele(o marido)que conseguiram ter seus filhos.A D.Q.é uma doença,que requer tratamento,tanto qto o diabete,então vc abandonaria seu marido a cada crise que ele tivesse?

      Excluir
    3. Uma doença como a diabetes a pessoa não escolheu estar doente, mas o mundo das drogas sim ele fez a escolha dele é ela não é obrigada a se submeter e submeter o filho a uma situação dessas. E óbvio que o amor de uma mãe pelo filho é maior, e acredito que ela ame ele sim mas tem que se amar primeiro pois vai acabar ficando doente e quem cuidará dessa criança? Vc ? Me poupe !!!!

      Excluir
    4. Uma doença como a diabetes a pessoa não escolheu estar doente, mas o mundo das drogas sim ele fez a escolha dele é ela não é obrigada a se submeter e submeter o filho a uma situação dessas. E óbvio que o amor de uma mãe pelo filho é maior, e acredito que ela ame ele sim mas tem que se amar primeiro pois vai acabar ficando doente e quem cuidará dessa criança? Vc ? Me poupe !!!!

      Excluir
  4. Concordo com vc amiga, não temos que perder a esperança, ela é o sopro da vida...onde há vida há sempre esperança...Não podemos nos entregar e o que você disse é bem correto "Enquanto a recuperação de quem você ama não chega, viva. Cuide de si mesmo(a). Ame-se. E alimente sua esperança..." vamos nos cuidar para estarmos melhores quando eles precisarem realmente de auda...adorei e me identifiquei muito!!! bjus Poly

    Tati M. Lopes

    ResponderExcluir
  5. oi...Poly.
    Admiro sua luta e coragem!
    Deus te de todos os dias a alegria que não pode ser perdida e o amor que alimenta sua coragem.
    bjos
    pattyeo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Sou dependente químico há 22 anos (desde os 17).
    Já tentei parar. Jamais consegui realmente.
    O pior de tudo é que eu gosto da sensação que a cocaína me traz. Só não gosto da destruição que ela já me causou e que continua causando.
    Já tentei suicídio 4 vezes (Veneno de Rato, 20 comp. de Rivotril, etc.)
    Não sei mais o que fazer.

    ResponderExcluir
  7. É muito difícil manter a esperança seguida de uma recaída de alguém que a gente ama. Chega! To desistindo! To cansada! To abatida! Não como, não durmo, não vivo...que amor é esse que não mede nada, se auto destrói? como isso pode se chamar amor? como uma pessoa pode deixar de viver sua vida em função de outra sem ter o mínimo de amor? mistura de sentimentos, revolta, raiva, impotência, frustração...não sei em que mundo estou, aliás, sei sim, no mundo que não é meu, não é pra mim, não quero mais tentar, não consigo mais seguir esperando pela próxima recaída, tá muito difícil! Pra mim não há mais esperança!

    ResponderExcluir
  8. Ontém a noite que achei esse Blog, não tinha visto ainda, pois estou lendo a história de todas, e passo por uma situação parecida, meu marido é um dependente quimico, resolveu se tratar e ficou durante 8 meses internado, depois que saiu dessa internação passou 4 meses ele teve uma recaída, infelizmente a recaída dele, não foi uma vez, foram varias vezes, de ter que ficar acordada preocupada, então junto com o pai dele decidi interna-lo de novo, essa duração durou 2 meses, após 15 dias de sua saída clinica, ele procurou a droga mais uma vez, ficou a noite toda com ela, fui achar ele em um lugar horrível, de lá para cá venho segurando ele o maximo que posso, infelizmente ele sabe que a bebida, vai fazer ele procurar a droga, mais ele não me houve, ontém fui para minha aula da pós- graduação que era o dia todo, ele aproveitou e foi atrás da droga novamente, não voltando para casa, foi aparecer 3 horas da manhã, tenho muita fé em Deus, mais infelizmente, acho que estou perdendo minhas esperanças, só rezo para que tudo isso acabe um dia, e desejo força para todas vcs que passam pela mesma situação que a minha.

    ResponderExcluir
  9. A esperança em um relacionamento com um adicto pode acabar, porém a esperança de dias melhores pra si e pra ele deve permanecer ainda que separados.
    Eu acredito na recuperação do homem, seja qual for a situação.
    Que enquanto houver vida, haja esperança.
    Paz e harmonia a todos.

    "Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos."

    ResponderExcluir