sexta-feira, 20 de maio de 2011

O início!

16 de julho de 2006. Dia em que tudo começou. Eu havia concluído minha graduação a poucos dias e estava em minha última semana de férias do trabalho.

Minha filha e eu fomos ao shopping para escolher o novo computador. Estava prestes a desistir da compra, por causa dos valores. Quando ia sair da loja, encontrei uma grande amiga, que me convenceu a fazer o negócio.

Deixei minha filha na casa de sua avó paterna.

Abrindo um parêntese na história, gostaria de esclarecer que minha princesinha mora com a avó paterna, embora esteja comigo com freqüência. Ela é fruto do meu primeiro casamento. Casei-me aos 19. Durou cinco anos e se acabou por imaturidade. Descobri que meu príncipe encantado tinha defeitos, e ele descobriu que a princesa dele também tinha defeitos. Não soubemos lidar com as dificuldades da relação, mas, foi um casamento sem traumas.

Continuando, após deixar minha filha, fui correndo para o apartamento onde morava sozinha, para instalar o computador e testá-lo.

Entrei num chat de pessoas evangélicas. Dei boa noite. Quatro rapazes me responderam. Três moravam próximos a mim, e um morava fora do país há um ano e quatro meses. Não quis continuar a conversa com os rapazes da minha cidade, pois, sabia que iriam querer marcar encontro, e eu não estava interessada nisso, apenas queria conversar, passar o tempo, e testar a velocidade do PC. Continuei conversando com aquele rapaz educado que havia me saudado com um “muito boa noite” e que não representava nenhum perigo, afinal, estava do outro lado das Américas...

Trocamos msn e passamos a conversar pelo Messenger.

Ele parecia tão triste, tão perdido. Coloquei-me a tentar ajudá-lo. E no fim de nossa conversa ele se abriu dizendo que sofria de dependência química.

Juro que não imaginava que um dia ele seria meu esposo. Não era o que eu havia sonhado, mas, a vida e o destino nos pregam muitas peças...

2 comentários:

  1. Parece o inicio da minha historia tambem

    ResponderExcluir
  2. É um alívio saber que existem outros evangélicos que sofrem o mesmo que eu e, principalmente, que conseguiram superar. Obrigada!!

    ResponderExcluir