sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Um passo de cada vez!



Três dias que ele está internado novamente. Ainda não deu para colocar as coisas em ordem aqui dentro. Estou muito feliz com a decisão dele de não desistir, de tentar mais uma vez, sem se render à sua doença. Mas, confesso que a forma como tudo aconteceu, me machucou demais.

Hoje estive com ele no Instituto. Antes, conversei com o diretor de lá, que me sugeriu não passar nenhuma decisão para ele agora, e eu concordei. Realmente ele ainda nem voltou ao seu estado normal. Sua mente ainda está confusa. E falar sobre nossa separação agora poderia colocar tudo a perder.

Nossa conversa foi rápida e fria. Falamos sobre o seu tratamento e algumas questões práticas. Às vezes ele ficava me olhando, e eu fazia de conta que não estava vendo. Ele está se sentindo muito culpado por tudo. Muito abatido. Mas, decidido a continuar, só por hoje.

Ele perguntou sobre nós dois, e eu sugeri que ele se concentre nele e em seu tratamento, esquecendo tudo o que está aqui fora, e que depois, com o tempo, e sem o calor das emoções, conversaremos.

Não houve nem um aperto de mão. Não consegui. É tudo tão conflitante dentro de mim.

Tudo isso é muito triste. Ele está com os pés muito machucados. Abatido. Meu Deus, o que leva um ser humano, que até a poucos dias atrás vinha levando uma vida normal, a voltar a esse estado tão deprimente?! Só mesmo uma doença!

Enquanto eu aguardava para ser atendida, conversei com um dos monitores do instituto, e ele me contou sobre sua recaída após dez anos limpo. Hoje ele está limpo há um ano e alguns meses. E me falou também sobre como foi sua experiência com o divórcio, o quanto doeu, e o quanto lhe foi válido.

É, minha gente, não existe certo ou errado, quando o assunto é relacionamento com um adicto. Por vezes erramos tentando acertar, e em outras acertamos dando um tiro no escuro. Então o melhor é pedir sabedoria a Deus e seguir o coração.

Uma das coisas que aprendi no Nar-Anon é que não preciso resolver tudo hoje. Então vou respeitando aos meus limites. Organizando uma coisa de cada vez. Tomando uma decisão por dia. Respeitando minhas dúvidas e dores.

Ainda não tirei a aliança do dedo.

Ainda não sarei da dor de mais uma recaída.

Ainda não sei o que fazer.

Ontem no final da tarde, quando estava a caminho da creche dos meus filhos, passei rapidamente por uma padaria aqui da esquina, para comprar um sabão em pó, pois precisava colocar umas roupas em dia. No caixa, percebi que a senhorinha atendia aos outros e deixava a minha compra para depois. Daí perguntei, quanto é o meu? Ela não respondeu, terminou de atender aos demais. Ela que sempre era tão simpática comigo, e que é muito querida com meus filhos sempre, estava estranha. Quando ficamos apenas nós duas, ela meio sem graça começou a falar:

- Sabe o que é, seu marido passou por aqui um dia desses, pegou uma coca-cola e me pediu R$ 50,00, não entendi direito para quê, acho que era para pagar a sua babá, e em consideração a você, eu dei...

Nem a deixei terminar de falar. Retirei o dinheiro e paguei. Que vergonha!!!
- Ele é dependente químico, caso aconteça novamente, não dê, por favor.

É isso aí, quinze dias de ativa, após um ano limpo, deu pra fazer muitos estragos. Duzentos reais que ele havia recebido, mais uma caixa de ferramentas, mais a aliança, mais um par de tênis, mais um aparelho de DVD, mais um perfume, mais esses R$ 50,00 da padaria... Que loucura!

Não quero mais essa vida pra mim.

O diretor do Instituto disse que é melhor eu aguardar as emoções sossegarem, afinal, viver com um cara na ativa é intolerável, mas viver com alguém em recuperação é maravilhoso.

O difícil é ficar totalmente entregue ao querer do outro, não é mesmo?

Meu novo contrato de aluguel está pronto. É hora de começar a encaixotar as coisas. Vou vivendo um dia de cada vez. Só por hoje, ele está lá e eu aqui. E está bom assim!

Como coloquei no facebook, a confusão é grande aqui dentro: Amargura ou amar cura? Razão ou emoção? Sim ou não? Mente ou coração? Ir ou ficar? Virar as costas ou abraçar? Eita dilema!!!

Diante disso tudo, me recordo de quão limitada eu sou. E do quanto necessito de Deus na minha vida. Somente nos braços Dele tenho a capacidade de descansar em meio ao caos, na certeza de que é Ele quem está cuidando de mim, dos meus filhos, e também do meu esposo. E também na certeza de que Ele me mostrará o melhor caminho.

É como se eu estivesse conduzindo o meu carro em uma madrugada escura. Os faróis alumiam apenas poucos metros adiante. Mas, essa luz é suficiente para me fazer seguir em segurança, de pouco em pouco. Não estou conseguindo enxergar o fim da estrada, então vou dando apenas um passo de cada vez. Vivendo um dia de cada vez. Respeitando a mim mesma, e confiando em Deus!

Peça Pais & Filhos, em 24/10/12.

Às vezes é difícil segurar o choro...
 

15 comentários:

  1. É isso aí Poly, o melhor é andar de pouco em pouco, não sabemos oq ue nos espera adiante, e o bom é não se preocupar com isso, vai olhando as flores a beira do caminho, pois vc vai encontrar muitas, vai sorrir, vai chorar, terá trechos com chuva, mas tbm haverá sol, e não deixe passar despercebido as flores, as paisagens, o céu azul...FORÇA, GARRA E DETERMINAÇÃO QUERIDA AMIGA GUERREIRA !


    bjs

    ResponderExcluir
  2. eita Polly...nossa como sei o que sente...essa confusão me fazia ficar com a cabeça doento e coração acelerado...olha...se ta certinha um passo de cada vez...
    Uma coisa que aprendi...a alguns dias...é prestar atenção em MIM...somente em MIM...eu tomo uma atitude e fico quieta vendo o que ela provoca...eu ouço meu marido me pedindo mais uma chance que quer me fazer a pessoa mais feliz do mundo...e por um instante eu chego a acreditar...ai peço Deus me ajuda...e no instante seguinte lembro de quantas vezes ele pediu essa chance, eu dei acreditando que seria diferente e não foi...ai me lembro que essa minha atitude de não querer mais tem provocado boas mudanças,pequenas maos boas...em mim e nele...e me lembro também que a recuperação da Adicção é lenta dia a dia e eternamente...então toda melhora que eu vejo que acontece em pouco tempo...eu dou valor mais sei que não é definitiva...e nunca será...ele sempre deverá ir melhorando aos pouquinhos...pra que ai sim consiga se manter de pé..por ele...
    É como quando uma borboleta quer sair do casulo e nós empolgadas, vimos o trabalho que eles tem e queremos antecipar a sua recuperação, quando essa borboleta sai, ela tem as asas fracas e não consegue voar por muito tempo, ela cai...agora se deixarmos essa borboleta sair do casulo sozinha, ela vai se cansar, vai desistir, vai se machucar, e depois volta a persistir, e nesse processo ela fortalece as suas asas...e quando ela conseguir sair do casulo as asas dela estaram fortes e prontsa pra voar com mais chances de se manter de pé...
    bjus no corção e fica com Deus

    ResponderExcluir
  3. Isso me lembra um post meu... "Estou tão dividida. Estou com aquela mesma sensação, que eu tive aos 16 anos, quando eu precisava prestar vestibular e não sabia que curso escolher. Estava sendo responsável pela minha vida, pelo meu futuro e essa escolha iria afetar minha vida à longo prazo. Meus pais queriam "palpitar" na minha vida, nas minhas escolhas, e eu só para contrariar quis seguir meu próprio coração e fazer as escolhas por mim. Hoje eu penso que deveria ter ouvido meus pais, estaria mais bem sucedida profissionalmente... ou não né? Mas penso que sim...
    Hoje encontro-me assim de novo... Razão ou Coração... Coração de novo? e a longo prazo? Minhas escolhas ou escolhas da família? O risco ou o "certo" ?"

    No fim decidi pela razão, pelo risco, e fiz uma das melhores escolhas da minha vida.

    Você tem uma vida linda pela frente...se ame, se valorize, se trate como você trataria sua filha, que é seu amor maior e incondicional e melhor, sem doença, o que você diria para ela, se fosse ela em seu lugar? Aí você terá todas as respostas que precisa...

    Amo você!

    ResponderExcluir
  4. Nem sei o que te dizer amiga..
    Acho que assim como eu vc deve pensar em vc e nos seus filhos. Enquanto estivermos por perto nós sempre seremos as muletas deles, ele não é seu filho.. é seu marido.
    Esta doendo muito minha separação, porém estou bem.. sei que essa dor que eu estou sentindo vai passar..
    Meu marido escolheu as drogas.. é uma escolha que ele fez.. e vc vai continuar vivendo nessa doença?? a escolha é sua amiga.. assim como eu vc sabe que ele não vai mudar.. e vc vai continuar perdendo.. perdendo sua juventude, perdendo bens materiais, perdendo saúde.. enfim.. são muitas as perdas..
    Minha psicóloga me deu um livro e estou gostando de ler.. na verdade são atividades que estou fazendo nesse livro.. 2 por dia.. o livro é Manual de Recuperação Emocional, escrito por Dr. Gilbert Brenson Lazán. Estou buscando com todas as forças que tenho minha recuperação. Não quero mais que meu filho veja e sinta tudo que sentiu até agora. No momento estou tentando me levantar.. reconstruir minha vida mais pra frente quero alguém do meu lado sim, um homem que me ajude, com quem eu possa contar sempre.. se demorar não faz mal.. eu espero!!! o que eu quero pra minha vida é paz..somente paz..
    Pense bem amiga, vc é jovem, bonita, saudável, guerreira e muito inteligente. Pensa bem se vale a pena tudo isso que vc esta passando..
    Independente de sua escolha, TAMUJUNTAS!!!
    Forte abraço!!!

    ResponderExcluir
  5. eu acho tão estranho, são tão longe os extremos... quando com saúde uma pessoa correta, limpa, organizada, estudiosa, carinhosa, que impõe respeito, que faz planos e que as vezes até pensa que nunca mais vai recair... quando na ativa, vira um bicho, sujo, não pensa em ninguem, nas coisas que adquiriu, no sossego da família...

    e parece um ciclo, parece que nada está acontecendo, de repente, some do nada... não deixa passar nenhum sintoma de recaída...

    hoje está há quase 3 meses limpo, trabalhando direitinho, o que desde o inicio de sua dependencia não o fazia, fala da responsabilidade de seu trabalho, se empenha nos estudos, me cobra horários e estudo...

    Eu tenho muito medo, pois hoje moro com meus familiares, então ele nao fica muito sozinho... e quando nos mudarmos?

    Sei que não tens as respostas para minhas perguntas, pois talvez nunca a teremos... esse é o desafio pra quem vive com um adicto...

    ResponderExcluir
  6. ...o q me incomoda é esse eterno SÓ POR HOJE!!
    eu preciso de planos,metas,projetos,pensar no futuro,e com ele não sei se posso contar,ou até q ponto posso inclui-lo no meu futuro.

    ResponderExcluir
  7. O futuro está nas mãos de Deus. Nada do que acontece em nossas vidas, pra quem tem fé, foi errado ou foi em vão. Pode não ter sido como gostaríamos ou como planejamos. Mas tudo acontece como Ele planejou...
    Um pouco mais de paciência... Muita fé e muita força! As coisas Vão se ajeitar...
    Só por hoje eu acredito. Só por hoje eu vivo e deixou viver. Só por hoje eu aceito a minha pequenez e entrego tudo ao Poder Superior...
    Renata T.

    ResponderExcluir
  8. Polly...ter medo de ficar sozinha...é um obstaculo que deves superar...trabalhe ele...e tente espantar esse medo..quando somos felizes conosco somos felizes da forma que estivermos vivendo...e sozinha jamais ira ficar..quando somos de fato felizes atraimos as pessoas...quando nos bastamos para sorrir...as pessoas gostam da nossa presença e se aproximam...tenho certeza de quando vc estiver em paz contigo mesma...as coisas se ajeitam poderá ser ele..ou outra pessoa..mais vc encontrará um companheiro que caminhe ao seu lado e não será mãe de um "cara barbado" que vc precisa ficar cuidando...ou não será uma filhinha pedindo e implorando o carinho de alguém pra ser feliz...serão felizes e enfrentaram os desafios da vida lado a lado...tenha fé..não se anseie em enxergar o fim da estrada...faça planos SEUS planos..e va caminhando no "mais lhe será revelado"

    Fique com Deus...querida...e acredite na felicidadee na paz de espirito...em como não sabemos mais acredite..que ela existe

    ResponderExcluir
  9. Polly querida, acho que ta no caminho certo um dia por vez para esperar os sentimentos se acertarem aí dentro, só você pode saber o que implica deixa-lo ou continuar neste caminho...Sempre a luz sempre há esperança... Não desista de você nem de sua felicidade esteja ela onde estiver. Sei o quanto é complicado tomar uma decisão definitiva, vá com calma as coisas vão se acertar, sei que o caminho com um adicto é mt complexo e cheio de incertezas mas em recuperação é possível sim... Bom.. eu acho né, tem vezes que agente parece ficar louca mas como vc mesma disse só uma doença p fazer alguém cometer tanta insanidade.. Ainda com dor acredito no amor e na esperança mas sei o tanto de dificuldades que vc já enfrentou ate aqui.. Independente do caminho que ira tomar Deus vai te ajudar a fazer a escolha melhor p vc, não se preocupe hj apenas se cuide. vou deixar aqui um trecho que gosto muito dizem que é de Charles Chaplin... " Plenitude.
    Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
    Tudo isso é... Saber viver!!!" Bjs grandes estamos com vc e entendemos sua dor. forte abraço e um ótm final de semana. fique com Deus, ele está com vc.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, como acabamos ficando todas iguais! Sabemos que temos que seguir a razão mas temos medo de não sermos felizes contrariando nossos corações! Até onde devemos ir? Quando é o momento de dizer que desistimos daquilo que lutamos tanto para dar certo? Estou na mesma, amiga, mas meu marido resolveu que vai se tratar "sozinho". Estou morando em outra casa decidindo se espero ou não ele resolver fazer um tratamento a sério.
    Fique com Deus e rezemos umas pelas outras.

    ResponderExcluir
  11. Minha amiga, você disse tudo... VOCÊ NÃO TEM QUE RESOLVER TUDO HOJE!
    Então não se cobre pra achar uma resposta agora...
    Tente pensar que essa mudança de casa, vai significar uma mudança na sua vida também... uma mudança boa, independe da sua escolha de estar junto ou não do seu marido...
    Essas recaídas machucam muito... Espere a dor passar um pouco, você vai estar muito mais em condição de fazer a escolha certa!

    Deus está do seu lado e não vai te desemparar...

    O que importa é que só por hoje, ele escolheu ficar lá no instituto... só por hoje ele está se cuidando, só por hoje você sabe que ele vai dormir numa cama quentinha, que ele vai se alimentar...

    Calma minha amiga... pois com calma as coisas vão se ajeitando!

    TamuJuntas!

    ResponderExcluir
  12. Poly, gostaria de lhe dizer que fique em paz com sua decisão, seja ela qual for.
    Me desculpe, sei que o momento é delicado pra você, mas queria que você me indicasse o nome de instituições para tratamento, de preferência gratuita, para que meu namorado possa se internar. Meu e mail é juliana-y@hotmail.com. Desde já agradeço e peço à Deus que nos acompanhe nessa luta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana, você está em que cidade?

      Excluir
    2. Moro no Riacho Fundo 01, DF e ele em Santa Maria DF.

      Excluir
  13. mais uma vez me vejo.
    Eu choro.. relembro.. ainda dói tanto!
    Não tem receita... não tem oq te falar....é seguir em frente....

    Força!

    ResponderExcluir