terça-feira, 19 de julho de 2011

O desejo de parar de usar!

Bom dia!

Agora são 08h44min, desta terça-feira, dia 19 de julho de 2011. O dia ideal para sermos felizes, não é mesmo?

Dezenove dias que meu esposo está limpo!

Ele saiu para o trabalho por volta de 05h55min. Saiu apressado, pois, estava um pouco atrasado. Roupas brancas. Cabelos bem cortados. Barba feita.

Já estou com saudades. Mas, a vida segue. E hoje é dia de curtir meus filhotes!

Além de me possibilitar conhecer muitas histórias de co-dependentes, este blog também me permite acompanhar muitos dependentes químicos em recuperação. Torço, oro, e desejo que tudo dê certo para esses companheiros.

No dia 17 deste mês, recebi um e-mail, com uma história de superação, uma história que emociona e nos mostra um pouco do que o adicto sente, que eu não poderia guardar apenas para mim. Ele é o marido da nossa amiga, cuja história foi relatada no post Um Casal em Recuperação.

Suas palavras me encheram de esperança. Sei que o meu marido também pode, e vai!

“Boa noite Poly, tudo bem? Meu nome é M., sou marido da T., e tenho acompanhado sua história, através do seu blog.
Sou um adicto em recuperação, membro do N.A., Só por Hoje não usei drogas e isso se repete a oito meses e sete dias, mas é só por hoje, não tem nada garantido se eu não continuar voltando.
Vou contar um pouquinho da minha história para você.
Comecei a usar droga muito cedo, aos doze anos foi a primeira dose, e a minha droga de escolha era a cocaína.
Aos 35 anos resolvi pedir ajuda, pois, não suportava mais tanto sofrimento, nem meu, nem das pessoas que faziam parte do meu convívio e que me amavam, o sofrimento é muito grande para todos.
Durante todo esse tempo usando drogas, posso afirmar, com bastante certeza que não houve um dia que eu consegui pelo menos empatar, foi derrota, atrás de derrota. Cometi diversas insanidades para conseguir mas uma dose. Todos os dias eu desejava, de verdade para de usar, mas não conseguia, era mais forte que eu, era uma briga desigual, era a minha carne pedindo mais uma dose, e a minha mente não tinha meios de dizer não para o meu corpo, e assim eu continuava usando, e conseqüentemente, acabando com a minha vida em todas as áreas.
Não conseguia ser pai, marido, filho, profissional, amigo, etc... Resumindo, eu não conseguia ser nada, cheguei ao ponto de não me reconhecer mais, perdi minha própria identidade, pois, vivia usar e usava para viver.
Por diversas vezes vi a morte bem de perto, pois, quase fui assassinado e quase morri de overdose algumas vezes, mas graças ao meu Poder Superior, que o da minha compreensão é DEUS, estou aqui tendo a oportunidade de contar um pouquinho da minha história pra você.
Minha esposa sofreu muito com a minha adicção ativa, cheguei a pedir que ela me abandonasse, pois, não suportava mais ver o sofrimento dela. Um determinado dia, depois de ficar cinco dias na rua usando drogas, e sem dar notícias, ao chegar em casa, pedi que ela pegasse nosso filho e fosse embora, pois, eu não via mais nenhum motivo para ela estar comigo. Disse que eu não servia para mais nada,mas que ainda assim eu ia tentar me salvar, e ela me disse o seguinte: EU TE AMO, VOCÊ É O PAI DO MEU FILHO E NÃO VOU TE DEIXAR, VOU CONTINUAR AO SEU LADO E VOCÊ VAI CONSEGUIR SAIR DESSA!
Naquele momento, meu filho que tinha apenas 1 ano e 4 meses, saiu do colo dela e me deu um abraço muito apertado, demonstrando que estava com muita saudade de mim, e foi essa demonstração de amor que salvou minha vida, pois, peguei o telefone e pedi ajuda.
Uma semana depois, estava chegando na casa de recuperação de uma comunidade católica, permanecendo por lá 3 meses e meio, e sou muito grato àquelas pessoas que me receberam com muito amor e carinho, algo que nunca tinha experimentado antes.
Fiquei limpo por um tempo, e logo veio a primeira recaída, mas não desisti da minha vida, pois, quando estava internado, aprendi que CAIR É DO HOMEM, E LEVANTAR É DE DEUS.
Após algumas recaídas, cheguei à sala de Narcóticos Anônimos, onde também fui recebido com muito amor e carinho, e lá eles me disseram que eu era a pessoa mais importante, o que me surpreendeu, pois, durante anos da minha vida, eu já não era importante nem para mim mesmo.
Em N.A. aprendi que eu era um adicto, que era portador da doença da adicção, que é incurável, progressiva e de determinação fatal, que me levaria a três caminhos, instituição, prisão ou morte e que antes de me matar ela iria me desmoralizar.
Preso eu já fui usando droga, estive internado em uma instituição, assim só me restava a morte... Ocorre que eu não queria morrer usando droga, e por isso continuei voltando e fazendo o que o programa me sugere, e isso tem salvo a minha vida, só por hoje, há 8 meses e 7 dias.
Hoje, Poly, estou limpo, consigo ser pai, ouço do meu filho todos os dias que sou seu melhor amigo, consigo ser um marido para a mulher que um dia fiz sofrer tanto, consigo ser um profissional competente, consigo ser amigo, e assim tudo vem dando certo em minha vida, isso porque encontrei uma nova maneira de viver, "SEM O USO DE DROGAS".
Tenho acompanhado a sua luta diária, com seu marido e posso te dizer que é possível parar de usar, perder o desejo, e encontrar uma nova maneira de viver, mas isso não depende de você, depende somente do desejo dele, pois diz a 3ª Tradição de N.A. que: O ÚNICO REQUISITO PARA SER MEMBRO É O DESEJO DE PARAR DE USAR.
Um adicto que não queira parar de usar, não vai parar de usar. Pode ser analisado, aconselhado, persuadido, pode se rezar por ele, pode ser ameaçado, surrado ou trancado, mas não irá parar até que queira parar.
Poly, espero de verdade, que seu marido consiga se livrar da garras da adicção ativa, pois, sei o sofrimento que é, e não desejo isso pra ninguém...
Esse é um pouquinho da minha história.
SÓ POR HOJE: EU ESTOU AGRADECIDO POR PODER ME IDENTIFICAR COM OUTROS. HOJE, AO PARTILHAREM SUAS EXPERIÊNCIAS, EU OUVIREI E PARTILHAREI AS MINHAS COM ELES.
Seja muito feliz, Só por Hoje! Abraços.”

Dispensa comentários adicionais, não é mesmo?

Apenas desejo muita serenidade a esse casal, e que Deus os abençoe só por hoje, e sempre! E que o amor sempre fale mais alto...

4 comentários:

  1. Que lindo Poly, que gratificante tudo isso, isso nos inspira não é mesmo?
    No fim, formamos uma bela família de codependentes e dependentes, nos entendemos facilmente e vemos essa realidade sem preconceitos, sem vendas nos olhos, vemos ela como ela é, e assim, conseguimos nos ajudar.
    Beijos e um lindo dia pra vc!

    ResponderExcluir
  2. Ser sincera, também faz parte da nossa recuperação, então confesso que tenho muito medo da droga.
    Quando leio essas coisas tenho medo. Medo do poder que ela exerce.
    Mas sei também que isso é a maldade querendo entrar para corromper meu coração. Tirar meu otimismo, minha fé, minha esperança... Aí mando embora rapidinho.
    Eu vou vencer e pensamento positivo é a base de tudo!
    Vou vencer, sem me esquecer, sem deixar de me amar, de amar a vida, vou vencer, por que determinei isso pra minha vida!

    Quando enfrentamos algum problema ou sofrimento e ativamos a sabedoria que nos permite solucioná-lo, muitas vezes, sem perceber, experimentamos um estado de imensa alegria. Uma poderosa energia vital transborda e avaliamos tudo o que está acontecendo de uma perspectiva mais elevada — toda circunstância acaba sendo um benefício. Em qualquer que seja a situação, uma pessoa com esse estado de vida fará sua transformação em todos os aspectos.


    Quero dizer uma coisa a você. Mesmo se alguém lhe disser: fuja, desista! Deve responder-lhe; jamais! Viva jovial e corretamente cada dia, sempre. (Daisaku Ikeda)

    ResponderExcluir
  3. Olá,me identifiquei muito com essa historia,só esta faltando o inicio da recuperaçao,pois meu esposo esta na fase ativa,mas me encheu de fe´e de esperança....

    ResponderExcluir
  4. Isso é a prova de que podemos vencer, acreditar que a recuperação é possíve sim!
    Fiquei tão feliz ao ler essa história, me deu forças!

    ResponderExcluir