quinta-feira, 30 de agosto de 2012

URGENTE e IMPORTANTE!


O PRAZO DE VOTAÇÃO SE ESGOTA NO DIA 31 DE AGOSTO - HOJE!


Caso vocês ainda não tenham votado, façam isso agora, pois estamos prestes a ser coniventes com a aprovação de um Projeto de Lei que colocará por terra todo o esforço que temos feito até aqui, para manter as pessoas que amamos longe das drogas.
Aprovar a produção e o porte de drogas para consumo próprio, não é, de maneira alguma, promover a redução do uso e o tráfico de drogas e sim promover o fácil acesso a estas práticas que bem sabemos tantas perdas acarreta.

Lembrem-se, quem não se compromete com o que pode fazer para evitar, se torna conivente com as consequências. VOTE CONTRA.

Não se faz experiência com VIDAS HUMANAS e é isto que este Projeto de Lei quer fazer.  As cobaias podem vir a ser nossos filhos, netos, esposo, namorado, esposa, namorada, pai, mãe......


É só ir ao lado direito da tela. Assinale CONTRA. Depois clique em “responder”.  Note que aparecerá um número o qual deverá ser digitado no quadrinho em branco para confirmar seu voto.

Estamos perdendo em larga escala, mas ainda podemos reverter esta situação.

Vote e repasse para o maior nº possível de contatos. Peça o voto CONTRA.

Fonte: UNIAD

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Tá difícil? Esse post é pra você!




Boa noite!

Neste fim de semana pude ler os blogs das companheiras, e senti a dor de muitas delas. Também via e-mail, facebook e comentários, percebi o desespero em forma de palavras. Essa dor e esse desespero me são muito familiares.

O medo de acreditar. A vontade de abandonar. O desejo de ficar. A decepção diante da falta de vontade do ser amado. A desilusão...

No livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, precisei de 261 páginas para relatar esse sofrimento durante o período de ativa do meu amado, ou mesmo em dias em que ele estava limpo, mas não em recuperação. E quando ouço os relatos de vocês, pareço viver tudo novamente.

Gostaria de deixar algumas mensagens para vocês refletirem:

“Se outras pessoas me escravizarem emocionalmente, significa que meus limites ainda não foram definidos.” (CEFE)

Meu marido é um adicto e sempre vai ser. Talvez ele nunca mais use drogas. Ou talvez volte a usá-las. Mas, independente disso, eu também tenho uma vida e é sobre essa vida que devem estar os meus sonhos e os meus desejos de conquista. (Amando um Dependente Químico – Dias de Dor)

“Somos responsáveis por nossas escolhas e comportamentos. Somos responsáveis por iniciar, continuar ou terminar relações. É possível amar sem deixar-se anular emocionalmente pelo objeto do nosso afeto; é possível amar alguém sem deixar de amar a nós mesmos...” (Melody Beattie)

“Quando atravessamos tempestades, nós perguntamos onde Deus está. Eu lhes direi onde Ele está. Ele está nos bastidores preparando um arco íris.” (Dr. Robert Schuler)

Queridas, estamos juntas! Essa tempestade vai passar, acreditem, e virá um lindo arco íris. Enquanto isso, aproveitem para dançar na chuva, o que acham?

Hoje estou realmente cansada, meus filhos me sugaram por inteiro, mas eu precisava vir aqui, dizer para vocês que alguém se importa, e que estamos juntas! Sejam fortes! Amem-se e cuidem-se!

Aqui em casa, graças a Deus, o arco íris ainda está no céu. Maridão limpo há 332 dias (10 meses e 28 dias). Hoje foi sua perícia médica no INSS e chegou a hora de voltar ao trabalho. Amanhã ele passará pelo médico do trabalho da empresa, e provavelmente retomará as suas atividades depois de amanhã. Bate uma pontinha de angústia no peito, um medinho, mas o que posso fazer além de entregar para Deus e acreditar que tudo continuará dando certo? É hora dele dar um passo a mais em sua recuperação...

Boa noite, queridas(os)!

ZZZZZZzzzzzzzzzzzzzzzz

sábado, 25 de agosto de 2012

Realização!




O décimo segundo passo diz que: “tendo tido um despertar espiritual, por meio dos Doze Passos, procuramos levar esta mensagem a outras pessoas e praticar estes princípios em todas as nossas atividades.”

Hoje, pela primeira vez, não usei o teclado ou uma tela de computador para levar a mensagem. Hoje, pude olhar nos olhos, pegar na mão, abraçar, sentir... Hoje fiz minha primeira palestra, mas prefiro chamar de partilha. Éramos umas quarenta pessoas, pais, mães, esposas, namoradas, irmãos, enfim, parentes e amigos de dependentes químicos. Todos compartilhamos da mesma dor, sobretudo todos compartilhamos da mesma esperança!

Se posso resumir o que estou sentindo em uma palavra, essa palavra é REALIZAÇÃO!

Ouvir, por exemplo, dentre tantos relatos, o de uma senhora de mais de cinquenta anos, mãe de um DQ dizendo em alto e bom som: "Eu vou VIVER!!!", nos emociona, alegra e fortalece, sem dúvida!

Obrigada, de coração a todos os presentes e ao Diretor do Instituto Fênix por me proporcionarem a vivência desse momento tão marcante na minha recuperação e na minha vida!

Para terminar, gostaria de compartilhar as palavras recebidas de uma mãe, de São Paulo, pelo site onde o livro está disponível para venda (Clube de Autores), que simplesmente renovaram as minhas forças:

“Olá Poly. Vasculhando na internet aqui no meu trabalho, me deparei com o seu blog e achei linda a sua demonstração de fé, amor e superação. Me identifiquei bastante com a doença chamada codependência, e tenho aprendido muito aqui. Vou continuar minha pesquisa, quero saber mais sobre mim e essa doença que nos consome. Tenho um filho dependente... Vou procurar seu livro aqui na livraria e quero ler... Queria que você soubesse que com certeza está ajudando muita gente. Saiba que Deus permitiu que você vivesse tudo isso (lógico que você fez suas escolhas na vida), porém pessoas como você deixam algo do aprendizado que colheu com as suas escolhas, coisas boas. Renove todos os dias as suas forças e saiba que nos momentos em que você estiver fraca, Jesus te fará forte. Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus...” (J.)

Hoje percebo que todas as coisas cooperam mesmo para o nosso bem...

Obrigada, Deus! E obrigada a todos os leitores pelas palavras de carinho e força, ou mesmo pela compreensão em silêncio, e principalmente pelas orações!

“Eu seguro a minha mão na sua e uno o meu coração ao seu para que juntos possamos fazer o que sozinha eu não consigo!”

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Nosso grito!


Nathalia Passarinho (repórter da TV Globo) e Polyanna, autora do blog e livro.


“Poly, eu chorei vendo a reportagem. Quero te dizer que você é muito especial para mim. Conheci seu blog em um momento em que estava decidida a terminar com meu marido, no mesmo dia em que tinha arrumado tudo para ir embora, enquanto ele estava na rua. Eu queria que ele chegasse e visse a casa vazia, mas depois que li seus posts, me derramei em lágrimas, mas desta vez, de alegria, porque percebi que ainda tinha muita força para lutar por ele, e que eu não era sozinha nessa luta. Mudei completamente...” (F.A.)

“Oi Poly, preciso te dar uma bronca: não consegui trabalhar a tarde inteira lendo o seu livro! Já estou na página 71!” (A.O.)

“Imagine uma mulher casada, dois filhos (um deles com menos de 3 anos), servidora pública, à beira do desespero com o vício de seu esposo, dependente químico. Imagine essa mulher engravidar do terceiro filho no meio desse turbilhão de problemas que a droga trás consigo. Imagine essa mulher encontrar forças e passar a escrever um blog - que a princípio seria uma forma de desabafo, mas que revelou-se meio de apoio a centenas de outras mulheres e famílias que vivem o mesmo problema, tendo hoje milhares de acesso. Imagine essa mulher lutar contra as adversidades para que sua família - incluindo o marido - seja feliz. Essa é a história de Polyana P. - Pseudônimo usado por essa amiga - e a história de seu blog e agora livro "Amando um Dependente Químico". Quer conhecer um pouco (na verdade muito) da vida e dos dramas vividos por quem tem ao seu lado um dependente? Quer afastar o preconceito e ver que essas pessoas têm filhos, mães, esposas? Quer entender que é possível continuar amando em meio à dor? Polyana P. não teve vergonha de expor sua vida e seu drama, vale muito a pena conhecer o blog e ler o livro (que não é fruto de nenhuma ação de marketing, pelo contrário, é produção independente e terá parte de sua venda revertida para instituições de apoio a dependentes e sua famílias). Essa história é uma lição de vida, real e comovente, sem qualquer clichê.” (N.F.)

“Acabei de ler o seu livro. A cabeça está a mil. Não sei nem como vou dormir hoje... Nunca agradeci a ninguém por isso, mas obrigada por me desestruturar, por me fazer lembrar de pesares profundos da minha alma, por me tirar certezas e me lançar dúvidas, por colocar meus pés no chão e minhas esperanças nas estrelas... Resumo tudo a um sincero obrigada! Quero compartilhar o que senti nestas 260 páginas e promover teu trabalho tão belo, sensível, esclarecedor e aplicável à realidade de quem ama um dependente químico... Foi muito emocionante ver a sua reportagem depois de ler o livro, parece que eu conhecia cada serzinho, os filhinhos desse pai, caminhando em frente e de mãos dadas! Desculpe-me pela emotividade, mas é culpa sua... Fique em paz pessoa linda e iluminada!” (A.O.)

Essas são algumas das muitas palavras recebidas ontem. Muita emoção! Muita gratidão a Deus e a vocês.

Realização é o que estou sentindo! Ver essa mensagem de uma vida leve e feliz (ainda que amando um dependente químico) sendo levada até aqueles que ainda sofrem, perdidos em meio à codependência, é simplesmente maravilhoso!

Naquela reportagem, mais que uma divulgação do blog ou do livro, e mais do que a história da minha vida, o que eu vi foi um grito de "estamos aqui!". Sofremos calados, lutamos, aguentamos preconceitos e alimentamos nossa fé mesmo quando nos sentimos sem forças, mas estamos aqui, atrás de cada dependente químico! 

Ontem à noite, levei uma senhora para conhecer o Nar-anon, e claro, aproveitei para matar a saudade daquela sala onde minha recuperação começou. Sorrisos, olhares, abraços, ternura, carinho... Saí renovada! Após a reunião, foi uma delícia a comemoração de todos diante do livro, e eu pude dizer o mais sincero MUITO OBRIGADA a quem me ensinou uma nova maneira de viver!

Enquanto eu estava na sala, meu esposo passeava com nosso filho (do meio) em um shopping próximo. Nosso papaizinho está limpo há 320 dias (10 meses e 16 dias)! E é maravilhoso vir aqui escrever, sabendo que neste momento ele está sob um cobertor quentinho, dormindo, sereno, limpo e em paz!

Quem deseja adquirir o livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, clique aqui.

Um forte abraço!
Estamos juntos!

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Reportagem do Bom dia DF!

Olá, queridos!

Vejam a reportagem exibida hoje no Bom Dia DF, da rede Globo, sobre o blog e o livro Amando um Dependente Químico. CLIQUE AQUI!

Forte abraço!
Poly


Foto da repórter Nathalia Passarinho na gravação da matéria sobre o livro.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Parabéns, Papai!



12 horas desta segunda-feira, 13 de agosto de 2012.

Só por hoje o papai aqui de casa está limpo e em recuperação há 318 dias (10 meses e 14 dias)!

Tivemos um dia dos pais diferente. Logo pela manhã ele foi para a reunião dos Narcóticos Anônimos. E a tarde, passamos em gravação de uma matéria sobre a dependência química, os familiares, o Blog e o livro, para o Bom dia DF e o DFTV. Deveria ter ido ao ar hoje, mas acredito que tenha ficado para amanhã ou para a noite.

Deixei meu esposo bem à vontade quanto a ficar ou não durante a gravação, e ele optou por ficar e por colaborar. Entretanto, em um determinado momento, receoso de que a moça que veio para cuidar das crianças estivesse ouvindo os seus relatos, ele não quis continuar.

Compreendo a sua reação, afinal existe mesmo muito preconceito. E ele é uma pessoa extremamente preocupada com a imagem, com o que os outros pensam ou falam a seu respeito. Entendo, mas acho que ele deveria esquecer um pouco dos outros, o que vale mesmo é o que ele é e ponto.

Mas, falando da matéria, penso que será de grande valia a muitos familiares que sofrem sem saber do seu próprio problema. Estou aqui na expectativa!

À noite, comemos uma pizza, os cinco juntos. Momento em família para dizer um “parabéns, papai”! Parabéns, pela força e por conquistar sua liberdade dia após dia. Parabéns por ser um pai carinhoso e presente. Parabéns pelo amor incondicional aos filhos. Certamente nossos pequenos te consideram um herói! E eu também, amor! Muito obrigada por ter me dado os filhos mais lindos desse mundo! Estamos todos orgulhosos de você!

“Amor é aceitação e compreensão. Eu amo o meu esposo, o escolhi e quero envelhecer ao seu lado. Mas, ele tem uma peculiaridade: é um dependente químico. Ele terá que lutar pelo resto de sua vida contra o desejo de sentir mais uma vez o prazer proporcionado pela droga. E isso, para ele, é muito difícil. Ainda assim eu o amo? Sim!” (Livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor)

Para adquirir o seu exemplar do livro, clique aqui, e acesse a página do Clube de Autores.

Abraços. E muita serenidade!

domingo, 12 de agosto de 2012

Quero o meu livro!



Para adquirir o seu livro Amando um Dependente Químico - Dias de Dor, clique aqui, e acesse o site do Clube de Autores.

Para acessar a nossa página no Facebook, clique aqui.

E para entrar em contato, envie um e-mail para polyp.escritos@gmail.com ou deixe um comentário aqui no Blog.

Abraços!
Polyanna






sábado, 11 de agosto de 2012

Luz vermelha acesa!


Bom dia!

09h46min deste sabadão, 11 de agosto de 2012.

Maridão limpo há 316 dias (10 meses e 12 dias). E o mais importante é que só por hoje ele está em recuperação, e eu também!

Estamos aqui na torcida pelo Brasil nas olimpíadas!

Como vocês sabem, estou vivendo dias de ansiedade e muito felizes, na expectativa do lançamento do livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor. Entretanto, se engana quem pensa que a adicção dorme enquanto coisas boas acontecem.

Como meu esposo costuma dizer: “a luz vermelha acendeu”. Há alguns dias ele não está tão bem. Um pouco apático, um pouco irritado. Hoje temos liberdade para conversar, então já dialogamos sobre isso, e ele confirmou que algo não está bem dentro dele. O Psiquiatra aumentou a dose de sua medicação, e desde então, ele mudou para pior. Confesso que estou com medo.

Quando o vejo assim “pra baixo”, enquanto a realização de um dos meus maiores sonhos se realiza, posso escolher me entristecer, posso desistir de tudo, posso me irritar; ou posso escolher a felicidade, escolher não deixar esse momento tão incrível da minha vida passar em branco, escolher esperá-lo ‘lá em cima’... E é isso o que estou fazendo, só por hoje!

Eu o amo muito e quero vê-lo bem, mas sei que me deixar levar por seus conflitos não ajudaria em nada. Portanto, ele deve estar vigilante quanto à sua adicção, e eu devo ficar bem atenta quanto a minha codependência.

A paz continua reinando aqui em casa. Sei que esses momentos confusos também fazem parte da recuperação. E só por hoje opto por acreditar que continuará dando tudo certo!

Nunca mais falei do nosso bebezinho, não é mesmo? Ele está lindo! Está com 10,200 Kg aos 4 meses e meio, só com o leite da mamãe! Muito fofo e tranquilinho. Os dentinhos que estão chegando o estão deixando meio irritadinho, mas ele goza de muita saúde, graças a Deus!

Minha filha mais velha está arrasando na ginástica rítmica, a cada dia mais linda! Mês que vem ela fará treze anos (Já?!!). E o do meio, de três anos, o “pimentinha”, a cada dia nos surpreende com suas gracinhas, e nos deixa exaustos com suas travessuras. Ontem ele trouxe um quebra-cabeça com uma foto sua vestindo a camisa do Vasco e deu de presente para o papai: “Esse presente é pra você. Sabia que hoje é dia dos papais?” Ele falou todo contente.

E assim vamos vivendo. Cercados de coisas boas. Mergulhados em bons momentos. E não esquecendo que o mais importante é o que está acontecendo AGORA.

Estou com a gravação de uma entrevista de divulgação do livro agendada para amanhã, que deve ir ao ar na segunda-feira. Depois informarei a vocês direitinho.

Para quem não sabe, 10% do que eu receber em direitos autorais com as vendas do livro serão doados, sendo 5% para a instituição onde meu esposo esteve internado, e 5% para o grupo de apoio aos familiares, aos quais serei grata sempre!

Ontem recebi um convite muito importante para ajudar no trabalho com os familiares de um instituto para dependentes químicos. Felicidade e realização é o que estou sentindo!

E é isso aí, eu não poderia deixar de vir aqui, onde tudo começou, para dividir com vocês minhas alegrias e temores.

“No caminho da recuperação do meu esposo, ou da minha, não é apenas o destino que importa. O importante mesmo é aproveitar o caminho. Aprender. Comemorar cada pequena conquista. Cada passo. Cada dia. Cada hora.” (Livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, pág. 121)

Amanhã contarei a vocês sobre a entrevista e postarei um tutorial de como obter o livro! Torçam por nós!

Abraços.
E muita serenidade!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Lançamento do Livro ADQ - Dias de Dor!

Dia 13 de agosto de 2012!!!


Lançamento do livro Amando um Dependente Químico - Dias de Dor!

É possível amar sem se perder!

É preciso entender que amar e sofrer não são sinônimos!

Relatos de uma esposa e filha de dependentes químicos, de quem descobriu uma nova maneira de viver e o verdadeiro sentido da palavra AMOR!


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

ADQ - Dias de Dor!

Saudações, companheiros! Boa noite!

Noite de céu estrelado em Brasília, e uma bela lua cheia!

Chegamos agora a pouco de uma apresentação de Ginástica Rítmica da minha filha, e todos já dormem. Aproveitei para vir aqui, estava com saudades!

Embora não esteja postando com tanta frequência, ou até mesmo deixando comentários em outros blogues, sempre passo por aqui, acompanho a história de cada um, na medida do possível, e o mais importante, oro a Deus por vocês, que me parecem tão próximas.

Algumas demonstram o turbilhão de sentimentos e pensamentos confusos, que explodem em forma de postagens. Algumas estão com seus maridos na ativa, sentindo aquela dor sufocante. Outras estão com seus amados internados, em busca de tratamento. Umas estão certas de seu amor, outras têm duvida e pensam em desistir. Outras sofrem por seus filhos pequenos em meio a essa confusão da adicção. E poucas relatam que seus amados estão limpos e em recuperação, infelizmente. São tantas histórias, e eu me vejo em cada uma delas. Somos tão iguais...

Hoje faz dez meses que meu esposo está limpo, graças a Deus. São 305 dias! Confesso que pareço estar sonhando.

A confiança, o diálogo, a paz, a compreensão, o companheirismo, a cumplicidade são itens que foram sendo reconstruídos, pouco a pouco, entre nós dois. E hoje posso dizer que não existem mais tantas marcas do seu tempo de ativa.

Ele vai quase que diariamente às reuniões de Narcóticos Anônimos. Está se tratando com Psiquiatra, inclusive toma medicações diárias por ele receitadas, além da terapia com Psicólogo. O segredo é que ele QUER se recuperar, e por isso tem dado tudo certo. Ele engordou 14 quilos nesse período e está com uma aparência muito boa!

E trago uma novidade! O meu sumiço neste último mês deu-se por minha dedicação ao livro, que já está pronto! Serão 252 páginas! Este primeiro, cujo título é Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, falará sobre o período de ativa do meu esposo, ou seja, do meu comportamento e aprendizado nesses dias de dor. E o segundo, que virá em seguida, terá o título Amando um Dependente Químico – Dias de Recuperação! Assim que estiver disponível, informarei a vocês.

Ao trabalhar nesse livro, e relembrar tantas situações vividas em tempos de crise do meu esposo, só pude agradecer a Deus, pelos dias que estamos vivendo hoje.

Eu poderia citar vários exemplos, mas deixarei apenas este, de quando ele recaiu após 20 dias limpo: “meu esposo chegou por volta das 02h30min da madrugada. Dormiu no sofá. Hoje ele não foi trabalhar. Pediu que eu trancasse a porta e os portões. E embora ele tenha me prometido, olhando em meus olhos que não usaria drogas hoje, sei que nada disso é garantia de que ele se manterá limpo nas próximas horas. Tudo isso é tão triste e exaustivo. Chega a ser desesperador. Conversamos sobre a possibilidade de uma separação ou de uma nova internação, mas, isso é assunto para depois, quando ele estiver lúcido e eu serena. Em dias assim, ainda que eu tente fazer um movimento contrário aos meus sentimentos e pensamentos, é muito difícil conter as lágrimas e a desilusão. Entretanto eu sei que é preciso erguer a cabeça e continuar.” (livro Amando um Dependente Químico – Dias de Dor, pág. 239) 

Sou muito grata a Deus por, só por hoje, tudo estar tão diferente em minha casa. Só por hoje, estamos tendo um final feliz!

Mas, mantemos os pés no chão. Sabemos que a adicção é muito sorrateira e traiçoeira. Esses dias meu esposo me disse: “Amor, hoje acordei às 8 horas, mas, minha doença já havia se levantado às 6 horas, já havia escovado os dentes, malhado, e estava sentadinha na cama esperando eu despertar...” Ontem mesmo ele me disse: “Hoje não estou legal, minha luz vermelha acendeu.” Mas, com as idas ao grupo ele tem conseguido forças, dia a dia.

Quanto a mim, tenho conseguido manter o foco onde ele deve estar: na minha própria vida e na minha própria recuperação. Aliás, independente do nosso amado estar limpo ou não, em recuperação ou não, esse foco nunca deveria sair dessa posição: virado para nós mesmas!

Força, fé e alegria, queridas(os)!
Estamos juntos!