quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Nosso grito!


Nathalia Passarinho (repórter da TV Globo) e Polyanna, autora do blog e livro.


“Poly, eu chorei vendo a reportagem. Quero te dizer que você é muito especial para mim. Conheci seu blog em um momento em que estava decidida a terminar com meu marido, no mesmo dia em que tinha arrumado tudo para ir embora, enquanto ele estava na rua. Eu queria que ele chegasse e visse a casa vazia, mas depois que li seus posts, me derramei em lágrimas, mas desta vez, de alegria, porque percebi que ainda tinha muita força para lutar por ele, e que eu não era sozinha nessa luta. Mudei completamente...” (F.A.)

“Oi Poly, preciso te dar uma bronca: não consegui trabalhar a tarde inteira lendo o seu livro! Já estou na página 71!” (A.O.)

“Imagine uma mulher casada, dois filhos (um deles com menos de 3 anos), servidora pública, à beira do desespero com o vício de seu esposo, dependente químico. Imagine essa mulher engravidar do terceiro filho no meio desse turbilhão de problemas que a droga trás consigo. Imagine essa mulher encontrar forças e passar a escrever um blog - que a princípio seria uma forma de desabafo, mas que revelou-se meio de apoio a centenas de outras mulheres e famílias que vivem o mesmo problema, tendo hoje milhares de acesso. Imagine essa mulher lutar contra as adversidades para que sua família - incluindo o marido - seja feliz. Essa é a história de Polyana P. - Pseudônimo usado por essa amiga - e a história de seu blog e agora livro "Amando um Dependente Químico". Quer conhecer um pouco (na verdade muito) da vida e dos dramas vividos por quem tem ao seu lado um dependente? Quer afastar o preconceito e ver que essas pessoas têm filhos, mães, esposas? Quer entender que é possível continuar amando em meio à dor? Polyana P. não teve vergonha de expor sua vida e seu drama, vale muito a pena conhecer o blog e ler o livro (que não é fruto de nenhuma ação de marketing, pelo contrário, é produção independente e terá parte de sua venda revertida para instituições de apoio a dependentes e sua famílias). Essa história é uma lição de vida, real e comovente, sem qualquer clichê.” (N.F.)

“Acabei de ler o seu livro. A cabeça está a mil. Não sei nem como vou dormir hoje... Nunca agradeci a ninguém por isso, mas obrigada por me desestruturar, por me fazer lembrar de pesares profundos da minha alma, por me tirar certezas e me lançar dúvidas, por colocar meus pés no chão e minhas esperanças nas estrelas... Resumo tudo a um sincero obrigada! Quero compartilhar o que senti nestas 260 páginas e promover teu trabalho tão belo, sensível, esclarecedor e aplicável à realidade de quem ama um dependente químico... Foi muito emocionante ver a sua reportagem depois de ler o livro, parece que eu conhecia cada serzinho, os filhinhos desse pai, caminhando em frente e de mãos dadas! Desculpe-me pela emotividade, mas é culpa sua... Fique em paz pessoa linda e iluminada!” (A.O.)

Essas são algumas das muitas palavras recebidas ontem. Muita emoção! Muita gratidão a Deus e a vocês.

Realização é o que estou sentindo! Ver essa mensagem de uma vida leve e feliz (ainda que amando um dependente químico) sendo levada até aqueles que ainda sofrem, perdidos em meio à codependência, é simplesmente maravilhoso!

Naquela reportagem, mais que uma divulgação do blog ou do livro, e mais do que a história da minha vida, o que eu vi foi um grito de "estamos aqui!". Sofremos calados, lutamos, aguentamos preconceitos e alimentamos nossa fé mesmo quando nos sentimos sem forças, mas estamos aqui, atrás de cada dependente químico! 

Ontem à noite, levei uma senhora para conhecer o Nar-anon, e claro, aproveitei para matar a saudade daquela sala onde minha recuperação começou. Sorrisos, olhares, abraços, ternura, carinho... Saí renovada! Após a reunião, foi uma delícia a comemoração de todos diante do livro, e eu pude dizer o mais sincero MUITO OBRIGADA a quem me ensinou uma nova maneira de viver!

Enquanto eu estava na sala, meu esposo passeava com nosso filho (do meio) em um shopping próximo. Nosso papaizinho está limpo há 320 dias (10 meses e 16 dias)! E é maravilhoso vir aqui escrever, sabendo que neste momento ele está sob um cobertor quentinho, dormindo, sereno, limpo e em paz!

Quem deseja adquirir o livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, clique aqui.

Um forte abraço!
Estamos juntos!

14 comentários:

  1. uhuuuuuuuuuuu..parabéns..palmasssss...eeeee

    buenas!!

    ResponderExcluir
  2. acabo de ver a reporatgem na tv, e nao tem como nao me emocionar, pois buscava forças tabem para superar as dificuldades em relaçao a dependencia do meu amado, foram muitas lagrimas derramadas, mas nao aguentei a barra, hj faz 10 meses que mudei de estado e nao tenho mais contato com ele, deixei o barquinho seguir o seu curso, porem nao o esqueci,sei q esta bem.. hj so quero me recuperar da frustraçao de nao ter conseguido...por mais que eu saiba q nao dependia de mim...desejo a vc toda felicidade do mundo e muita força porque a caminhada é eterna..bjuss

    ResponderExcluir
  3. Poly, estou muito feliz por você. Acabei de assistir sua entrevista e fiquei muito emocionada. Confesso que me sinto parte da sua vida (rs...), assim como você faz parte da minha. Muitas histórias em comum, muitas tristezas e alegrias compartilhadas. E sempre com muita Fé em Deus. Você é uma pessoa muito iluminada, pela qual agradeço muito. Depois que conheci seu blog, conheci você e outras pessoas que passam pelas mesmas coisas que eu, minha vida ficou muito mais fácil de ser vivida. Depois de 6 meses longe do meu DQ, nos reconciliamos. Hoje faz 1 mês e graças a Deus, apesar de um "pequeno" estresse, está tudo indo muito bem.
    Te desejo muita sorte, sucesso, paz, felicidades...

    Obrigada por fazer parte da minha vida, por me ajudar tanto e fazer com que eu enxergasse o outro lado que é viver bem e feliz ao lado de um DQ.

    Um grande beijo!!!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada por me ajudar a acreditar que esse trabalho de divulgação da esperança pode um dia chegar a todas as pessoas que ainda sofrem com a adicção de um parente ou ente querido
    Te amo Amiga!

    ResponderExcluir
  5. Parabens pelo trabalho grande mulher, que ele gere muitos frutos e muita serenidade a voce e familia, grande abraço! =)

    ResponderExcluir
  6. Oi Poly,

    estou muito feliz com sua felicidade.
    Você me inspirou a escrever meu blog, e em muitos momentos foi minha terapeuta (mesmo sem saber disso!).

    Nada será fácil em nossas vidas, mas se soubermos viver com serenidade, bons frutos podem ser colhidos.

    Aprendi, e aprendo muito com a leitura do que você escreve.
    Obrigada por partilhar sua vida.
    Sejam felizes!

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Poly, parabens pelo seu trabalho, lembrando que vc. está ajudando muitas pessoas, fiz um depoimento no dia 14,como (TMJ/SPH- TAMOS JUNTOS SÓ POR HOJE) gostaria muito que me respondesse... (abro todos os dias esperando por sua resposta) segue abaixo, eu me identifico em quase tudo, estou entendendo muito sobre a doença da dependencia quimica, acompanho meu esposo no NA, muitas pessoas que não conhece esta doença a fundo, não entende. Tem dias Poly, que são cinzas... mas a vida é tão linda, a natureza, o olhar das crianças... (meus filhos de 10 e 6) perfeição, alegria...
    Tenho percebido meu esposo distante, calado, sem muita alegria, na cama um pouco frio ou compulsivo, algo assim, estranho, as vezes, e sem muito carinho... eu acho, do you understand me ; ainda preciso aprender estes comportamentos para saber lidar...
    tem dias que sinto um vazio, solidão... tudo da co dependencia, concordo, por isso decido, só por hoje vou viver sendo feliz... amanhã eu não sei!
    Abraço, Thais - 34 anos

    ResponderExcluir
  8. COMENTARIO DO DIA 14/08:
    Poly, me identifiquei demais contigo, sou uma codependente e não tinha ideia de quantas pessoas passam pelos mesmos problemas que eu, somente mudando o endereço, por isso lhe escrevo para relatar resumidamente minha historia.
    Conheci meu esposo, e o amei desde o primeiro dia, ele fumava maconha, mas eu pensava que isso era de nada, e que eu o ajudaria, passou muito tempo, ele se tornou usuario de coca, o mundo desabou, as brigas foram intensas, atingiu o relacionamento em todos os sentidos, sexo, confiança, cumplicidade... meu Deus... só o Senhor sabe tal sofrimento, no entanto, algo estranho acontecia quando ele estava cheirado, ele tinha tamanha desconfiança de mim, pensava que eu o traia, tinha casos, e isso na cabeça dele se tornava real, chegando ao ponto de revistar minhas coisas, cheirar minha genital, pular muro do meu trabalho, cuspir na minha face, revistar computador, celular etc. A ultima gota d agua, foi quando fomos para São Paulo fazer compras, a noite fomos assistir um jogo, ele levou tanta cocaína, e estava cheirado, daí fui no banheiro, ele então entrou me procurando, e quando terminei, as meninas do banheiro começaram a falar que tinha um tarado no banheiro, no entanto eu havia bebido uns goles a mais, saí do banheiro dando muitos tapas nele, não quis voltar para o hotel junto com ele, daí ele foi na frente, pegou mais droga, foi para uma casa de show, logo após cheguei no hotel, pedi a recpecionitar para ligar para ele para pagar o taxi, ele disse que estava chegando e nada... então conversei com o taxi, ele aceitou voltar no outro dia para receber, o esperei até as 04:00 da manha na recpção, pois ele havia levado a chave, pedi que me arrumasse um quarto de solteiro, e fui dormir, daí o inferno começou, ele chegou batendo na minha porta, quando abri, ele me deu um tapão no meu rosto, que cai na janela quebrando os vidros, ele perguntando cad~e o cara que vc tá, cade ele... daí eu saí do quarto, fui para o nosso quarto que estava hospedado, e vi tanta cocaina que ele estava usando, e bebendo, daí ele começou a me chamar de puta, e muito mais, me bateu, e voltamos de sp, ele cheirando e convicto que eu o traí... hoje ele está em recuperação,no na, já tem quase 50 dias, mas na cabeça dele, eu estava no quarto com outro homem, e isso afetou profundamente nosso relacionamento... ele colocou isso na cabeça dele, e pronto. minha testemunha saõ as pessoas que estavam na recepção no dia, mas ele diz que não quer saber, que tem certeza que o traí, eu estou sofrendo demais, tamanha tristeza, auto estima lá em baixo, eu não tenho palavras para colocar o sentimento que sinto... atualmente ele diz que vai esquecer o passado, vai me perdoar, passar por cima da minha traição..por dentro eu engulo isso, mas sofro, pos eu sei que não o traí...
    Quero minha vida de volta, eu não sei qual o proposito de Deus sobre esta situação que aconteceu, tem dias que pergunto a Deus porque isso aconteceu comigo, porque .... peço para Deus mostrar a verdade... no fundo eu acredito, lá no final do túnel, que a verdade vai vir, e se não vir, eu não sei como lidar... sinceramente!
    .... um forte abraço, Thais / 34 anos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, perdoe-me por não ter respondido antes. Vou te dar a minha opinião pessoal, mas, não quer dizer que seja a verdade absoluta, certo? Em um relacionamento a dois, é preciso confiança. Seu esposo precisa confiar em você e você nele, senão tudo fica muito difícil de dar certo. E cuidado, os adictos são muito manipuladores, eles facilmente viram o jogo. O que quero dizer: naquela noite seu marido fez algo inaceitável, certo? Mas, a partir do momento em que ele se torna vítima e te julga por algo que você teria feito, você se torna a culpada e o foco da discussão sai dele. Entende? Não sei se é isso, mas, fique atenta. Meu esposo várias vezes me deixava confusa com sua s manipulações, e eu ainda me sentia culpada, quando era ele quem estava fazendo coisas absurdas. Cuide-se, querida, valorize-se e não se permita ser machucada emocionalmente. Um grande beijo!

      Excluir
  9. RESUMINDO TUDO EM 3 PALAVRAS.... PARABÉNS VOCÊ MERECE.. SIM POLY VC MERECE TODO RECONHECIMENTO TODA FELICIDADE.. CERTEZA DE Q MAIS COISA BOAS ESTÃO POR VIMM.. GRANDE BJOO JN

    ResponderExcluir
  10. Poly,

    Você não imagina como é importante para mim saber que você gostou do blog...

    Quanto a nossa recuperação, você sabe bem, é um dia de cada vez...
    Estamos caminhando para a primavera, graças a Deus!

    Desejo para você, e para tantas outras, o mesmo que desejo para mim.

    Obrigada por tudo que você fez por mim, mesmo de longe e sem saber...
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Poly, obrigadão mesmo, também concordo em todos os sentidos, me acho uma mulher bonita e inteligente, devido a codependencia, muito de mim se perdeu no espaço, quero resgatar, ainda não sei como, mas com certeza vou achar o caminho, sinto falta de algo que não sei explicar o que é... na adcçao meu esposo me tratava como uma rainha Elizabeth, eu era o máximo, hoje na recuperaçao, ele está tão distante,não sabe me dar carinho etc e tal...
    penso que talvez seja devido o processo da recuperação, mas obrigadão mesmo, sucesso na nossa jornada.
    Beijos,
    Thais-34anos

    ResponderExcluir
  12. Poly, achei interessante esta frase, da poeta Cora Coralina, inclusive, da minha terra, cidade e estado...

    “Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar, porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir” ( Cora Coralina )

    Beijos,

    Thais-34 anos

    ResponderExcluir
  13. Poly não sabia que vc era de Bsb,eu sou de bsb também, vi a reportagem e foi através do seu blog que hoje meu esposo frequenta o NA e estamos bem m mês limpo!!!OW GLÓRIA!!!

    ResponderExcluir