sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Notícias Rápidas!



Meus queridos, estou passando apenas para avisar que está tudo bem. O bebê ainda não nasceu, mas, estamos na reta final. Faltam mais ou menos duas semanas para o parto.

Tenho muitas notícias para postar, espero que dê tempo.

Estou na correria dos preparativos e sentindo dores, portanto, desculpem-me pela ausência prolongada.

No mais, tudo em paz... Eu na minha recuperação e o maridão na dele!!!

Espero conseguir postar neste final de semana...

Grande beijo!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Amar é aceitar... Simples assim!


Amar, amar... Afinal o que é isso realmente?
Quando pensei em um título para este Blog, muito antes dele ser criado, o único que me veio à cabeça foi esse: Amando um dependente químico. Porque é esse sentimento, o amor, que me faz superar tantas coisas, e querer amar o homem da minha vida cada vez mais, apesar das adversidades.
  
Hoje, em uma reunião com a Psicóloga da Instituição onde meu esposo está internado, pude aprender um pouco mais sobre o amor.
  
“Amar é aceitar, e aceitar é compreender, compreender de verdade...” Foram algumas de suas palavras.
  
Confesso que, por muitas vezes, eu não aceitei o meu esposo, e também não o compreendi. Eu o insultei e magoei com palavras e gestos, quando a dor que ele sentia já era a maior penitência que alguém poderia pagar.
  
Eu não o entendi. O deixei só.
  
Isso porque eu também tinha a minha própria dor e razões, às quais ele também não entendia.
  
Eu queria mudá-lo. Transformá-lo em outra pessoa. Será que isso é amor?  
  
Amor é aceitação e compreensão. Eu amo o meu esposo, eu o escolhi e quero envelhecer ao seu lado. Mas, ele tem uma peculiaridade: ele é um dependente químico. Ele terá que lutar pelo resto de sua vida contra o desejo de sentir mais uma vez o prazer proporcionado pela droga. E isso, para ele, é muito difícil.
  
Ainda assim eu o amo? Sim.
  
Talvez o seu esposo, ou pai, ou irmão, ou amigo, não seja um dependente químico, mas, ele também tem suas peculiaridades, não é mesmo? E se você de fato o ama, o aceitará como ele é.
  
Tenho recebido muitos e-mails e comentários, cujo final geralmente é a mesma pergunta: “Poly, o que eu faço?”
  
Queridas, a resposta é simples.
  
Quer ficar com o amor da sua vida? Mesmo sabendo que ele é um dependente químico? Então o aceite como ele é. E o compreenda. E o ame. Quando você compreender o que ele vive, mais facilmente o aceitará.
  
Mas, se pra você a dependência química dele é inaceitável, então o deixe. Vá viver sua vida. Seja feliz. Vire essa página. Ou então, os dois estarão condenados à desarmonia e à infelicidade.
  
“Ah, eu o amo, mas, queria que ele fosse diferente...” Então é sinal de que você não o ama. Você ama alguém imaginário, e não esse homem real, e dependente químico que está ao seu lado.
  
Quando falamos em amor, estamos falando em doação, compreensão, aceitação... Se você ama alguém saudável, talvez seja mais fácil, mas, se o ser amado é alguém portador de um câncer, ou de uma deficiência física, ou da dependência química, isso vai requerer mais de você, é fato.
  
É o que quer para a sua vida? Siga em frente. E seja feliz com isso. Tente olhar para tantas coisas maravilhosas que te cercam, e não focar na dor. Foque no amor. No amor a Deus. No amor por si mesmo. No amor ao próximo. E, com certeza, tudo ficará bem.
  
Mas, se não é o que você quer, não sinta vergonha. Tens o direito de escolher. E inclusive de escolher ir, percorrer outro caminho, escrever outra história. Afinal, estamos falando da sua vida, e não de um roteiro de novela.
  
Não estou ao lado do meu esposo porque sou uma super heroína, cheia de super poderes, força e coragem. Não! Estou ao lado do meu esposo porque o amo, e sei que ao seu lado sou mais feliz do que seria se o deixasse. Não quero deixá-lo. Sinto cumplicidade em nós dois. Me sinto amada e querida por ele. E por isso estou aqui.
  
Queridas, espero que compreendam o que tentei expor neste Post.
  
Bom, na próxima quarta-feira, irei ao médico para marcar o dia do parto. Orem por nós, ok? Estou na 35ª semana de gestação. Graças a Deus, está correndo tudo bem.
  
Hoje visitei meu esposo na instituição. Ele está bem. Continua fazendo o quarto passo do N.A., o que tem mexido muito com ele, mas, está se mantendo firme em sua recuperação.
  
Estou muito feliz, e cheia de esperança.
  
Já estão falando em sua volta para casa, afinal, ele virá quando o baby nascer. Mas, o tratamento continuará. E sei que vai dar certo! Já deu!
  
Hoje ele disse que me ama!
  
Hoje ele me convidou para juntos fazermos dança de salão! (Minha paixão!!!)
  
Hoje fizemos planos... Sonhamos... Sorrimos...
  
Hoje eu vi nos olhos dele muita ternura e sinceridade...
  
Só por hoje ele está há quatro meses e onze dias limpo! (Obrigada, Senhor!)
  
Bom, agora vou voltar para a caminha e tentar descansar, porque amanhã será dia de lavar e organizar as roupinhas do pequeno bebê que está quase chegando...
  
Beijos... E um domingo cheio de serenidade!
  
"Já que não tenho o dom de modificar uma pessoa, vou modificar aquilo que eu posso: O meu jeito de olhar para ela!" (Pe. Fábio de Melo)