quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Em que mãos está a minha felicidade?



Bom dia, amigos!

Hoje é dia 07 de setembro de 2011. Feriado. Dia da independência! Agora são 06h24min.

Ainda estou pensando o que farei nesse dia, afinal, só cabe a mim fazer dele um dia leve e feliz, e aproveitá-lo.

Gostaria de deixar aqui um comentário que recebi ontem. E aproveito para agradecer pela participação de todos, o que enriquece demais essas páginas. Esse comentário falou de algo que eu já tinha em meu coração para escrever. Vejam.

“Olá Poly! Encontrei seu blog num momento de desespero que coloquei a seguinte frase no Google "namoro um dependente químico mas desisti", isso mesmo, eu estou querendo desistir como já quis diversas vezes mas nunca consigo porque ele sempre me vem com promessas e eu por amar finjo pra mim mesma que acredito! Sempre me vem na cabeça "agora vai!" mesmo sabendo que ele nunca cumpre o que promete! Hoje é um dia daqueles que estou pensando comigo mesma "minha vida vai ser muito melhor sem ele daqui pra frente" porque estamos em véspera de feriado, combinamos de dormir juntos na casa dele com meu filho e ele resolveu usar, estragou tudo, e ainda o vi por acaso na rua com aquela cara de drogado... eu não sei o que fazer, porque ainda o amo, porque ele não me ama o bastante pra sair dessa... será que o problema está mesmo comigo?? Meu filho não é dele, mas ele diz que o ama tanto, esse amor naum é o suficiente pra ele querer casar, ter nossos próprios filhos??? Me identifiquei muito com esse blog, mas não acredito que eu seja forte como vocês pra viver com isso durante anos... estou com ele há 1 ano e meio mas fazem só 6 meses que ele me falou a vida que levava, a nossa vida era de mentiras até então.Vou continuar acompanhando e desabafando por aqui, porque na verdade não sei nem com quem contar porque minha família não sabe e meus amigos não entenderiam o porque ainda estou com ele... Obrigada mulher guerreira por essa oportunidade!”

Amigos, quem de nós não se identifica com essas palavras? Desespero, promessas, acreditar, “pensar que agora vai”, recaída, decepção, desilusão... Elas fazem parte desse ciclo que envolve o adicto e nós, que convivemos com ele e que o amamos.

Gostaria de deixar bem claro a todos que não sou favorável a esse tipo de vida. Ela traz muita dor, principalmente a nós, que encaramos tudo de “cara limpa” e que acabamos arcando com as conseqüências dos atos insanos dos dependentes químicos na ativa.

Sou a favor sim, do amor. E muitas vezes por amarmos, não conseguimos sair desse ciclo doentio. E enquanto não temos a convicção que sair disso é o melhor, ou enquanto não temos forças para isso, talvez por ainda haver esperança de que tudo possa ser diferente, tento mostrar aqui no blog que nesse meio tempo, também há vida, e que precisamos ser felizes, ainda que em meio ao sofrimento (adicção de quem amamos).

Confesso que ao acompanhar vários outros blogs, tenho minha opinião pessoal. E muitas vezes minha opinião é “se eu pudesse, eu diria para ela deixá-lo e seguir sua própria vida, sem drogas, sem adictos, afinal, ela é tão jovem ainda, e tem a vida toda pela frente, cheia de escolhas...” Mas, eu sei que essa decisão só cabe a essas jovens, e não a mim. Eu já tive a minha chance de escolher um dia...

Ser casada com um adicto há cinco anos não é mérito. Se ainda me mantenho com ele, é porque acho que vale a pena, e ainda acredito em sua recuperação. Mas, a partir do momento que ele me mostrar que não quer se separar das drogas, não terei mais o que fazer aqui ao seu lado. Viver com um adicto na ativa não é vida, vocês sabem disso. É muito sofrimento e dor.

Na verdade, admiro muito mais a Giulli e a Cicie que foram fortes o suficiente para deixarem seus amados dependentes químicos e seguirem adiante com suas vidas, por seus exemplos de força e coragem. Quanto a mim, não sei se sou um exemplo de força e coragem. Sou apenas alguém que ama e sonha demais, e por vezes sou muito penalizada por isso.

É preciso ter os pés no chão e a cabeça na lua. Eu tenho tudo na lua. Isso não é bom.

Meu ultimo post aqui foi Dias de Calmaria, escrito no dia primeiro deste mês. No dia 02, as coisas já haviam mudado novamente. São os altos e baixos do dependente químico (altamente bipolar!).

Refletindo sobre minha vida neste último mês e relendo alguns posts, pude ver o quanto ainda estou ligada ao meu amado adicto. Se ele está bem, estou bem. Se ele está mal, estou mal. Daí me sinto como se estivesse agarrada ao seu “carrinho da montanha russa”.

No dia 04, eu estava pensando sobre isso, daí fiz um gráfico da minha “felicidade” no ultimo mês.

Se eu falar da minha vida individual, posso dizer que em meu trabalho está tudo muito bem, tenho desempenhado bem minhas atividades e logrado reconhecimento por isso; minha Monografia da conclusão da Pós está sendo feita com muito carinho e estou gostando do resultado; meus filhos estão saudáveis, são inteligentes, e a cada dia estão mais lindos; minha barriguinha está começando a aparecer, estou entrando no terceiro mês de gravidez, e está tudo bem com a gente. Posso dizer que hoje, a única coisa que me aflige é a vida financeira, tenho muitos empréstimos (conseqüência da co-dependência), mas, no mais, está tudo perfeito.

Entretanto, porque meu “gráfico de felicidade” apresenta-se tão instável?

Simples: quando ele recai, quando ele não quer buscar ajuda, quando ele demonstra sinais de uma provável recaída, eu me permito ser atingida por isso, e o resultado é que me sinto infeliz. Por outro lado, quando vejo sinais de recuperação nele, me sinto “nas nuvens”. Vejam o gráfico (coisa de Contador... hehe).

Agora eu me pergunto: é justo colocarmos nossa felicidade e nossa vida nas mãos de outra pessoa?

Posso afirmar que uma das maiores ajudas que recebi no NAR-ANON foi descobrir o desligamento emocional, o “viva e deixe viver”. Confesso que já sofri muito mais com a co-dependência que me amarrava física e emocionalmente ao meu esposo. Mas, embora tenha caminhado bastante, ainda tenho muitos passos a dar no caminho da minha própria recuperação.

Não há como amar um dependente químico e ser feliz, sem nos desligarmos emocionalmente, isso é fato. Posso amá-lo, mas, não posso controlá-lo, não posso evitar que ele recaia, não posso tirar sua paixão pela droga, não posso viver sua vida. Não posso.

Posso viver minha própria vida. Posso ser feliz. Posso pedir a Deus por ele. Posso ter esperança. Só.

Meu marido se manteve limpo por vinte e cinco dias, que se encerraram nesta noite.

Ele chegou em casa por volta das 03 horas da manhã. Voltou a drogar-se.

O fim de semana agradável. O cinema com nosso filho, no domingo. Os sorrisos. A vida que carrego no ventre. Nada disso foi suficiente para mantê-lo limpo.

Hoje ele foi para o seu trabalho.

Hoje é feriado pra mim e para os pequenos.

Posso passar o dia chorando. Ou, como disse no início deste post, posso fazer dele um dia leve e feliz, e aproveitá-lo... isso só cabe a mim.

Pra terminar, diante dos comentários que tenho recebido e dos blogs que tenho lido, gostaria de deixar uma sugestão de leitura: livro Mulheres que Amam Demais, de Robin Norwood.

Abraços.
E bom feriado!

51 comentários:

  1. Polly, sou como vc e como tantas outras companheiras que sentem medo, sentem dor, sentem desespero e principalmente sentem-se sozinhas.
    Muitas vezes penso em aconselhar outras esposas que vivem o que eu vive a uns anos atrás a seguirem em frente sozinha, no entanto, não posso aconselhar sobre o que não sei, só podemos dizer sobre o que vivemos não é mesmo?
    Na época eu decidi por ficar com meu esposo, se apoiar nele e deixar que ele se apoiasse em mim, e juntos seguimos essa jornada árdua que é a recuperação, nos separamos porque ambos precisávamos ver o mundo individualmente e juntos não estávamos conseguindo, se for pensar bem o que nos separou não foi a adicção (pois ele está bem), o que nos separou foi a co-dependência, a de ambos, precisávamos sentir o que era realmente não controlar a vida do outro, o que em seis meses percebi ser dificil não controlar o outro.
    Obrigada por ser minha amiga, vc não imagina o quanto me ajuda, pois é fácil ficar bem, pensar direito e agir com a razão quando não estamos passando pela fase ativa da droagadicção, como é meu caso.
    Na ultima reunião que eu fui no Nar-Anon, me impressionei com a recuperação de uma companheira que tem seu filho na ativa, ela está muito bem, mas comentou: "Gostaria de estar bem como vc", eu lhe disse que admiro especialmente pessoas como ela e como algumas companheiras que tenho aqui no virtual, pois mesmo tendo seu familiar em uma situação crítica, conseguem olhar pra si, refletir e partilhar.
    Polly eu te admiro especialmente, e assim como vc acredito no amor, no amor e não na co-dependencia, acho que me separei até pra poder saber o que eu sinto (olha eu usando seu post pra partilhar...rs),.

    Se eu pudesse sugerir algo a quem está sofrendo, seria:
    1. Procurem um grupo de apoio - nar-anon, amor -exigente, coda - procurar ajuda significa ser forte o suficiente para admitir que sua vida não é comercial de margarina!
    2. Leiam o livro que a Polly sugeriu. Eu já li, e me ajudou muito.
    3. Leiam também Co-dependencia nunca mais - da Melody sei lá oq, também li e na época me ajudou um bocado.
    4. Partilhem , dor dividida é dor diminuida.
    5. Penteiem o cabelo e escovam os dentes! rs. Digo isso pq um dia eu já me esqueci de mim!

    Polly, um dia eu descobri que não me amava, que eu ao menos sabia qual o sabor de pizza que me agradava, isso realmente me assustou de tal forma que a necessidade de saber quem eu era chegou a ser maior do que a necessidade de saber quem era o outro.
    Te amo Polly, vc não imagina o quanto me emociona e quanto ... o QUANTO ME AJUDA!!!!

    ResponderExcluir
  2. Poly, o desespero nas palavras dessa moça, nós sabemos bem como é, conhecemos essa dor muito bem, acho que continuar ou não, o que manda nessa decisão é você ter certeza de que esse amor é tão forte quanto a dor e você saber lidar com ambos sentimentos.
    Aprendi que para continuar ou parar, requer coragem e força, e você é sim um exemplo de força, de superação e fé, mesmo estando ainda em meio ao furacão, você nos passa serenidade e muito nos ajuda, mas, quer saber? Eu não sei o que diria para uma pessoa no caso dessa moça, se fica ou não com o namorado.
    Recentemente, passei por situação parecida com uma moça a L, fiz uma postagem sobre ela, eu não a aconselhei e largar o namorado e nem a continuar, eu apenas mostrei para ela o que era ser codependente e o que ela tinha q fazer para evitar ser uma. Enfim, ela aprendeu a lidar com a situação e em menos de um mês percebeu o que era melhor para ela...
    Acho que esse é o segredo, buscar dentro de si as respostas para essas dúvidas.
    Adorei o post amada Poly!
    Um lindo feriado pra vcs!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Meninas, eu postei esse comentário ontem e hoje estou aqui de novo... me desculpem, mas nem sei usar um blog, entaum nem sei se estou fazendo da maneira certa, escrevendo no lugar certo!
    Depois de ontem, hoje meu namorado me ligou como se nada tivesse acontecido falando que ia vir me buscar pra ir pra casa dele. Pensei, pensei e falei que não ia porque ontem ele não quis ficar comigo pra usar... quando paro pra pensar vejo que estou muito magoada com tudo isso, me sinto usada, não sei lidar mesmo! Ele fica nervoso com tanta facilidade quando não está drogado! Não pode ouvir um "não" que já se irrita, me xinga, fala que vai me largar, e horas depois me liga me chamando de "amor". Me pergunto se estou ficando louca e a conclusão que chego é que sim, estou ficando louca e doente com tudo isso! Tenho só 23 anos, ele fez 30 segunda, quando resolveu passar o aniversário sozinho em casa usando droga... sou tão nova pra passar por tudo isso. Ele me quer quando resolve ficar bem, aí ficamos 2, 3 dias bem na casa dele, quando o corpo já não aguenta mais ficar sem a droga ele me dispensa em casa e vai usar e eu fico sozinha... não o tenho sempre, mas também não tenho oportunidade de encontrar outra pessoa porque estou com ele um dia ou outro, mas estou...
    Nem sei se tudo que falei aqui faz sentido, mas me fez sentir melhor, ando me sentindo bem sozinha e eh bom compartilhar tudo isso com vocês.

    Obrigada meninas, cada palavra aqui me traz um conforto muito grande!
    Vou brincar com meu pequeno no parque pra ver se esqueço isso tudo que me faz sofrer tanto!

    Beijos, fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amada querida eu li você e enxerguei a mim mesma, terminei meu relacionamento de 1 ano e 3 meses com um dependente químico de Cocaína que me fez promessas, progrediu, decaiu, combinava programas comigo e desaparecia para usar cocaína até que depois de passar por isso novamente decidi amar mais a mim mesma do que a ele, usei todos os recursos possíveis mais o amor e mesmo assim não deu certo.
      Estava entrando em depressão e tendo sintomas de co-dependência, isso não estava fazendo bem nem a ele e nem a mim, estou a 1 mês de completar 23 anos e ele fez 30 esse ano, ele já é usuário há uns 12 anos e creio que no nivel dele, mesmo que ele se trate, corro um risco considerável de me decepcionar novamente. Cansei, me sinto mais leve, hoje fui ao cemitério tocar flauta para meu falecido irmão e senti uma paz após ter conversado com ele, mesmo sem respostas as sensações sentidas me dizem que tomei a decisão certa. Espero ficar forte para conseguir dizer não ao meu ex quando ele vier me procurar.

      Deus sabe o que faz!

      Excluir
  4. Poly...como vc mesma disse, sua felicidade não deveria depender de terceiros, muito embora estejamos ligados à eles. Deveríamos ser felizes de acordo com nossas perspectivas e escolhas. Entretanto, este desligamento emocional nos coloca em situações realmente complicadas, onde, mesmo tendo consciência de que estamos fazendo a escolha errada, ainda assim nós ficamos péssimos com nós mesmos!
    Olha só como esta jovem conseguiu encontrar em ti, uma força e esperança para o que tens em comum?
    Você já percebeu que, apesar de seu estado hoje não ser o melhor que gostaria que fosse, ainda assim consegues ser referência em mútua-ajuda?
    Você já se deu conta de que sua experiência tem conseguido levantar o ânimo de muitas pessoas?
    Por isso, anime-se, amiga!
    "No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo" - João 16:33b
    Assim sendo, faço por onde suas palavras possam encorajar outras jovens que certamente irão te buscar, procurando forças para conseguir superar dificuldades.
    Entre em contato com ela e mostre que "HÁ UMA SAÍDA!"
    E você mesma acredite que há uma saída!
    Seu esposo pode não estar bem hoje, mas pode ainda hoje começar a ficar bem.
    Como depende de vc fazer a escolha em sentir-se bem, assim também depende dele querer estar bem.
    VIVA E DEIXE VIVER!
    Só Por Hoje, estejas bem!
    Abração, amiga!
    TAMUJUNTU.

    ResponderExcluir
  5. Primeiro para essa moça do post: A vida com um adicto é assim mesmo - recaídas, crises de mau humor durante os dias seguintes, alterações de humor, desconfianças, as responsabilidades da vida sobrando mais para um lado. É possível viver assim, mas é preciso muito amor e tolerância. Não te digo para largar dele, mas se for encarar saiba que não vai ser fácil. Bem, e a vida de quem é fácil? É bem complicado tomar essa decisão... Se eu tivesse sabido durante meu namoro, antes de amarrar tanto minha vida na dele, e sabendo o que eu sei hoje, teria deixado ele. Não só por mim, que mereço uma vida estável, mas por ele, só através de uma perda atrás da outra para se concientizar da doença.

    Poly, chorei quando li que seu marido recaiu. Eu estava na torcida, apesar de vc estar dizendo que achava que ele não estava fazendo o tratamento como deveria. Mas sei bem o que é isso... essa esperança, sempre acreditando que vai dar certo ...
    Não acho que na realidade tenha como desligar nossa felicidade da deles - uma só carne, lembra, o padre falou - dá para tentar não ficar derrubada, mas feliz na recaída é impossível.

    ResponderExcluir
  6. O minha amadinha, que o PS continue te mantendo serena... e que ele sopre no seu coração o melhor a fazer...Que te de cada vez mais forças, pois tem 3 vidinhas que precisam muito de voce, eles são os unicos que precisam de você Poly.
    Eu estou com voce, se precisar de mim grita, que vou correndo!
    Beijos da tia Gaby

    ResponderExcluir
  7. Nossa Poly mais uma vez quem sou eu para dar conselhos...porém melhor eu ficar quieta... mas vc é muito resistente, amiga é muita pancada... sinto sua tristeza, e como dói em mim...

    ResponderExcluir
  8. Oi, Polly, será que as coisas não andam boas que vc não escreveu mais estes dias?

    ResponderExcluir
  9. por muitas vezes eu pensava o que EU não fazia pra ele ser feliz? oq faltava em casa , no nosso lar para que ele ficasse e não saisse pra se drogas/ beber?
    qdo nossa menina nasceu ele ficou 40 dias limpo... e só.. caiu... e eu me culpando.. eu não via que nao era EU o problema... era ele.
    então eu desisti... me mudei da casa dle com duas crianças, uma de 2 anos e outra de 3 meses....
    Já se passaram 4 anos... o amor continua aqui dentro, ao lado das feridas, das cicatrizes.

    Ele foi internado... saiu em maio.. Mudou para uma cidade vizinha..Não sei como está..Sei oq ele fala...que está limpo. não acredito...Infelizmente com TODAS as suas recaídas ele me fez não acreditar em ex viciado...

    ResponderExcluir
  10. Oi, Polly, Olha eu Conheci o meu namorado agora recentemaente, agente ficou e ontem na segunda vez: Eu Descobri que ele é um dependente Químico. Descobri pela mãe dele, os Pais dele já não sabem o que fazer, Eu Descobri pela mãe dele pq ele disse para os pais que eu sabia de Tudo!, a Mãe dele veio me perguntar e eu disse : Que Não!., Ele Disse Que ia Me Disser antes da mãe dele me contar!, Ele Disse Que a Ultima vez que ele se Drogou Faz 1 Mês!, O que Eu Faço, Deixar Ele Eu Não Vou!, Mais Me Ajude Pois Isso Pra Mim é Novo, Pq Nunca Passei Por Isso Antes, É a Primeira Vez! Abraços Aguardo a Sua Resposta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Camila, veja as historias de dor e sofrimento de mulheres que amam seus maridos/ex maridos e tire sua conclusão se você realmente quer embarcar nessa. A escolha é sua! O amor tudo crê, tudo sofre e tudo suporta. Olhando para essas duas vertentes decida, porque as consequências você viverá sozinha seja ela boa ou nao. Siga o seu coração e não tome decisão de outra pessoa. A historia é sua e é você que vai vive-la.

      Excluir
  11. oi , Meu nome é Renata tenho 28 anos.
    Conheci meu companheiro há 3 anos atras.Ontem rompi com ele, como se não bastasse a dependencia quimica dele eu peguei no celular dele um inicio de uma paquera com outra mulher..Infelizmente não estou preparada para aceitar esse tipo de coisa.Durante esses tres ano, dois ele esteve internado em uma clinica. Saiu fazem 3 meses, temos uma filha de 1 ano e 11 meses.Esperei por ele ate agora, quando ele voltou ficamos na casa dos meus pais para tentarmos formar a nossa familia.infelzmente ele recaiu e cada dia tem sido mais e mais dificil a irresponsabilidade é muito grande.e ele me disse que está jovem(28 anos)pra ser chefe de familia...que não está preparado pra assumir um compromisso...estou muito magoada e trsite pois sei que ele não vai lutar por mi e pela nossa filha e muito menos pela nossa familia.O que me resta é seguir em frente e cuidar da minha famili( eu e minha filha).
    Só queria desabafar...Agente se doa tanto..e não tem consideração por tudo qe fazemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda por cima....a dor da traição....Eu estou há 11 meses com uma mulher que possui uma filha dependente química, de apenas 15 anos de idade. Já passei por isso com meu filho que hoje tem 33 anos. Pensei e penso mil vezes em desistir dessa relação, pois é muito sofrida, mas até então não tive coragem. Acredito que sou muito carente, o que torna tudo mais difícil. A menina dela, agora, está internada, mas vai sair em breve. Já é a segunda internação e ela diz que não vai deixar as drogas. Portando não posso ter esperanças. Ela está co-dependente e acho que eu tb, pois não faço mais nada que não seja me preocupar e sofrer. Já passei dos 60 anos e ela tem 52.....Gosto muito dela...Já perdoei até traição virtual......Não entendo, pois sou um super parceiro. Ela sofre tb de depressão recorrente. É muito instável e permissiva com os filhos. Tem outro de 13 anos e um de 33 que não mora com ela. Eu sempre alerto para que ela ponha limites, mas não adianta. Em 19 de julho/2017 completamos um ano de relacionamento.Até hoje não sei se devo deistir. Sinto-me velho pra iniciar com outra pessoa. Já me apeguei muito a ela. Tem vezes que ela se mostra grata..outras não...

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Querida o que importa é que você fez de coração e isso nunca será perdido,agora levante a cabeça e siga em frente,você é uma vencedora.

    ResponderExcluir
  14. Querida importa que você lutou por ele enquanto pôde,fez sua parte enquanto companheira.Agora levante a cabeça e siga em frente.

    ResponderExcluir
  15. Poly li alguns comentarios e mim identifiquei,faz 8 meses que estou com uma pessoa mas apenas poucos dias que ele mim falou que era dependente quimico e nao sei o que fazer pq ele tbem faz tratamento mim prometeu que nao usar mais,so que eu continuo na insegurança nao sei se devo termina nao sei o que fazer pq o amo muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, termina! Descobri que meu amor usava quando estava a 6 meses com ele, tentei por 10 meses ajudá-lo de todas as formas e não teve jeito, mas a experiencia foi edificante para mim se quiser tentar, só não se afunde junto, tive que largar meu amado pois ele estava começando a me fazer mal, me enxerguei depressiva por motivos que já havia superado, como se estivesse procurando uma desculpa para justificar a dor que ele me causava, eu não queria enxergar o que sempre esteve a minha frente.
      Vai doer? Vai. Você vai chorar? MUITO, mas o tempo é o melhor remédio e ele vai se encarregar de compensar todo seu amor com coisas maravilhosas para sua vida!

      Excluir
  16. Meu ex terminou comigo pq disse q não quer me fazer sofrer. Ele fugiu da clínica que eu e a família levamos. Estou triste pelo fim de tudo, mas talvez seja um recomeço

    ResponderExcluir
  17. meu companheiro e viciado em cocaina e passa noites fora com o vizinho que tambem e dependente.quando ele esta no efeito das drogas e frio e violento nao ta nem ai pra nada e quando nao usa a cocaina fica desenquiento o tempo todo tentando arrumar desculpas para sair e usar,meu casamento esta no fim nao aguento mais.

    ResponderExcluir
  18. Eu precisei desistir de meu grande amor, peco muito a DEUS por ele e que tbm me dê a cura interior que estou precisando. Sofro demais com tudo isso.

    ResponderExcluir
  19. Oi... estava lendo os posts anteriores na procura de uma resposta pro que sinto, o que vcs passaram e passam estou eu aqui do outro lado passando tambem, sofrimentos nem menor nem maior, e muito triste deixar o amor da vida da gente, e ainda mais quando sentimos que nunca amamos ninguem de verdade, amo ele como nunca amei outro homem, ele foi o melhor namorado que tive, sinto seu cheiro por onde passo, mas preciso pensar em mim, ja namoro ha 01 ano e 4 meses, sei que ele sera pra sempre meu grande amor, mas nao tenho forças pra continuar, tenho 01 filha de outro relacionamento, e nao posso permitir que ela conviva com isso... nao sei o que fazer... ele nao aceita que e dependente, mas é, usa umas 2 vezes na semana, acha que nao precisa de ajuda, que e tipo pra fazer o social, que nele o pó age diferente, pq fica alegre, conversador, ele nao enxerga mais nada.... to sofrendo muito

    ResponderExcluir
  20. olá gurias. em janeiro vou completar um ano de namoro. meu namorado eu já conhecia a anos pois nunca tínhamos contato poque ele era amigo do meu ex namorado. quando eu namorava o amigo dele eu sabia que ele traficava e roubava, falava p mim mesmo que queria distância de um homem assim na minha vida. acabei me separando e por ironia do destino comecei a conversa com meu atual namorado no facebook no dia em que ele saiu do presidio, onde ficou 6 meses. com uns dois meses de namoro ele me disse que já tinha sido internado algumas vezes e que na maioria das vezes ele fugiu porque não se sentia bem lá. eu tb acho que essas fazenda e clinicas não dão o tratamento certo para o dependente químico. em algumas que meu namorado ficou tinha que acorda 5 da manha para capina ou reforma algum comodo do ambiente o qual era para ajudar ele, sem visitas mais de 15 dias, entre outras coisas que ele me falando achei errado. não adianta nada a família coloca o dependente químico numa clinica sem a vontade dele, ninguém pode ajudar ele a não ser ele mesmo. como uma pessoa que ta tentando se liberta das drogas vai conseguir ter animo sem visita dos parentes? isso não existe p mim. em fim, ele me disse que a última vez que tinha usado foi quando estava perto da audiência dele e que nunca mais. eu convidava ele para ir no NA e ele falava que não precisava e sabia se controla. EU ACREDITEI, pois nunca tinha me relacionado com um dependente químico, elogiava ele por ele ser forte mas, sempre cuidava ele quando saíamos a noite, vai saber se não tem uma recaída né. hoje depois de 9 meses de namoro, de quarta para quinta fiquei esperando ele sai do serviço para ir dormi na minha casa e nada dele. liguei pro chefe dele para os colegas e todos falaram que ele tinha ido trabalha, liguei para hospitais e policia e nada. comecei a me preocupa, pensei que podia ta com mulher, ou se acidentado em algum lugar com pouco movimento MAS EM NENHUM MOMENTO PASSOU PELA MINHA CABEÇA QUE ELE IRIA TER UMA RECAÍDA. 4:30 da manha ele liga falando que tinha se acidentado mas eu sabia que era mentira e falei, assim ele começou a chora e disse que tinha comprado duas buchas de pó e ficado em casa, e que não atendia o telefone por vergonha e que queria ficar sozinho. me senti traída, pois preferia ele na rua com mulher do que usando novamente essa maldita droga.

    ResponderExcluir
  21. Oi estou muito triste sabe conheci meu namorado em Minas mas ele é do Rio
    Quando nós conhecemos ele mentiu tudo sobre a vida dele e a família tbm mas bem assim no começo ele veio morar na minha casa ai que descobri aos poucos pq ele teve recaída e sumia eu ficava loka preocupada até que eu descobri td e ele abriu o jogo e falou que estava em uma clínica que ja era dependente fiquei com ele mesmo assim não desisti cheguei a ir buscá-lo na boca de fumo nao tinha medo queria ele comigo de qualquer jeito
    Eu fumo maconha e a gente fumava junto mais não uso outras coisas e ele sim
    Mas de um tempo pra ca ele ficou agressivo começou me ver nos lugares fala que eu estava com outros homens que tinha homem pulando em casa p ficar comigo eu ficava muito nervosa com isso nos nos agrediamos ele virou outra pessoa muito agressiva me roubou ficou muito transtornado
    Agora a família dele viu como ele está e resolveu interna lo ele estava outra pessoa nao era o homem que eu amo
    Não sei oq fazer Agora pq nós temos uma casa mobiliada e vou ter que ficar sozinha esperando ele se recuperar mas antes de ser internado ele me Chingava muito falo coisas absurdas não sei se agora ele sem o efeito das drogas vai querer me ver falar comigo estou com ele há dois anos nunca fiquei sem ele assim agora não sei oq faco

    ResponderExcluir
  22. Estudei psicologia e tenho uma relação com um dependente a 8 anos. Nossa filha tem quase 4.
    Descobri ao longo destes anos que o problema tem muito mais haver com o caráter do que com a droga e que é justamente a falha do mesmo que leva o dependente,ser humano a buscar essa fuga. Esse caminho. Vivemos tempos de frieza e falta de amor. Desaprendemos a amar. Parei minha vida e perdi todos os mais próximos. Família. Sistema. Ninguém acredita. Ninguém tem fé. O sistema se fecha e usuário de crack é como o bicho papão dos adultos. Viu? Ele te pega. E pega ricos e pobres. Pega quem quer mais desse sistema falho. Que não supre o vazio com mais vazio. Que não aprendeu a se amar e amar as coisas simples. Ou desaprendeu a amar. Mas há o caráter. ... Há aquele pwrfil que usa o vício para fugir da responsabilidade. Que não quer assumir suas culpas. Que culpa o outro. Parei minha profissão por falta de fé e sentido diante esse complexo emaranhado que é amorxdroga e drogaxamor. O amor genuíno. Ele não fica nervoso. Fica o que quer ser e não consegue ser. Por trás da busca tem sempre uma compensação. Fica responsável. Atento
    Aberto. Tudo que a vida fez foi fechá-lo em si mesmo.
    Tento a tempos formas de chegar ali mas minhas impergeiçoes e cicatrizes me impedem.
    Existem muitas relaçoes doentes e a droga é apenas uma variável.
    Cada um foge a sua maneira.
    Por que tento? Pergunto... O que é amor? Qual o limite? Estou magoada pois desde o início tentei compartilhar com ele uma filosofia muito simples, maa vejo hoje que não é tão simples assim. LEALDADE.
    SER O QUE SOMOS.
    Não termos medo de abeirmos o coração pois amar deveria ser isso. Como amar quem não é?
    Como ser amado sem ser quem se é?
    Tempos de frieza. De jogos. De simbioses. Simbiose é uma troca por interesses de sobrevivência. ... No nosso caso até mesmo social.
    A um ano ele mora nas ruas.
    Um homem belo. Belíssimo.
    Uma bela filha. Belíssima.
    E a beleza nesse caso não é de ajuda.
    Não posso consertar o caráter dele por ele. Ando as voltas com o meu. A droga tem o poder que ele dá a ela e também não posso fazer isso por ele.
    O que faço enquanto este isistente amor e essa fé que não apaga é dizer que estou aqui. Estou aqui quando ELE quiser aparecer. AMAR . Amar de verdade não anda fácil.
    Então para não enlouquecer depois de ingressar no sistema que ampara essa dependência. O preconceito. Despreparo e descaso .... É agradecer a linda filha que tenho. A vida. Me conhecer e amar. Para se um dia ele chegar eu ter algo também para dividir.

    ResponderExcluir
  23. Há algum tempo acompanho o blog, mas nunca escrevi. Namoro um DQ há pouco mais de um ano e sempre fico reflexiva quando leio os comentários. Passavamos muito tempo juntos. ..desde que começamos a namorar, ele nunca virou noite na rua ou foi frio... tb nunca roubou e não mente. É estranho mas estabelecemos uma relação de confiança mesmo... ele me conta se usa, qd quer usar... eu respeito suas limitações e tento lidar. Ele fez um tratamento com ibogaina, e recaiu... Então seus pais optaram pela internação. Eu apoiei como sempre qq tratamento, ele aceitou e está bem... Acho que a DQ tem a ver com o caráter da pessoa e como ela lida com seus monstros internos. Cada um é de uma forma e reage de uma forma. Optei por continuar. .. pelo caráter dele e mais que isso, pq sei o qt ele sofre e luta contra sua doença. Mesmo os que não querem se tratar, sofrem... perdem e lutam à sua maneira. Espero que um dia as pessoas sejam menos hipócritas e preconceituosas com relação à DQ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Estou respondendo aqui pois me indentifiquei com o que disse. Eu também namoro a um pouco mais de 1 ano, mas várias vezes ele termina comigo, pois ele diz que me faz mal, às vezes diz que precisa se isolar pra conseguir, enfim.. Esse fds ele terminou comigo de novo, chorou, disse que é por nós, que me ama... Vc entende? E eu, eu não sei o que fazer, eu tenho que deixar ele tentar, é o mínimo.. Mas nunca perguntei se ele se internaria. Bom, eu me sinto mal todas às vezes que terminamos, e todas as vezes o motivo foi esse: cocaina. Ele usa todo fim de semana, sempre recai... E poxa, ele nunca roubou, nunca sumiu sabe, nunca ficou fora... Nada disso!!! Oq eu faço??? Me identifiquei contigo, teu namorado está internado no momento? Me diz se deu certo depois? Estou torcendo por vcs, e por nós aqui também :( bjs

      Excluir
  24. Conheci um garoto em outubro do ano passado(2015) passamos 3 semanas juntos e ele me contou toda a sua história.Ele já passou por várias coisas, já foi preso,traficante,já morou na rua etc. De início fiquei com ele pq sabia que era coisa passageira. Ele não morava no Brasil e sempre vinha a passeio.Mas acabei me envolvendo mais com ele e ele decidiu ficar no Brasil e se internar em uma clínica.Durante este período de internação que ele está trocamos cartas, penso que é uma forma de dar força a ele já que aqui no Brasil ele não tem familiares próximos.Como os outros DQ ele também me faz várias promessas,mas sinceramente não acredito nelas.Estou terminando meu curso de engenharia tenho vários planos pra mim e p minha vida profissional.Estou super nova e estava bem indecisa porque apesar de não ter hoje com ele um relacionamento sério cogitava futuramente a possibilidade de uma vida juntos.Mas os depoimentos que li aqui das recaídas e uso de drogas eu não tinha ideia do poder devastador dessa doença.Devastador pra quem a usa e pra quem se envolve com os DQ's'.Dor,sofriemnto.Eu li vários depoimentos e desejo na vida de cada uma muita luz.Sabedoria e que cada uma consiga lidar com suas dúvidas e incertezas.Todos nos queremos ser felizes mas se pra sermos felizes devemos usar mais a cabeça que coração fazer o quê ner? Uma braço

    ResponderExcluir
  25. Oi..conheci uma pessoa ótima. .ele é tudo de bom..me contou que é dependente químico em recuperação. .fez um tratamento completo em fazenda. .teve recaída ha dois meses e voltou sozinho. .hj está envolvido num projeto de recuperação de dependentes em situação de rua..ele quer namorar comigo. .eu não sei o que pensar. .estou com medo não sei se tenho estrutura pra lidar com uma recaída. .tenho mta desinformação. .o que me diz? Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito difícil o relacionamento com um de,namoro um a oito anos e se eu pudesse voltar atrás faria diferente...

      Excluir
    2. E se vc descobriu no começo e o sentimento q tem por ele não é amor. Te aconselho a sair agora p não sofrer.

      Excluir
  26. Oi, achei o blog fuçando o google. Encontrei varias amigas q passaram ou passam o mesmo q eu. Vivo faz 3 anos com uma pessoa q aos 3 meses juntos soube q era dependente d cocaina. Meu chao caiu mas ja estava amarrada dmais. Foi internado mas 3 meses apos ter saido recaiu. E ate hj vivo d promessas n cumpridas, grosserias. Tenho um filho do primeiro relacionamento e outro dele. Gravides triste, pos parto tbm e hj n sei mais o q é felicidade. N tenho parceiro, companheiro. Vivo pros meua filhos e minha casa. Carrego um peso q n eh meu. N durmo direito, n como direito. Sei qdo ele usa. Ele chega quieto mas todo desconfiado, quer detalhes em tudo, me irrita. Ai começa a perturbaçao. Q vida meu Deus e parece q eles sao nossas drogas, parece impossivel a gente sair dessa vida! N aguento mais mas n consigo tomar uma decisao pq o amo mto!

    ResponderExcluir
  27. Peço desesperadamente uma resposta de alguém. ..namoro com um adicto há 8 anos,ele n trabalha,já me traiu várias vezes passou por mais de dez internações. ..jura ter um amor enorme por mim,já morei c ele por um mês e vendia as coisas da casa para comprar drogas,sai da casa dele e voltei para minha mas continuei o namoro...ele fica sem usar somente se eu ficar 24 horas do dia do lado dele basta eu sair daqui perto pronto vaí atrás. ..faz promessas de q vai ser diferente ,q vai arrumar um emprego mas esse dia nunca chega. N posso nem ir à uma praia sozinha q ele diz nomes absurdos comigo enquanto ele passa noites foras e eu posso perdoa_lo. N aguento mais essa situação mas tb n consigo deixa_lo...será que é amor ou uma doença?pq n sou feliz com ele e n consigo terminar...tenho medo de ficar sozinha. Por favor alguém me responde me dá uma luz!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele te traiu, traição não tem haver com as drogas tem haver com caráter. Vc tá passando no Barra com ele e o mesmo te trai, é pq não te ama, e só tá querendo alguém o se apoiar.

      Excluir
  28. Nossa amiga, estamos na mesma. O meu eh super trabalhador e n vende as coisas. N esta nesse ponto pq sempre tem dinheiro mas sou pessoa decente, tenho familia e n consigo deixa-lo tbm. Termino e volto. Vivo p cuidar da casa e dos meus filhos. Ja fui traida tbm mas a Safada sou eu. Por ter aprontado sempre me chama d tudo menos d santa. Somos doentes sim. Eu ja entendi isso e vou comecar a me tratar. Sorte p nos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi meninas!Há um mês decidi dar uma basta.Morei com um adicto por 11 anos.Temos duas filhas, mudei de Estado pelo amor que senti por ele.Ainda o amo.Sou da área de Humanas ja fiz diversos cursos sobre drogas mas viver na co dependência é estar doente sem perceber...vivi sob muitas mentiras, desculpas, justificativas...ele sempre culpa alguém pelas recaidas.Ja foi internado, foi p NA , Caps...tudo que pude fiz...ele trabalha, é responsável, amoroso, mas isto sempre foi os motivos que coloquei na frente da sua doença. Aguentei tudo por ser bom pai, pela sua companhia divertida, pelo seu abraço mas na verdade eu estava tão doente quanto, eu dependia dele p viver...p controlar...seu dia...seu cartão de crédito...seus passos no trabalho...para que Lee não fugisse...sim, ele sumia..do nada..conquistava minha confiança passava até dois meses, três meses sem uso e me decepcionava..sumia..dois dias...voltava chorava..dormia...nariz machucado...sonolento..faminto...sujo...pedia perdão. .dois dias depois estava ótimo...arrependido, me prometia tudo.Sofri...muito.Fiz terapia por quatro anos, fantasia a suas recaídas, não o deixava com dinheiro nenhum.Até que há um mês fiquei extremamente cansada emocionalmente.Chegava do trabalho e dormia as 19:00 para não enfrentar minha vida em casa.Me dedicava ao trabalho , aos meus cursos, aos meus filhos e não onsguia perdoar ele por não se recuperar.Decidi separar.Não escolhi isto p mim, não curto droga e não quero viver come atas co sequências.A escolha e dele seja doença crônica ou não eu decidi não viver isto...não quero etapas de trata mento, não quero ficar mais nenhuma noite acordada esperando ele voltar ou não voltar..não quero ter que acordar e não ter gasolina no carro pq ele usou o carro a noite toda...Chega.Preciso me amar.Não mereço isto .Sou lutadora.Sou forte.Amo ele.Mas a ideia de pensar que a recuperação e a Cid toda...que não vejo nele tanta determinação de largar o vício...mais da metas da vida dele ele vive com drogas...é difícil.Complexo.Uma vida de interdependência...eu e ele..amor..carência..drogas...desamor..ódio..perdas...diversas perdas...financeiras...emocionais...QUEBREI ..ROMPI O CICLO...ACABOU. ..tá difícil.

      Excluir
    2. Olá Meninas, Li alguns relatos e esse parece que foi narrado por mim, pois sou esposa de um adicto há 11 anos, dessa relação nasceram um casal de filhos, um com 10 anos e uma bebê de apenas quatro meses, descobri a adicção dele há mais ou menos cinco anos,na minha cabeça me veio aquele sentimento de que poderia salvar ele , salvar a nossa relação a nossa família na minha cabeça era fácil, pois usei como medida o meu amor, que é muito grande...achei que nossos filhos poderiam incentiva-lo, mas hoje mesmo tendo dificuldade para admitir, vivo na code pendência me tornei uma mulher insegura, deprimida, triste, ansiosa, perdi a vaidade a autoestima, por que é tão difícil dizer adeus? Por que doí tanto ? São tantas dúvidas e tanta dor...

      Excluir
  29. Oi meninas
    Comentei aqui há um tempo atrás. Meu namorado saiu da internação... Começou a freqüentar NA e fomos morar juntos. Mudei muito na relação com relação á codependencia. Frequento o AE e isso me ajuda muito. Mas ele recaiu... Há 3 semanas em comportamento e há 10 dias com droga. O pior é que ele usa em casa... Falei.. Falei... Mas ele não respeita. Essa noite saiu pra usar. Então fui à cozinha e estava fechado na área de serviço usando. Tomei decisão de coloca-lo pra fora caso isso se repita (seja la como for... Talvez precise de ajuda policial). E também decidi sair hoje... Sozinha... Pq não vou perder meu domingo ao lado de um zumbi ressacado. Mereço viver. Busquei ajuda na literatura do NARANON e infelizmente se ele não retomar a recuperação essa semana, vou manda-lo embora de casa. Sei que ele pode se recuperar, mas sei também que isso depende apenas dele. A mim cabe decidir apenas a minha própria vida. Forca e serenidade para todas.

    ResponderExcluir
  30. Bom dia meninas... Tenho 25 anos,trabalho e sou estudante,e há 02 semanas terminei um relacionamento de 9 meses com um dependente quimico, em Cocaína,9 meses que me pareceram um século de sofrimento. O conheci em dezembro de 2015,ele era exatamente tudo que pedi à Deus,eu nunca havia conseguido me apaixonar e me envolver antes,mas ele me completava em tudo..ele já havia sido internado por diversas vezes,morou na rua,perdeu tudo,exatamente tudo,por muitas vezes.Quando o conheci ele estava bem,estava vindo de uma recuperação de 1 ano e meio na Bahia,me contou todo sua historia,eu realmente via nele alguem "recuperado",forte e admiravel,em todos os aspectos.Mas em maio deste ano,minha vida virou de cabeça para baixo,ele teve uma recaída,foi se transformando em outra pessoa,eu o perdoei varias vezes, apoiei,ajudei em tudo,ele ficava bem,me pedia perdão,mas depois mentia de novo,começava a andar com a "mesma galera",me trocava de novo...Passei noites em claro,imaginando onde ele estava,chorando,perdi muito peso de forma assustadora,minhas notas na faculdade cairam,perdi meu desempenho no trabalho,sofri e sofro demais. Ele sempre caia,e vinha com um discurso convincente e arrependido,dizia que nunca havia amado ninguem como eu,que eu era o amor da vida dele,e eu voltava,e passava por tudo de novo! Entrei em depressão,um quadro que eu já não vivia há anos,pois já havia sido curada,mas essa situação me jogou no chão de novo. Por isso resolvi terminar,depois de sua recaída,na última segunda feira,ele voltou para as ruas,para os bailes,tenho tido contato com a familia dele,que sempre foi muito ligada a mim,eles dizem que ele chega todos os dias em casa de manhã,também já nao aguentam mais...ele tem 27 anos,e está nessa desde os 14 anos de idade,entre recuperações,recomeços...Sei que minha historia parece pequena,comparado ao tempo,que muitas vivem ou já viveram nessa situação...mas é uma dor insuportavel,eu ainda o amo muito,ele não me procurou mais nessa última semana,se entregou de novo. Não tenho tido forças para levantar da cama,estou lutando novamente contra depressão,só penso nele,tenho vontade de fugir de tudo.Eu esperei e me guardei por anos,por um relacionamento que roubou minha paz.Me pergunto,como uma pessoa não quer viver bem,tivemos momentos maravilhosos,ele é super inteligente,carismatico,tem tudo pra dar certo...mas não quer,sempre se entrega de novo! Me sinto sozinha,injustiçada,rejeitada e totalmente perdida...mesmo depois de ter tomado a decisão de não continuar a ser enganada! É um amor estranho,forte e ao mesmo tempo,ingrato! Mas vou seguir,to buscando forças em Deus,na palavra,e ler as historias e relatos de vocês,me trouxe paz e conforto,eu não estou,e nunca estive sozinha! A vitória que desejo e espero pra mim,desejo a todas vocês e seus amados! Não sei como,mas há uma saída!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As histórias são as mesmas. Só mudam os personagens! Hoje se completam 4 meses que me separei (novamente) do amor da minha vida! E continuo o amando MUITO! Saudades, dor na alma em conflito com a razão! Fico me perguntando até quando essa dor.

      Excluir
  31. Meninas não estou aguentando. Tenho 22 anos ele 24. Ele é um cara muito inteligente, divertido, cavaleiro, romântico, cozinha para mim, cuida de mim quando estou doente, ele é lindo e ajuda todo mundo.
    Estamos juntos a 3 anos, ele estava limpo, mas depois de 6 meses eu descobrir q ele estava tendo recaídas, ele me confessou. Por várias vezes ele teve recaídas ai eu brigava e com suas novas promessas o perdoava.
    Decidir que odiar me casar com ele, mas tive que adia, pq descobrir várias mentiras, ele ficava o final de semana comigo, limpo sem cocaína. Mas na segunda a sexta q eu não o via, ele vi ia sua vida com as drogas.
    Ele roubava o pai e mãe na casa dele, chegou a roubar 10 reais dias vezes na minha bolsa. Enta o decidir acabar tudo. Ele veio conversar com8go p voltarmos eu disse q não, mas ofereci ajuda e ele topou ir p uma casa de recuperação.
    Ele ficou 6 meses na casa de recuperação, nos voltamos, pq percebi q ele estava tentando. Ele sai em maio deste ano e em agosto teve nova recaída. Depois da entrada na casa de recuperação estudei muito sobre o assunto das drogas, e vi que era uma doença e q a pessoa precisa de ajuda.
    Mas nos brigamos muito, eu controlo cada passo dele, pareço q trabalho no Csi , investigou o q ele diz e sempre descubro muitas mentiras, ai quando digo q sei da verdade e chamo de mentiroso, ele fica super nervoso, e da vai p casa dele. Ele ainda fica me culpando por ter ido investigar ele. Eu faço isso pq não suporto mentiras.
    Sempre digo o ele, ok entendo sua luta contra as drogas, agora não vou aguentar mentiras.
    Mas as mentiras continua e quando pergunto pq mente, ele diz q tem vergonha de for q recaiu.
    Não aguento mais tenho sofrido muito, eu tenho q ficar escondendo meus dinheiros em casa, com medo de ele pegar, ele não arruma um trabalho certo, e vive pedindo dinheiro emprestado a mim e as pessoas e nunca nos paga.
    Não assume responsabilidades, está horrível viver assim, eu o amo por isso não desistir, mas eu já não tenho mais forças.pior q não consigo desabar totalmente c ninguém, c9m medo de não entenderem e o massacrarem

    ResponderExcluir
  32. Oi.. eu tenho 31 anos, um filho de 8 e estou no segundo casamento,nao somos casados mas moramos jumtos, ha dois anos e meio.. e no comeco tudo eram flores, ele e trabalhador, responsavel, cuida bem do meu filho, mas, mesmo com uma familia ele nao consegue parar de usar cocaina, e as vezes craque e todos os dias maconha... eu sinceramente, nao consigo me.ver mais casada com ele.. morro de medo de engravidar e criar outro filho sozinha... hj nao sei mais se o amo. As vezes acho q eu sou impaciente e a atitude dele me irrita muito... qd ele e convidado p ir em churrasco com os amigos ou na empresa a primeira coisa q vem na cabeca .. hj ele vai fazer cagada! E ele faz!! Ele nao tem carro.. ai usa o meu p tudo, fico com o coracao na mao qd ele sai com o meu carro.. foi dificil d consrguir as coisas, tenho ciume do q e meu.. foi meu suor.. nossa vida financeira e bem complicada, tudo.contado, dificilmente compro alguma coisa p mim, trabalho e.faco faculdade de direito, estou na sexta fase, e.dificil, cansativo, ha.tb trabalho, e ele nao.pensa nisso.. chego o dia do.pagamento dele.. o compromisso e.com a cocaina, fica trancado no bamheiro usando por 12 horas.. fora a cachacada junto e pornografia.. e eu?! Eu fico na sala com meu filho, no quarto na cozinha na area de.servico com um no na garganta q nao passa nada., pensando em sumir de casa e chutar o pau da barraca... me consumindo de odio... pelo egoismo dele. Sinceramente nao sei oq fazer, nem como agir... hj ele ja disse q quinta.feira e o dia dele.. e o meu da tortura ne! Inferno em casa... mas no outro dia ele se consome de.remorso cai na real... so ate ao proximo pagamento ou o proximo convite p festinha. Nao.sei oq.fazer.. alguem me.da.um.socorro!

    ResponderExcluir
  33. Obrigada de coração a criadora deste blog e todas7as guerreiras que contribuíram aqui com suas experiência. Foi cruscial para a minha decisão final

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual foi sua decisão final?

      Excluir
  34. Olá meninas me identifiquei com vários comentários... pois há uma semana estou separa do meu ex namorado (adicto)... foram 1ano e 8 meses de desespero, preocupações, mentiras, desculpas, decepções.... mas também tiveram momentos ótimos de amor, carinho e certo companheirismo.... sinto me arrasada por dentro... ainda o Amo ... mas acho que o melhor a fazer é deixar como está e seguir o meu caminho....porque as promessas de mudar que ele faz é em vão... desabafar com vocês é o melhor a fazer neste momento... e ter fé em Deus que é o melhor para minha vida.... mas to sofrendo bastante... Vlw

    ResponderExcluir
  35. Olá ,sou casada com um dependente e sou uma dependente em recuperação, o pior de tudo que me casei pensando que isso seria a chave da recuperação dele, mas ,mais ele vive internado do que comigo,pois qdo ele recai a mae dele logo interna,e o melhor para segurança dele ,pois corre muito risco qdo está no uso.casamos dia 11 de fevereiro e so durou uma semana bem, depois ruam3 dias vo.ta, Rua 3 dias vo,tão até q começou a fica violento bateu em mim, depois uma semana bateu em minha filha ,tudo consequência ,amigos ,parentes conhecidos me pedem que eu me afaste e vá ser feliz, ele ameaça se matar na clínica, eu não sei o q fazer, menos de 2 anos eu me acabei tentando ajuda Los pior de tudo ,me formei terapeutamtenhk capacidade para ajuda lo,mas parece que ele nao quer. A drogadicao dele me fez volta a usa maconha e depois de um ano tive uma recaída na pedra que é a droga de preferência dele e foi a minha...durou um dia minha recaída e retomei minha vida ,ele foi internado qdo voltou e pediu em casamento eu já estava batizada na igreja então casamos ele se batizou e não adiantou nada,pra mim chega ,só não sei se espero ele sair pra dizer ou digo enquanto ele está i ternado...peço ajuda a vocês, preciso viver

    ResponderExcluir
  36. Pior sou eu que meu namorado esta numa clinica internado e a mae dele não autoriza eu ligar pra ele. E alem de eu ter que lidar com a recuperação do namorado longe nao posso conversar com ele. Amo muito e acredito na mudança dele. Só confiar em Deus já sofri muito e perdoei eu o amo demais . Ele é a razão da minha vida.

    ResponderExcluir
  37. Bom minha experiência e totalmente nesse contexto, agora ele saiu tentou ficar em casa ate as 2 da manhã e saiu novamente, chega dói em meu peito não sei oq fazer estou desesperada, agora casei com ele arrumei minha mala mais não sei se vou ou fico, ele diz sempre que vai mudar e nunca muda,tento ameaçar de ir embora msm assim não muda, amanha voltará implorando não sei se irei perdoa estou muito machucada!!!

    ResponderExcluir
  38. Meu nome é Poliana, e seu blog é uma grande ajuda emocional pra mim. Assim como muitas outras me identifico muito com as coisas que você escreve. E esses textos me fazem enxergar muitas coisas que não enxergo sozinha, e me ajuda a tomar decisões melhores. Tenho 17 anos, e meu namorado 24, moramos juntos, e namoramos a 1 ano e 3 meses. Tem sido bem difícil, mas agora parece que ele acordou depois de fazer uma conta de 500 reais e eu correr atrás do dinheiro pra ele. Não vou desistir porque o amo. E você é um grande exemplo de grande força, amor, e perseverança.

    ResponderExcluir
  39. Bom dia!

    Eu sou casada com um ex dependente químico, e tenho que dizer, é difícil até hoje. Ele não usa faz um ano e 6 meses aproximadamente. A sensação é que você dorme do lado de uma bomba relógio. A gente se torna um codependente daquela pessoa, sentimos medo, angustia, ficamos em estado de alerta total o que nos bota nessa situação de dependência da outra pessoa. Eu controlo os gastos dele com o dinheiro, me preocupo se ele foi no bar e volte e meia pego alguns furos, e vejo que falta 5 reais aqui, 3 reais ali e isso é um verdadeiro inferno. O casamento deixa de ser prazeroso e se torna uma cadeia com um carcereiro carrasco cobrando o tempo inteiro. E ta cansativo, porque ele não entende que a bebida leva a drogas e pra piorar com transtorno bipolar. Casamos a mais de um ano atrás e fomos embora para Europa para fugir um pouco desse mundo das influencias, e lá foi outro inferno por causa do transtorno bipolar, voltamos embora a pedido dele e quando chegamos aqui entrou em depressão e voltou a beber, e deixava ele beber em casa, que assim eu conseguia controlar a quantidade. Mas isso não foi o suficiente e ele começou a ir pro bar as escondidas, sacou dinheiro da nossa conta sem eu saber, e estava bebendo (não sei se usou droga, porque não percebi e não me contou também). Mas enfim, a situação fica complicada toda vez que existe uma cobrança, ele não aguenta mais e eu também não. O Melhor que consegui até hoje foi confiar em Deus, me achegar perto de um ser superior a qualquer médico, a qualquer remédio ou tratamento para tentar reverter a situação. Se não fosse pela esperança que tenho em Deus, já teria abandonado tudo.

    ResponderExcluir