sábado, 11 de agosto de 2012

Luz vermelha acesa!


Bom dia!

09h46min deste sabadão, 11 de agosto de 2012.

Maridão limpo há 316 dias (10 meses e 12 dias). E o mais importante é que só por hoje ele está em recuperação, e eu também!

Estamos aqui na torcida pelo Brasil nas olimpíadas!

Como vocês sabem, estou vivendo dias de ansiedade e muito felizes, na expectativa do lançamento do livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor. Entretanto, se engana quem pensa que a adicção dorme enquanto coisas boas acontecem.

Como meu esposo costuma dizer: “a luz vermelha acendeu”. Há alguns dias ele não está tão bem. Um pouco apático, um pouco irritado. Hoje temos liberdade para conversar, então já dialogamos sobre isso, e ele confirmou que algo não está bem dentro dele. O Psiquiatra aumentou a dose de sua medicação, e desde então, ele mudou para pior. Confesso que estou com medo.

Quando o vejo assim “pra baixo”, enquanto a realização de um dos meus maiores sonhos se realiza, posso escolher me entristecer, posso desistir de tudo, posso me irritar; ou posso escolher a felicidade, escolher não deixar esse momento tão incrível da minha vida passar em branco, escolher esperá-lo ‘lá em cima’... E é isso o que estou fazendo, só por hoje!

Eu o amo muito e quero vê-lo bem, mas sei que me deixar levar por seus conflitos não ajudaria em nada. Portanto, ele deve estar vigilante quanto à sua adicção, e eu devo ficar bem atenta quanto a minha codependência.

A paz continua reinando aqui em casa. Sei que esses momentos confusos também fazem parte da recuperação. E só por hoje opto por acreditar que continuará dando tudo certo!

Nunca mais falei do nosso bebezinho, não é mesmo? Ele está lindo! Está com 10,200 Kg aos 4 meses e meio, só com o leite da mamãe! Muito fofo e tranquilinho. Os dentinhos que estão chegando o estão deixando meio irritadinho, mas ele goza de muita saúde, graças a Deus!

Minha filha mais velha está arrasando na ginástica rítmica, a cada dia mais linda! Mês que vem ela fará treze anos (Já?!!). E o do meio, de três anos, o “pimentinha”, a cada dia nos surpreende com suas gracinhas, e nos deixa exaustos com suas travessuras. Ontem ele trouxe um quebra-cabeça com uma foto sua vestindo a camisa do Vasco e deu de presente para o papai: “Esse presente é pra você. Sabia que hoje é dia dos papais?” Ele falou todo contente.

E assim vamos vivendo. Cercados de coisas boas. Mergulhados em bons momentos. E não esquecendo que o mais importante é o que está acontecendo AGORA.

Estou com a gravação de uma entrevista de divulgação do livro agendada para amanhã, que deve ir ao ar na segunda-feira. Depois informarei a vocês direitinho.

Para quem não sabe, 10% do que eu receber em direitos autorais com as vendas do livro serão doados, sendo 5% para a instituição onde meu esposo esteve internado, e 5% para o grupo de apoio aos familiares, aos quais serei grata sempre!

Ontem recebi um convite muito importante para ajudar no trabalho com os familiares de um instituto para dependentes químicos. Felicidade e realização é o que estou sentindo!

E é isso aí, eu não poderia deixar de vir aqui, onde tudo começou, para dividir com vocês minhas alegrias e temores.

“No caminho da recuperação do meu esposo, ou da minha, não é apenas o destino que importa. O importante mesmo é aproveitar o caminho. Aprender. Comemorar cada pequena conquista. Cada passo. Cada dia. Cada hora.” (Livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, pág. 121)

Amanhã contarei a vocês sobre a entrevista e postarei um tutorial de como obter o livro! Torçam por nós!

Abraços.
E muita serenidade!

5 comentários:

  1. Poly, que alegria acompanhar as suas conquistas e seu crescimento durante todo esse período. Você melhor do que ninguém sabe que precisa estar bem, ainda que ele não esteja. Sentir medo é normal afinal queremos sempre o melhor daquele a quem amamos.
    Seja feliz ainda que no caminho existam pedras que possam te fazer tropeçar.
    Beijos fiquem em paz! SPH!

    ResponderExcluir
  2. Poly, minha amiga... Como fico feliz em saber que está tudo bem como você e com a família!!!
    E mesmo seu marido estando passando por um período um pouco mais difícil na recuperação dele, o fato dele te falar abertamente sobre isso, é um ponto muito positivo, pois mostra que ele está verdadeiramente em recuperação neh!?!

    Hum... sobre a medicação, ele já voltou no psiquiatra dele?
    Talvez o psiquiatra mude a medicação e ajude um pouco...

    Parabéns pelo convite para ajudar com o grupo de familiares...
    Parabéns pela entrevista... pelo livro...
    E por todas essas conquistas, que são muito merecidas!


    Beijo grande minha amiga!!!
    Estou aqui torcendo por você!

    ResponderExcluir
  3. Poly, estou aqui orando por vocês, isso é só mais um teste, mais uma fase e irá passar, o milagre que eu tanto sonho em ver no anjo Gabriel, acontece diariamente em seu lar, com seu esposo e eu acredito no nosso PS, que ele tem guardado a saúde e a recuperação do seu amado dependente químico em recuperação!!!
    Estou ansiosa para ver a entrevista e esperando você inaugurar de vez a venda do livro para comprar o meu... rs
    Beijos minha amiga iluminada, a quem devo muito da minha recuperação.

    ResponderExcluir
  4. né fácil não...mais quem disse que viver é fácil né...rs..
    o importante ta ai..nas suas atitudes...em viver sua felicidade ao lado de quem se ama...

    parabéns...e xooo medo...que Deus vai fortalecer cada dia mais vcs...

    parabéns pelo livro...depois de eu terminar uma lista de 5 livros que tenho pra ler..rs...o seu será o próximo...rs...Sucesso pra ti

    ResponderExcluir
  5. Poly, me identifiquei demais contigo, sou uma codependente e não tinha ideia de quantas pessoas passam pelos mesmos problemas que eu, somente mudando o endereço, por isso lhe escrevo para relatar resumidamente minha historia.
    Conheci meu esposo, e o amei desde o primeiro dia, ele fumava maconha, mas eu pensava que isso era de nada, e que eu o ajudaria, passou muito tempo, ele se tornou usuario de coca, o mundo desabou, as brigas foram intensas, atingiu o relacionamento em todos os sentidos, sexo, confiança, cumplicidade... meu Deus... só o Senhor sabe tal sofrimento, no entanto, algo estranho acontecia quando ele estava cheirado, ele tinha tamanha desconfiança de mim, pensava que eu o traia, tinha casos, e isso na cabeça dele se tornava real, chegando ao ponto de revistar minhas coisas, cheirar minha genital, pular muro do meu trabalho, cuspir na minha face, revistar computador, celular etc. A ultima gota d agua, foi quando fomos para São Paulo fazer compras, a noite fomos assistir um jogo, ele levou tanta cocaína, e estava cheirado, daí fui no banheiro, ele então entrou me procurando, e quando terminei, as meninas do banheiro começaram a falar que tinha um tarado no banheiro, no entanto eu havia bebido uns goles a mais, saí do banheiro dando muitos tapas nele, não quis voltar para o hotel junto com ele, daí ele foi na frente, pegou mais droga, foi para uma casa de show, logo após cheguei no hotel, pedi a recpecionitar para ligar para ele para pagar o taxi, ele disse que estava chegando e nada... então conversei com o taxi, ele aceitou voltar no outro dia para receber, o esperei até as 04:00 da manha na recpção, pois ele havia levado a chave, pedi que me arrumasse um quarto de solteiro, e fui dormir, daí o inferno começou, ele chegou batendo na minha porta, quando abri, ele me deu um tapão no meu rosto, que cai na janela quebrando os vidros, ele perguntando cad~e o cara que vc tá, cade ele... daí eu saí do quarto, fui para o nosso quarto que estava hospedado, e vi tanta cocaina que ele estava usando, e bebendo, daí ele começou a me chamar de puta, e muito mais, me bateu, e voltamos de sp, ele cheirando e convicto que eu o traí... hoje ele está em recuperação,no na, já tem quase 50 dias, mas na cabeça dele, eu estava no quarto com outro homem, e isso afetou profundamente nosso relacionamento... ele colocou isso na cabeça dele, e pronto. minha testemunha saõ as pessoas que estavam na recepção no dia, mas ele diz que não quer saber, que tem certeza que o traí, eu estou sofrendo demais, tamanha tristeza, auto estima lá em baixo, eu não tenho palavras para colocar o sentimento que sinto... atualmente ele diz que vai esquecer o passado, vai me perdoar, passar por cima da minha traição..por dentro eu engulo isso, mas sofro,por eu sei que não o traí... imagina Poly, como nós mulheres atravessando por isso se sente.... se possivel me ajude como lidar, me d~e um sinal.... um forte abraço, Euuuu

    ResponderExcluir