segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Meu "luto"!


Seis dias que ele está internado.
 
Fico realmente feliz que ele tenha decidido assim, afinal muitos desistem e se entregam. E ele não. Ele continua lutando contra a sua doença.
 
Ele quer descobrir o que o fez realmente recair após mais de um ano limpo. O tratamento será diferente do primeiro. E eu ainda acredito sim que possa dar certo. Aliás, já está dando, afinal, conseguiu frear a sua adicção ativa, que estava novamente desgovernada, e passando por cima de tudo: trabalho, bens, família e dele próprio.
 
Como relatei no post anterior, não tem sido fácil a minha rotina. Tenho uma vida muito cheia, e isso tem me gerado um cansaço extremo.
 
Por outro lado, sei que esse cansaço vem da decepção da recaída. Após um ano, e com tudo aparentemente em ordem, eu realmente não esperava, mas, aconteceu, e agora é bola pra frente.
 
Acho importante viver o meu “luto”. Deixar as lágrimas caírem. Sentar um pouco. Parar e recuperar as forças, e quando achar que é hora, levantar e prosseguir. Hoje respeito os meus sentimentos e limites. E não tenho nenhum constrangimento em dividir com vocês meus momentos de fraqueza.
 
Eu nunca disse que a adicção dele não me causava dor, o que eu digo é que essa dor não para mais a minha vida, e não me impede de ter uma vida normal e feliz. Hoje o meu foco não está mais no meu esposo. E isso é um grande progresso.
 
Ontem meu filho de três anos vomitou muito. Não sei o que houve. Penso que pode ser emocional. Ele é muito ligado ao pai. Embora ele não pergunte mais pelo pai, depois que eu disse que o papai havia viajado e iria demorar um pouco, por vezes o vejo meio tristinho. Ontem pela manhã ele disse: - Mamãe, sonhei com o papai. Ele era um médico que estava cuidando da vovó.
 
Hoje de manhã ele disse: - Quando o papai chegar vou contar pra ele o tanto que passei mal.
 
Vê-lo sofrer dói demais!
 
Quanto a mim, sinto muito a falta dele. Foi um ano muito bom, de paz, companheirismo e amor. E são essas as lembranças que ficaram do meu esposo. Aquele que vi nos últimos dias, não sei quem é. Essa doença realmente machuca demais, ambos os lados. E a compulsão o domina de uma forma inexplicável. Triste.
 
O fato de saber que é uma doença, e de entender essa doença, faz com que eu sofra menos. Mas, isso não muda a instabilidade da minha vida ao seu lado. E também não muda os sonhos que tenho para os meus filhos. Por isso, é difícil ficar, e também é muito difícil ir.
 
Li muitos relatos de vocês. Pelo que vi, ninguém abandonou o ser amado em tratamento. Geralmente a escolha veio do fato do outro não querer se tratar e se recuperar. O fato dele querer, muda muita coisa.
 
Entretanto, o medo está aqui. Medo de passar por tudo outra vez. Medo de não dar certo. Medo do que tudo isso pode causar nos meus filhos.

A vida ao lado de um adicto é uma vida sem garantias, sem planos... É uma vida no só por hoje. E isso às vezes assusta.
 
Mas, como já disse, não preciso decidir nada agora.
 
Vamos levando. Um dia de cada vez...
 
Um dia talvez eu descubra se a beleza dessa rosa, ou seja, desse amor tão grande, vale a dor de suportar tantos espinhos, que por vezes fazem até sangrar, como agora...
 
Enquanto não tenho clareza, fico bem quietinha, esperando em Deus.
 
Beijo no coração!
 
 
Amigos de Brasília. Participem do Projeto Ame, mas não sofra!
 
 

51 comentários:

  1. Que bom que estão recuperando a saúde!!
    ...sabe, eu por vezes penso em largar meu marido quando ele estiver bem, jamais deixaria ele quando em recaída. Não me perdoaria se morresse de overdose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ridiculo comentario!
      se for pra ele ter uma overdose, vai ter com ou sem vc do lado!

      Excluir
    2. Temos que respeitar os sentimentos umas das outras...

      Excluir
    3. Anonimo, você frequenta um grupo de apoio?
      Janete

      Excluir
    4. frequento um grupo e SEI q nao causei,nao posso controlar e nem curar a doença dele,mas tambem sei q tem coisas q servem pra mim e outras nao(se tu nao sabe,Adriana,Sofya e Emanuelle,o programa/grupo de apoio tbm fala pra levar o q me servir e deixar o resto)!!!
      Obriga ,Poly, por respeitar meu sentimento!!

      Excluir
  2. Isso mesmo minha amiga, hoje você tem que estar feliz por ele ter escolhido a sua recuperação novamente...
    Não se cobre, Deus vai lhe trazer todas as respostas que você necessita...
    Chorar, faz bem sim!!! Isso não quer dizer que você não é forte... e sim tem sentimentos...

    Logo, logo essa dor vai passar e vai dar apenas lugar a esperança de dias melhores....

    Beijo grande
    tamuJuntas

    ResponderExcluir
  3. Realmente é difícil, chega a ser pesado. Avalie bem qual é o seu limite e quando ele chegar não se intimide e admita que não consegue mais, que não dá conta. Todos temos nosso limite e temos que respeitá-lo para que possamos sobreviver apesar dos ferimentos.
    Muita força, tire um tempinho só pra vc, nem que seja algumas horas no cabeleireiro, vai te dá um gás pra continuar.
    BJú, tamo juntas!

    ResponderExcluir
  4. Oi Poly, amiga me desculpa, mas preciso falar... Vc não acha que deve pensar um pouco mais nos seus filhos? Falo em seus filhos pq dizer que temos q pensar em nós não adianta, não é mesmo?! Pensar em nós significa seguir nossa dependência emocional, pois lá no nosso íntimo achamos que morreremos sem a "nossa droga de preferência" ( nossos amados adictos ), desculpe-me, devo estar parecendo dura... Mas, me vejo em você... Até um tempo atrás eu estava nesse desespero, dando as mesmas voltas que vc dá, e como vc, sempre voltando ao mesmo lugar... O do sofrimento, da angústia, da rejeição... Sentindo a pior dor que já senti na vida A DOR DA IMPOTÊNCIA! Como vc, fiz de tudo... Me doei, adoeci... E por mais que eu tentasse, nada mudava... Vivia de migalhas ( período em que eles estão limpos e somos as mulheres mais felizes do mundo, mas que infelizmente passam )... Bem, eu decidi sair do maldito círculo, tomei essa decisão após ouvir da minha terapeuta o quanto eu estava prejudicando o crescimento saudável dos meus filhos, o quanto eu estava sendo irresponsável comigo e principalmente com eles... Doeu demais, me senti egoísta, pois eu via o quanto a vida estava difícil para as crianças, mas eu não queria abrir mão do meu amor...
    Busquei forças e decidi deixa-lo, optei por mim e por meus filhos. Confesso que a invejei quando lia seus relatos sobre o quanto estavam bem, parei de ler seu blog, pois aquilo me fazia achar que eu tinha falhado, que poderia ter tentado mais...
    A uma semana atrás tive uma recaída de comportamento, comecei a sonhar de novo, querer voltar, mesmo sabendo que ele apesar de limpo, continua com os mesmos comportamentos aditivos que conhecemos bem... Corri para ler seu blog... Foi um choque... Vc voltou ao inicio do maldito círculo novamente... Está passando por tudo de novo, dessa vez haviam fotos sua e você me parece muito cansada e com mais idade do que tem nelas... Amiga, por favor... CUIDE-SE!!!
    Estou passando uma fase difícil, sentindo falta dele, mas fora isto, estou levando uma vida maravilhosa, meus filhos estão felizes, eu tenho amigos, minha vida financeira está se ajeitando, até tem uma pessoa linda na minha vida! Que me ama, me valoriza, me ajuda em tudo, adora meus filhos... Então é isso, precisava falar isso tudo p/ vc... Amiga, ele tem os pais dele, vc não é a mãe dele, você já é mãe de três e esses três... SÓ TEM A VOCÊ... Pense!!!
    Bjos, fique c/ Deus!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helena MINHA IRMÃ GEMEA..rs
      Eu penso exatamente como vc.. mas ainda nao é o tempo da Poly... vai chegar...
      realmente esse circulo é doentio.

      Eu fiz como vc, optei por deixa-lo pelas minhas filhas.
      Fui filha de pai viciado e pensava> Meu Deus, nao quero para minhas filhas oq passei na minha infancia! CRIANÇA MERECE UMA INFANCIA TRANQUILA, COM BOAS RECORDAÇÕES! e isso me deu forças pra viver sozinha... passando necessidades financeiras e morrendo de saudades de meu grande amor... ate hj.
      Eu prefiro morrer de amor e saudades dele do que minhas filhas terem lembranças como as que eu tenho da minha infancia....

      Excluir
    2. Sábias palavras...

      Mas, assim como os adictos só param o uso quando percebem que não mais nada a perder além da vida, ela (e todas nós) precisa ir até aonde tiver forças para suportar.

      Poly, o medo faz parte de nós..
      As dúvidas também.
      Pense em tudo que você viveu e no que ainda pode viver.
      Pense nos seus filhos.

      Fique em paz e nos braços de Deus!
      Cuide-se!

      Excluir
  5. Sabe Polly.. eu acho que o luto é eterno.... pelo menos pra mim é..
    eu ainda choro , me revolto.. sinto saudades.. me pergunto o pq teve que ser assim..... dói pra sempre sabe!

    Fique firme querida.. sua dor é minha dor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, estou aqui pela primeira vez!!! Lendo os relatos de tds vcs, me causou uma enorme dor!!! Ta doendo tanto. Também sonhei que seria feliz pra sempre, mas não consegui suportar a pressão por muito tempo e resolvi me separar.Ja fazem quase 6 anos que tomei essa decisão, me casei novamente há quase 5 anos.Mas o sentimento por ele permance aqui dentro demim tão forte. Penso como seria se eu estivesse com ele ainda!!! Sonho as vezes em tentar novamente, mas tenho medo....

      Excluir
  6. Oi, Poly! Me identifiquei com a msg da Helena... Vivi o mesmo. Me separei quando minha filha tinha apenas 3 meses pois havia chegado ao meu limite. Não aguentava mais aquela vida de sofrimento, dor e ansiedade. Só depois de nossa separação meu marido conseguiu lutar pela sua recuperação. Hoje está limpo há algum tempo e encontrou outra mulher. Quase morro de ciúme mas eu não aguentaria passar por tudo outra vez... Eu estou no meu luto também. É terrível demais. Te desejo força, luz e sabedoria. Abs.

    ResponderExcluir
  7. Oi Polly...

    Desculpe querida! Mas tenho que falar...
    As vezes a situação nos deixa tão cega, tão incapaz de enxergar a realidade, que começamos a fantasiar e enxergar o que queremos e ouvir o que nos é agradável e enganoso aos olhos e ao coração.Acho que está na hora de você acordar pra realidade, isso já está virando um circulo vicioso na sua vida.
    Já pasei por tudo isso 2 internações, esperanças, recaída, luto...até que ao recair depois da 2º internação não suportei mais, me ocorreu que é muito fácil pra eles...a gente faz todo o sacrificio do mundo, se submete a coisas que pensamos nunca ser capazes de fazer e suportar e de repente lá estão eles novamento usando a maldita droga sem pensar nas consequências, se vai magoar, despedaçar, estraçalhar nossos corações, nossos filhos, nossa vida. Não consegui mais perdoar eu era tão amiga, ouvia sempre que sem mim ele não conseguiria, mas quando estava pra fraquejar não se abria comigo ia lá e fazia nao se importando com meus sentimentos e o resto do mundo.
    Cheguei a conclusão que se ele não conseguia sem mim... eu só conseguiria sem ele e já tava na hora de eu retomar as rédeas da minha vida e ser feliz.
    Acho que está na hora de você viver...viver de verdade sabe, uma vida plena, intensa de felicidade e não de migalhas esperando o tempo dele se recuperar pra ser feliz. Acho até que você deveria mudar o título do seu blog "Amando a mim mesma" porque você merece, seus filhos merecem, dói no começo mas nos fortalece depois.
    Quero que saiba que sempre acompanho seu blog e torcia muito, mas muito mesmo para que ele não recaísse e quando vc postava que estava tudo bem eu pensava "yes" mais um que venceu essa desgraça. Mas ele veio a recair, essa foi a escolha dele e acho que com a recaída dele é hora de você se reerguer.
    Minha intenção não é magoa-lá...mas alerta-la...sei que você ama esse homem, mas pra gente amar alguém não precisamos nos anular e viver só o mundo dela. Temos que seguir na mesma direção e por diversas vezes pelo o que você relata ele caminhava em direção oposta.
    Fica em paz...paz e melhoras pro seu pequeno...

    Lembre-se:

    "Hoje nada me acontecerá que EU e DEUS não possamos juntos resolver"






    ResponderExcluir
  8. TAMUJUNTA AMIGA!!!
    QUE DEUS GUIE SEMPRE SEU CORAÇÃO PARA TOMAR A MELHOR DECISÃO,PARA VOCÊ E TODA SUA FAMÍLIA!!!
    TORÇO PRA QUE O MELHOR ACONTEÇA EM SUA VIDA ,E ORO PARA QUE ESTE MOMENTO TÃO DIFÍCIL,PASSE LOGO E QUE VOLTE REINAR A PAZ EM SUA VIDA!!! VOCÊ MERECE! ESPERO QUE SEUS FILHOTES JÁ ESTEJAM BEM E RECUPERADOS...BEIJOS E UMA SEMANA DE MUITA PAZ E SERENIDADE PARA VOCÊ E SUA FAMÍLIA!!!

    ResponderExcluir
  9. Pois é amiga...não queria dizer isso...mais todos os comentários deste post...seviram pra mim como um tapão na cara pra ver se acordo...rs...e depois dos acontecimentos ontem..não tenho como dizer que as meninas estão erradas, gostaria muuuuuuiiiiiittttttooooo que sim que elas estivessem erradas..mais não..Anonimo, Juliana, Helena, Adriana, Cilene e Anônimo(denovo)
    Obrigada

    ResponderExcluir
  10. Queridas, muito obrigada pelas palavras! Mas, o fato de eu permanecer ao lado do meu esposo ou não, não é o mais importante. O mais importante é se sou feliz no caminho que escolhi. E se tenho uma vida saudável. Muitas usam a questão da integridade dos filhos, mas, vocês sabiam que uma mãe depressiva cria o filho com a mesma intensidade de estragos emocionais que um dependente químico? Isso é científico. Queridas, vamos nos desligar! Viver nossas vidas! Nos cuidar! Ser felizes! Pensar nos nossos filhos! Pensar em nós mesmas! Se é junto ou separado, eu não sei. Mas, o importante mesmo é saber VIVER! Beijo no coração de vocês!

    PS: Gente, eu tô mesmo com cara de velha? Tenho 34 anos! Fiquei grilada... rsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora se me permite...va no fundo da sua alma...quando vc precisar decidir e pergunte...se realmente essa vida do só por hoje ter tudo e derrepente o só por hoje não ter nada..é a que realmente te faz feliz...acho que nunca e jamais me desligarei emocionalmente dele..pq sempre que souber se ele ta bem ficarei feliz e se ele tiver mau, ficarei triste... desde o primeiro dia em que o conheci nunca parei a minha vida e nunca deixei de sorrir...nunca deixe de comer ou me cuidar...porém os altos e baixos do só por hoje..p
      q era o só por hoje dele e não o meu...foram metralhando meu coração...entende...até que chegou uma hora que esse sobe desce começou a criar pânico dentro da minha alma...e por mais que eu acreditasse que só por hoje eu estava bem...eu não aguentei mais tanta "emoção"...rs...e por mim e pelos meus filhos sei que essa vida não é uma vida saudável...acho que certeza jamais teremos...a vida é uma incerteza, hoje estamos aki amanhã só Deus sabe...mais pense direitinho...vc suportaria a dor de vivenciar essas recaidas...por mais quanto tempo?....

      Excluir
  11. Quero deixar bem claro que não sou a favor de ficar ao lado de alguém que não quer recuperação. E muito menos de quem é violento. Mas, me preocupo porque muitas mulheres não conseguem se enxergar mais. Parece que o fato de se separar resolve todos os problemas. E seguem, cheias de amargura, sequelas, depressão... Elas têm que se ajudar, se tratar também! E quem decide permanecer ao lado, também! Ou seja, estamos todas no mesmo barco, e a única forma de criarmos filhos saudáveis é sendo saudáveis, junto ou não do nosso amado DQ.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo!!! Me separei e isso não resolveu os meus problemas... O amor que sinto por ele e o mesmo, mas com um agravante, o remorso que sinto por não ter permanecido ao seu lado!!! Pensar som em mim e no meu filho não resolveu o problema!!!!

      Excluir
  12. Todas nós temos razão. E todas nós não a temos. Porque a nossa razão se limita à nossa própria história. Nesse blog falo da minha história, que pode ou não ser a sua. Apenas partilho o que vivo. Mas, não sou certa nem errada. É minha vida! Meu marido não é o seu. Cada um é cada um. Cabe a nós unirmos forças para cada uma seguir seu próprio caminho. Eu nunca vou dizer que a única forma de se viver com um adicto, é separado, mesmo que eu me separe. E também nunca vou dizer que a única forma de viver com um adicto é junto. Porque respeito as decisões de vocês, e amo vocês independente de suas escolhas. Se vale a penas ou não, cada uma sabe apenas de si. Ninguém é certo, nem errado. Vamos nos amar, e nos respeitar, porque é disso que precisamos e carecemos tanto!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  13. Por isso te aconselhei a pensar com o fundo da sua alma...pq não é uma decisão fácil e nossos sentimentos nos confundem mais facilmente ainda...por vezes temos a certeza de estar fazendo o certo e estamos sendo impulsionadas por sentimentos egoístas que não resolve nada e só nos faz viver um ciclo doentio que nunca cessa e ainda quando se tem filhos envolvidos se torna mais complicado ainda...pq além de não darmos a real oportunidade de crescimento a uma pessoa acabamos atrapalhando o crescimento de quem mais amamos acreditando estarmos agindo por amor...é duro Polly eu sei o quanto é duro e sei tb que vc não defende permanecer ao lado de alguém que não "mereça"...mais vejo vc agindo por impulsos somente dos seus sentimentos...sem tentar descobrir de verdade os motivos que te levam a agir assim...é amor pelo seu marido, é medo de ficar sozinha, é um tantão de coisas que quando desabam vc desaba junto como qualquer uam que convive com essa doença horripitante...não acho que devemos deixa-los largados a Deus dará...como punição não não é isso...mais deve existir uma distância emocinal segura...pra não sermos atingidas e não deixarmos nossos filhos serem atingidos..e quando a recuperação deles e nossa vema contecendo gradualmente essa distância vai se encurtando...isso é aos poucos...seu marido ficou 1 ano limpo sendo 6 meses internado e outros 6 meses em casa, porém com todo um cuidado..ao redor dele..não durou 1 mês no mundo real...esse é o desafio...eles quando conseguem se recuperar pelas proprias forças ficam mais fortes entende pra se manterem nesse mundo dificil de se viver...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vezes parece que não sou clara no que digo... Eu não tenho problemas em me separar. Não mesmo. Se eu achar que é o melhor pra mim e para as crianças o farei. Aliás, ainda nem decidi. Não quero vê-lo nem falar com ele por enquanto. Mas, parece que isso se tornou o centro da vida de muitas de nós: separar, não separar. E nos esquecemos de coisas muito mais importantes. Uma mulher que segue sua vida e não se cuida, criará filhos doentes emocionalmente. E isso é tão grave quanto manter-se junto. A questão do desligamento, Kel, é progressiva. É real, muita gente já está em estágio avançado, eu ainda estou aprendendo... Queria tanto que vocês entendessem a mensagem que quero passar, porque é muito importante!

      Excluir
    2. Poly,

      Vc é sempre muito clara no que escreve sim. Acontece que quem está de fora vê as coisas com mais clareza ainda, e todas estamos preocupadas contigo.

      É fato que seu marido, e consequentemente vc, estão andando em círculos, como disse sua amiga Helena.
      Isso é óbvio para qualquer um que está de fora.

      E é visível também que, por mais que vc consiga manter a serenidade, em alguns momentos vc prioriza a adicção dele.

      Mas, certamente, cada caso é um caso, e não há o que discutir sobre isso.
      Ele é o seu marido e essa é a sua história de vida.
      Aqui vc nunca disse a ninguém para seguir seus conselhos ou fazer como vc fez...
      Não há regras nem fórmulas mágicas.

      Quem está de fora percebe sua dor, e de certa forma, sua instabilidade nesse casamento.

      Mas a decisão, seja qual for, é apenas sua.
      Vá até aonde vc suportar, até aonde vc perceber que tem forças.
      Seu momento de decisão virá na hora certa.
      E essa decisão (seja ela qual for), certamente será abençoada.

      Muitas pessoas me disseram que era para eu largar o meu amor, principalmente por eu não ser casada.
      Jamais dei ouvidos, por mais que soubesse que queriam meu bem.
      A decisão deveria ser minha, apenas minha e eu optei por permanecer ao lado dele e estamos muito felizes, graças a Deus!

      Deus é perfeito e sabe de todas as coisas.
      Não é Ele que está permitindo que vc passe por isso, é sua escolha.
      Mas vc faz a coisa certa: entrega nas mãos Dele.
      Confie.
      Fique bem.
      Deus te abençoe, querida!
      bjs



      Excluir
  14. Querida, Continuo orando por vcs!!!! Sempre!!!!
    Nunca deixei de acompanhar o blog. Mas preciso confessar que durante um tempo me senti incapaz de comentar...vc estava tao feliz e confiante, nao queria ser negativa e estragar seu momento de paz e amor. Afinal, são esses momentos que nos fortalecem e são ânimo. Viva e deixe viver. Não precisa decidir nada agora...abra sua mente e vá com calma...o melhor está por vir!!!!
    Assim como vc também estou vivendo meu luto...e está sendo muito difícil.
    Eu estava indo tão bem....estava em recuperação...mas minha doença é muito traiçoeira....descuidou ela te agarra. E eu descuidei. Hj ela ganhou...me pegou sem piedade. Não fui trabalhar....estou mergulhada na tristeza....uma autopiedade sem tamanho....que me faz sentir diminuida, solitária e muito perdida...tô em sofrimento intenso.
    Preciso de um grupo urgentemente....preciso me equilibrar...mas preciso de ação para dar um passo....e nao consigo nem me levantar da cama. Tá muito difícil!!!!
    Estou separada do meu adicto....e isso foi uma decisão minha.
    Fiz isso pq julguei que mereço uma vida melhor...com mais segurança...mais amor e mais respeito. E nesse momento...tudo que eu queria era ter ele aqui. Que seus braços pudessem me abraçar....e que num segundo todo sofrimento sumisse. Mas nada disso vai acontecer...e eu vou ter que encontrar minha recuperação sozinha...me levantar sozinha....e fazer por mim...sozinha não....com meu Poder superior. Esse sim...vai estar comigo sempre....na saúde e na doença.
    Tô implorando a Deus uma luz....uma esperança....pois o caminho está escuro e sombrio. Tô sentindo muito medo. Deus renova minhas forças..e dos meus irmão que tb sofrem!!!! Estamos juntas sempre!!!! Um beijo Bárbara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Força, querida Bárbara!
      Um super abraço!
      Estamos juntas!

      Excluir
  15. concordo com tudo que disse...porém sabemos de uma verdade unica..a adicção é a doença do SE, é progressiva e fatal..não existe cura mais existe controle...o controle é dificil de se alcaçar mais não impossivel..e a unica forma de se alcança-lo...é os deixando aprender a controlar...e quando mais adiamos esse aprendizado deles..mais adiamos a recuperação verdadeira deles...acho que isso não é questão de opinião..é uma realidade...não existe meia recuperação assim como não existe meia mulher grávida

    ResponderExcluir
  16. Kel, pare de pensar nele, pense em você...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é o que estou fazendo olhando pra ele e vendo que não existe recuperação e decidindo pensando em MIM...rs ;)

      Excluir
    2. é oq vc acredita KEL não quer dizer q todos sejam assim

      Excluir
  17. Rsrs... Desculpa ter deixado vc grilada amiga!
    Olha, vc está certa qto a mães depressivas acarretarem problemas a seus filhos, isso é óbvio... Era assim que meus filhos me viam todos os dias, sempre com cara de preocupada, sobressaltada e com olheiras, pois chorava muito e mal dormia... Na verdade eu nem imaginava a dor que eles sentiam ao perceber que a mãe vivia sofrendo até o dia em que sentei p/ conversar com os 2 mais velhos ( um rapaz de 15 e uma menina de 11) sobre a decisão de separar-me. Eles me apoiaram, disseram que sabiam o quanto eu sofria e que eles também não dormiam mais direito e viviam preocupados, que amavam o pai, mas que eu já tinha feito de tudo... Na verdade foi duro p/ mim ouvir o que eles disseram, pois eu esperava um NÃO MÃE, POR FAVOR! ( era o que eles sempre diziam quando eu cogitava a separação) e eu me apegava nisso p/ não seguir em frente... Bem, mas cada caso é um caso, seus filhos ainda são pequenos, não entendem ainda... Eu tbm tenho um de 5 anos, ele não entende bem, mas sabe que o papai dodói faz a mamãe chorar e está aceitando a ausência aos poucos... No meu caso, eu não conseguia ser a mãe que eles precisavam, qdo meu esposo sumia eu tbm "sumia"... Minha mãe dizia que eu só sabia cuidar do " meu filho de 35 anos" e estava esquecendo dos que realmente precisavam de mim... Penso que minha doença era mais severa e vc parece conseguir administrar melhor as coisas... Então é isso amiga, cada caso uma sentença e cada um no seu tempo... Eu continuo acreditando que é possível sim, conheço inúmeras pessoas que conseguiram, minha irmã conseguiu, está limpa a uns 12 anos e consegue levar uma vida normal , o esposo da minha terapeuta tbm, está limpo a quase 10 anos e eles levam uma vida aparentemente feliz... Desejo a vc muita sabedoria e que a vontade de Deus prevaleça!
    Bjos querida e mais uma vez desculpa deixa-la grilada qto a vc parecer c/ mais idade, rsrs... Eu tbm aparentava por causa do sofrimento e todos ao meu redor dizem que eu hoje pareço ter rejuvenescido uns 10 anos.

    Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, fiquei um tempão me olhando no espelho hoje... rsrs...
      Essa época das entrevistas estava tudo bem mesmo, uma época muito boa, mas, acho que as olheiras se devem ao nascimento do baby que mamava e mama muito a noite, e também ao fato de estar mais gordinha... Espero que seja isso! hehehe
      Bjos e obrigada!

      Excluir
    2. Não fique grilada!

      Você está ótima e não aparenta ter a idade que tem.
      29,30...aparenta tranquilhamente.
      Tenho essas crises também de vez em quando, tenho 33 anos e tive a crise dos trinta, mas não durou muito tempo, mas fico muito feliz quando as pessoas pensam e dizem que eu tenho 28, 29, 30...
      Você é muito bonita e inteligente também!!!

      Continue assim!

      Beijos e força!!!

      Excluir
  18. e outra nunca vi tu discordar de si propria...sempre defendendo sua forma de ver a adicção...devemos nos contrariar pra saber se estamos no caminho certo... no Amor Exigente eu aprendi dar retorno me desculpa..mais sou assim..essa sou eu..Kel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc é uma "criançona",Kel!!! Para com isso!
      Vai pro Nar-Anon pode ser q la aprenda alguma coisa e PONHA EM PRATICA!!

      Excluir
  19. Poly, li seu post ontem e estou acompanhando os comentarios, a verdade é que apesar das situações serem parecidas, somos todas esposas de DQs, mas cada casamento tem sua historia, eu acho que pra partir pra uma separação tem que ter muita certeza, tem que estar preparada, e nem sempre uma separação é definitiva tbm, li o comentario de cada uma, cada uma tem sua razão, sua historia de vida e relacionamento, mas nem todos os "finais" sao iguais, pra algumas a recuperaçao do esposo nunca aconteceu, outras aconteceu e ele foi refazer a vida ao lado de outra esposa, outras obtiveram sucesso...então eu acho que vc não deve decidir nada, querer dar um tempo como vc esta fazendo, mudando de ambiente, mas isso não quer dizer o fim do seu casamento ainda, é muito cedo pra isso, seu marido acabou de voltar pra instituição, vc está magoada, sofra o qto precisar, chore o qto precisar, e o futuro a Deus pertence, um dia vcs terão que se olhar e decidir, mas até lá muita coisa pode acontecer, nao é mesmo?

    O que posso dizer pra vc querida Poly, nao pense como se tudo ja estivesse acabado, apenas viva seu momento!!

    Fiquei olhando sua foto rsrs, sei lá...não vi diferença, mesmo no video nao consegui notar ruguinhas nao rsrs


    Fica na paz querida ! bjs

    ResponderExcluir
  20. Anônimo eu sou uma criançona?...sou mais sou mulher que vc pq eu não me escondo!!!...

    ResponderExcluir
  21. Polly, me desculpa talvez quem não esteja sendo clara sou eu...não to dizendo que a questão principal é se separar ou não...mais percebo em vc...coisas que eu mesma faço...quando ele da um passinho...toda aquela firmeza que eu tinha em minhas decisões..se abala...eu paro e penso...seráá...e acabo voltando a criar expectativas..nessa parte aqui "Li muitos relatos de vocês. Pelo que vi, ninguém abandonou o ser amado em tratamento. Geralmente a escolha veio do fato do outro não querer se tratar e se recuperar. O fato dele querer, muda muita coisa"...todos querem...pelo menos a maioria diz que quer...mais será que querem mesmo por eles ou pra nos agradar...penso que seu marido fez a melhor coisa que poderia ter feito voltado a uma clinica mais será que esse serzinho enfiou na cabeça que tem que ser por ele...rs.....só va com calma...pra não voltar a viver o só por hoje dele...pq tem vezes que eu mesma acho que nossaaaaa...olha to beeeemmmm...to nem aii mais...só que quando ele despenca...a gente despenca junto...é só isso querida que quiz lhe dizer...bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito do blog, é realmente um desabafo de mais uma vítima da maldita droga. E todas nós somos responsáveis pelas nossas escolhas, ficando ou não com os adictos. O importante é sermos felizes e ter paz no coração. Mas Kel, seja menos polêmica, cada um é cada um. Você me parece uma pessoa frustrada e não pode forçar á todos com suas opiniões. Todas passamos por fases e nossos adictos também. Vamos nos respeitar. No Nar-anon aprendemos isso.

      Excluir
  22. HUahuahuaua isso aqui ta parecendo uma feira...rs
    Lamentavel..rs
    Moderação neles Polly!!!
    Isso aqui é um trabalho sério com o objetivo de conseguirmos ajudar uns aos outros independente de suas posições e atitudes. Se apoiem galerinha, Deus tá vendo...hahahuaa

    ResponderExcluir
  23. Concordo com a Sol e acho que o pessoal tem que pegar mais leve...

    Acho que a Poly está em um momento que ela precisa pensar, sem pressão...
    Só ela sabe tudo que ela passou, só ela que sabe qual decisão tomar... E acho que isso não deve ser escolhido agora e sim com o tempo... Pois o tempo de Nosso P.S não é o nosso... e no tempo Dele, Ele vai dar todas as respostas que a Poly precisa.

    Se o esposo dela está em uma instituição é porque ele ainda quer se recuperar...
    Quantos preferem ficar pela rua??
    Quantos mudam alguns dias pra passar um mel na boca da esposa e passa pouco tempo tá na mesma e não se interna???

    Se ela escolher ficar do lado dele, dou o maior apoio...
    Se ela escolher abandonar o barco também...

    Nenhuma das duas escolhas é fácil... Olhar o barco do outro e falar o que fazer é...
    Mas cada um de nós temos nosso limites e sabemos até onde devemos ir...

    Se a Poly, não tivesse indo trabalhar e tivesse parado a vida dela... era uma coisa o pessoal aqui ficar pondo pressão pra ela se separar...
    Mas acho que ela sabe sim, viver a vida dela mesmo quando o esposo dela recaí...

    Então, exponham a opnião de vocês... Mas não fique colocando as coisas como se ela se separar fosse a única solução da vida dela...



    TamuJuntas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Eu seguro minha mão na sua e uno meu coração ao seu, para que juntas possamos fazer aquilo que sozinha eu não consigo"

      Excluir
  24. por favor leiam
    http://modificaramimmesma.blogspot.com.br/2012/10/um-mal-chamado-retorno.html

    ResponderExcluir
  25. Amada vc é uma guerreira e pra mim um exemplo, não me importa qual sua decisão em relação a SUA VIDA, pois dela só quem tem a chave é vc. O importante é que vc esta em recuperação e isso não tem preço, e tem mais seu trabalho sera recompensado, pois que ajuda o próximo empresta a Deus e Ele não fica devendo nada a ninguém, então creio que grande será sua recompensa!!!

    ResponderExcluir
  26. Caraca no dia que li esse post não comentei ia comentar depois até deixei uma msg no face se não me engano,e tenho que concordar com a Sol em numero,grau e gênero q feira é essa,isso aqui é um espaço de partilha,de troca não um espaço para julgamentos ou comparações cada um de nós antes mesmo de sermos codependentes somos humanos e cada um tem a sua história a sua vida e cada um é que sabe o q é melhor para si,não é pq comigo foi assim vai ser com o outro igual,não é assim nãooooo..Não quero polemizar querida se quiser nem publica isso aqui se achar q vai render mais pq não é isso que eu quero,faça o q sentir q é melhor para vc e sua família e isso só vc sabe ..Fica com DEUS!!!

    ResponderExcluir
  27. Amigas, todas você me ajudaram muito, muito mesmo!!! Hoje me sinto mais viva, graças a vocês também! Beijos da Lua

    ResponderExcluir
  28. A Maria tem toda razao! A Polly precisa de um tempo para reorganizar as idéias e os sentimentos. É uma mulher forte, guerreira que segue sua vida independente da doença do seu marido, mas tambem é uma mulher sensível e que sofre...um ser humano normal! As vezes precisamos tirar o pé do acelerador e deixar que as coisas aconteçam ao seu tempo...
    Tamo juntas Poly, meu coracao esta contigo! Beijoo

    ResponderExcluir
  29. Eu fiquei junto, adoeci, não aguentei e me separei...nunca fui tão depressiva pois n me cuidava mesmo longe dele, nem os telefonemas dele eu atendia...foram quse 2 anos e sinceramente isso n melhorou em nd a vida p os meus filhos e eu tb n fiquei feliz. Voltei há pouco mais de um mês e sabem qual minha conclusão: Se vc tivesse um marido com diabetes ue vira e mexe comesse um doce e fosse parar no pronto socorro, ou então n tomasse a insulina certinha e te desse sustos vc o abandonaria mesmo amando???? É uma doença e como td doença crônica ela tem circulos sim e enquanto eles procurarem recuperação vão se fortalecer cada vez mais p conseguirem romper com isso. Agora separa ou não nem é questão...vc é feliz ao lado dele, é feliz sem ele??? Qdo ele cai vc desaba junto??? então cuide-se pois é o risco...o mesmo de conviver c quem tem um aneurisma e fuma, o mesmo do que conviver com quem tem cancer e não qer fazer quimioterapia...não há garantias. Não adianta estar junto se ele n busca recuperação e nem separada se vc n se desliga dele e principalmente se vc não se cuida. Sentir é claro todas vamos, em todas as recaídas...é uma doença! não pressionem a Polly só o coraçaõ dela sabe a resposta! Estar separada n garante q os filhos n verão o pai na "nóia", não há garantias. A questão não é essa!

    ResponderExcluir
  30. a dependencia quimica causa sofrimento tanto pra familia quanto pro drogado. é importante as pessoas entenderem que nem todo mundo que usa drogas, usa por que quer. muitos começaram como jovem, como eu, comecei na bebida aos 12, depois fui me aprofundando nas outras drogas e isso era minha curtição naquela época. bebia fim de semana pra me divertir, fumava um aquilo era o maximo...foi se passando o tempo e aquela diverção se tornou um grilhão que não conseguia me desvencilhar. vi que minha familia estava sofrendo por eu estar mal, e eu também fazia eles sofrer com meu comportamento insano, inconsequente e imprevisível. hoje estou limpo ja faz alguns anos, mas até hoje me recupero das consequencias que a droga deixou e hj eu vejo tudo isso diferente. diferente de como eu enchergava essa situação há 5 anos atraz por exemplo. percebi que o dependente precisa sim de ajuda, mas se ele não quer parar com o uso, não tem o que se fazer. podemos dar conselhos, internar, chamar a policia, o papa mas n adianta. daqui um mes o cara tá lá na boca de novo pegando uma peteca. olhem só, ja dei meu depoimento da semana, não preciso ir no N.A ahahahahah to brincando. forte abraço pra vc, me identifiquei muito com seu blog!

    ResponderExcluir
  31. É natural esse comportamento que os familiares tem, sou um dependente quimico e sempre escutei que o dependente nao tem familia tem refem, pqp que forte mas é a mais pura verdade, pois eu no uso estou anestesiado dos meus sentimentos e minha familia que vê tudo de perto. senti tudo de perto, que covardia da minha parte querer pular da ponte mas amarrar a pessoa que eu mais gosto junto comigo. Até mesmo o controle que a familia procura a ter da vida do dependente é um sintoma da codependencia. Se eu estivesse dirigindo um carro e alguem desse blog estivesse do lado, e eu desmaiasse qual seria sua reaçãop? Pegariam no volante ne, isso significa tentariam assumir a direção. A vida do dependente quimico é um carro desgovernado, um motorista que nao sabe dirigir e necessita urgente de uma auto escola da vida,para aprender a viver em recuperação, aprender a aceitar as situções da vida e nao usar situções da vida como desculpas para o uso. Vou relatar uma historia trabalho a alguns anos como coordenador terapeutico de uma clinica, eu estava de folga em casa e acordei cedo como de costume e chamei minha esposa e falei "amor levanta vamos a curitiba, quero que conheça meu pai que a Dez anos que não vejo", ela me disse "Amor sua mae pediu pra eu nao contar..." quando ela disse isso minha respiração mudou a temperatura do meu corpo subiu me deu arrepio eu ja sabia nao da mais tempo infelizmente nao posso fazer mais nada que merd;...... "mas seu pai se matou devido ao vicio da droga ele se sentiu muito abandonado filhos sumiram, nao o procuraram mais, esposa todos ele se matou a 4 anos, mas sua mae nao queria que você soubesse por que tinha medo que você recaisse.... Agora eu pergunto o que doeu mais escutar que me esconderam a morte dele ou que ele morreu? Nem no enterro eu fui, pelo menos ver a ultima vez, mas como diz na oração da serenidade aceitar as coisas que nao posso modificar, desde de aquele dia uso esta frase "MOrra ou nasce gente eu nao volto a usar so por hoje"... nao foi facil nao foi mesmo mas me mantive deu vontade de quebrar a casa toda mas... entao muitas vezes vejo a familia com medo de abandonar o dependente por medo que ele morra querem saber a minha dor " Sou coordenador de clinica de dependencia quimica aonde o indice mundialde recuperação é 6% nas ultimas clinicas que trabalhei eu me dedicava de mais o indice foi 24% de pessos que estao bem ate hoje, ajudei muitas pessoas muitas mesmo mas nao ajudei meu pai ele se matou se enforcou, e meu irmao mais velho vive indo preso e nao consigo ajuda lo...

    ResponderExcluir
  32. Gente vcs já ouviram falar de um tratamento que está livrando muita gente da adição?
    Tratamento com Ibogaína substancia tirada de uma planta africana chamada Iboga?
    Tem muitos depoimentos na internet.
    Abs,
    Sylvia

    ResponderExcluir