segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Esperança!




Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Texto de Mário Quintana, extraído do livro Nova Antologia Poética.

Amigos leitores, não permitamos que nada nem ninguém venha matar a nossa doce esperança... Acreditemos! Acreditemos, inclusive, no amor e na felicidade, sempre... Tenhamos fé em Deus!



FELIZ 2013!!!


sábado, 29 de dezembro de 2012

O novo pode ser bem melhor! Feliz 2013!



Olá, queridos(as)!

Estamos chegando ao final de mais um ano. E acho que é normal para a grande maioria parar um pouco nesses dias, e pensar no ano que está acabando, fazer uma breve retrospectiva, colocar as coisas na “balança”...

Posso dizer que meu 2012 foi um ano feliz. Afinal, neste ano, ganhei um lindo presente de Deus, meu filhinho caçula, que agora está com nove meses. Também feliz porque gozamos de saúde. Porque não nos faltou o alimento. Feliz porque fui bem sucedida profissionalmente.

O ano de 2012 me foi especial, pois por meio do blog (que explodiu neste ano), tive a oportunidade de publicar o livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, e também de colaborar por meio de entrevistas e palestras, levando uma palavra de amor, conforto e esperança aos familiares de dependentes químicos.

Fiz muitos novos amigos...

Quanto ao meu esposo, dos 365 dias deste ano, ele fez uso de substâncias químicas em apenas três dias. Eu gostaria que ele tivesse ficado limpo em todo o tempo, mas as coisas aconteceram como eram para acontecer, e crescemos com tudo isso, e aprendemos, e nos achegamos mais de Deus.

Só por hoje, ele está limpo há 66 dias... E recomeçando a cada novo dia.

Por tudo isso, sou grata pelo ano que termina.

Agora é hora de receber 2013!

É estranho que, por um lado, me sinto feliz com a chegada do novo ano. Mas, por outro lado, o novo parece me assustar. E quando saio do “só por hoje” ou do “um dia de cada vez”, para pensar em 365 novos dias, tenho medo...

Já pararam pra perceber que quase sempre temos medo do novo? Isso se dá porque é mais cômodo nos mantermos onde já conhecemos e estamos acostumados. O novo é imprevisível, portanto, foge do nosso controle. E daí, muitas vezes nos esquecemos de que o novo pode ser bem melhor!


Meu desejo para 2013 é que eu confie mais em Deus. Que eu entenda que é a Mão Dele que está me guiando e cuidando de mim, dos meus filhos e também do meu esposo, e que não estou sozinha nessa luta tão árdua, contra a minha codependência e contra a adicção de quem amo. Sei que Deus está zelando pelo nosso bem, então não preciso me preocupar...

Desejo a todas(os) nós um feliz ano novo! Entremos juntas(os) pelas portas de 2013, de mãos dadas, cabeças erguidas e corações esperançosos!

Que quando os calendários forem reiniciados, sejam zeradas as mágoas, as angústias, as dores, as frustrações, e se inicie uma contagem de muitos dias de alegria, paz, harmonia, serenidade, sorriso, força, felicidade, saúde, prosperidade e muitas, muitas boas realizações!

Em 2013, continuaremos juntos(as)!!!

Beijo no coração!


terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Não esperava um Natal assim!



Chegou o Natal!

Feliz Natal a todos vocês, queridos(as), e aos seus familiares! Desejo-lhes muita paz!

Tudo bem com vocês? Por aqui, tudo muito leve, graças a Deus!

Nosso filhote do meio completou quatro aninhos ontem, e passou o dia radiante. Foi dormir por volta das onze horas, porque senão o papai Noel não passaria aqui em casa... Risos!

Nossos outros dois filhos também felizes e saudáveis!

E o meu Natal está sendo bem diferente do que eu havia imaginado...

Meu esposo saiu de sua internação no sábado. Ele decidiu sair, e inicialmente eu fiquei assustada com a ideia. Mas, conforme a Psicóloga do Instituto me falou: “Ei, não fique assim! Cada um é cada um. Acredite!”

Percebi que realmente era a hora dele voltar para casa. Vários fatores me levaram a concordar com ele, apesar do medo aqui dentro do meu coração.

Passamos por uma situação muito chata em sua saída, me senti até mesmo humilhada por pessoas a quem nunca fiz nada de mal. Mas, não é sobre isso que quero falar com vocês, afinal é Natal. E Natal é perdão também...

Sabe, queridos(as), um dia percebi que não tenho controle sobre a vida do meu esposo, nem sobre sua recuperação. Isso não é o meu papel. Meu papel como esposa é apenas o de amá-lo, aceitá-lo e apoiá-lo no que ele me solicitar, se eu puder. Na verdade, um dia percebi que nem mesmo sobre minha vida eu tinha controle. E foi quando decidi deixá-la nas mãos de Alguém maior que eu. Então, como diz no terceiro passo, decidi entregar a minha vontade e a minha vida nas mãos de Deus... E, desde então, me sinto bem mais leve...


“Senhor, entrego-te toda a minha vida, ó Deus da minha compreensão. Fiz uma trapalhada, tentando controlá-la eu mesmo. Toma minha vida toda e dirige-a em meu lugar, segundo Tua vontade e Teu plano.” (Doze passos para os cristãos, Pe. Haroldo J. Rahm)

Eu pensei que passaria o Natal sozinha, tristinha, saudosa. Entretanto, passamos a véspera na casa da minha irmã, em família, e foi maravilhoso. Partimos um bolinho para o nosso filho (o primeiro pedaço foi para o paizão). Falamos de coisas felizes e saudáveis. Conversamos dando apoio ao meu esposo em sua recuperação. Brincamos com as crianças... À noite ceamos com eles e com alguns amigos queridos da igreja da minha irmã. Sem bebidas. Sem drogas. Mas, com muita paz e felicidade no coração.

Hoje reconheço que não sei o que é melhor para o meu esposo, por isso, tenho feito esse exercício diariamente: o de ENTREGAR e CONFIAR em Deus!

Quando falamos em Natal, pensamos em família, não é mesmo? Hoje quero deixar aqui um pedacinho da linda canção do Pe. Zezinho que fala sobre esse presente de Deus: a família.

“Que marido e mulher tenham força de amar sem medida
Que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão
Que as crianças aprendam no colo, o sentido da vida
Que a família celebre a partilha do abraço e do pão!
Que marido e mulher não se traiam, nem traiam seus filhos!
Que o ciúme não mate a certeza do amor entre os dois!
Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho,
seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois!
Que a família comece e termine sabendo onde vai
E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai
Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor
E que os filhos conheçam a força que brota do amor!
Abençoa, Senhor, as famílias! Amém!
Abençoa, Senhor, a minha também!"

Querida mãe, ou esposa, que talvez nesse momento não tenha o seu filho/esposo perto, em razão do uso de drogas, ou de uma internação, entenda que você não pode fazer nada para mudar isso, e nem mesmo para incutir em seu ente querido o desejo de parar de usar drogas e de ser alguém diferente, mas você pode mudar a si mesma, e pode entregar tudo o que é incapaz de fazer nas mãos de quem tem esse poder, Aquele que é a razão do Natal, Jesus.

Para terminar, gostaria de deixar um texto que escrevi, adaptando do livrinho Reflexões Diárias do A.A.:

“Quem sou eu para julgar alguém? Aprendi a amar a todos, apenas ouvindo o que cada um tem a dizer. Uma ou outra pessoa pode ser aquela que Deus escolheu para me dar a mensagem que eu preciso para o dia de hoje. Devo sempre me lembrar de colocar os princípios acima das personalidades..."

Depois do que vivi nesse sábado, apenas quero dizer a vocês, meus amigos, vamos valorizar os seres humanos, independente de quem sejam, afinal, no fundo, somos todos apenas isso: seres humanos...


Quanto a mim e ao meu esposo, nessa nova fase que se iniciou, não sei ao certo como será, então, apenas ENTREGUEI...

“Entrega o teu caminho ao Senhor, confia Nele, e o mais Ele fará...” (Sl 37:5)

Eu creio!

Feliz Natal!

Que a Paz de Jesus esteja na casa de vocês, só por hoje e sempre!


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

I Encontro Laços ADQ - Confirmado!


“Você já reparou como é curioso um laço…
Uma fita dando voltas?
Se enrosca…
Mas não se embola,
vira, revira,
circula e pronto:
está dado o laço
É assim que é o abraço:
coração com coração,
tudo isso cercado de braço...” 
(Maria Beatriz Marinho)


Exatamente hoje, este blog está completando um ano e sete meses, desde a sua criação. Desde então, pessoas incríveis entraram na minha vida. Muitas confiaram em mim, e me abriram suas histórias por e-mail ou comentários. Outras apenas leram em silêncio e no anonimato. Outras decidiram criar seus próprios blogs para partilharem suas histórias. E hoje somos uma grande família de pessoas que amam dependentes químicos, de mãos dadas, nessa linda rede de ajuda.

Antes do meu blog, já havia o blog da Giulli e da Cicie, cada uma com sua escolha de vida, mas, que também amam dependentes químicos. A Giulli com o seu “valeu a pena”, e a Cicie com o seu “te amo incondicionalmente” me receberam com muito carinho, desde o início. Certamente, nenhuma de nós imaginávamos a dimensão que tudo isso tomaria.

Hoje eu sigo mais de quarenta blogs, nascidos depois, de pessoas que amam dependentes químicos, além dos blogs dos nossos queridos adictos em recuperação, dos quais os primeiros que me receberam foram o Junior e o Jorge Alberto.

Sem falar dos leitores assíduos e fiéis, dos quais destaco a Tininha e a Lílian, que estão comigo desde o princípio. 

As inúmeras orações. As lágrimas. Os sorrisos. Enfim, o enorme carinho que temos recebido por meio deste blog, é algo que nunca saberei agradecer e recompensar.

Agora é hora de transpassar essa tela de computador! Vamos olhar nos olhos! Vamos segurar na mão! Vamos abraçar! Vamos dizer: “Estamos juntos(as)”!




“Eu seguro a minha mão na sua, e uno o meu coração ao seu, para que juntos(as) possamos fazer aquilo que eu não posso fazer sozinho(a)".







“Tudo estará bem enquanto os laços que nos unem forem maiores e mais fortes do que aqueles que nos afastariam...






É hora de trocarmos experiências com quem vive o que vivemos. É hora de reunir essa grande família!

O I Encontro Laços ADQ será realizado no dia 12/01/2013, sábado, no shopping do Ibirapuera, Praça da Alimentação, a partir das 11 horas.

Vamos invadir aquele shopping, e inundá-lo de amor, compreensão, carinho, aceitação, alegria, esperança, serenidade e fé!


Todos são muito bem-vindos! 

Leitores dos blogs, pessoas que amam dependentes químicos, adictos em recuperação... 

Esse encontro é pra todos nós!





sábado, 15 de dezembro de 2012

Um pouco da minha história de vida!

Bom dia!

Segue, abaixo, uma pequena palestra, dada aos formandos do curso de Serviço Social, da faculdade Anhanguera. É um pouco do meu trabalho... Um pouco da minha história...

Beijos!
Bom fim de semana!



sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Só Por Hoje, o Segredo!

Meu filhote do meio.

Boa tarde, queridos(as)!
 
Tudo bem com vocês?
 
Por aqui tudo bem! Semaninha corrida, mas muito boa!
 
Palestra em uma faculdade, para formandos em Assistência Social; cantata de Natal dos meus dois filhos menores; escrever cartinha para o papai Noel que visitará a creche deles hoje e “levará” os presentes, ajudar o “papai Noel” a escolher os presentes, levar minha filha para seus "compromissos” de final de ano com seus amiguinhos, almoço de confraternização no trabalho, e por aí vai... Adoro o mês de dezembro!

Após a palestra, na Faculdade Anhanguera
 
Quanto a palestra, foi uma experiência incrível. Mais ou menos cinquenta ouvintes. Eu estava um pouco receosa de como seria a receptividade, pois foi a primeira vez que falei para pessoas que supostamente não vivem o problema, mas foi lindo! Estou tentando postar o vídeo da palestra na íntegra. É rapidinho, e quero que vocês vejam. 
 
Ao final, três familiares me procuraram para falar dos seus amados adictos. E uma jovem, adicta em recuperação, muito querida, veio me contar do seu sucesso, há quatro anos limpa! Lanchinho com o pessoal, me senti em casa, e fui muito bem recebida. 

Hoje eu gostaria de conversar com vocês sobre um termo muito utilizado por membros do N.A. e também de outros grupos de apoio onde os doze passos são praticados: o “só por hoje”.
 
Essa simples frase, que por vezes até parece um jargão, para mim, é o segredo! Você pode conseguir qualquer coisa, se usar o “só por hoje”.
 
Recentemente, vimos a linda postagem da nossa amiga Luciana, onde ela relata sua vitória contra a balança, praticando o “só por hoje”. (Clique aqui, e leia).
 
Nos A.As e N.As, vemos adictos em recuperação há muitos anos, mas que até hoje vivem no “só por hoje”.
 
Mas, afinal, o que é isso?
 
Conforme o livrete Os Lemas do Nar-Anon, “a prática deste Lema nos encoraja a fazer algo diferente apenas hoje, sem o compromisso de fazê-lo pelo resto da vida. Talvez um compromisso de longo prazo seja um fardo muito pesado, mas se com humildade assumimos fazer algo diferente, só por hoje, nossa vida pode mudar.”
 
Muitas vezes, temos sonhos de mudança dentro de nós, como: passar em um concurso público, emagrecer, ser feliz, etc. E esses sonhos são possíveis! O problema é que, quase sempre, tendemos a esperar o dia 1º de janeiro, ou a segunda feira, ou amanhã... E esse dia nunca chega. E permanecemos em nossos velhos hábitos. E nunca mudamos.

Se o seu sonho é passar em um bom concurso público, comece a estudar hoje! Só por hoje, estude ao menos por duas horas. Vamos lá, é só por hoje!
 
Quer emagrecer? Então, só por hoje, não coma guloseimas, e capriche nas saladas! Vamos, só por hoje, a gente consegue!
 
No meu caso, essa é uma das armas que uso para vencer meus defeitos, inclusive a codependência. Quando quero controlar alguém ou alguma coisa, quando esqueço da minha própria vida, quando começo a olhar demais para os outros, acendo a luz do “só por hoje”.  Êpa, Dona Poly, só por hoje, cuide apenas de si mesma!
 
Muitas vezes, meu esposo estava nas ruas, na ativa, e eu usava esse lema para conseguir dormir, me alimentar, curtir meus filhos, e ser feliz só naquele dia... Quando o dia estava muito difícil, eu dizia para mim mesma, só nessa hora não tentarei ligar para ele, só nessa hora farei algo que me faça bem, só nessa hora me ocuparei com coisas minhas... E esse exercício foi se tornando um hábito.
 
Existem pessoas que sempre acham que o outro é que deve mudar. Que o outro é que é o problema. O outro, o outro, o outro... Eu também pensei assim, durante muito tempo. E sempre adiava a minha felicidade para quando o meu esposo deixasse as drogas. Depois que vi o quanto de coisas há em mim mesma para mudar e vencer, parei de pensar tanto nele e em seus problemas. Hoje tenho o meu próprio “só por hoje”.
 
Essa é a chave da minha superação diária. Só por hoje!
 
Mude sua vida hoje!
 
Recentemente, perguntei às companheiras do facebook o que elas fazem por si mesmas, e em prol da própria recuperação. Vou enumerar essas dicas para que as(os) leitoras(es), que sentem que se perderam em algum lugar, sejam ajudadas(os), e comecem a praticar HOJE! 

1.       Oração
2.       Terapia com Psicólogo
3.       Grupo de apoio aos familiares
4.       Amizade com companheiros de grupos
5.       Ler livros sobre codependência (sugestões: Carta Aberta a Minha Família – Naranon, CEFE, Codependência Nunca Mais – Melody Beattie, e Amando um DQ – Dias de Dor – Polyanna P.)
6.       Praticar os doze passos
7.       Focar mais em si mesmo, e menos no outro
8.       Ter um blog
9.       Ler os blogs
10.   Comunhão com Deus
11.   Cuidar do corpo (malhar, endocrinologista/nutricionista, massagens, boa alimentação)
12.   Confiar em Deus
13.   Saber que tudo sempre passa
14.   Participar de grupos online
15.   Participar de teatros
16.   Terapias em grupo
17.   Tratamento homeopático
18.   Agradecer a Deus
19.   Ter uma “madrinha” na recuperação
20.   Focar em suas próprias atividades (trabalho, filhos, etc)
21.   Partilhar
22.   Ir à igreja
23.   Caminhar
24.   Reeducação alimentar
25.   Desligar-se, com amor
26.   Florais de Bach
27.   Viver minha própria vida
28.   Praticar o só por hoje
29.   Buscar ser feliz, independente do que está ao redor
30.   Cuidar da saúde e da aparência
31.   Estudar sobre dependência química e codependência
32.   Cuidar da casa
33.   Passear
34.   Fugir dos pensamentos e pessoas negativas
35.   Ter esperança, não expectativas
36.   Buscar o equilíbrio emocional
37.   Dizer para si mesma(o): eu posso!

Tenho certeza que em um ou mais desses itens está a chave para a sua recuperação, então escolha e comece, mas comece hoje... Só por hoje! Vamos tentar?

Acredite! É possível ser feliz, mesmo amando um dependente químico, afinal a felicidade vem de dentro, e não de fora...

Muito obrigada às(os) companheiras(os) AM, CY, ML, GT, TML, RC, LBL, MP, DC, TL, MS, CT, KC e CF que colaboraram com suas experiências.

Hoje vou terminar deixando um conhecido (e lindo) texto de Charles Chaplin, que fala sobre o hoje...

Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite.
É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus.
Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.
Tudo depende só de mim. 
 
Quanto a mim, só por hoje, escolho curtir os meus filhos quando voltar pra casa. Só por hoje, sinto saudades sim, mas opto pela alegria de saber que meu esposo está bem. Só por hoje, cuidarei bem da minha alimentação... Só por hoje, não cobrarei demais de mim mesma... Só por hoje, serei feliz!


Bom fim de semana!!!


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Gosto de açúcar, aroma de perfume...


Boa tarde!
 
Dia 10 de dezembro de 2012. Dia especial para nós. Hoje festejamos mais um aniversário de casamento. Estamos fazendo seis anos de união, as chamadas Bodas de Açúcar ou de Perfume.
 
Nesse período, como qualquer casal, passamos por vales e montanhas, tempestades e arco-íris, dores e alegrias. Passamos, sobretudo, por muitos desafios, e sobrevivemos, e vencemos. E amamos!
 
Foram tantos os momentos partilhados, e desses, muitos foram de alegrias, e outros de tristeza, é verdade. Mas, é bom olhar para trás e ver que nosso casamento é muito mais do que a dor que a dependência química causa... Nossa união é muito mais que uma doença, é uma história de amor, de um amor puro e forte que Deus inexplicavelmente plantou em nossos corações, e que se mantém vivo e amadurecendo, a cada dia.
 
Dessa união, vieram nossos maiores presentes, nossos filhos, que só somaram, e tornaram a nossa aventura juntos ainda maior e melhor.
 
O percurso nem sempre é fácil. Mas, quem disse que seria? Entretanto, tendo alguém amado e amante para compartilhar, se torna bem mais doce, como o açúcar... E dá um aroma muito mais gostoso, como o perfume...
 
Agradeço a Deus por nossa união, e que ela dure mais seis, e mais seis, e vezes seis, e seis elevado a seis anos... 
 
Que seja eterno enquanto dure, e que dure para sempre!
 
 
Só por hoje, meu esposo está limpo há 48 dias. O percebo sereno, e um pouco mais leve da culpa que sentia pela ultima recaída, após 1 ano e 5 dias limpo.
 
Neste sábado, eu havia ligado para a Instituição avisando que não poderia ir à visita. Meu bebê passou a semana muito doentinho, inclusive nem trabalhei, para acompanha-lo às consultas e dar-lhe as medicações direitinho. Graças a Deus, ele melhorou, e hoje já está na creche, e eu no trabalho, apesar do coração de mãe apertadinho.
 
Então, inesperadamente, ouvi uma buzina no portão, meu filhote do meio abriu, e deu um gritão: “Mãe, é o papai!!!”
 
O pessoal da instituição levou o meu esposo para casa a fim de passar o fim de semana. Fiquei muito feliz ao vê-lo. Além da grande saudade, eu estava exausta, e fiquei mais segura, pois sabia que ele me ajudaria nos cuidados com o bebê. E assim foi.
 
No domingo de madrugada, senti uma forte dor no estômago, e não tínhamos medicação em casa. Ele me deu um copo de leite, depois preparou um chá, mas nada aliviava a dor forte. Então ele decidiu ir até a farmácia 24hs para comprar a medicação. Eram umas duas horas da manhã, ele foi de carro, sozinho, e com o cartão. Tive um pouco de receio, mas precisei confiar. E, graças a Deus, em poucos minutos ele voltou com o remédio, e logo depois que o tomei, a dor aliviou.
 
No instituto eles recomendam que não os deixemos sozinhos nas ressocializações, mas existem situações que são inevitáveis, principalmente quando temos filhos pequenos, e eu, particularmente, acho que precisamos ajudá-los a se resguardarem, se quiserem, mas vigiar não resolve. 
 
Graças a Deus, meu marido não quis usar, e não usou.
 
O fim de semana foi muito agradável. Fomos à igreja no sábado, e ontem levamos as crianças para ver o papai Noel no shopping. Deixamos o carro em um lugar central, e fomos de metrô para nos aventurarmos com as crianças. Elas amaram a novidade! E, na volta, pra completar, perdemos o ultimo metrô, daí pegamos um busão mesmo... Ríamos da nossa aventura maluca. Foi muito divertido!
 
À noite, após os fofuxos dormirem, tivemos um momento só nosso, afinal, seis anos de casamento merece comemoração, não é mesmo?!
 
Hoje pela manhã, ele me preparou um café, e sobre a mesa, havia um pacotinho vermelho aveludado e um bilhete. Dentro do pacotinho, havia novas alianças, e no bilhete, as seguintes palavras: “Quer se casar comigo novamente? Porque eu te amo demais... Nunca esqueça o quanto amo você! “
 
De joelhos, ao meu lado, colocou a aliança em meu dedo, e eu fiz o mesmo. Um pedido de perdão. Um “eu te amo”. Um olhar. Um beijo. Impossível segurar as lágrimas...
 
Há uns quinze dias atrás, havíamos ido à igreja, e no final, naquela igreja lotada, a pastora me chamou para ir à frente. Eu estava sentadinha lá atrás. Era a minha primeira ida àquela igreja. Achei que não era comigo, mas era. Então fui. E ela fez uma oração por mim, falando sobre restauração de sonhos. Eu me arrepiava enquanto ela orava. Depois, mesmo de olhos fechados, percebi que meu esposo estava ao meu lado. E no final da oração, ela me colocou de frente ao meu esposo, fazendo com que nos abraçássemos. Foi algo tão diferente. Comecei a chorar copiosamente, e aquelas lágrimas pareciam me lavar por dentro, e ali percebi que, de fato, eu o havia perdoado por todos os momentos difíceis que havia passado em razão da sua adicção. Foi muito forte o que senti. E sei que foi um perdão sincero. Saí de lá bem mais leve, e com uma sensação de felicidade!
 
Não digo que todas vocês devam ficar ao lado dos seus maridos adictos, afinal, cada uma sabe da sua própria dor e dos seus próprios limites. Mas, uma coisa digo, os perdoem, não carreguem mágoas consigo, porque elas pesam demais sobre nós. Perdoar faz bem principalmente a quem perdoa...
 
 
 

Carta escrita pelo meu esposo, em 07.12.2012


 “Estamos às vésperas de completar seis anos de casados, e parece que foi ontem... Lembro-me com total clareza de detalhes do dia em que te conheci... Aquele domingo à tarde, e nós dois tão distantes um do outro, o simples toque no teclado que mudou completamente a minha vida. O que mais me chamou a atenção foi a sua inteligência e simplicidade, e a surpresa maior: a beleza exterior naquela foto em que te vi pela primeira vez. Foi demais pra mim! Uma mulher perfeita, linda, e com um interior ainda mais belo. Os dias passando... Nosso gostos, nossa música, a dor da distância, a oração te pedindo proteção todas as noites, nós orando juntos por telefone, as cartas, os e-mails, as caixinhas de presentes pelo correio. Ah, que felicidade! Que alegria! Que amor! Tenho sonhos e vou realizá-los junto a ti. Eu juro que vou! Sonhos meus desde a adolescência, tão simples, tão puros e espirituais, como o nosso amor. Um deles é que quero me casar outra vez com a mesma mulher! A cerimônia será na beira da “lagoa” ou à beira mar, nós dois, todos os nossos amigos e familiares. Eu e você em trajes épicos, com muito verde e muitas flores. E ali conosco, os nossos três filhos para firmar ainda mais o nosso amor... Seis anos de casamento! Já passamos pelos vales e por montanhas. Nosso amor é verdadeiro, caso contrário não teria suportado. Seis anos, mas parece que foi ontem... Você completa a minha vida. Sou feliz ao seu lado, e quero ficar juntinho contigo pra sempre. Sou um homem realizado como pai e esposo. Você é o presente de Deus na minha vida, meu milagre, que não canso de agradecer. Obrigado por você existir em minha vida! Obrigado por ser a minha esposa e mãe dos meus filhos! Obrigado por esses seis anos de matrimônio! Obrigado por não ter desistido de mim quando mais precisei! Obrigado por hoje eu poder afirmar que te amo mais e mais! Feliz aniversário de casamento pra nós! Te amo! (Acho que estamos fazendo bodas de “concreto”! Risos.) N.E.O.Q.A.V. – Nunca Esqueça O Quanto Amo Você!"

Pode deixar que enviarei o convite do casamento (renovação de votos) pra vocês, tá?! Risos.
 
Logo cedo ele voltou para o instituto. Doeu um pouco ver aquele portão se fechar. Mas, ao mesmo tempo, me bateu uma felicidade e gratidão por tudo o que podemos viver ao lado um do outro. Coisas boas ao ponto de tirar o fôlego. E coisas não tão boas que nos fazem crescer e confiar mais em Deus. Nos próximos finais de semana ele não virá para casa, por causa das normas da instituição, em razão das festas de final de ano. Mas, certamente ele estará aqui dentro, e sei que eu também estou lá, dentro dele... Então, tristeza pra quê, se estaremos juntinhos de alguma forma?!!

Beijos no ♥!