quinta-feira, 16 de junho de 2011

Droga é droga!

Vamos conversar um pouco sobre o assunto da nossa enquete? Bom, eu já imaginava que a maioria absoluta dos leitores deste Blog seriam contra a legalização da maconha.

Segundo a enquete do Fantástico da rede Globo, realizada recentemente, 57% da população é a favor da descriminação da droga. Não vou nem comentar que a reportagem foi totalmente parcial, onde doze falaram de vantagens e apenas um das desvantagens.

Bom, o fato é que “pimenta no olho dos outros é refresco”, não é mesmo?

Acredito que nós, adictos e familiares de adictos, que sentimos na pele a dor e sofrimento na luta contra essa maldição que se chama droga (independente de qual) não somos favoráveis à sua facilitação.

Eles alegam que a legalização enfraquecerá o tráfico. Será? O que é ilegal, sempre é mais barato, os traficantes sempre darão um jeitinho. A forma de enfraquecer o tráfico e combater as drogas no nosso país é fortalecendo a fiscalização nas fronteiras, impedindo a entrada dessas arruinadoras de vidas.

Quero ver o governo investindo nas fronteiras e em clinicas de recuperação. Não quero ver maconha sendo vendida em “lanchonetes”. O lado bom disso, é que o governo vai tributar, ou seja, mais dinheiro aos cofres públicos e aos bolsos de alguns que pouco se importam com as vidas destruídas pelas drogas que eles querem legalizar.

Outro argumento deles é que a maconha faz menos mal que a bebida. E quem falou que somos favoráveis a essa outra droga que se chama álcool? Quantas histórias ouvimos no A.A. e no Al-anon, famílias destruídas, sofrimento.

E o resultado da bebida ser algo legal no país é que os jovens estão bebendo cada vez mais cedo. Adolescentes entre 14 e 17 anos dizem ter começado a beber, em média, aos 13 anos e nove meses de idade. Quantos desses se tornarão alcoólatras? O alcoolismo só tem crescido, estima-se que 15% da população mundial seja dependente de álcool. Muitos nem sabem que estão doentes, afinal, que mal há em beber uma cervejinha com os amigos, né?

É assim que a maconha passará a ser vista também.

E, pasmem, uma pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações Sobre Drogas Psicotrópicas, com quinze mil estudantes de dez capitais brasileiras, mostrou que 51,2% das crianças entre 10 a 12 anos já experimentaram alguma bebida alcoólica e, desses, 15% bebem regularmente.

Legalizar a maconha é adoecer ainda mais a nossa juventude. Começam com a maconha, mas, raramente param nela.

Essa droga “inofensiva” sendo usada em doses maiores, ou dependendo da sensibilidade do usuário, causa delírios, alucinações, seguidas de mania de perseguição, podendo levar ao pânico e, conseqüentemente, a reações perigosas como agressão a outros ou suicídio. Além disso, com o uso contínuo, é mais provável o aparecimento de bronquites ou até mesmo câncer nos pulmões, e a diminuição da testosterona, hormônio masculino, causando diminuição no número de espermatozóides.

Sabe-se ainda que o uso continuado da maconha interfere na capacidade de aprendizagem e memorização. E, por fim, se forem portadores da adicção, os usuários se tornarão dependentes da droga, ou seja, viverão em função dela, e toda a vida ao redor perderá o seu valor.

Agora repito a pergunta que fiz em um post anteriormente:

Atrás de cada dependente químico, existem mães, esposas, filhos, pais, irmãos, namoradas, amigos... Quem se responsabilizará pela dor de tanta gente, hein?! Será que uma vida vale menos que um imposto recebido, Sr. FHC?

Ele tem oitenta anos, meus filhos têm onze e dois anos, ele não estará aqui quando a droga for livremente comercializada, mas, nossos filhos sim... Pensem bem!

Ainda dá tempo de votar na enquete.

2 comentários:

  1. Querida Poly

    Bom dia, você comentou hoje sobre o medo e alguns anos essa paalavra me intimidou muito, não vou falar que ainda não tenho receio dela, mais vou te escrever um pequeno texto que recebir quando entrei no grupo do AE.

    "Quando você mantém o sentimento do medo na sua mente, você dá existência a ele, ao medo. Quando voce o afasta com decisão da sua mente, voce o aniquila e o seu espaço é ocupado pela convicção da vitória. O medo paralisa as pessoas; a fé e a confiança em si mesmo potencializa a força da vitória.

    Observem algumas partidas de futebol e veja o que acontece com alguns times quando jogam no seu próprio campo. O time rende mais, atua melhor, quase sempre consegue a vitória. Por que acontece isso? O campo é igual, as regras são as mesmas, no entanto, o time rende muito melhor no seu próprio campo e muitas vezes ganha a grande maioria das partidas, ficando até mesmo dezenas de partidas sem perder. Qual a diferença, o que acontece para o rendimento ser melhor no seu próprio campo? Simplesmente, a presença de sua própria torcida em grande maioria no estádio, muda toda a situação. “Mas, a torcida não joga”, dirá você, “a torcida não entra em campo!” Mas incentiva, anima, grita, empurra o time para frente! E aí está a diferença. No jogo da vida, seja o seu maior torcedor, acredite em voce mesmo, tenha fé nas suas qualidades! Parta para o ataque! Não tenha medo!!

    E a vitória será sua."

    SÓ POR HOJE:Eu vou derrubar meus muros pessoais e me aproximar dos outros. Vou permitir a meu coração a liberdade de amar e ser amado.

    Força, Fé e alegria, bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Tininha. Refletirei sobre essa mensagem, muito verdadeira!

    ResponderExcluir