terça-feira, 21 de junho de 2011

Sim para mim!

Boa tarde, gente!

Agora são 12:34 horas deste dia 21 de junho de 2011.

Seis dias que meu esposo está limpo!

Hoje não fui ao trabalho em razão de uma forte gripe. Na verdade, a gripe se juntou a várias “ites” (rinite, sinusite, bronquite...) e até a asma resolveu dar o ar da graça novamente, depois de tanto tempo. Acho que estou com baixa imunidade. Mas, vai passar.

Pra mim, é tão estranho ficar doente. Deitada sob cobertores, tomando medicação, quietinha. Estou acostumada a cuidar, a fazer, a agir, a pensar nos outros, que acho esquisito focar em mim mesma. Permitir-me ficar mal.

Co-dependência.

Um bebezinho nasce, e logo ele perceberá o quanto é bom receber a dedicação e o amor das pessoas.

Em poucos dias ele passa a querer uma dedicação exclusiva, e chora quando não a recebe.

Esse bebezinho vai crescendo. Muitas vezes, na infância, ele não tem o amor e atenção que necessita. Outras vezes, cresce em um ambiente repressor, onde não lhe é permitido expressar os seus sentimentos, suas dores, suas fraquezas, seus medos, ou até mesmo suas alegrias.

Quando adolescente, ao iniciar suas escolhas, essa pessoa escolherá aquele cenário que lhe pareça mais familiar, inconscientemente, para sentir-se segura.

E lá estará o co-dependente a escolher alguém para se relacionar. Alguém emocionalmente fechado, na grande maioria das vezes, dependentes químicos ou alcoólatras, para que ele possa viver seguro. Como assim seguro? Mudança gera insegurança. Ele estará seguro num ambiente igual ao da sua infância, onde não pense em si mesmo, nem em seus sentimentos ou desejos, como foi ensinado desde criança. Abrindo mão de tudo, até mesmo de sua vida, para fazer o bem ao seu parceiro, e tentar ser “merecedor” do seu amor, do seu carinho, da sua atenção.

A auto-estima do co-dependente é tão baixa que ele pensa que não é possível ser amado ou aceito por ninguém, a não ser que ele faça alguma coisa para merecer isso.

Se eu fizer o meu marido deixar as drogas, ele me amará, assim como a família dele e a minha, pois terei feito algo heróico, e merecerei o amor e a aceitação de todos.

E mediante a anulação própria, trilhamos nossos caminhos na ânsia pela aceitação de terceiros. Nunca sabemos dizer não aos outros, mas, essa é a palavra que mais dizemos a nós mesmos.

Para os outros sempre é possível mais um pouquinho. Para nós, nunca há tempo, ou vontade, ou motivação.

Quem pensa que o amor é sempre algo bom, engana-se. A co-dependência é conhecida como o vício do amor. Você é tão dependente de amar, de dar-se, de fazer aos outros, que isso se torna altamente prejudicial e destrutivo.

O amor pode ajudar o dependente químico em sua recuperação, mas, a co-dependência somente adiará a sua percepção da necessidade de se recuperar.

O pior de tudo é que por mais que o co-dependente faça, isso não é a garantia de que ele receberá de volta o que espera: amor, carinho, dedicação, gratidão ou reconhecimento. E aí vem a grande frustração e o vazio, conhecidos desde a infância.

Por isso, a recuperação da co-dependência parece simples, mas, exige muito esforço: focar-se em si mesmo.

O meu esposo precisa de mim, meus filhos também, meu trabalho também, e até os leitores do Blog também, mas, hoje não posso. Estou enferma, preciso descansar, tratar essa dor de cabeça e dores no corpo, vou cuidar de mim. Eu preciso de mim! Só por hoje.

Entendem?

Egoísmo? Não! Amor próprio.

O próprio Senhor Jesus falou para amarmos ao próximo como a nós mesmos! O quanto você se ama é o referencial. Não é para amarmos a nós mesmos como ao próximo. Nós mesmos primeiro!

Como uma boa co-dependente, pouquíssimos amigos e familiares sabem da adicção do meu esposo. Resolvi enviar o link do blog, na semana passada, para alguns poucos amigos, amigos de verdade.

Um deles, na verdade um casal muito querido, amigos há vários anos, me responderam o seguinte, em dois e-mails:

“Polyanna, não fazíamos idéia que vocês estavam enfrentando esse problema. Te confesso que estou tentando imaginar tudo e não sei nem o que dizer. Uma coisa é certa: no que for possível, conte conosco. Você demonstra imensa coragem criando o blog. Percebe-se que outras pessoas estão sendo confortadas e encorajadas por seu gesto. Coragem. Por enquanto é o que tenho a te dizer. Reafirmando o apoio, não se encabule de me procurar quando imaginar que eu possa ajudar de alguma forma... Não escrevo nada, mas vou ao seu blog todo dia, pelo menos uma duas vezes (de manhã e à noite), saber como estão as coisas... Não sei como devem agir os amigos de um dependente e de um co-dependente. Você poderia escrever sobre isso. A vontade de ajudar de alguma forma, de contribuir para dias melhores, é grande. Esbarramos no nosso próprio desconhecimento, no desconhecimento dessa doença... como agir, qual o limite, o que seria de fato benéfico...”

Eu gostaria de usar esse espaço para responder aos meus amigos. E minha resposta é uma só: Obrigada! Simplesmente pelo fato de não fugirem de nós, de não julgarem, de não se afastarem, obrigada! Confesso que não sei o que espero dos meus amigos, visto que fui eu quem se afastou e se isolou. Talvez eu peça paciência e compreensão, nada mais. Pouco a pouco, tenho me recuperado, e na minha lista de reparações, estão incluídos os amigos que tanto amo e que também me amam, e que deixei de lado por conta da co-dependência que não deixa espaço para mais nada.
Orem por nós. E o fato de saber que vocês estão pertinho, já me faz um bem enorme!
“Podemos ficar tentados a ajudar a libertar a borboleta de seu casulo. Faz parte da natureza humana querer ajudar, mas se nós ajudarmos, a borboleta cairá no chão e morrerá. Sua luta para se libertar do casulo fortalece suas asas o suficiente para sobreviver e voar.” Eunice Brown

Quero participar do sorteio de aniversário do 1º mês do Blog Amando um Dependente Químico!

5 comentários:

  1. Parabéns pelo seu casulo, pequena Borboleta!
    Lendo um por um dos seus posts, fiquei extremamente emocionada, lembrei de cada momento feliz, de cada dia em que eu não acreditava no meu progresso pessoal, de cada pequena insatisfação, de cada vitória... "ah... as trocas de fichas e de fitas"....
    Seu blog trouxe a flor da pele todo o sentimento, alias todo o turbilhão de sentimento que se vive nessa louca jornada chamada "RECUPERAÇÃO".... Sabe Polly... Quando as coisas se tornam "fáceis, serenas, sãs..." tendemos a afrouxar os cintos...e cada gota de recuperação que guardamos no copo começa a avaporar... Você me lembrou que é preciso usar o conta gotas constantemente para repor o que evaporou...
    Eu gostaria de te dar um abração e dizer "TAMU JUNTO COMPANHEIRA!!!" RS....
    Obrigada pela ajuda.... e por me lembrar que valhe a pena...
    Polly não desista nunca de VocÊ... Lembre-se sempre que Só por Hoje Você é a Pessoa Mais Especial da Sua VIDA
    http:modificaramimmesma.blogspot.com.br
    Cicie

    ResponderExcluir
  2. Querida Cicie, seja muito bem-vinda! Sinta o meu abraço! Adorei isso: é preciso usar conta gotas para repor o que evaporou da recuperação, é isso mesmo. As grandes coisas vemos facilmente, mas, as pequenas é que nos pegam.
    Vale a pena sim, companheira!
    Já estou seguindo o seu blog, aliás, tá lindo seu blog!
    Muita força, só por hoje!

    ResponderExcluir
  3. olá querida, melhorou?
    Nossa fiquei muito emocionada ao ler seu post, vi a minha vida sendo descrevida, um lar sem estrutura, a baixa auto estima, e muitas outras coisas...
    Em muitas áreas eu fui tratada quando conheci o Jesus da bíblia, pois eu vi que Ele me ama independentemente do que eu sou ou faça, agora que conheço o grupo eu estou tratando outras áreas que estou descobrindo dia a dia.
    Obrigado mesmo por iluminar o caminho da minha recuperação.
    Que o Senhor te capacite sempre para que você vença sua batalha, torço muito por você.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Olá, Mari! Melhorei sim, querida, obrigada!
    Essa é a nossa história, né?
    Ainda bem que hoje sabemos que é uma doença, e podemos nos cuidar, e reescrever nossa história, a cada dia. O passado, ficou lá atrás. O importante é o agora e como o estamos vivendo!
    Jesus é Maravilhoso, Ele é capaz de sarar qualquer ferida, e de nos dar uma nova maneira de viver. Eu O amo e adoro de todo o meu coração! Ele SEMPRE esteve comigo.
    Muita serenidade pra você e pro maridão!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. VOCÊ É UMA MULHER DE NUITA FORÇA! E DEUS HÁ DE TE RECOMPENSAR! #DEUSÉFIEL. TUDO ISSO VAI PASSAR, NADA DISSO É EM VÃO, VC VAI VER...ESPERA EM DEUS TUDO TEM SEU TEMPO. FICA FIRME! leylalee19@hotmail.com

    ResponderExcluir