terça-feira, 4 de setembro de 2012

Revista Anônimos - Artigo publicado.



Esse artigo está publicado na página 14 da edição de agosto de 2012.
Para ler a revista online, clique aqui.


Será que existe recuperação?
(Polyanna P.)

Hoje faz dez meses que meu esposo está limpo, graças a Deus. São 305 dias! Confesso que pareço estar sonhando. A confiança, o diálogo, a paz, a compreensão, o companheirismo e a cumplicidade são itens que foram sendo reconstruídos, pouco a pouco, entre nós dois. E hoje posso dizer que não existem mais tantas marcas do seu tempo de ativa.
Ele vai quase que diariamente às reuniões de Narcóticos Anônimos. Está se tratando com Psiquiatra, inclusive toma medicações diárias por ele receitadas, além da terapia com Psicólogo. O segredo é que ele QUER se recuperar, e por isso tem dado tudo certo. Ele engordou 14 quilos nesse período e está com uma aparência muito boa!
Então recebi um e-mail de uma jovem, nova leitora do blog Amando um Dependente Químico, com as seguintes perguntas: “Existe mesmo recuperação de dependentes químicos? Qual é o índice de pessoas que se tratam e voltam a usar drogas? Existe algum motivo que faça com que a pessoa volte a se drogar?”
Quando amamos um adicto, são tantas as dúvidas e as angustias que nos cercam e assombram, não é mesmo? Isso acontece porque buscamos certezas em um mundo totalmente incerto, queremos garantias onde não há. Então quando decidimos amar um dependente químico, devemos apenas amar, sabendo dos riscos e das consequências, e assumindo-os.
Vamos às respostas?
Sim, existe recuperação para os dependentes químicos, mas infelizmente não há cura para a dependência química. Assim como o diabético que até o fim de sua vida deverá ter uma alimentação regrada e outros cuidados, o dependente químico também precisa de cuidados especiais, dentre eles, manter-se longe da primeira dose e buscar um tratamento continuado.
Conheço pessoas que estão limpas há dois, quatro, onze anos, ou seja, em recuperação. Entretanto, se falarmos em estatísticas, nos entristeceremos. Os números são baixos. Meu esposo saiu de sua ultima internação há cinco meses, e todos os que saíram com ele já recaíram. É preciso muita vontade e força. É uma luta constante contra si mesmo. Não é fácil, mas é possível. Na verdade, prefiro me apegar a outra porcentagem: se nossos amados realmente quiserem se recuperar, buscarem tratamento, e cumprirem o que é sugerido no programa dos Narcóticos Anônimos, a chance de se recuperarem é de 100%. Mas, como pode perceber, isso não depende de mim nem de você.
Quanto aos motivos que os levam a recair são muito subjetivos. Posso afirmar que se eles buscarem pessoas, hábitos e lugares da época de ativa, facilmente recairão. E também se tomarem bebidas alcoólicas, provavelmente buscarão as drogas. Entretanto, alguns recaem sem precisarem disso. Recaem porque estão tristes, ou porque estão felizes. Recaem por não saberem lidar com sentimentos e emoções. Recaem porque caiu uma folha da árvore, porque choveu ou porque fez sol... Infelizmente não existem porquês concretos.
Nós, familiares de dependentes químicos, precisamos entender que não está em nossas mãos a chave para fazer com que eles se recuperem. Por um lado, isso nos dá um sentimento de tristeza e impotência, mas, por outro, podemos nos livrar do peso desse fardo. Não cabe a você nem a mim, somente a eles. Eles não são culpados nem responsáveis pela doença que têm, mas, são responsáveis por sua própria recuperação.
Se meu esposo está limpo só por hoje, é porque ele, enfim, após chegar ao fundo do poço, conseguiu despertar o querer sincero de recuperar-se.
Gostaria de relatar a história de um senhor, a fim de alimentar a nossa esperança. Esse senhor faleceu há poucos anos numa queda de um helicóptero. Morreu dignamente e amado por muitos. Ele fez um trabalho lindo de ajuda a dependentes químicos, durante vinte e cinco anos. Ele era dependente químico e alcoólatra. Sua esposa e filhos não aguentaram a dor e o colocaram para fora de casa. Ele foi mendigar. Chegou a vender o próprio sangue (anos 70) para comprar drogas e bebidas. Fez coisas inimagináveis para obter drogas e sob o seu efeito.
Entretanto, um dia, no Rio de Janeiro, com seus pensamentos totalmente confusos, ele olhou para o Cristo Redentor, e falou para ele: “Se tu realmente existes, me dê um sinal hoje!” Ali mesmo na rua ele adormeceu. Ao acordar, desesperado para usar mais, começou a apalpar seus bolsos em busca de algo que pudesse trocar por mais drogas. E o que ele encontrou foi um cartãozinho dizendo: “Se você quiser continuar bebendo, o problema será seu, mas, se você quiser parar, o problema será nosso!” Era dos Alcoólicos Anônimos. De imediato ele se recordou das palavras que tinha dito em oração, e cruzou a cidade para buscar ajuda naquele endereço do papelzinho. Ele questionava muitas coisas do A.A., era resistente, e não parou com as drogas instantaneamente, mas continuou voltando. Até que um dia, tomado por uma força maior do que a sua doença, ele disse a si mesmo: “a partir de hoje, nunca mais usarei droga nenhuma!” E ele cumpriu.
Sabe por quê? Porque a vontade de parar foi maior do que qualquer outra vontade. Ele recuperou sua dignidade, sua família, sua vida profissional e ainda ajudou a muitas pessoas que sofriam do mal que ele conhecia tão bem. Se ele pôde, qualquer um pode, basta querer.
Não nos apeguemos a estatísticas. Ainda que o índice de recuperação de dependentes químicos seja baixo, eu te digo que 100% dos que querem sua recuperação mais do qualquer outra coisa, conseguem. Por isso, embora não cultive expectativas, tenho uma grande esperança, sempre.
A escolha de continuar ou não com um esposo dependente químico está em nossas mãos, mas a escolha de parar com as drogas somente cabe a eles.
Então para que nos afadigarmos com isso? Recuperação não é nunca mais usar drogas. Recuperação é não usar drogas só por hoje, um dia de cada vez. E para nós, que amamos e convivemos com dependentes químicos, recuperação é só por hoje acreditar e viver, sem as amarras do passado e sem expectativas quanto ao amanhã. A recuperação é aqui e agora, e a vida também!

7 comentários:

  1. Passei para dar um oizinho, adoro teu blog
    E hoje 04 de setembro meu marido completa dois anos limpo, é uma benção e com certeza ele chegou onde ele chegou pois ele se encontrou, e QUER ficar assim.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Monica! Muito feliz por vocês!
    Estamos juntas, querida!

    ResponderExcluir
  3. Preciso mostrar ou ao menos falar um pouco a respeito das coisas que leio em seu blog para o meu noivo. Ele está internado a 14 dias pela segunda vez. Da primeira vez, quando ele voltou começou a frequentar psicólogo, evitava pessoas e também lugares. Mas com o tempo isso passou. Ele começou a se sentir seguro para beber e então foi que tudo desandou.
    Deus está comigo e conosco. Com fé Nele tudo vai se resolver.

    ResponderExcluir
  4. é assim mesmo..eles tem que querer..tem que ser muito determinados...humildes...e fazer o que lhe é sugerido...porém contudo e todavia...a maioria não age assim...é muito bom podermos acreditar que existem pessoas que sim dão certo...assim podemos ter esperanças de que no final tudo dará certo...infelizmente meu marido tem muitos preconceitos, mas como depois de tanto "apanhar" entendi que só depende dele, eu finalmente consegui abrir mão do medo da tão temida recaída...relaxei...e entreguei de vez nas mãos de Deus,agora to lutando pra que eu consiga na convivência com ele, não permitir com que minha codependência volte a atuar...rs...
    parabéns pelo blog..bjuu

    ResponderExcluir
  5. Oi amada Poly, eu li o post anterior tbm, falou bastante cmg, pois o medo está sempre me assombrando quero viver o só por hj, mas confesso que é muito difícil.
    E esse artigo é muito lindo, como é bom ler tudo isso. Saber que a pessoa que amamos está querendo realmente se recuperar, e nós sempre querendo uma certeza de que eles nunca mais vão recair, sabemos que é possível, pois se pessoas já conseguiram então é possível! Mas temos que estar ciente que a recaída pode acontecer a qualquer momento na recuperação de um DQ, mas vamos orar e agradecer que só por hj eles estão limpos e se recuperando!
    Tamujuntas minha amiga :D
    Grande Beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi gente, sou adicta em recuperação e vou falar um pouquinho o que eu acho...
    Bom, minha adicção foi maior com alcool e remédio... porém conheci a cocaína...
    Na última vez que eu usei, a 3 meses e 3 dias, usei e mto com uma amiga também adicta... quando amanheceu, eu pedi para ela abrir a janela do quarto dela... e falei:
    Amiga, olha pro céu... eu também to olhando... olha o que estamos perdendo... não precisamos disso.. quero ter felicidade por dias e não por horas.. vamos parar?
    Pois é... eu to aqui... conseguindo... um dia de cada vez pq a vontade às vezes vem, mas a vontade de se manter limpa e feliz sempre precisar de qualquer droga é muito maior...
    minha amiga está a 2 meses e alguns dias limpa... ou seja, não quis naquele momento fica, mas graças a Deus está..
    Já a pessoa que eu amo... acho que recaiu... mas vamos lá, seguindo cada um na sua recuperação.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite,estou limpo a 6 anos, e dedico minha vida hoje em ajudar quem quer sair do mundo das drogas so por hoje q Deus continue nos abençoando

    ResponderExcluir