sábado, 3 de dezembro de 2011

Olhando de cima!


03 de dezembro de 2011 (uau, o ano está acabando!), 00h52min deste sábado chuvoso.

Meu esposo está internado há sessenta e cinco dias.

Na próxima quarta-feira, farei a apresentação da Monografia da minha Pós-Graduação, em Goiânia. Falarei sobre motivação, quem quiser ir, está convidado... Rs.

Faltam mais ou menos quatorze semanas para a chegada do nosso bebê. Viram a foto do barrigão, acima? Estou redonda... Rs.

Ou seja, motivos eu tenho de sobra para andar com a ansiedade à flor da pele!

Por isso, mais uma vez, o melhor mesmo é viver no SÓ POR HOJE!

Após meu ultimo Post, em tom de desabafo, recebi palavras que me fizeram ver as coisas com outros olhos. Como se eu subisse em uma montanha e pudesse visualizar o mesmo cenário, mas, de um ângulo diferente. Isso graças a vocês. E hoje, estou passando por aqui, apenas para agradecer do fundo do meu coração.

Obrigada, Jorge Aberto, por me lembrar que nada dura eternamente e que Deus não nos dá um fardo acima das nossas forças para carregar. Olhar para a sua história me faz acreditar.

Obrigada, , por me fazer sentir que não estou sozinha, mas, o Deus do Impossível está comigo, e não desistiu de mim, nem de minha família. Chorei ao som daquela linda canção.

Obrigada, Cicie, por me fazer ver que embora eu e meu esposo não estejamos juntos neste final de ano, isso não é o fim, mas apenas o começo, e que vale a pena.

Obrigada, MCL, por me mostrar que é preciso seguir com o baile da vida, que é possível encontrar forças nos olhos dos meus filhos, e que pessoas como você, estão sim aqui ao meu lado.

Obrigada, Helena, por partilhar comigo parte da sua história, e fazer-me entender que nossa própria recuperação vem em primeiro lugar, e que não adianta fantasiar a vida que levamos ao lado do nosso amado adicto.

Obrigada, Anônimo, por me fazer enxergar que esse tempo longe do meu esposo é necessário para que eu me perceba, e veja minhas próprias limitações, e trabalhe a minha própria recuperação. Realmente, tudo tem um porquê nessa vida.

Obrigada, Anônima, por partilhar sua experiência, e me fazer lembrar o quanto é bom ter uma vida sossegada e em paz, apesar da saudade.

Obrigada, Giulli, por me ensinar tanto. Você também me ensinou que não preciso ser forte sempre. E me fez ver que o mais importante eu tenho: a saúde do meu bebê. Suas palavras me dão esperança.

Obrigada, Mônica Prestes, por partilhar a sua dor e me fazer perceber que não estou sozinha nessa história. Por me fazer agradecer ao fato do meu esposo estar aceitando e respondendo bem ao tratamento. Querida, vai dar tudo certo, acredite!

Obrigada, Junior (adicto em recuperação), por me mostrar o outro lado, o quanto será importante para o meu esposo a experiência de passar este Natal e virada de ano junto de companheiros, e por me mostrar que ainda tem força aqui dentro.

Obrigada, Priscilla, por partilhar comigo o seu desespero, e me fazer também agradecer pelo tratamento e recuperação que meu esposo está vivendo agora. Querida, apesar de ser difícil, busque serenidade em Deus e olhando para você mesma...

Simplesmente, muito obrigada, companheiros!

Bom, amigos, agora vou voltar para o meu sono, que logo mais estarei com meu esposo, afinal, hoje é dia de visita à Instituição. Estou com muitas saudades dele...


“Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Pra te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida
Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou...”
(Tom Jobim)

16 comentários:

  1. Que bom sentir vc tão tranquila e ver esse sorriso lindo na foto! Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Olá Polly, tudo bem ?

    Sei que agora está mais calma, mais serena e que o barrigão tá lindoo !
    Um dia quero ter um assim, se Deus permitir...

    A tempestade já passou, agora é o tempo de calmaria na tua vida...

    O meu amado hoje não está bem, está muito nervoso por algo que não deu certo, além da sua batalha por um emprego que anda muito dificil, ontem foi um dia bem chato..
    E hoje eu passei na casa dele para pegar um óculos, e infelizmente ela estava lá..
    Sabe, se eu te falar que eu não fiquei triste por vê-lo daquela maneira, estarei mentindo...
    Mas ao mesmo tempo, estou em paz, porque sei que ele está buscando recuperação, mas o seu propósito de se manter limpo anda bem meia boca, não procurei saber como foi essa recaída, mas antes, quando ele usava, eu me sentia mal, chorava, hoje minha reação foi diferente, triste, mas sem vontade de chorar..
    Aprendi muitas coisas aqui!
    Continue escrevendo sempre, porque aprendi a me amar, aprendi a buscar a minha recuperação, mas hoje estou tão indiferente a sua recaída que estou até me estranhando...

    Enfim..
    Felicidades a vc e ao seu bebê!
    Bjs
    boa semana
    Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  3. Amada Polly, sua barriga está linda!!! Com toda certeza aprendemos muito umas com as outras né? Adoro estar aqui, presente na sua vida e adoro ter você presente na minha...
    Fica bem amiga...

    ResponderExcluir
  4. Poly, sou a Renata, seguidora do seu blog(vou postar como anonimo pq não to conseguindo logar)...
    Estou vivendo o mesmo momento que vc, meu namorado também está internado praticamente o mesmo período q seu marido (desde 20/09), e está aceitando bem o tratamento.
    Leio todos os seus posts e aprendo muito a cada dia. Obrigada por partilhar conosco suas experiências.
    A clínica onde meu amor está é uma comunidade evangélica terapeutica, e alguns de nós da família, podemos participar ativamente do tratamento dos alunos (lá eles não chamam de internos, porque acreditam que depois da desintoxicação, o necessário é reeducá-los socialmente). Além de participarmos da terapia com o psicólogo, podemos assistir aos cultos as quintas feiras, que ocorrem na igreja que tem lá.
    Neste domingo (11/12) acontecerá o Batismo nas Águas, na clinica mesmo...onde eu meu amado iremos nos batizar e nos convertermos para Jesus.
    Ele tá super decidido, entregou-se a Jesus logo no começo do tratamento e já está frequentando a igreja desde então.
    Eu, assim como vc, tento viver um dia de cada vez, mas estou super feliz com esta decisão, e também acredito no Deus do Impossível.
    Estamos juntinhas nessa Poly.

    Um grande beijo a vcs! Que Deus derrame bençãos sobre suas vidas!

    ResponderExcluir
  5. Sabe,Renata,que o melhor tempo em que meu marido esteve em recuperaçao foi quando se converteu,batizou,frequentava uma igreja,enfim... Aproveite bem essa oportunidade de estar com ele,no caminho de Jesus.(espero q o meu um dia volte a encontrar essa felicidade e paz)

    ResponderExcluir
  6. Poly,

    Parabéns pela sua gestação, sua barriga está linda! Queria muito ter outro filho...no último final de semana fomos para um hotel fazenda, meu esposo após dois dias sem ira trabalhar decidiu fazer esta viagem na sexta talvez para fugir um pouco deste clima de tristeza que estamos enfrentando...Entre um momento e outro de alegria me batia a tristeza em saber que na segunda feira tudo começaria de novo, afinal os problemas não se resolvem com viagens, jantares e passeios...Meu esposo tem este costume, sempre quando percebe que estou mau e o clima está pesado, programa algo.
    Voltamos de viagem no domingo e ele estava muito gripado e com a garganta doendo, me ligou a noite e disse que estava vindo para casa pq estava mau e eu disse que cuidaria dele mas até agora nada...Tive vontade de pegar o carro e ir buscá-lo mas fiquei com receio...Estou buscando alguma forma de tirá-lo disso, mas não sei como! às vezes penso em tomar uma atitude radical e passar a buscá-lo todos os dias e traz~e-lo para casa mas tenho medo de me magoar ainda mais...
    Amanhã é dia dele não conseguir ir trabalhar de novo...meu Deus oquê faço?

    ResponderExcluir
  7. Linda sua barriga!
    Parabéns pelos bons momentos serenos!
    beijão

    ResponderExcluir
  8. Hoje depois de mais uma noite na rua ele voltou pela manhã, eu não disse nada apenas fiquei vendo qual seria sua reação, se iria trabalhar ou não.Quando fui levar meu filho para a escola ele se levantou da cama e se vestiu para ir trabalhar já era 12:30, fico pensando oque os colegas de trabalho pensam de um cara que chega este horario...Eu perguntei oque ele disse para justificar suas ausências que tem sido constantes e estes atrasos e ele disse que conversou com o chefe dele e disse que estava muito doente.
    Fiquei pensando no seu post em que contou quando descobriu que seu esposo dizia no trabalho que estava com problemas no casamento,fico pensando se ele disse a verdade para mim ou se coloca a culpa em mim para os colegas de trabalho.
    É triste poly, as pesoas com este problemas mentem demais e isso magoa que convive com eles. Um ex colega de trabalho do meu esposo faltava dias seguidos no trabalho e chegou a dizer que sua mãe estava na UTI por isso ele estava faltando. Meu esposo já disse uma vez que foi sequestrado para justificar sua ausência em uma entrevista de trabalho. isso magoa tanto, me faz vê-lo com outros olhos, às vezes desconfio de algumas coisas mas nem vou atrás pois sei que já estou quase no limite.
    Hoje provavelmente ele vá de novo usar droga...não sei oque fazer...

    ResponderExcluir
  9. Querida Poly...Me chamo Emilia, li seus posts e estou em lagrimas.
    Eu tinha um lindo castelo e descobri que era de areia. Tenho 37 anos fiquei viuva aos 33 com 2 filhos, a um ano conheci uma pessoa maravilhosa que me fez voltar a me sentir mulher, que trouxe a figura paternal para meus filhos. Namoramos por 6 meses e tudo era perfeito, entao decidimos a morar juntos, foi aí que começou meu pesadelo.
    Apesar de ser um paizao pros meus filhos ele tinha muita variaçao de humor, mas nao explodia com ninguem apenas se trancava no quarto.
    Um dia saiu pra trabalhar e voltou dois dias depois, aí comecei a desconfiar e na mesma semana encontrei uma capsula de cocaína no bolso da calça, mostrei a ele e ele negou mesmo eu mostrando a ele, além disso ele consumiu com 400,00 em um dia.
    Pedi a separaçao, mas ele chorava dizia q nao ia mais fazer isso e tal...e além disso meus filhos nao sabem, amam ele de paixao, e qdo falo em separar eles ate choram.
    Tentei convence-lo a se internar mas ele nega o uso de drogas, entao junto com o pai e mae dele fizemos uma internaçao involuntaria no dia 07/10, no mesmo dia descobri que estava gravida.
    Foi muita luta, ele estava lá mas queria vir embora, nao aceitava o tratamento, e qdo foi no dia 18/11 perdi meu bebe...fiquei arrazada, e isso mecheu muito com ele, desde entao ele aceitou o tratamentyo, esta ´participativo das atividades na clinica, e ontem fiz a primeira visita, ele aparentou estar bem, a psicologa esta muito positiva, estou feliz mas com medo, muito medo no depois....sou evangelica e coloquei ele numa clinica onde é pregada a palavra de Deus, ele esta participándo dos cultos e os planos dele é de qdo sair de lá casarmos oficialmente e ter o nosso bebe, mas o medo me assombra.
    É muito bom poder dividir isso com voces, principalmente com voce Poly, assim nao me sinto só.
    Beijos e parabens pelo seu bebe !

    ResponderExcluir
  10. Pri, estou na mesma situação que vc..
    Não sei o que fazer...

    O meu amado está no mesmo ciclo...
    Usa..fica um dia ou alguns dias limpo e depois usa de novo, e finge que nada aconteceu..

    Ele me disse que tem orado, tem perguntado a Deus o porque dessa situação, que ele não queria usar de vez enquando, que ele queria ser liberto de vez, mas ele não sabe porque ainda insiste no erro..
    Eu respondi, porque a vontade de mudar ainda não é maior do que a vontade de usar...
    Mas sabe quando você já desencana, responde por responder..Não que eu não acredite na recuperação dele, mas tem hora que cansa daquela mesma situação...
    A situação vai mudar, quando ele tomar uma posição, uma atitude...Quando ele respirar, desejar do fundo da sua alma a recuperação..

    Eu amo meu amado, mas infelizmente a maldita adicção tá ali, tá destruindo, tá secando, tá matando...
    É triste isso...Mas também não posso esquecer de mim..

    Ontem ele foi no NA, estava todo feliz...
    E eu falei p/ ele que hoje eu queria jantar fora, queria ir em um lugar legal, que nós quase não aproveitamos o nosso tempo...
    Mass...adivinha onde ele esta agora ?!?!
    É dificil..Realmente, não sei o que fazer...
    É dificil vc chegar do trabalho com algo planejado e quando vc olha ao seu redor, quando vc liga no seu celular, a maldita droga chegou antes que vc!

    ResponderExcluir
  11. Oi Poly ! Sou a Emilia do post acima. Como foi sua visita ao seu marido ?
    A minha nao foi muito boa, pois depois que fui embora ele ficou muito deprimido, a dois dias esta assim, ele fala na clinica que eu deixei um vazio muito grande qdo fui embora, e esta falando de sair antes dos seis meses, isso me abala, me dá medo pois é a primeira internaçao e ele naop quer concluir o tmpo nescessario.

    ResponderExcluir
  12. Nossa! Que post mais lindooo, estamos juntinhas nesssa minha amiga. é linda aquela música né! Qndo alguém canta na igreja eu lembro de vcs aqui no blog!
    Beeijãooooo

    ResponderExcluir
  13. Oi Poly

    Vc pode me passar teu endereço de e-mail, não consegui visualizá-lo no Blog.
    Tentei postar aqui, mas como escrevi demais, hehehe, ultrapassou o nº de caracteres.

    Bjo!

    Vanessa

    ResponderExcluir
  14. “Oi Querida, sou eu a ‘Maria” quero primeiramente te agradecer pelas palavras, eu estava tão mal naquela semana, sem saber ao certo que caminho seguir..(acho que tava com TPM) estava entrando num desespero sem fim achando que td dependia de mim, que era só pegar minha vida e ir para SC que td estava resolvido..mas hj com mas calma sei que tanto a minha quanto a recuperação dele é algo que exige esforço e perseverança que mudar de Estado não vai resolver nossos problemas (li no seu blog que seu marido mudou até de pais), mas vamos viajar mesmo assim dia 21/12 vamos passar apenas um mês..pra fechar esse ano, e recarregar as energias, ficar um pouco longe disso tudo.
    Querida falando agora sobre co dependência, estou com meu esposo a 7 anos, foi meu primeiro namora, primeiro e único homem..e agora marido (e espero que seja primeiro e único tbm) não sei como funciona a questão da co dependência em outros relacionamentos, como é se relacionar com um cara 'normal' pois pelo que estou lendo a co- dependência não esta associada ao uso de drogas, que são comportamentos que se tem mesmo antes de se relacionar com um DQ, como era antes com seu ex marido?
    vc já apresentava sintomas da doença?

    Poly, mais uma vez muito obrigada por suas palavras tão intensa que estão me confortando nesse momento de ativa do meu marido.
    Estamos Juntas companheira.

    Maria.

    ResponderExcluir
  15. Polly, adoro seu blog. Ajuda muita gente,inclusive a mim. Será q vc poderia falar um pouco sobre o Capes/AD ? O atendimento eh bom ?
    Enfim, qq informação será bem vinda!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Polly, tudo bem?

    Estava fuçando na net e achei o seu blog, até hoje ñ conheci ninguém com um perfil tão inteligente quanto o seu para compartilhar uma situação que vivo semelhante a sua, a co dependência. Sou nova nesta situação, não somos casados ainda, ele é meu namorado e está internado há 1 mês e 07 dias. Ele foi para a clínica de recuperação por vontade própria e essa é a sua 11ª internação. Minha família não sabe da adicção do meu namorado, penso que se eles soubessem não entenderiam o motivo da minha escolha. Eu estou com ele há 2 anos. No começo ele até bebia na minha frente, por duas vezes quis usar a droga também, mas eu o deixei sozinho, sempre disse à ele que seria eu ou a droga, as duas juntas jamais. Ficamos algum tempo separados e voltamos. Desta última vez que reatamos, ele estava totalmente entregue. Já tinha deixado emprego e uma vez chegou a vender um celular meu para comprar drogas. Mesmo assim eu o perdoei e estamos juntos de novo. Ele sempre diz que quer mudar por mim pelo o filho e pela mãe. Por incrível que pareça eu acredito nele.Tenho ido sempre visitá-lo na clínica, ele irpa completar os 09 meses e disse até que se for possível irá ficar mais tempo a trabalho e voltar para casa aos fins de semana, eu vejo muita serenidade nele, e sem contar que mesmo bêbado ele nuinca foi agressivo comigo, é uma ótima pessoa, carinhoso, atencioso, e as vezes penso ter dúvidas do que sinto por me sentir muito carente e ele ser tão correspondente a minha carência. Sofri poucas coisas ao lado dele por causa da adicção, mas confesso que tenho medo, do futuro, se essa personalidade irá permanecer depois de nos casarmos, se a vida continuará em paz. A mãe dele diz que hoje ele está muito melhor do que já foi no passado.Enfim, foi bom encontrar alguém que compartilha da mesma experiência, apesar de achar que não passei nem pela metade do que você já passou. Em uma certa época eu ia até em salas com ele. E esse é um outro lado bom que vejo nele, ele está sempre atrás da recuperação. Devo ver isso como um lado positivo ou isso é só uma forma de manipulação? Gostaria de trocar posts com vc, se poissível responda a essa minha postagem. Obrigada.

    ResponderExcluir