domingo, 31 de julho de 2011

Julho já está no final!

Bom dia!

Agora são 06h17min deste dia 31 de julho de 2011, domingo!

Trinta e um dias que meu esposo está limpo!

Esse mês de julho está chegando ao seu final, e com certeza, foi um mês lindo e especial em nossas vidas! Neste mês, meu esposo não teve nenhuma recaída! Neste mês, uma nova vidinha nos foi dada de presente! Neste mês, completaram cinco anos que nos conhecemos!

Por tudo isso só posso agradecer a Deus!

Queridos, tenho recebido muitos comentários, tenham certeza que antes de publicá-los, os leio com toda atenção, mas, infelizmente não estou conseguindo responder um a um, entretanto, continuem enviando, pois pode ajudar a alguém. E aos poucos, vou respondendo.

Em especial, hoje estou aqui para agradecer pelas felicitações e palavras de bênçãos recebidas pela gravidez. Obrigada!

A Patrícia, o Junior, a P, a Tininha, a tia Gaby (Rs), a Dione, o Adilson, a Giulli, a Kátia e a Dayla (via Orkut), cada um à sua maneira, me trouxe mais alegria ainda com suas palavras.

Agradeço ao Junior também pela resposta enviada ao comentário da Patrícia, falou tudo! E eu só queria abrir um parêntese, Patrícia, quando você diz a mim que “o fato é que seu marido, aparentemente, também não quer parar, assim como eu”, preciso discordar de você.

Só por hoje, e no ultimo mês, ele tem sido mais forte do que a obsessão pela droga. Ele a tem vencido a cada dia. Só por hoje eu posso te afirmar que ele quer parar sim. Que só por hoje, a vontade dele de estar limpo e sereno, e de voltar para casa ao fim do dia de cabeça erguida, tem prevalecido, e é isso o que importa querida.

Comece de novo. Um dia de cada vez. Você quer? Então você pode!

Amigos, outra coisinha que queria dizer é que eu não vou embora não! Apenas vou reduzir um pouco as postagens. Agora mesmo estou aqui a morrer de enjôos diante dessa luz do PC... Mas, estarei sempre aqui.

Queridos, gostaria de deixar para vocês duas mensagens de pacientes, enviadas ao Serviço de Atendimento ao Cliente do hospital onde meu esposo trabalha, na íntegra, conforme eu havia mencionado no post Ele é um Homem Bom! Vejam:

Em 15/07/2011: “Gostaria de elogiar em especial o Técnico de Enfermagem XXX, por desempenhar sua profissão com amor e dedicação. Gostaria de acrescentar que o mesmo é super atencioso, humano e competente. Se eu tivesse que dar uma nota de 0 a 10, não teria dúvida que daria 10!”

Outra paciente, em 26/07/2011: “Elogio ao Enfermeiro XXX. Há Enfermeiros bons, mas ele é excelente! Nunca me deparei com um profissional tão excepcional, que além de fazer jus à profissão, é humano e extremamente atencioso com os pacientes. Mesmos sem ser chamado, ele passa nos quartos várias vezes no decorrer de seu plantão para ver se o paciente está bem e se precisa de alguma coisa. Ele é muito prestativo, e a atenção, paciência e carinho que tem com o paciente, resolvendo tudo o que está sobre seu alcance o destaca entre os profissionais da área. Ele é carismático e transmite uma energia muito boa, muito positiva, que é o que os pacientes precisam. Sou grata a ele, pois foi bom saber que existe profissional assim, muito além das expectativas, foi um prazer ter sido sua paciente, mesmo que por um dia, mas, que já fez a diferença. Se todo profissional fosse como ele, esse mundo estava feito. Posso dizer que o Enfermeiro XXX é o orgulho desta categoria profissional e merece ser reconhecido e valorizado.”

Essas duas mensagens ficaram no mural por três dias, e depois sua chefe imediata o entregou assinado e acompanhado de um “Parabéns”!

Que orgulho do papai! Hehe

Esse é o homem pelo qual me apaixonei. Esse é de fato o meu esposo. Que Deus lhe dê forças, meu amor, para seguir em sua recuperação, e para que reconheças, a cada dia, o quanto a vida vale a pena!

Viram como ele é especial?

Por isso criei esse blog. Para mostrar que um dependente químico é alguém doente. Que precisa de ajuda. E não alguém sem caráter, ou coisa parecida, como muitos pensam e julgam.

Gostaria de enviar aqui também uma mensagem ao Gabriel. Ele me deixou dois comentários no post Me perco nos Caminhos! Ele é um garoto de 13 anos. Sua mãe já foi usuária de maconha, mas, se livrou do vício após conhecer o seu padastro, há dois anos. Entretanto, o seu padastro é dependente de crack, e os relatos desse garoto mexeram com meu coração.

Querido Gabriel, claro que não foi perda de tempo ler sua história. Se você me contou tudo aquilo, é porque são fatos importantes para você.

Espero, de coração, que seu padastro encontre o caminho da recuperação nesta internação. Mas, me preocupei com você. Você é muito jovem para tanto sofrimento. Use tudo isso a seu favor! Nunca experimente nenhuma droga, pois, como você tem visto elas não são solução para os nossos problemas. Meu pai vendia nossas roupinhas e até nossas comidinhas para trocar por drogas. Entretanto, minha irmã e eu decidimos estudar e ter uma vida digna. Nunca usamos drogas. Nunca precisamos delas. E por isso, hoje podemos dizer para nós mesmas que vencemos. Temos bons empregos. Somos reconhecidas pela sociedade.

Faça o mesmo Gabriel. Vale a pena. Só assim você poderá ajudar sua mãe e seus irmãos. Afinal, você tem o nome de um anjo, sabia?!

Bom, amigos, é isso. Se vocês sentirem no coração de responder algum comentário deixado, fiquem a vontade, ficarei muito grata, e esse é o objetivo do blog, partilha de experiências, força, fé e esperança!

“Só é possível viver feliz para sempre, depois que se tem por base o dia-a-dia.” (Margaret Bonnano)

12 comentários:

  1. Que coisa boa Polly, ver todos esses comentários a respeito do seu marido, deve te dar um orgulho imenso né? Isso me fez lembrar do meu pai, ele também era enfermeiro, hoje está aposentado, mas até hoje vejo ex pacientes dele, o elogiando e agradecendo pelo auxilio prestado, pelo carinho e por muitas vezes ter salvado vidas. Eu tenho muito orgulho disso, e imagino que você também.
    Outra coisa que deve te encher de orgulho é esse um mês limpo, isso merece uma comemoração! Bola algo Polly, nem que seja uma comidinha especial, ele tem que ser incentivado!

    Um lindo e abençoado domingo!!! Estamos juntas!!

    Beijos em vocês!! da tia Gaby :)

    ResponderExcluir
  2. Poly, com toda certeza o seu trbalho aqui com o blog é algo a ser parabenizado, você não só tem mostrado a vida de uma codependente, mas também a de um dependente, mostrando o quanto ele também sofre com a sua adicção, mostrando que ele é um ser humano, uma pessoa do bem.
    Fazem 31 dias que seu esposo está limpo e como foi bom acompanhar diariamente os seus posts aqui no blog... Acho bom mesmo que você não suma, apenas reduza..rs
    Beijos querida, que seu caminho CONTINUE sendo iluminado!

    ResponderExcluir
  3. Poly o seu esposo está conseguindo aos poucos e se Deus quiser ele vai encontrar o caminho da recuperação, ele já passou um ano e alguns messes limpo (li em um post seu) então ele tem capacidade de conseguir a recuperação para o resto da vida sim!
    Ha e que orgulho hein de ver tantos elogios do seu esposo, aí fico pensando... - haaa se não fosse essa maldita droga encomodando-o..
    Aos poucos ele vai conseguir, e está conseguindo né, pois está um mês limpo
    bjuuss e cuida bem da gravidez viu!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Polly !

    Fico feliz pelo bebê novo e pelo progresso do seu marido, que tem muita sorte de ter encontrado uma mulher especial como você.

    Entretanto, acho que me não me expressei corretamente. Peço permissão para explicar melhor meu ponto de vista.

    Todos nós - adictos - queremos parar de usar drogas. Quando chegamos a nos perguntar: " Eu tenho um problema ?" já sabemos a resposta de antemão, mesmo que tenhamos dificuldade em aceitá-la. A verdade é que nenhum ser humano deste mundo, por mais reles e vil, por mais desumano ou covarde, deveria experimentar esse sofrimento.

    Então, como um adicto poderia não querer superar aquilo que contraria sua natureza, que é viver em liberdade ? Não faz sentido. Todos nós queremos a mesma coisa: liberdade e felicidade.

    Ponto.

    Bem, o Júnior falou em "fundo do poço". Gostaria de comentar algo sobre isso.

    Sabe, eu gosto muito de ler os artigos da Nora Volkow, e ela fala muito deste conceito, que os americanos chamam de "hitting bottom".

    É aquele momento em que a força inabalável chega, e ela sempre é provocada por algum acontecimento, doloroso ou não: perdas irreparáveis, nascimentos felizes, desespero sem saída ou algo que cale fundo dentro de nós - exatamente por ter sido decorrência de/ou por sofrer ameaça de ter seu curso desviado pelo uso de drogas.

    ( Continua )

    ResponderExcluir
  5. Ela diz, e eu concordo plenamente, que essa idéia atrapalha muito o tratamento da dependência química. O adicto tem que esperar tudo desabar para buscar ajuda ? Não! Como em qualquer doença, quanto mais cedo for a intervenção, maior as chances de recuperação.

    No meu caso, as perdas ainda não foram devastadoras, mas sei que estou na fase do "ainda". Perdi um pouco da funcionalidade laborativa, do respeito da família ( que descobriu recentemente ), bastante em auto-estima e amor próprio, um pouco da saúde. É muita coisa e nada em comparação do que eu teria perdido se não comecasse o tratamento logo que me dei conta de que não, aquilo não era normal, e não, eu não poderia continuar me enganando. Não se quisesse sobreviver.

    Então, Júnior, não acredito em fundo do poço.

    Nós, enquanto adictos, devemos lutar contra esse mito, que apenas faz durar algo que poderia ter morrido muito antes.

    O quê me fez escrever aquela frase, Polly, foi uma percepção subjetiva minha. Todo dependente têm histórias parecidas, e a minha e a do seu marido é a do dia em que você foi com ele a um restaurante para protegê-lo de si mesmo.


    Sabe, eu também já fiz isso com uma pessoa a quem amo muito. Quase a mesma história, só os personagens são diferentes.

    Levei-a para um local de tráfico, fiz com que ela presenciasse aquilo e corresse os riscos que esse tipo de ambiente gera.

    Fiz isso para comprar cocaína. Eu precisava de cocaína. Meu amor, apesar de real, não conseguiu me blindar contra a necessidade do meu cérebro enlouquecido.

    Essa pessoa nunca bebeu, fumou ou teve qualquer vício. Foi comigo por amor, para me segurar, e eu a deixei ir por que precisava usar.

    Eu disse antes que não tinha perdido muito em termos externos, não foi ?

    Pois interiormente essa foi a pior perda.

    Sei que posso me perdoar e conquistar um novo modo de vida, mas jamais vou me livrar daquele momento. Não enquanto viver.

    ResponderExcluir
  6. Foi ali que vi realmente quem eu estava me tornando. Foi ali que percebi a extensão de meu egoísmo quando a fissura dava ordens ao meu corpo.

    A sensação é de horror. Não há outra palavra para definir esse momento em que nos vemos do jeito que somos, e no que podemos ainda nos transformar.

    Nem sempre nossa vontade se ajusta com nossos atos, e algumas escolhas nos perseguirão o resto da vida.


    Infelizmente, a dor e o arrependimento não impediram que eu recaísse.

    Entretanto, depois de ter entrado em contato com aquela parte degradante, passei a entender que não tenho o direito de levar ninguém comigo. Vou lutar feito uma fera, mas, se perceber que chegou o limite, não quero ter mais a cena de alguém inocente me esperando na cabeça.

    Estou desde quinta-feira sem dormir, cheirando cocaína. São 11:57, quase primeiro de agosto. Amanhã recomeço meu tratamento. Nesse momento, acabei de usar a última dose, apesar do nariz estar sangrando. Queria me despedir da droga. E falo sério: vou tentar mais uma vez.E mais uma. E mais uma. Mas não tenho filhos e, se recair, vou tentar de tudo para poupar minha família disso.

    Se daqui a algum tempo continuar tropeçando, já tomei a decisão de meter uma bala na cabeça. Mas nunca mais exponho outro ser humano ao castelo de miséria que eu mesma construí.


    Então, o que eu queria te dizer neste enorme texto prolixo; eu, que estou agora mesmo limpando sangue e lágrimas, pois vejo que o relógio marca 00:00 h e estou oficialmente em terra de reabilitação; eu, que quero desesperadamente parar e preciso desesperadamente usar...é que nós precisamos ter esperança, desde que os danos afetem somente a quem opta por mantê-la. Um pouco de realismo faz bem, e saber o que queremos quando acontece aquilo que não desejamos, também.

    Não me entenda mal, por favor.
    Espero de coração que seu marido saia dessa. Espero que tudo isso vire passado e vocês sejam muito felizes.

    Mas, se isso não acontecer, não deixe seus filhos serem afetados por isso.
    Amá-lo e apoiá-lo foi opção sua. Você é adulta e sabia que a luta era difícil.
    As crianças não tiveram nenhum poder de escolha. E nenhuma criança deveria viver num ambiente em que a doença esteja descontrolada.

    É muito antipático o que estou dizendo...não fique com raiva de mim. Eu queria te dizer essas coisas para te proteger. Quero te ver feliz mesmo sem te conhecer.

    Eu fiz a minha escolha. Condenável, para alguns. A única, para mim. Talvez um dia você precise fazer a sua também. Então, talvez você sinta que não nos falta vontade, mas a luta é contra o demônio, Polly.

    E se é contra o demônio, que seja só a nossa luta, e a de mais ninguém.

    Que as estatíticas apoiadas na base ambiental e genética englobem outras pessoas, e não as nossas famílias.
    Sei que estou sendo desagradável, mas desejo todo o bem do mundo a você e a ele. Só peço - e pode me odiar por isso - que, se um dia tiver que optar, a não deixar essa praga se espalhar.

    Força para todos nós.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, não faz nem uma hora que escrevi meu texto deprimente e já vim aqui pedir desculpas.

    Todo mundo comemorando o novo bb e eu preocupadíssima com você, que nem conheço direito, só por ter se encaixado em uma situação na qual eu, infelizmente, me reconheci.

    Agora me dei conta de que nem pensei na grande vitória do seu marido em estar se mantendo limpo, e sim no fato dele ter feito a mesma coisa condenável que eu fiz um dia.

    A verdade é que fiquei com raiva dele. Sim, por ter raiva de mim mesma. Agi igualzinho, oras !

    Desculpe a negatividade, Polly. Tive que lavar o nariz, retirar o resto de pó que estava lá dentro e engolir o choro. Só assim pude lembrar que estou de novo no meu primeiro dia.

    Tenho mais uma vez uma nova chance.

    Acho que estou morrendo de medo, por isso é tentador tentar salvar a humanidade da angústia que sinto agora, depois da recaída e depois de voltar a entupir o nariz de farinha.

    A verdade é que é muito fácil tentar ser realista e abdicar da esperança, mas sem as duas qualidades, fé e pé no chão, não vou chegar a lugar algum. Sorte que percebi isso antes de amanhecer o dia.

    Vou levantar a cabeça e apreciar o fato de estar nascendo de novo.

    ( Gente moralista que vem espiar deve dizer assim: noooooooossa, esses viciados têm umas alterações humor que vou te contar, héin! hahahahaahah )

    Beijooo, Polly !

    ResponderExcluir
  8. Patricia querida, você está muito perdida menina, nem você sabe o que de fato quer... No fundo você mesma não acredita na própria recuperação, e isso já é o começo para não dar certo. Se tanta gente consegue, pq com voce vai ser diferente? Já vi pessoas se curarem de cancer em estado terminal, oq é a dependencia química, em relação a um cancer?
    Se você pensar que pode ou que não pode de qualquer modo você estará certo.
    Muitas pessoas não se permitem lutar pelo que realmente desejam porque não vislumbram como isso pode se concretizar.
    Não tente entender como isso é feito, apenas acredite que efetivamente será feito.
    E lute, mate um leão por dia, cade sua força? Será que sua vida vale tão pouco assim para levar uma bala na cabeça? Você já está pensando no e se não der certo. Ou seja negatividade total.
    Não pense em recuperação Patricia, antes de trabalhar o seu interior, antes de descobrir seu real valor, antes de determinar se recuperar. Antes de querer de todo o coração, enquanto você nutrir essa paixão pela droga fica difícil.

    Mas eu estou com voce! E eu acredito em voce! Qualquer coisas estamos aí...

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Amiga Poly!
    Fico feliz pelo seu esposo. Um mês Limpo!
    Quanta alegria! Quanta ansiedade sua nestes dias que ele sai pro serviço e teu pensamento te deixa dúvidas se ele volta Limpo...mas quantas alegrias quando ele chega e vc percebe que ele realmente está Limpo.
    Momentos como estes nos mostram que MILAGRES acontecem!
    Ver ele completar um mês Limpo, ainda mais com todos estes detalhes de ser o mês que vc's se conheceram e tal, isso é bacana!
    E o melhor presente dele O Poder Superior deu a vc's dois, né? rsrsrs
    Tantos outros meses de comemoração ainda virão...pode acreditar..aliás, nem precisa dizer isto, pois sei que acreditas até demais. rsrs
    É isso aí, amiga!
    Agora, mais uma vez com sua permissão, quero me dirigir a nossa amiga Patrícia.
    Infelizmente, Patrícia, vc ainda não percebeu o conteúdo, o contexto do termo "fundo de poço", no sentido literal e figurativo da coisa.
    Digo isto pq o que vc diz é totalmente contraditório com suas ações e até mesmo pq o que eu havia contado sobre "fundo de poço" é justamente o que vc relata. Entretanto, não concordo com o fato de que o termo "fundo de poço" atrapalhe o tratamento da DQ. Muito pelo contrário...aqueles que não chegarem e não admitirem que chegaram, infelizmente continuarão morrendo nas garras da adicção.
    Entretanto, o que eu quis dizer e repito, é justamente o que vc diz: que não é necessário se perder tudo pra que aquilo seja o seu "fundo de poço". Certamente vc não leu o que eu comentei no Post DA FRAQUEZA À FORÇA. no meu Blog. Porque é o seguinte, amiga! Se vc conta toda esta sua história e não considera isto uma perda, não tem como parar de usar, pois não estás tendo prejuizo algum, entende? Agora se vc acha que está tendo alguma perda com isso, aí fica mais fácil querer deixar de usar. Então, qualquer que seja o motivo que vc alega que foi uma perca grande, já é um "fundo de poço". Por isso, não acho que deveríamos lutar contra este mito, que pra mim não é mito. Infelizmente não estou conseguindo te explicar o que é realmente o conceito de "fundo de poço"....ou talvés vc ainda não esteja pronta para adimití-lo. Não sei. Só sei que aqueles que não se entregarem completamente ao programa de recuperação, serão vítimas das terríveis consequências da adicção ativa. Espero que isso não aconteça contigo.

    ResponderExcluir
  10. (continuação)


    Estou aqui torcendo por ti. Li seu texto e confesso que me emocionei, quando vc disse que iria dar cabo a vida, se não conseguisse. Peço que nunca mais nem pense nisso...não é esse o caminho que vc deve seguir...não é tomando uma atitude insana desta que vai resolver o problema.
    Quero que vc entenda que realmente isso que vc já está passando, vivendo, já é uma espécie de perda...e já chega...não precisa perder mais nada...como vc mesma disse, é muita coisa...agora é buscar um recomeço...e sei que vais conseguir..claro que vais conseguir!
    Voce disse: "eu, que quero desesperadamente parar e preciso desesperadamente usar.." digo que vc não precisa desesperadamente usar. Isso é apenas a fissura falando e agindo mais alto. Mas não que PRECISA USAR. Se vc faz parte de NA, certamente já escutou dizer que "UM ADICTO, QUALQUER ADICTO, PODE PARAR DE USAR, PERDER O DESEJO DE USAR E ENCONTRAR UMA NOVA MANEIRA DE VIVER".
    Eu sou prova disto, Patrícia! Eu estava como vc. Eu tinha que usar pra poder viver! Eu realmente acreditava nisso! Mas quando comecei a fazer minha recuperação valer a pena, estou sem usar, SÓ POR HOJE....e SÓ POR HOJE, não usei. Não precisei desesperadamente, como antes.
    Entenda, minha amiga, que estamos aqui do teu lado. Embora não fisicamente, mas este espaço aqui proporciona muita sintonia. Estamos aqui todos, digo todos(as) mesmo, torcendo por ti. Jamais queremos ter notícias de que vc abriu mão de vc mesma.
    Não foque sua recuperação no contexto de se ter atingido ou não o que os outros denominam "fundo de poço"...apenas aceite que está perdendo as forças para as drogas e que elas estão te causando danos. Isto já é um ponto de partida.
    Aí certamente as coisas começarão a seguir o caminho certo.
    Sou teu amigo e TAMUJUNTU, Patrícia!
    Que possas encontrar o brilho da luz em meio a escuridão da adicção.
    Abração, Patrícia!
    Abração, Poly!
    TAMUJUNTU.

    ResponderExcluir
  11. PARA PATRICIA: Que bom que vc tá tentando... Eu to aqui vibrando por vc!!!
    Nunca se esqueça : "O VELHO ESTIGMA DE QUE UMA VEZ DROGADO SEMPRE DROGADO NÃO SERÁ MAIS TOLERADO, SOMOS ADICTOS EM RECUPERAÇÃO..."
    E que a "RECAÍDA FAZ PARTE DA DOENÇA, MAS NÃO DA RECUPERAÇÃO"
    Fique bem anjo... e não se importe se outros pensem que temos "muitas alterações" de humor... foi pensando e se importando com que os outros iam pensar que acabamos falidos.... Hoje podemos optar por um amor incondicional, o amor que não julga só ama... o amor de companheiros verdadeiros!
    Te amo garota!!! Te amo de um jeito especial, torço por sua recuperação.
    cicie
    modificaramimmesma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Estou lendo o blog desde o início há pouco mais de uma semana... Momento em que desesperadamente precisei de ajuda. E obtive! Consegui contato com duas pessoas maravilhosas que se depuseram a me ouvir e tbm me esclarecer algumas coisas sobre esse mundo das drogas, que eu entendo quase nada. Meu marido está limpo há 6 dias. Só por hoje, obrigada meu Deus! 91 993685024

    ResponderExcluir