terça-feira, 13 de novembro de 2012

Tudo em paz!


Boa tarde, queridas!
 
Tudo bem com vocês?
 
Por aqui, só por hoje está tudo bem.
 
Tenho filhos saudáveis. Trabalho no que gosto. Eu também estou saudável. Acabei de sair de uma sessão com uma Psicóloga muito bacana...
 
Certamente tenho muito mais a agradecer do que a pedir.
 
Só por hoje meu esposo está limpo há 21 dias. Humilhou-se a ponto de aceitar uma nova internação. Está respondendo ao tratamento. E isso, pra mim, é uma grande prova de amor. E de amor por ele mesmo, inclusive. Se ele ficou um ano limpo, ele pode ficar mais, pode ficar a vida toda, vivendo um dia de cada vez, mas ELE tem que querer...
 
Do lado de cá, não é fácil, mas também não é a coisa mais difícil de se viver (pra mim).
 
Enquanto isso estou cuidando de mim mesma. Voltei às sessões com a Psicóloga, como disse acima, voltei às minhas leituras, além de estar retomando outras atividades que me fazem bem.
 
Vou até fazer uma prova de concurso em um estado beeeem longe daqui, e estou me dedicando aos estudos.
 
Estou aprendendo que cada um tem a sua própria vida, e cada um é feliz do seu jeito, e quando impomos algo a essa pessoa, estamos ferindo o seu direito de escolha e de vida.
 
Lembro-me que quando trabalhei como babá, faxineira e atendente do McDonalds, nos Estados Unidos, minha visão quanto a esses tipos de profissionais mudou, porque passei a viver na pele o que eles vivem, aprendi a valorizá-los mais, e até hoje gosto de ser cordial e atenciosa quando preciso dos seus serviços. Confesso que antes, por vezes, eu nem os via, só via o sanduíche a ser entregue. Hoje vejo pessoas, porque sei o quanto é ruim não ser vista.
 
Pois é, às vezes só entendemos quando vivemos a mesma experiência.
 
Outro conceito muito importante é o respeito pela individualidade. Dois filhos criados juntos pela mesma mãe e pai, serão seres diferentes. Cada um de nós somos únicos. Portanto, não existe uma receita de vida para você ou para mim.
 
Se quero saber como agir, dobro os meus joelhos e peço orientação a Deus. Se quero saber para onde ir, ouço o meu coração. Se quero saber que caminho tomar, reservo um tempo para estar comigo mesma.
 
Sempre gostei da aprovação das pessoas, e me preocupo em demasia com isso, mas essa aprovação nunca me levou a nada. Hoje prefiro seguir os passos do parágrafo acima. Afinal, as respostas para a minha vida, somente eu mesma as tenho. E quando busco respostas fora, me sinto perdida e até mesmo frustrada.
 
Percebi que se eu me separar, sempre haverá quem me julgue por ter abandonado alguém que me ama e que está doente. E, por outro lado, se eu ficar ao seu lado, serei a “burra” ou a “codependente”.
 
Graças a Deus, não sou uma marionete das opiniões alheias. Pois, muitas vezes, no intuito de ajudar, as pessoas acabam ultrapassando os limites e desrespeitando a nossa individualidade. Entendem?
 
Quanto ao meu esposo, o que tenho a dizer hoje é que o amo. E não tenho vergonha de afirmar isso, pois sei que ele é muito mais do que um “dependente químico”. Entretanto, se vou ficar com ele ou não, o tempo e suas ações irão dizer. O quero como esposo ao meu lado até o fim, mas não há espaço para as drogas. Na verdade, a escolha será dele.
 
Graças a Deus, hoje tenho uma noção exata do que é a codependência, e posso afirmar que o que me mantém ao lado dele não é isso. São muitos outros fatores, os quais tenho discutido com quem pode de fato me ajudar (profissionais e grupos de apoio).
 
O importante é que estou em paz.
 
Tenho orado para que meu amado encontre também um caminho de paz.
 
E enquanto isso, me agarro à vida que acontece, e me permito ser feliz! Hum rum, eu sou feliz!
 
Beijo no coração!

19 comentários:

  1. Tenho aprendido muito com vc.vc tem me animado a cada dia.obrigado

    ResponderExcluir
  2. Isso mesmo querida, seja feliz, vc tem mil motivos pra isso, filhos lindos e saudáveis, um marido se recuperando das drogas e vc se cuidando, estudando e trabalhando...tudo na sua vida está caminhando amiga, vc só tem motivos a agradecer a esse Deus que nunca te desamparou !!!!!!


    Felicidades todos os dias da sua vida ! bjs

    ResponderExcluir
  3. muito bom né...conseguir diferenciar sentimentos nossos de sentimentos causados pela codependência..rs..sentimentos nossos:felicidade com nossas conquistas, amor pelo próximo e por nós mesmas, fé, esperança, opinião própria...sentimentos da codependência: medo da solidão, culpa, expectativas, felicidade depositada no outro, aprovação...é isso ai girl...seja feliz...bjus e sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kel, me identifico com o que vc colocou, acho que estou na ativa com a minha doença (codependencia), ando sentindo todos os sintomas que vc colocou, e quando a gente está doente parece que todo mundo observa, menos nós... quando saio na rua, ou em qualquer lugar que tem muita gente, começo a lembrar da ativa do meu esposo (que pensava que eu o traia), e por muito tempo eu andava de cabeça baixa, hoje ele se encontra em recuperação, e eu com todos os sintomas da minha doença, que é a codependencia... me sinto só, não acho algum lugar que me caiba, evito reuniões familiares, não consigo ficar conversando muito tempo com outra pessoa, que seja meu esposo, não gosto quando olham para mim, seja mulher ou homem... Kel, é tudo muito esquisito... ando muito estranha, com muitos medos, e sentimentos de depressão... Tenho um casal de filhos, lindos e inteligentes, sou uma mulher muito bonita, formada, me acho também inteligente, mas nada disso afaga tais sentimentos... consegue me entender ....

      Excluir
    2. Querida, procure ajuda médica. Estamos aqui no que precisar... Se cuida! Se quiser, vai sair dessa! Bjos!

      Excluir
    3. Poly, não é tão simples assim, eu não sei onde procurar ajuda, não sei se o Naranon resolve, psicologo, ou psiquiatra, eu penso que nada disso vai funcionar para mim, parece que nasci com esse trem, não consigo nem explicar isso para ninguém, aqui ainda é o lugar que consigo ou tento expor melhor... acredita.
      Tenho a impressão que a vida vai passar, e é perigoso eu ficar sentada no sofá aguardando só o tempo passar... eu tenho comercio, mas até na minha loja, eu tenho estado distante, fazendo só o necessário mesmo.... é como se eu perdesse o interesse, e ficasse só fazendo o necessário, fazendo o que tem que fazer mesmo... ossos de oficio...
      Desculpa, ser tão repetitiva, mas é muito bom falar de mim, eu tó sofrendo, e sem força para buscar ajuda para mim, agora, se alguém aparecer com algum pepino, logo dou um jeito de ajudar ou tentar achar uma solução... eu digo as vezes para o meu marido, que se eu não tivesse casado com ele, eu iria casar com outro adicto, para fugir de mim, como pode Poly... impressionante.

      Excluir
    4. Thais...as vezes me sinto assim tb...a gente fica no automático..costumo dizer que é quando perdemos a fé na humanidade..vc acredita em Deus?..ou algo superior a Ti..ouça musicas que te coloquem pra cima...ouça hinos...ajudar o próximo..ver alguém dizer obrigado...ou sorrir e dizer vc me ajudou..isso me faz muito feliz...aos pouquinhos vc vai melhorando...o principal é que vc ja identificou que não esté bem...nos conte sua história...amiga...e um grande abraço a ti...um enorme abraço...bjuuu

      Excluir
    5. Obrigado Kel e Poly, estamos juntas nesta jornada, que bom te-las para compartilhar minha dor... vou tentar colocar em praticas suas dicas para minha vida... nos falamos depois, um grande abraço, thais

      Excluir
  4. Querida irmã, conte com o Senhor Jesus para TUDO.
    É impossível errar com Aquele que tem tudo corretamente em Suas mãos.
    Jesus sempre escolheu o Amor sobre tudo e todos, por isso estamos aqui. Quem poderá nos condenar ou julgar se fazemos por amor?
    Porque: Já não há mais condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus, ou seja, nós, que escolhemos o amor.(Romanos 8:1)
    Fique em paz, seja feliz e cumpra os propósitos que Deus tem pra sua vida.
    Sempre vale a pena!
    "...E, SE VALER A PENA QUE EU TAMBÉM VÁ,IRÃO COMIGO."
    (ICoríntios 16:4)
    Muitas bênçãos!

    ResponderExcluir
  5. Lindo post querida, fico feliz em ver que seu coração esta firmado em Deus, aquele que cuida de vc!!!
    A decisão é sua comcerteza, e sei que será guiada a tomar a melhor decisão, o que importa é que vc esta feliz e isso não tem preço. pois felicidade, não é sentimento, e sim decisão!!!

    ResponderExcluir
  6. Sabe oq eu acho? Q uma pessoa c um coração enorme e cheio de amor como o seu sempre dará um jeitinho de ser feliz, seja como for... Grande beijo

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Poly a opinião das pessoas podem nos afetar somente se nos permitimos...tire o melhor de quem te ama e delete quem te faz mal... parabéns por estar caminhando firme do lado de cá e força pro maridão do lado de lá .... não importa qts vezes se caia se no final o intuito é se manter de pé!!! um bjão

    ResponderExcluir
  8. Levei a maior parte da minha vida me preocupando com o que os outros iriam achar sobre "isso" ou "aquilo", o que eu acharia nunca importava...
    rsrs

    Também não cheguei a lugar nenhum!
    Minha vida deu um giro quando passei a ouvir o que EU queria e a me preocupar com o que EU achava sobre "isso" ou "aquilo".

    bjs, querida...

    ResponderExcluir
  9. "Penso que não é humilhação nenhuma a ele voltar a se tratar como você se referiu. Acho que é o minimo que ele poderia estar fazendo para reparar um pouco tanto sofrimento e de todos os males que ele te causou e ainda vem causando. Acho que você não é "burra", muito pelo contrario é bem inteligente, mulher que tem garra e que sabe muito bem o que quer e se você escolheu ficar com ele é porque sabe que no fundo pode ser que valha a pena, mas ele tem que fazer a parte dele. Mesmo que a parte dele seja um esforço sobrenatural. Por que depois de tudo que vocês já passaram vocês merecem muito ser feliz. Mas cabe principalmente a ele fazer a parte dele, e ter a consciência e muita força de vontade pra não recair novamente por causa de qualquer bobagem. Acho que qualquer problema que ele venha a ter que o faça sentir vontade de recair é bem menor do que a grande mulher que você é que sempre esteve ao lado dele.

    ResponderExcluir
  10. Poly, queria saber os males que a maconha causa.Por que tenho vários amigos usuários, vários viciados e que o maior argumento é: ela não me atrapalha em nada, se fosse legalizado não seria tão mal visto, não haveria tanto preconceito... acho o fim do mundo isso!!! Tudo o que falo é ridículo, é sem estudo, é sem fundamento, por isso queria saber fontes para argumentar, mostrar, colocar pra leitura... beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, a companheira Luciana fez um post sobre esse tema. Leia http://lucianalpsm.blogspot.com.br/2012/11/maconha-que-mal-essa-droga-pode-causar.html .
      Beijos!

      Excluir
  11. Poly é através do seu blog que tenho me fortalecido, meu marido recaiu na quarta passada , aí na quinta usou novamente, ficou sem na sexta e sábado , só que no domingo usou, ontem ficou sem e hj acabou de ir atras, sabe estava me mantendo forte, dessa vez não deixei abalar meus compromissos, mas hj já estávamos deitados quando ele levantou e disse que ia sair perdi a cabeça que cheguei até agredi lo , agora me sinto culpada, não queria ter feito isso, o que faço Poly, estou arrasada ele fala fala que quer se recuperar mas nada... Tem hora que penso ser um pesadelo, mas não está acontecendo tudo novamente... Me ajude por favor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, não se culpe! Você é humana e tem vivido no seu limite de dor. Querida, procure um grupo de apoio. Lá aprenderá a lidar com a adicção do seu esposo, e mais que isso, aprenderá a olhar para si mesma. Não fique sozinha! Ajude-se primeiro, pois somente assim poderá ajudar ao seu esposo...
      Um beijo com amor!

      Excluir
  12. Vi seu blog hj estou confusa. Amo um DQ, amo de vdd...no inicio do namoro há 4 anos fui coodependente, tinha vergonha escondia mais continuei ao seu lado, fquei gravida e ele resolveu se internar nossa fui as alturas, as cartas, a esperança td reviveu foi dificil ficar longe mais era por um objetivo maior. Ele saiu 3 semanas antes da minha filha nascer, arrumou emprego e estavamos bem até q recaiu no dia do nascimento dela. Eu morri! E n conseui mais acreditar, tive raiva, ódio, era a unica coisa q eu precisava da presença dele ali, a unica coisa q pedi mais nd em meses...me separei! Fiquei longe por mais de um ano e minha vida cd dia tinha menos sentido, reneuei meu amo, tentei esquecer até fiquei noiva...n suportei, percebi q era amor e q sem ele n era completo pq eu o amava. eu tinha td, emprego, amigos, balada, filhos, casa mais n bastava.Sentia falta das brincadeiras, das conversas, do carinho...o procurei há 3 dias...magro, desnutrido, sofrendo...me recebeu de braços abertos...disse q me ama mas...Não pode me prometer q vai parar pq n consegue...Quer parar mais n consegue! Como assim claroq consegue é só querer! É será??? Não sei mais nd! Se eu voltar estarei aceitando seu vicio??? Minha familia me recrimina, me julga, minha mae xinga - Vc vai é passar td d novo, vai perder td q tem d novo...até ele ficar bem louco e te agredir...Se eu voltar oq eu faço??? Ele n trabalha, vive uma vida de morto vivo, oq eu faço??? Se eu voltar rs meu coração nunca o deixou!

    ResponderExcluir