domingo, 27 de maio de 2012

Carta de um D.Q. em Recuperação!

Bom dia, companheiros!

Agora são 11h25min deste 27 de maio de 2012.

Domingão bonito! Dia bom para passear com a família, e é isso que pretendemos fazer logo mais.

Meu esposo segue limpo há 239 dias, ou seja, 7 meses e 26 dias! Sou muito grata a Deus por isso!

E o mais importante é que, só por hoje, ele está aqui, em casa, sereno, sóbrio, brincando com nossos pequenos, feliz, e realmente VIVO!

Recebi um e-mail da R.R., no dia 24, que postei como comentário no post De Repente 34, cujo finalzinho trazia um pedido: “Poly, escrevendo esse email veio uma idéia na minha cabeça, será que seu marido toparia escrever uma carta pro meu que está internado, talvez explicando como ele encontrou o caminho da recuperação?”

Falei com meu esposo, e hoje logo cedo ele se colocou a escrever.

Segue, abaixo, a carta na íntegra.


"Sou um adicto, meu nome é A., vivo, e limpo Só Por Hoje graças a DEUS, à minha Boa Vontade e à Programação Diária de Narcóticos Anônimos que me devolveu à vida e me mostrou que é possível encontrar uma nova maneira de viver sem drogas, e que a vida sem elas é muito, mas muito melhor do que eu jamais imaginava.

Primeiramente gostaria de agradecer a oportunidade de estar nesse momento levando essa mensagem de Força, Fé e Esperança para você! E poder partilhar o que deu certo e vem dando certo (o que é mais importante) nessa minha nova maneira de viver e apreciar a vida sem usar nada!!!

Tenho hoje 36 anos, venho de uma família estruturada e tive um lar organizado nos padrões “normais” da nossa Sociedade. Até meus 18 anos tive uma adolescência normal aos olhos dos meus pais, o que não era real, já que hoje tenho a plena certeza que a DOENÇA da adicção já estava em mim instalada mesmo antes da minha primeira dose! Eu era um turbilhão interno, um vulcão... Uma bomba relógio. Em razão de vários problemas na minha infância (que mantive e mantenho em segredo até hoje dos meus pais), me sentia esquisito, e como costumo falar, um E.T. vivendo nesse Planeta. Minha dificuldade de me relacionar com as pessoas, meu padrão isolado e até mesmo melancólico e depressivo, fazia com que eu quisesse ser qualquer um, menos eu mesmo. Com uma autoestima assim tão baixa, me aproximei de “amigos” que usavam álcool e outras drogas pra me sentir parte de alguma coisa, e também por acreditar na minha onipotência que aquela substância não iria afetar minha vida, ou seja, eu iria controlar.

Outra coisa é que, assim como foi comigo, não conheço até hoje nenhum adicto que tenha tomado sua primeira dose com um inimigo... Sempre foi com aquele(s) que se dizem amigo(s).

 Não comecei também consumindo grandes quantidades... Veja bem, essa é uma doença PROGRESSIVA! No começo era só nos finais de semana, depois duas vezes por semana, até que a vontade de usar não saía da minha cabeça.

Tive que passar à beira da morte diversas vezes nesses dezoito anos de adicção ativa, entre idas e vindas, e períodos de abstinência. Perdi muitas coisas, mas o que de mim mais foi tirado foi minha dignidade, autorrespeito e os valores que eu acreditava. Usava para reprimir sentimentos e por não saber quem eu era de verdade. Usava porque vivia em auto-rejeição e no Triângulo da Auto-Obsessão (ressentimento – raiva – medo), Ressentimento do Passado, Raiva do Presente e Medo do Futuro... Verdadeiros VENENOS para um Adicto.

Eu posso dizer que tentei de tudo para sair das drogas (até porque eu pensava que meu problema era só as drogas). Tentei Psicologia, Psiquiatria, mudança de religião, mudança de relacionamento, fuga geográfica (fui parar do outro lado das Américas), e nada funcionou.

Um trecho da nossa Terceira Tradição é bem clara quando cita: ”Um Adicto que não queira parar de usar não vai parar de usar.Pode ser analisado,  aconselhado, persuadido, pode se rezar por ele, pode ser ameaçado, surrado ou trancado, mas não irá parar até que queira parar“ (texto básico, pg. 70). A chave é o desejo!

Vou aqui citar algumas coisas que me apontaram para um despertar espiritual. Uma foi quando li nos primeiros dias da minha internação algo que me deu uma fagulha de esperança: ”A doença da Adicção não é uma condição sem esperança, a Recuperação é possível!” Outra foi na partilha de um companheiro que disse: “Você pode ser quem você quiser ser, inclusive uma pessoa melhor e um membro produtivo da sociedade... Basta querer”. E outra, que essa doença me atinge de forma física,mental e espiritual e que A DOENÇA DA ADICÇAO É UM PODER MAIOR DO QUE EU!!!

Eu tive que sofrer a dor da retirada da droga, contemplar o meu momento de luto, todas as minhas revoltas e frustrações, e decidir “EU DECIDI” me render. Esse programa simples, espiritual e não religioso, onde tudo é sugerido (até porque se tivessem me forçado a alguma coisa, eu não teria voltado!), e que as coisas são meio ao contrário mesmo, onde só se segue se continuar voltando, onde vi que quando se chega no “fundo” é que se olha para cima, e só se vence um dia de cada vez quando se rende!!!

Trabalhei os passos até o quinto dentro da instituição, terminei meu tratamento e saí pela porta da frente, tenho hoje livre acesso a Instituição o que me dá uma segurança nos dias que não me sinto muito bem (se você que me lê é um adicto, sabe bem do que falo quando acordamos pela manhã e desde então já vemos tudo cinza e dizemos pra nós mesmos: Hoje o dia não está legal!).

Hoje vou às Reuniões quase todos os dias, sou servidor da Irmandade de Narcóticos Anônimos e também membro de Alcoólicos Anônimos. Hoje posso dizer duas coisas a você: A vida é inigualavelmente melhor sem usar nada e vivendo recuperação, e é possível deixar as drogas e encontrar uma nova maneira de viver.

Peço a DEUS que ilumine sua vida hoje. Estarei aqui através da nossa Oração da Serenidade, rogando que a dádiva da Recuperação seja algo concreto na sua vida hoje!

Lembre-se: A CHAVE É O QUERER!!!!

Só Por Hoje, continue voltando... FUNCIONA!"


terça-feira, 22 de maio de 2012

De repente, 34!


Engraçado, acordei hoje com o mesmo jeito de menina, mas, o fato é que cheguei aos 34!

Ainda ontem eu era aquela garotinha tímida e magrela, cheia de sonhos escondidos. Eu sonhava em me casar aos 22, ter três filhas e ser bancária. Desejava conhecer a Itália.

Venci a timidez, adoraria ainda ser magrela, me casei aos 19 e aos 28, tive uma filha e dois filhos, fui bancária, mas não gostei, mudei de profissão. Não fui à Itália, mas, morei nos Estados Unidos.

Aquela garotinha tinha tantas carências e receios...

Aquela garotinha cresceu!... Será?

Estudando sobre a codependência pude me entender e me aceitar. Sei que muitas das minhas inseguranças e escolhas estão aqui por minha história de vida. Hoje não me apedrejo mais por elas.

Às vezes, essa menininha ainda chora aqui dentro. Ela gosta de atenção. De ter o controle das coisas. De ser amada e paparicada por todos. De ser reconhecida. Ela imagina que poderá curar um dependente químico com o seu amor (na infância meu pai, e hoje meu esposo).

Tudo o que ela mais anseia na vida é ser querida...

Mas, reconheço que aos 34 eu já não me importo tanto com isso. Aos poucos fui aprendendo a olhar eu mesma para mim. A querer-me. A não continuar a esperar o cuidado de terceiros, quando eu mesma posso cuidar-me.

Entretanto, quando essa garotinha chora, eu a ouço, a entendo, e tenho paciência com ela. Aprendi a amá-la.

Hoje, eu continuo sonhando e fazendo planos, mas, também aprendi a viver no SÓ POR HOJE.

Aos 34, me vejo apaixonada pela vida. Não perco tempo com o que passou, nem com medos do que poderá vir.

Nessa idade, percebo mais coragem em mim. Mais estabilidade. Menos preocupação com o que vão pensar. Mais empenho. Mais vontade em tudo o que realizo.

Só por hoje, estou realmente aprendendo o que é ser feliz.

Só por hoje, só agora, afinal, em breve eu olharei para trás e me lembrarei de quando eu era apenas uma menina de 34!

“Aos 30, quando ousa, no que quer que seja, a mulher costuma acertar em cheio. No jogo com os homens já aprendeu a atuar no contra - ataque. Quando dá o bote é para liquidar a fatura. Ela sabe dominar seu parceiro sem que ele se sinta dominado. Mostra a sua força na hora certa e de forma sutil. Não para exibir poder, mas para resolver tudo ao seu favor antes de chegar ao ponto de precisar exibi-lo. Consegue o que pretende sem confrontos inúteis. Sabiamente, goza das prerrogativas da condição feminina sem engolir sapos supostamente decorrentes do fato de ser mulher...
Tome a mesma moça aos 20 e aos 30 anos. No segundo momento ela será umas sete ou oito vezes mais interessante, sedutora e irresistível do que no primeiro...” (Honoré de Balzac)

sábado, 19 de maio de 2012

3º Sorteio!


Bom dia, meus queridos!

Agora são 03 horas da madrugada deste sábado, 19/05/2012. Ufaaa, só agora tive como vir aqui postar sobre o nosso sorteio! Mas, tá valendo! Vamos lá?

Conforme dito na postagem 365 dias, será realizado o nosso terceiro sorteio para comemorarmos o primeiro ano deste blog!

Para participar:

Envie um comentário para este post 3º Sorteio, relatando uma frase ou postagem do blog com a qual você mais tenha se identificado, ou mais tenha te ajudado ou emocionado, e por que. Atenção: para participar não valem comentários em outros posts.

Cada participante poderá enviar, no máximo, 03 (três) comentários. Quanto mais comentários enviar, mais chance terá de ganhar.

Se o seu comentário for enviado como “anônimo” você deve incluir seu nome ou pseudônimo a fim de identificá-lo no sorteio. Não terão validade os comentários não identificados.

O sorteio será realizado no dia 18 de junho de 2012, pela manhã. O seu resultado será divulgado até às 23:59 horas do mesmo dia da realização.

Serão sorteados três nomes, o primeiro ganhador poderá escolher entre os três prêmios abaixo citados, o segundo ganhador escolherá entre os dois prêmios restantes, e o terceiro ganhador ficará com o prêmio não escolhido.

Vamos aos prêmios?

- Assinatura anual da revista Anônimos, da editora Libélula.

- Livro Compartilhando Experiência, Força e Esperança (CEFE).

- Livro Co-dependência Nunca Mais, da Melody Beattie.

Falando um pouquinho sobre os livros e a revista, vocês entenderão o porquê da minha escolha.


A revista Anônimos (http://www.revistaanonimos.com.br/) é uma revista que “usa a informação como ferramenta no auxílio à recuperação do dependente químico e de seu familiar, também afetado pela situação. Ela é destinada a todo o familiar, parente ou amigo, envolvido emocionalmente com um dependente químico, que busca as respostas para o problema. É também para o profissional de saúde e o educador que busca aprimorar os seus conhecimentos para aplicá-los em seu dia-a-dia, oferecendo possibilidades de prevenção e recuperação para seus alunos e pacientes. Por fim, também é para todo indivíduo, profissional ou não, interessado em mergulhar em um tema de relevância inquestionável na sociedade brasileira.”

Aproveito para agradecer à editora da revista que fez questão de presentear um dos sorteados com a assinatura! Essa revista é maravilhosa! Ensina muito e nos faz ver a dependência química por vários pontos de vista, pois é composta de relatos de profissionais e de pessoas envolvidas no problema. Na edição de março foi publicado um artigo meu: Você pode sim escolher


O livro Compartilhando Experiência, Força e Esperança – CEFE, foi o meu primeiro contato com a recuperação, por isso tenho um carinho muito especial por ele. Ele sugere leituras diárias de experiências de membros do Nar-Anon que compartilharam seus aprendizados. Esse livro tem o objetivo de levar a mensagem de recuperação àqueles que sofrem os efeitos da dependência química (adicção) de outras pessoas. Ele simplesmente mudou a minha vida!


E, por fim, o livro Co-dependência Nunca Mais, que me auxilia até hoje em minha recuperação. “As pessoas que convivem com dependentes de drogas ou álcool são, em geral, as mais suscetíveis a sofrer crises de estresse e distúrbios nervosos, na luta diária para livrar amigos e parentes da dependência química. Esse livro vai ajudá-lo a perceber a sua mais importante e, possivelmente, mais negligenciada responsabilidade: cuidar de si.”

Difícil escolher, né?

Os nomes dos ganhadores serão divulgados no Blog e os mesmos deverão encaminhar o título do livro ou da revista escolhido e o seu endereço completo para o e-mail polyp.escritos@gmail.com, após a divulgação do resultado.

O livro será enviado, via correio, por correspondência registrada. E a assinatura será providenciada junto à editora da revista.

Se a pessoa sorteada desejar, ela poderá repassar o prêmio a algum outro participante a quem ela queira presentear.

Participem! Esse Blog é de todos nós!


OBS: Alguns leitores não conseguem postar comentários no blog, então poderão enviar-me via e-mail, com o assunto Terceiro Sorteio, e eu postarei aqui, ok?

Feliz final de semana!!!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

365 dias!!!

Um ano se passou...

Há exatamente um ano atrás eu sentia uma dor tão grande em meu peito. Depois de onze meses limpo, meu esposo havia recaído, e dois meses de ativa estavam realmente nos consumindo. Ele tentava, mas, não conseguia ficar limpo novamente.

Há tempos eu pensava em criar um blog para tratar desse assunto: o amor por um dependente químico, mas, eu sabia que não seria fácil escrevê-lo, então, sempre adiava.

Mas, naquele dia 18/05/2011, percebi que havia chegado a hora. Talvez ninguém leria o que eu estava a narrar, mas, era a forma que eu havia encontrado de encarar meus sentimentos, de encarar os acontecimentos ao lado do meu esposo, e de colocar na balança com tudo o que eu havia aprendido nos grupos de apoio, livros e terapias...

Logo encontrei a Giulli do blog Valeu a Pena, a Cicie do blog Procura-se, e o Jorge Alberto, do Blog Só por Hoje. Salvo engano, esses foram os meus primeiros parceiros. 

Com o passar dos dias, fui percebendo que os acessos ao blog não eram apenas os meus. E começaram a vir os comentários, os e-mails, as palavras de quem passava pelo mesmo que eu, de quem sentia o mesmo que eu... É, eu não mais estaria sozinha.

Foram 240 postagens.

Por cinco meses descrevi os conflitos que eu sentia ao ver o meu esposo sofrendo, na ativa. Veio uma gravidez inesperada... Meu marido foi internado. Tanta coisa aconteceu em tão pouco tempo, não é mesmo? É, a vida não para...

Os últimos sete meses foram de recuperação. 

Ele voltou para casa... Nosso filho nasceu... E as marcas das dores vividas na época do “tsunami” chamado drogas vão a cada dia ficando mais suaves, e vão caindo no esquecimento, dando lugar aos sonhos e às alegrias diárias...

Sobretudo, durante este um ano, eu falei sobre mim. Sim, sobre a minha doença (codependência); sobre como eu poderia ser feliz, ainda que meu esposo escolhesse a droga; sobre como eu deveria me amar e amar aos outros; sobre a minha própria recuperação... sobre uma vida livre!

E assim originou-se o blog Amando um Dependente Químico.

Quase 60.000 acessos!!! 

Os dez países com mais acessos são Brasil (54.050), Estados Unidos (2.427), Alemanha (936), Holanda (464), Suécia (381), Portugal (242), Rússia (167), Japão (115), Letônia (37) e Reino Unido (34).

Por que tantos acessos? Porque é muito maior do que imaginamos a quantidade de pessoas que sofre com a dependência química, seja como adicto ou como codependente.

E veio a interação. Foram muitos comentários de carinho e de força, e outros de pedido de ajuda. No total, 1.646 comentários. Não consegui responder a todos, mas, li a todos, por vezes orei por alguns, e outros gravei no coração. 

Por aqui recebi até convite para passar férias na casa de uma leitora no Rio de Janeiro. Uma outra leitora quer mandar um presentinho para o nosso bebê. Não, não são simples leitoras. São companheiras! Hoje tenho verdadeiros amigos que aqui conheci.

Quando eu me senti fraca e desanimada, me apoiei nas palavras de vocês, e valeu a pena!

Não tenho e nunca terei uma forma de agradecer!

Hoje, um ano depois, minha vida está diferente. Eu estou diferente. Meu esposo está diferente. E um dos pensamentos que sempre segue comigo é “nada muda se você não mudar”.

Não tenho grandes expectativas em relação ao meu amado, mas, apenas gratidão a Deus por esses 230 dias (7 meses e 17 dias) limpo!

Estou feliz. Sim, estou muito feliz!

Além de tudo, Deus me presenteou com um lindo bebezinho que amanhã fará dois meses. Tenho tanto a agradecer a Deus, e quase nada a pedir...

Hoje são tantos blogs, tantos relatos de quem ama um dependente químico, tanta ajuda para quem necessita. Eu sofri muito por desconhecer o que era a codependência, por não entender que eu também precisava de ajuda, mas, hoje a informação está muito mais propagada, e saber que de alguma forma eu participei disso, me deixa realizada.

Acho que essa é a minha missão. Quero continuar. Com o livro. Com um projeto junto ao CONEN e SEJUS. Nos grupos de apoio. Nas comunidades... Quero passar adiante o aprendizado que mudou a minha vida!

No dia 03 deste mês, recebi um comentário de uma companheira da qual me recordo desde os primeiros dias do Blog, a Bárbara. Ela foi premiada com o livro CEFE no sorteio de aniversário de um mês do Blog, e me emocionou com suas palavras:

“Poly, feliz por vocês!!! Só por hoje e para sempre!!! Realmente é muito bom viver uma vida normal e na paz.Todos nós precisamos e merecemos.Rumo há 1 ano de blog.Cheguei aqui bem no comecinho, procurando um alívio para meu sofrimento.Estava no meio de uma crise séria com meu adicto. Li partilhas incríveis aqui,verdadeiros bálsamos para minhas feridas da alma. Participei do primeiro concurso e ganhei. Mais uma evidência de que Deus está no controle. Sempre penso que Deus usou você para me mandar aquele livro. Imaginei Deus guiando sua mão,sorteando meu nome. Pois ele sabia que eu estava precisando de uma direção naquele momento triste. Recebi o livro em casa e toda vez que pego nele, volto a ver a cena toda na minha memória, Deus usando as mãos da Poly para me mandar uma tábua de salvação. E eu me agarrei nela. Busquei ajuda profissional, conheci os grupos, comecei a me olhar. Hoje muita coisa mudou, mas o preço da liberdade é a eterna vigilância. Muita paz e luz para nós.Teremos sorteio de 1 ano? Quem sabe eu não ganho novamente... Risos. É muito bom pegar meu livro e saber que é o meu milagre vivo. Um presente exclusivo que Deus mandou pra mim, pra minha casa, com meu nome... é sensacional!!! Obrigada por ser veículo de Deus na minha vida. Oro com todas as minhas forças por vocês. Sempre!!! Beijokas minha irmã em cristo!!! Bárbara”

Lindo demais isso!

Chegou a hora do nosso terceiro sorteio. O sorteio de um ano! Ahhh, como eu gostaria de enviar um presente pra cada um... Mas, como não posso, vamos ao sorteio?

Acesse a postagem Terceiro Sorteio, e veja como participar! Até o final do dia, postarei.

Muito obrigada por esse um ano juntos!


“Eu seguro a minha mão na sua e uno o meu coração ao seu, para que juntos possamos fazer aquilo que sozinha eu não consigo...” Amo vocês!